Arquivos do Blog

Com o jeito “caipira”

Estamos quase lá… Falta muito pouco para a temporada 2012/2013 começar. A bola sobe pra valer na NBA a partir da próxima terça-feira (30), com três partidas, mas o San Antonio Spurs estreia um dia depois, em duelo contra o New Orleans Hornets (com transmissão da ESPN). Entre os especialistas, quase nenhum coloca os texanos na briga pelo título, mas isso não deve abalar os jogadores do elenco de Gregg Popovich.

Não mexam com os homens do Oeste…

Pouca badalação, analistas não muito esperançosos, torcida um tanto quanto desconfiada. Foi mais ou menos com este cenário que o Spurs começou suas últimas temporadas. Este ano a situação é parecida. Em votação realizada entre os General Managers da NBA, nenhum apontou o Spurs como futuro campeão. Na mídia norte-americana, Los Angeles Lakers e Miami Heat dominam as pautas quando o assunto é candidatos ao título, enquanto os texanos raramente aparecem.

Nos últimos anos, o time de San Antonio deixou de carregar o status de favorito e passou a adotar o estilo caipira, o famoso  “come-quieto”. Enquanto todos voltam seus olhos para os elencos estelares montados em Los Angeles e Miami, os texanos aparecem de fininho para se intrometerem entre os favoritos.

Sangue jovem é a esperança do Spurs para se manter no topo mais uma temporada

Se a cada novo início de temporada circulam discursos sobre o fim da “Era Duncan”, em quadra o que se vê é um Spurs altamente competitivo, que liderou a Conferência Oeste nas duas últimas temporadas regulares.

É bem verdade que o título não veio, mas ano após ano a franquia mostra que, mesmo com seus astros já com idade avançada, continua entre as melhores equipes da NBA. Se Duncan e Ginobili não são mais garotos, continuam desfilando categoria e eficiência em quadra, além de contarem com o apoio de excelentes coadjuvantes.

E é novamente nesses coadjuvantes que o Spurs se apoia para voltar a surpreender os favoritos. Com toda a base do ano passado mantida, a equipe confia em nomes como Danny Green, Kawhi Leonard e Boris Diaw para ajudar o trio de ferro a ir em busca de mais um título da NBA.

Enquanto os holofotes se viram para a Califórnia e para a Flórida, o Texas, quietinho quietinho, e com seu jeito caipira, se prepara para roubar a cena outra vez.

Spurs terá sete jogos transmitidos pela ESPN

O brasileiro Tiago Splitter terá muitas chances de ser visto em seu país natal

Cinquenta e nove. Este será o número de jogos transmitidos pela ESPN para o Brasil durante a temporada regular de 2012/2013. Na lista de transmissões divulgada pela NBA, o San Antonio Spurs será a quarta equipe mais contemplada pelo canal, com sete partidas.

E o torcedor já pode se animar. A primeira partida da temporada em telas brasileiras contará com Tim Duncan, Manu Ginobili e companhia. A ESPN abre suas transmissões no dia 31 de outubro, com o duelo entre San Antonio Spurs e New Orleans Hornets, às 22h.

Os líderes no número de transmissões são os atuais campeões e vices da NBA, Miami Heat e Oklahoma City Thunder, com dez partidas cada, mesmo número que terá o Los Angeles Lakers. Boston Celtics e Chicago Bulls terão seis transmissões cada e aparecem logo atrás do Spurs na lista dos preferidos do canal.

Seguindo a tradição, as partidas serão televisionados pela ESPN sempre nas noites de quarta e sexta-feira. Assim como na última temporada, o canal Space também deve transmitir jogos da liga norte-americana, mas a relação ainda não foi revelada.

Confira os jogos do Spurs com transmissão da ESPN:

31/10/2012 (22h) – San Antonio Spurs @ New Orleans Hornets

13/12/2012 (1h30) – San Antonio Spurs @ Utah Jazz

09/01/2013 (23h) – San Antonio Spurs vs. Los Angeles Lakers

23/01/2013 (23h30) – San Antonio Spurs vs. New Orleans Hornets

25/01/2013 (23h) – San Antonio Spurs @ Dallas Mavericks

07/02/2013 (00h) – San Antonio Spurs @ Minnesota Timberwolves

06/03/2013 (23h) – San Antonio Spurs vs. Chicago Bulls

AT&T Center apresenta novo piso para a temporada

Mais uma novidade do San Antonio Spurs para a temporada 2012/2013 foi revelada. Mas calma; desta vez não é nenhuma contratação inesperada ou movimentação no elenco. A franquia texana apresentou, nesta quarta-feira (3), o novo piso do AT&T Center, ginásio em que o time manda suas partidas.

Entre as mudanças em relação ao antigo layout, sai o símbolo do centro da quadra e fica apenas a inscrição “Spurs”, com a característica espora na letra ‘u’. O garrafão, agora, é todo preto, deixando somente a meia lua onde se cobra o lance livre sem pintura.

Este será o palco para Tim Duncan, Tony Parker e companhia brilharem em San Antonio

E aí, o que achou?

Quase tudo pronto…

A temporada 2012/2013 se aproxima e, enquanto algumas equipes ganham a mídia formando elencos badalados, o San Antonio Spurs segue sua rotina discreta e deve iniciar a pré-temporada sem grandes novidades. Mas, enquanto as atenções se voltam para o esquadrão formado pelo Los Angeles Lakers, no Oeste, e a constelação do Miami Heat, no Leste, pouca gente notou que os texanos foram irrepreensíveis durante esta offseason.

O elenco que chegou à final do Oeste no último campeonato foi inteiramente mantido. Tidos como prioridades, Boris Diaw e Danny Green acertaram rapidamente novos contratos com o Spurs. Depois foi a vez de Patrick Mills, Gary Neal e DeJuan Blair também firmarem novos acordos e se garantirem, pelo menos por mais uma temporada, no Texas.

Com Green e Diaw, elenco do Spurs ganha em opções e em versatilidade

A única baixa foi a saída de James Anderson, que não correspondeu às expectativas e acabou sendo liberado após duas temporadas pouco produtivas sob o comando de Gregg Popovich. Para compensar, a diretoria buscou o francês Nando De Colo, que estava atuando pelo Valência, na Liga Espanhola, e será a única cara nova no elenco.

Com isso, o San Antonio Spurs conta com 14 jogadores sob contrato, um a menos do que o limite permitido pela NBA. No quadro abaixo, um rascunho de como deve funcionar a rotação de Popovich durante a temporada.

PG

Tony Parker

Patrick Mills

Cory Joseph

SG

Danny Green

Manu Ginobili

Nando De Colo

SF

Kawhi Leonard

Stephen Jackson

Gary Neal

PF

Boris Diaw

Matt Bonner

DeJuan Blair

C

Tim Duncan

Tiago Splitter

 –

No quinteto titular, nada deve mudar em relação à temporada passada. A estratégia de voltar a usar Manu Ginobili vindo do banco de reservas funcionou e deixou o Spurs com uma interessante formação inicial defensiva, além de fortalecer a chamada “segunda unidade” com a presença do argentino.

Mills tem a missão de dar descanso a Parker

Entre os reservas, além de Ginobili – que, muitas vezes, deve ter mais minutos em quadra que o titular Danny Green -, devemos observar o crescimento de duas peças em especial.

Primeiro Patrick Mills, reserva imediato de Tony Parker, mas que, por ter chegado com a última temporada em andamento e ter tido pouco tempo de adaptação, acabou sendo pouco utilizado nos jogos mais importantes. No entanto, quando requisitado, mostrou capacidade.

Agora, com um período maior de treinamento com os companheiros, o australiano terá mais tempo para aprender o rígido sistema tático e deve ser acionado mais vezes por Gregg Popovich para dar descanso a Parker.

Outro que deve ver seus minutos crescerem é Tiago Splitter. O brasileiro vai para sua terceira temporada na NBA e, no ano passado, mostrou amadurecimento. Com a idade cada vez mais avançada, Tim Duncan, aos poucos, vai ficando menos tempo em quadra e ter um substituto confiável é fundamental.

Quem começa a temporada tendo de correr atrás do prejuízo é DeJuan Blair. De titular no início da temporada, o ala-pivô afundou no banco de reservas durante os playoffs. Pouco aplicado na defesa e acima do peso, perdeu a confiança do treinador e agora precisa recuperar seu espaço na rotação.

Em circunstâncias diferentes, mas também tendo de conquistar a confiança de Popovich, Cory Joseph também precisa mostrar serviço. Escolhido no Draft de 2011, ainda era considerado muito “cru” para atuar na NBA. Por isso, passou quase toda a última temporada na D-League. Com a possível evolução de Mills e ainda com Gary Neal podendo ser improvisado na armação, não me espantaria se o jovem fosse enviado novamente para a Liga de Desenvolvimento.

Eis aqui a única cara nova…

Para o novato Nando De Colo, as chances devem surgir aos poucos e tudo dependerá de sua adaptação. Versátil, pode ganhar minutos até mesmo na armação, se Mills não cair nas graças de Popovich. Mas também deve ganhar oportunidades principalmente nas partidas em que Manu Ginobili for poupado, ou algum jogador de perímetro estiver afastado por contusão.

Resta ainda uma vaga no elenco texano e rumores mais recentes dão conta que a diretoria está de olho no ala Josh Howard. Mas com um elenco bem equilibrado, os cartolas não precisam ter pressa. Uma presença física e defensiva no garrafão ainda me parece a maior carência do plantel, bem servido no perímetro.

Entre os cotados, Kyrylo Fesenko, analisado na coluna de Lucas Pastore, é uma boa opção. Até o nome de Greg Oden já rondou o Texas, mas não me parece o tipo de aposta que o Spurs faria.

Se não acertar com nenhum nome mais conhecido, a escolha deve ser um nome mais modesto vindo da D-League ou algum jogador que tenha se destacado na Liga de Verão.

Independente de quem preencha a última vaga, a força do elenco seguirá como a principal arma do Spurs para a próxima temporada. Se com as chegadas de Steve Nash e Dwight Howard o Lakers esboçm o melhor quinteto inicial da NBA, os texanos têm um dos melhores e mais equilibrados plantéis de toda a liga. Por isso não há o que temer. Já está quase tudo pronto e quem venha a temporada 2012/2013.