Arquivos do Blog

A mulher de malandro

Em 21 dias, Magnano anuncia os convocados para as Olimpíadas

Respeitável público,

A presença de Nenê e Leandrinho em Londres é pule de dez. Embora o técnico da seleção, o argentino Rúben Magnano, faça mistério, a dupla que se recusou a atuar no Pré-Olímpico de Mar del Plata, alegando as mais esfarrapadas desculpas, estará em solo bretão defendendo a camisa canarinho. A lista oficial sai no próximo dia 17 e, de acordo com o misterioso treinador, antes disso nenhuma palavra será dada sobre o assunto. Mesmo assim, Magnano se entrega quando diz que ninguém é dispensável, num claro indício de que pretende contar com o que considera força máxima em Londres, incluindo aí os dois jogadores que atuam na NBA.

Mas a situação pode ser um pouco mais complexa. Não faz muitos dias, o presidente da CBB, Carlos Nunes, veio a público e bancou Nenê e Leandrinho entre os 12 convocados. O desvario e o anti-profissionalismo dos nossos cartolas estão longe de me surpreender, então uma declaração desnecessária e que não deveria partir de quem partiu é o menos grave neste imbróglio. O caso pode ser mais grave: penso que a decisão de tê-los em Londres pode não ter partido de Magnano, que já não fala a mesma língua dos manda-chuvas da CBB. Óbvio que isso não passa inicialmente de uma especulação, mas faz certo sentido se pensarmos que Magnano enfrentou o mesmo problema quando treinava a seleção da Argentina. Na ocasião, o ala Marcelo Nicola e o armador Juan Espil pediram dispensa de um simples Campeonato Sul-Americano e jamais tiveram outra oportunidade com o técnico. Tudo bem que Nicola e Espil não tinham importância alguma para os argentinos, tal como Nenê e Leandrinho têm para as aspirações brasileiras em Londres. Contudo, Magnano é um treinador rigoroso e vencedor o suficiente para mandar às favas quem bem entender. Outro fato que chama a atenção é que o treinador andou meio fora de cena, leia-se ausente da cena basquetebolística nacional, algo raro desde que assumiu a prancheta em Pindorama. Pode ser uma coincidência, talvez ele tivesse mesmo muitos problemas a resolver em seu país, mas até que se prove o contrário…

Há alguns meses escrevi aqui que não gostaria de estar na pele do treinador na hora de fazer a convocação. Continuo sem ter uma opinião formada, mas tendo pro lado que apostaria nos que classificaram o Brasil em Mar del Plata, deixando de fora a dupla que no momento mais difícil preferiu pular fora do barco. Para alguns, isso poderia minar desde já uma possível briga por medalha, como se com Nenê e Leandrinho esta fosse quase que uma certeza absoluta. Sou avesso a nacionalismo, logo usar expressões como “amor à pátria” me soa como sentimental demais e não contribue para o bom debate, mas acho que os garotos – alguns já nem tão garotos assim – que garantiram a vaga merecem estar na Inglaterra. É difícil que aconteça, impossível, não: imaginem os dois desertores convocados e pelo menos um deles declinando o chamado de Magnano. Estaríamos assumindo o grotesco papel da mulher de malandro, aquela que tanto apanha e não larga o marido. Em outras palavras, uma autêntica vergonha histórica e que, infelizmente, corre o risco de acontecer.

Anúncios

Nenê no Spurs: sonho distante?

Fuçando nos sites norte-americanos que acompanham a rotina do San Antonio Spurs bem de perto, pude perceber que está rolando um rumor por lá acerca de uma possível vinda do brasileiro Nenê Hilário para o Spurs.

Why not?

Como eu disse, é claro que isso é apenas um rumor, nada concreto. Creio que ninguém chegou a conversar sobre isso ainda, mas acho que seria um bom negócio para o brazuca e para a franquia texana.

Primeiro porque Nenê iria para um time de ponta, que ainda tem gás para uma temporada em alto nível – ainda mais se contratar um reforço de peso como ele. Segundo porque o pivô parece estar extremamente desgastado em Denver. Ele, inclusive, já afirmou mais de uma vez que pensa em mudar de ares na próxima temporada.

Nenê, no entanto, ganha uma grana preta (US$ 11,6 mi) – o que pode brecar o negócio. O que fazer neste caso? Bem, Tim Duncan pode optar por sair de seu contrato – que está no último ano – e renovar pelo salário mínimo para veteranos. Isso liberaria uma verba excelente, e teríamos dinheiro para trazer o brazuca e mais um reforço de peso.

Bem, caros leitores, o que custa sonhar um pouquinho?

Spurs (30-21) @ Nuggets (35-18) – Aí sim, fomos surpreendidos novamente!

111X92

Como diria o célebre Mário Jorge Lobo Zagallo, nós fomos surpreendidos ontem, e de forma positiva. Nem o mais otimista torcedor do San Antonio Spurs poderia acreditar que iríamos até Denver jogar contra um dos melhores times da NBA e ainda por cima ganharíamos. O que mais impressiona é que foi uma vitória fora de casa, e de respeito! 111 a 92. Coisas que ninguém é capaz de entender.

Carimba, Blair!

Com primeiro quarto equilibrado, San Antonio conseguiu ditar um bom ritmo de jogo. Mesmo sem o armador Tony Parker, a equipe foi efetiva, e esteve muito bem nos arremessos de quadra (53.2%). Apesar disso, a defesa mostrou seus problemas de sempre. Deixou o Denver pontuar com facilidade e infiltrar como quis. O resultado foi um final de primeiro período com alto placar de 32 a 29 para os texanos.

E esse é o Manu que todos querem ver...

No quarto seguinte, ambos apertaram suas defesas, o jogo ficou mais parado e San Antonio começou a ditar o ritmo da partida. Com isso, fomos para o intervalo vencendo por 54 a 45.

Acostumado a tomar viradas na temporada inteira, nem me importei com a vantagem aberta. Na volta do descanso, os comandados de Gregg Popovich estavam inteiros, com ataque inspirado e uma defesa que nos fez lembrar a saudosa época de Bruce Bowen. Quando o terceiro quarto acabou, a vantagem estava em 13 pontos, o suficiente para deixar qualquer torcedor satisfeito.

No entanto, como torcemos para o time que toma viradas homéricas, permaneci reticente. Só fui comemorar o triunfo quando faltavam apenas três minutos para o final do prélio. E foi um jogasso, diga-se de passagem. Todos jogaram bem. DeJuan Blair foi um monstro, George Hill mandou ver e Roger Mason mostrou que tem que ser melhor aproveitado. O basquete de Manu Ginobili está melhor a cada dia e Tim Duncan foi o mesmo de sempre: eficiente!

A próxima partida do Spurs é só na quarta-feira, contra o Indiana Pacers. O Nuggets, por sua vez, tem parada dura contra o Cleveland Cavaliers na próxima quinta.

Confira abaixo os melhores momentos da partida:


Destaques da Partida

San Antonio Spurs

George Hill – 17 pontos, seis rebotes e quatro assistências

DeJuan Blair – 17 pontos e nove rebotes

Tim Duncan – 16 pontos e sete rebotes

Manu Ginobili – 15 pontos, seis rebotes e seis assistências

Richard Jefferson – 14 pontos, quatro rebotes e quatro assistências

Roger Mason – 14 pontos e quatro assistências

Denver Nuggets

Nenê Hilário – 20 pontos e nove rebotes

Carmelo Anthony – 19 pontos e seis rebotes

Chauncey Billups – 17 pontos e sete assistências

Spurs (29-21) @ Nuggets (35-17) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Los Angeles Lakers – Temporada Regular

Data: 11/02/2010

Horário: 01:30 (Horário de Brasília)

Local: Pepsi Center

Situação do Jogo

Ainda na rodeo trip, o San Antonio Spurs viaja até o Colorado para enfrentar o Denver Nuggets, que detém uma das melhores campanhas da Conferência Oeste. No último jogo, San Antonio fez feio: jogou em Los Angeles contra um Lakers desfalcado de Kobe Bryant e Andrew Bynum e perdeu de forma pouco agradável. O Nuggets, por sua vez, atravessou uma curva irregular nas últimas semanas. Foram duas derrotas em cinco jogos.

Confrontos na Temporada (0-2)

05/12/2009 – San Antonio Spurs 99 vs. 106 Denver Nuggets

Mesmo jogando em casa, o Spurs sucumbiu à força do adversário. Na oportunidade, Melo liderou o Nuggets com 34 pontos.

31/01/2010 – San Antonio Spurs 89 vs. 103 Denver Nuggets

Em outro jogo em casa, o Spurs abriu vantagem e deixou a equipe de Denver virar. Depois que assumiu a liderança, o Denver conseguiu abrir facilmente vantagem.

PG – Tony Parker

SG – George Hill/Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Tim Duncan

C – Antonio McDyess

Fique de Olho – O argentino vem sendo um dos jogadores mais sólidos ultimamente. Se emplacar uma boa partida, dará chances de vitória ao alvinegro texano.

Denver Nuggets

PG – Chauncey Billups

SG – Arron Afflalo

SF – Carmelo Anthony

PF – Malik Allen

C – Nenê Hilário

Fique de Olho – O brasileiro Nenê Hilário foi injustiçado por ficar de fora do All-Star Game. Nessa temporada, o brasileiro vem com médias de 14.0 pontos e 7.8 rebotes por partida.