Arquivos do Blog

Malik Hairston deixa o Spurs

Foto: D. Clarke Evans/Getty Images/NBAE

O San Antonio Spurs anunciou, nesta quinta-feira, que Malik Hairston não faz mais parte do elenco da equipe. O ala pediu para ser liberado de seu contrato para negociar seu acerto com o Montepaschi Siena, da Itália. O pedido foi prontamente atendido pela franquia texana.

“Ele é um trabalhador duro, um jogador de basquetebol talentoso e um jovem notável. Depois que Malik se aproximou de nós, ficamos felizes em honrar o seu pedido, uma vez que isso irá lhe permitir aproveitar uma excelente oportunidade no exterior”, disse RC Buford, General Manager da equipe.

Hairston chegou à NBA no Draft de 2008, quando foi escolhido na 48ª posição pelo Phoenix Suns. Imediatamente foi negociado, junto com uma escolha de segunda rodada de 2009, para o Spurs em troca do armador Goran Dragic. Em dois anos no Texas, o jogador alternou passagens por Spurs e Austin Toros, equipe da D-League parceira do time de San Antonio. Ao total, Hairston atuou em 62 partidas na NBA e somou médias de 2,4 pontos e 1,2 rebotes em 7,6 minutos por jogo.

Com a saída do camisa #1, o ala Alonzo Gee deve receber uma oportunidade sob o comando de Gregg Popovich. Além disso, abre-se espaço para o recém-draftado James Anderson ganhar minutos na rotação, possivelmente na reserva de Richard Jefferson. Ainda brigam por uma vaga no elenco os armadores Curtis Jerrells e Garret Temple, que jogaram pelo Spurs na Liga de Verão de Las Vegas.

Curtinhas: Hairston aproveita oportunidades

Depois que se firmou como alternativa para descansar as grandes estrelas, o ala Malik Hairston vem ganhando cada vez mais espaço, inclusive deixando Roger Mason para trás.

Ontem, na lavada contra o Golden State Warriors, Hairston foi o que mais jogou. Foram quase 30 minutos em quadra, suficientes para anotar 16 pontos (7-9), pegar quatro rebotes e distribuir duas assistências, números bem superiores às suas médias de 1.9 pontos e 1.0 rebote na temporada.

Os números do camisa #1 animam ainda mais no mês de março, quando foi aproveitado 11 minutos em média por noite. Seus resultados, com esse tempo a mais de quadra, se elevaram para 4.4 pontos e 1.7 rebotes, uma baita melhora. “Nunca se sabe quando o jogo vai precisar (dele). Estarei pronto, trabalharei e tentarei ser agressivo”, destacou.

Cedric Jackson dispensado

O armador Cedrick Jackson chegou a San Antonio para completar o elenco e assinou um contrato de dez dias. Contudo, foi pouco aproveitado e consequentemente “mandado embora”.  Agora, os texanos continuam apenas com Garrett Temple, adicionado logo depois de Jackson.

Temple jogou 33 minutos nos últimos dois duelos (Orlando Magic e Golden State Warriors).

Hairston tem que ser mais aproveitado

No draft de 2008, o San Antonio Spurs selecionou aquele que viria a se tornar um bom armador – o esloveno Goran Dragic.

Como já contava com Tony Parker e George Hill para tal posto, nada mais natural do que tentar negociá-lo logo em seguida.

Bom… foi isso que o R.C. Buford tentou fazer.

A troca foi feita com o Phoenix Suns. Enviamos o promissor europeu e trouxemos o desconhecido Malik Hairston, que vinha da Universidade do Oregon.

Pouco tempo foi suficiente para perceber que nos metemos numa tremenda cilada…

Hairston era pouco aproveitado e nunca pôde mostrar seu basquete no Texas.

Dragic, por sua vez, teve uma primeira temporada irregular, cheia de altos e baixos.

Em seu segundo ano, no entanto, mostrou que é um armador de certo potencial, tanto que ganhou mais minutos no Arizona e está tirando proveito disso.

Hairston ficava naquele mesmo esquema… vem pro Spurs, vai pra D-League, vem pro Spurs, vai pra D-League

Só depois da dispensa de Michael Finley e da troca de Theo Ratliff que o ala conseguiu um pouquinho mais de espaço.

Subiu de vez para San Antonio e finalmente se fixou no grupo – sem precisar ficar indo e voltando para Austin a todo o momento.

Particularmente sempre gostei do Hairston em quadra.

É raçudo, sabe defender com certa qualidade, tem umas enterradas boas (aquela que ele pega o rebote e enterra é bem típica)… ou seja, é um atleta que merece algumas chances.

Na vitória contra o New York Knicks, o jovem finalmente teve um período para jogar e mostrar seu potencial.

Atuou no último quarto e foi brilhante. Deu uma enterrada, converteu um arremesso providencial e deu um toco espetacular que salvou o San Antonio Spurs da tragédia.

Com a má fase de Roger Mason Jr., é bem provável que o Pop passe a utilizá-lo com mais frequência.

Eu torço para isso!