Arquivos do Blog

All that Jazz?

Se há um lado bom em um trauma é que ele nos deixa mais previnidos. Pelo menos, é assim que funciona comigo: de todos os blogueiros, eu fui o menos otimista na prévia que o Spurs Brasil fez da série San Antonio Spurs x Utah Jazz, que começa neste domingo (29). Pudera; depois de sermos eliminados no ano passado pelo Memphis Grizzlies, que tinha os rebotes ofensivos como arma, novamente enfrentaremos uma equipe com garrafão imponente. Mas até que ponto os pivôs de Salt Lake City são comparáveis a Marc Gasol e, principalmente, Zach Randolph, algozes nos últimos playoffs?

O principal responsável por impedir que o pesadelo se repita

A frontcourt do Jazz para os playoffs deverá ser formada pelo ala-pivô Paul Millsap, pelo pivô Al Jefferson e pelo reserva Derrick Favors. Enes Kanter, clássico pivô da posição 5, ainda é um novato e provavelmente participará pouco da pós-temporada.

Se olharmos simplesmente para os números, iremos nos assustar. Na temporada passada, o Grizzlies pegava pouco menos de 40 rebotes por jogo e era apenas o 16º na liga neste fundamento. O Jazz, por sua vez, coleta mais de 44 ressaltos por partida no atual campeonato, terceiro melhor time nesse quesito. Complicou?

Não necessariamente. Primeiro porque, vale lembrar, o Grizzlies foi uma equipe que se acertou apenas após o All-Star Game. Não foi dominante durante toda a temporada. O Jazz, por sua vez, se destacou nos rebotes desde a primeia partida do campeonato.

Além disso, vale lembrar que o garrafão texano está mais forte do que nos playoffs de 2011. Tim Duncan está indiscutivelmente mais saudável e Tiago Splitter amadureceu bastante. Por fim, Boris Diaw já mostrou que pode fazer um bom trabalho marcando alas-pivôs que jogam mais afastados da cesta – como Dirk Nowitzki e Pau Gasol – e deve ser o escolhido para acompanhar Millsap. Aposto, inclusive, no técnico Gregg Popovich utilizando o francês como titular no lugar de DeJuan Blair.

Para esta temporada, o Spurs ganhou também ajuda do perímetro na briga pelos rebotes. Deixaram a equipe George Hill, que coletava 2,6 por partida no último campeonato, e Richard Jefferson, que pegava 3,8. Agora, chegaram Kawhi Leonard, com média de 5,1, e Stephen Jackson, com 3,9. Isso sem falar no crescimento de Danny Green, que ajuda com 3,5 ressaltos por exibição.

A verdade é que é tudo uma questão de match-up. No ano passado, o Spurs simplesmente não encontrou resposta para Randolph e Gasol nos playoffs. Dessa vez, há esperança de que isso seja diferente. Durante a temporada regular, Jefferson tinha médias de 19,2 pontos e 9,6 rebotes por partida. Contra o time texano, esses números passaram para 18 pontos e 10,5 rebotes. Millsap, por sua vez, que apresentou 16,6 pontos e 8,8 rebotes por noite, conseguiu apenas 11 pontos e 7,8 rebotes contra a equipe de San Antonio.

Ainda é preciso deixar claro que o jogo não será decidido apenas embaixo da cesta. No ano passado, Tony Allen ajudou a conter Manu Ginobili – que já estava limitado por uma lesão – e a defesa dos Grizzlies anulou Tony Parker e Duncan. Não vejo no Jazz capacidade para repetir a marcação sufocante. E, mesmo se isso acontecer, os coadjuvantes do garrafão texano são melhores nesta temporada. Acho que o trauma não se repetirá.

Em tempo: não sou a favor de títulos em inglês. Mas este é também o nome de um filme bacana, que ficou legal como trocadilho. Achei que valia a exceção!

Anúncios

Spurs (41-16) vs Grizzlies (34-24) – Sem crise…

https://i1.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/sas.gif107×97https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/1/80x60/mem2.gif

O San Antonio Spurs espantou uma possível crise nesta quinta-feira (12) ao bater, em casa, o Memphis Grizzlies por 107 a 97. Algoz nos últimos playoffs, a equipe da terra de Elvis Presley foi varrida pelos texanos nesta temporada regular, saindo derrotada em todos os quatro confrontos realizados. O fantasma foi embora de vez?

Tim Duncan ano 2003/modelo 2012. Desta vez, ninguém parou a lenda texana (AP Photo)

Fonte da juventude

Já destacamos isso aqui no blog em outras oportunidades, mas nunca nos cansamos de falar. Como está jogando Tim Duncan! Prestes a completar 36 anos – ele faz aniversário no dia 25 de abril -, o veterano ala-pivô parece ter voltado no tempo e vem atuando como há alguns anos não se via. Desta vez, Timmy não tomou conhecimento de Marc Gasol e anotou 28 pontos e 12 rebotes.

"Catimba" argentina e mais uma vitória no bolso... (AP Photo)

Deixa comigo!

Manu Ginobili pode não fazer uma temporada genial, mas uma coisa ele sabe fazer bem: fechar partidas. Com a vantagem em quatro pontos no minuto final, o argentino chamou o jogo e cavou faltas. Nos lances livres, foi impecável. De um em um, Manu anotou os últimos seis pontos do jogo e terminou com 100% no fundamento (11-11).

Segundo quarto para esquecer

Estamos acostumados a ver o Spurs “apagar” no terceiro período e desperdiçar  boas vantagens. Desta vez, a equipe deu bobeira no segundo quarto – depois de vencer o primeiro por 27 a 21, chegou a estar vencendo por 36 a 31 restando 8:14 para o intervalo. Depois disso o time parou, ficou quase seis minutos sem pontuar e viu o adversário anotar 13 pontos consecutivos.

Vai decolar quando?

Apesar de talentoso, Boris Diaw ainda não conseguiu boas apresentações em San Antonio. Contratado no dia 23 de março, já atuou em 11 partidas com o Spurs, mas ainda parece um pouco fora de sintonia. Diante do Grizzlies, foram 14 minutos em quadra com a razoável marca de cinco pontos e cinco rebotes, mas com dois desperdícios de bola e três faltas. Se adaptar ao rígido esquema de Gregg Popovich não é nada fácil, mas melhorar a forma física pode ajudar… O francês ainda pode ser muito útil nos playoffs.

O freguês vem aí

Os torcedores do Suns que me perdoem pela brincadeira, mas é impossível falar da equipe de Phoenix e não lembrar das seguidas eliminações sofridas para o Spurs na década passada. E este será o próximo adversário dos texanos, que descansam um dia e recebem os rivais no sábado, no AT&T Center.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 28 pontos, 12 rebotes e dois tocos

Manu Ginobili – 20 pontos, seis rebotes e quatro assistências

Tony Parker – 13 pontos e nove assistências

Danny Green – Dez pontos e quatro rebotes

Memphis Grizzlies

Rudy Gay – 19 pontos, cinco rebotes e quatro assistências

O.J. Mayo – 16 pontos

Marreese Speights – 15 pontos e sete rebotes

Marc Gasol – 14 pontos e dez rebotes

Spurs (40-16) vs Grizzlies (34-23) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Memphis Grizzlies – Temporada Regular

Data: 12/02/2012

Horário: 21h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Depois da sequência de 11 vitórias consecutivas, o Spurs agora acumula duas derrotas seguidas com o revés de ontem contra o Los Angeles Lakers, em casa. Para evitar que a sequência negativa aumente, a equipe não terá descanso e nesta quinta recebe o Memphis Grizzlies, novamente no AT&T Center. Para nossa sorte, nossos rivais também estão em um back-to-back (partidas em dois dias seguidos), mas vêm de uma vitória sobre o Phoenix Suns e acumulam quatro vitórias seguidas.

Confrontos na Temporada (3-0)

26/12/2011 – Spurs 95 vs 82 Grizzlies

Na estreia do San Antonio Spurs na temporada, a equipe texana, jogando em casa, contou com Manu Ginobili (24 pontos, cinco rebotes e quatro assistências) e Tony Parker (15 pontos, sete assistências e quatro rebotes) para espantar o fantasma dos últimos playoffs.

30/01/2012 – Spurs 83 @ 73 Grizzlies

Com um jogo coletivo, o Spurs contou com bom desempenho da dupla Matt Bonner (15 pontos e três rebotes) e Tim Duncan (14 pontos, seis rebotes e quatro assistências) para triunfar em Memphis.

06/02/2012 – Spurs 89 @ 84 Grizzlies

Na abertura da Rodeo Road Trip, o San Antonio Spurs foi até Memphis e arrancou a vitória fora de casa diante do Grizzlies. A noite foi de festa para Tim Duncan, que, com os 17 rebotes coletados na partida se tornou o 20º maior reboteiro da história da NBA.

Tiago Splitter

https://i1.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/sas.gif

PG – Tonny Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – DeJuan Blair/Tiago Splitter

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Depois de sofrer com Andrew Bynum na última partida, o Spurs pode precisar de um “reforço” que garanta alguns centímetros a mais na luta pelos rebotes. Usar Tiago Splitter ao lado de Tim Duncan por mais tempo é uma das alternativas que Gregg Popovich pode utilizar.

https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/1/80x60/mem2.gif

PG – Mike Conley

SG – Quincy Pondexter

SF – Rudy Gay

PF – Marreese Speights/Zach Randolph

C –Marc Gasol

Fique de Olho – Só de lembrar do nome de Zach Randolph já me dá alguns calafrios… Impossível esquecer a traumática derrota nos playoffs da última temproada após conquistar o primeiro lugar do Oeste. Na oportunidade, Zach Randolph foi o grande nome do Grizzlies e deitou e rolou sobre nós. Sempre é bom redobrar as atenções com ele.

Spurs (17-9) @ Grizzlies (12-13) – Recorde e boa estreia

San Antonio Spurs89X84Memphis Grizzlies

Nesta segunda-feira (6), o San Antonio Spurs viajou até Memphis na estreia da Rodeo Road Trip e conquistou uma grande vitória sobre o Memphis Grizzlies por 89 a 84. Vamos aos destaques da noite.

Duncan soma mais um rebote para a carreira...

Timmy é recorde! 

Tim Duncan bateu um recorde significativo na noite de ontem. Além de contabilizar mais um double-double para a carreira (19 pontos e 17 rebotes), o camisa 21 ultrapassou Charles Oakley e agora é o 20º maior reboteiro da história da NBA. No total, Duncan tem 12.218 rebotes em 14 temporadas na liga.

Estreia com o pé direito 

O jogo contra o Memphis Grizzlies marcou a estreia do San Antonio Spurs na temida Rodeo Road Trip. É sempre importante começar vencendo uma sequência complicada como essa. O próximo adversário dos comandados de Gregg Popovich será o perigoso Philadelphia 76ers, na quarta-feira (9).

Parker fez mais uma boa partida!

Boa e velha defesa

Para os torcedores saudosistas do San Antonio Spurs, a partida de ontem nos fez lembrar aquele time que venceu quatro títulos. Defesa forte, ataque entrosado e alas calibrados da linha dos três pontos (7-16). Mais uma vez a retaguarda texana conseguiu fazer um grande trabalho sobre o principal jogador rival. Rudy Gay marcou 18 pontos, mas precisou de 26 arremessos para atingir tal marca. Gay ainda cometeu quatro turnovers – número superior aos 2,8 que ele tem de média na temporada.

Cada vez mais coadjuvante

Depois de um começo de temporada empolgante, o ala Richard Jefferson vem jogando cada vez menos. Com a volta de Gary Neal e o “surgimento” de Danny Green, Jefferson tem visto seus companheiros tomarem seus minutos pouco a pouco. Ontem, por exemplo, o camisa 24 ficou em quadra por 19 minutos. Green (30) e Neal (22) foram mais aproveitados. Até o renegado James Anderson abocanhou alguns minutinhos.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 21 pontos, sete assistências e três roubos de bola

Tim Duncan – 19 pontos, 17 rebotes, três assistências e cinco tocos

Tiago Splitter – 14 pontos e seis rebotes

Memphis Grizzlies 

Marc Gasol – 22 pontos e nove rebotes

Mike Conley – 19 pontos, seis rebotes e oito assistências

Rudy Gay – 18 pontos e oito rebotes

Spurs (14-9) @ Rockets (12-10) – Virada!

San Antonio Spurs99X91

Jogando em seus domínios, o San Antonio Spurs conquistou uma vitória importante diante do rival Houston Rockets nesta quarta-feira. O Spurs foi para o intervalo perdendo, mas, comandado pela experiente dupla Tim Duncan e Tony Parker, conseguiu encostar no placar no terceiro quarto e virar no último.

Boa, Parker! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Gigantes em alta!

Um dos maiores problemas apontados do Spurs, visto desde a última temporada, era a fragilidade do garrafão, que ficou evidenciada na precoce eliminação para o Memphis Grizzlies nos playoffs da última temporada, com direito a show da dupla rival Marc Gasol e principalmente, Zach Randolph. A partida de ontem nos deu esperanças de que o problema possa estar sendo resolvido ou ao menos amenizado, graças ao crescimento de Tiago Splitter e à boa forma de Duncan. Ontem, Luis Scola e Samuel Dalembert (dupla de garrafão do Rockets) marcaram juntos oito pontos e sofreram para marcar o veterano Tim Duncan, que saiu de quadra com 25 pontos.

Saudades... (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Já o perímetro…

As boas atuações defensivas de Kawhi Leonard e Danny Green no começo da temporada me encheram de esperanças de ver um Spurs com aquela marcação encardida de saudosas temporadas. É cedo para ser pessimista, mas a defesa de perímetro vem se mostrando inconstante em algumas ocasiões, como na partida de ontem. Kevin Martin, na primeira metade da partida, e Kyle Lowry na segunda, causaram estragos à defesa preta e prata.

Viramos uma partida!

De muito positivo, fica a reação que o Spurs teve depois do intervalo. Perdia a partida por 52-39 e teve fôlego e frieza para virar a partida, pasmem, sem Manu Ginobili.

Rodeo Trip chegando

O Spurs enfrenta ainda nesta quinta, em casa, o New Orleans Hornets na penúltima partida que antecede a Rodeo Trip. Depois do jogo contra o Oklahoma City Thunder, no sábado, partimos para a longa e, esperamos, vitoriosa viagem.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 25 pontos e sete rebotes

Tim Duncan – 24 pontos e quatro assistências

Gary Neal – 15 pontos

Houston Rockets

Kevin Martin – 29 pontos e nove rebotes

Kyle Lowry – 15 pontos e sete assistências

Courtney Lee – 15 pontos