Arquivos do Blog

Chegou a hora de Tiago Splitter!

Mestre e discípulo lado a lado (Foto: Spurs Nation)

O brasileiro Tiago Splitter sofreu para se adaptar a San Antonio. Foi uma mudança drástica para ele. A cultura norte-americana é muito diferente da cultura brasileira e ainda mais distinta da cultura espanhola (onde Splitter atuava antes de ir para a NBA). Além disso, as dificuldades para se adequar ao sistema de Gregg Popovich e ao estilo de jogo ianque também foram evidentes.

O pouco tempo em quadra em sua primeira temporada revoltou muitos brasileiros. Nossa mídia, totalmente parcial, criticava sem motivos o treinador. Alguns diziam que ele tinha algo contra brasileiros, que estava velho, passado para o basquete, essas baboseiras infundadas dos ultranacionalistas por aí. Pouca gente se lembrou (claro, nunca acompanharam o Spurs de perto) que Popovich é conhecido por dar pouca “corda” aos novatos, preferindo lapidá-los no primeiro ano. Foi assim com inúmeros bons jogadores, desde os mais antigos, como Manu Ginobili, aos mais recentes, como George Hill.

Mas isso ficou no passado. A realidade agora é outra. Primeiro porque San Antonio vive uma carência bem grande no setor – o que facilita o lado do brasileiro. Segundo porque Splitter agora é um “veterano”. Mesmo sem ter feito uma pré-temporada (por conta do locaute), o pivô já conhece melhor a cidade, o sistema de jogo e também seus companheiros. “Me sinto em casa aqui”, disse ele recentemente ao Spurs Nation. “É diferente quando você é o novato e tem de aprender tudo. Agora eu já sei quase tudo”, completou o brazuca, fazendo referência às adversidades encontradas na última época.

Os próprios companheiros e adversários de Splitter sabem de suas qualidades e esperam ansiosos por uma grande temporada. “Agora que já o vimos jogar sabemos de seu potencial”. A frase é de ninguém menos do que Tim Duncan, grande líder do San Antonio Spurs. “Estou empolgado para vê-lo em quadra nos ajudando”, pontuou Timmy. Quem também é só elogios ao brasileiro é o rival Luis Scola, amigo particular do camisa 22. “Todos precisam de um tempo (para se adaptar)”, opinou o astro argentino. “Ainda acho que ele será um grande jogador na NBA. Tiago tem bons movimentos de costas para a cesta e é muito bom no que faz”, pontuou Scola.

Splitter concorda e sabe que pode fazer muito para auxiliar o time. “Acho que posso ajudar de diferentes maneiras – jogando de costas para a cesta, cavando faltas”, disse. “Esse era meu jogo na Europa e sou capaz de fazer o mesmo aqui”, finalizou.

O brasileiro está certo. Com mais tempo de quadra e com a confiança de todos, essa temporada tem tudo para ser uma das melhores de sua carreira. Ele deverá brigar pela titularidade com o também jovem DeJuan Blair. Acho Blair bom jogador, mas ele ainda tem muito a aprender – sobretudo na parte defensiva. Por outro lado, Splitter é mais maduro, mais experiente, foi MVP na Europa e tem uma grande bagagem internacional. É possível que Popovich comece 2011/2012 com DeJuan Blair no quinteto inicial, ainda mais agora que ele está mais magro e parece mais focado em seu trabalho. Tiago ganhará seu espaço aos poucos, naturalmente, e tenho certeza que ele será muito importante na temporada regular e também nos playoffs.

Anúncios

Spurs (0-0) @ Rockets (0-0) – Pré-temporada

San Antonio Spurs @ Houston Rockets – Pré-temporada

Data: 17/12/2011

Horário: 23h00 (Horário de Brasília)

Local: Toyota Center, Houston

O San Antonio Spurs faz sua estreia na pré-temporada da NBA contra o rival texano Houston Rockets. Fora de casa, fica a expectativa de vermos nomes como Kawhi Leonard (novato) e T.J. Ford (reforço) em quadra. Outro nome interessante para se observar nesta pré-temporada é James Anderson. Prestes a começar sua segunda temporada, o ala-armador vem treinando muito bem e pode ser uma das surpresas da equipe – Tony Parker chegou a dizer que ele estava indo muito bem nos primeiros treinos do time.

San Antonio Spurs

PG – T.J. Ford

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tiago Splitter

Fique de Olho – O quinteto titular que estará em quadra nesta noite ainda é uma incógnita, mas destacarei DeJuan Blair, que, por incrível que pareça, emagreceu nas férias e está “fininho” para a disputa da temporada. Vale lembrar que Tim Duncan e Tony Parker nem viajaram para Houston.

Houston Rockets

PG – Kyle Lowry

SG – Kevin Martin

SF – Chase Budinger

PF – Luis Scola

C – Jordan Hill

Fique de Olho – Falar de Houston Rockets contra o Spurs é automaticamente falar de Luis Scola. O argentino sempre joga muito contra o rival texano e deverá dar trabalho nesta noite. Ainda bem que é só pré-temporada.

Novidade! O Spurs Brasil reinaugura a partir de hoje o saudoso “boteco virtual”. No, entanto, algumas mudanças: em vez do MSN, passaremos a usar o Facebook. Para cada jogo, criaremos um evento na página do Spurs Brasil no Facebook. Lá, você poderá comentar os jogos, elogiar o time e até criticar o Richard Jefferson. O espaço é livre!

Spurs (44-29) vs Rockets (37-36) – Temporada Regular

Robson Kobayashi

San Antonio Spurs vs Houston Rockets – Temporada Regular

Data: 31/03/2010

Horário: 21:30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Situação do Jogo

Após a vergonhosa derrota para o Nets, time com pior campanha na temporada, o Spurs volta para casa para receber o Rockets, que venceu na noite de ontem o Wizards. No início do mês, realizei uma análise da agenda de jogos do nosso time, mas atualmente a nossa equipe só precisa vencer os duelos contra os concorrentes diretos, Houston e Memphis, para garantir a vaga dos playoffs.

Confrontos na temporada (1-2)

27/11/2009 – Spurs 92 @ 84 Rockets

O Spurs conquistou a sua primeira vitória fora de casa, e parecia ter encontrado o caminho das pedras. Além de Duncan e Parker, McDyess foi destaque com 15 pontos e 14 rebotes.

22/01/2010 – Spurs 109 vs. 116 Rockets

O Spurs começou muito bem a partida. Contudo, fez um péssimo segundo tempo, permitindo a virada de seu rival, e acabou sendo derrotado dentro de casa pelo Rockets.

26/02/2010 – San Antonio Spurs 104 @ 109 Rockets

Três jogadores do time adversário anotaram pelo menos 30 pontos, acabando com qualquer chance do nosso time.
.

San Antonio Spurs

PG – George Hill

SG – Keith Bogans/Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Tim Duncan

C – DeJuan Blair

Fique de olho – Manu sentiu fortes dores nas costas e pode ser poupado em mais um jogo. O escolhido como “Jogador da Semana da Conferência Oeste” teve médias de 25.8 pontos, cinco assistências e 4.5 rebotes na semana anterior.
.

PG – Aaron Brooks

SG – Jermaine Taylor

SF – Trevor Ariza

PF – Luis Scola

C – Chuck Hayes

Fique de olho – O pivô argentino anotou 61 pontos e 34 rebotes nos três confrontos ocorridos na temporada, e merece atenção especial.

Feliz, pero no mucho

Principalmente após o All-Star Game, o torcedor do San Antonio Spurs tem comemorado a volta à boa forma do argentino Manu Ginobili. Com a lesão do armador Tony Parker e com as dificuldades – principalmente, a física – que Tim Duncan vem enfrentando, o ala-armador se tornou, com sobras, o atleta mais importante da equipe texana nas últimas partidas. Porém, essa empolgação que nós, fãs brasileiros do Spurs, estamos sentindo pode mudar de forma entre agosto e setembro deste ano, quando será disputado o Mundial de basquete masculino na Turquia.

Assim como vem fazendo com o Spurs, Manu, se estiver disposto a atuar pelo seu país, vai comandar uma seleção cheia de possibilidades. A começar pelo ala Carlos Delfino. Tão surpreendente quanto a campanha do seu Milwaukee Bucks é o desempenho do atleta, que sustenta médias de 10,8 pontos, 5,3 rebotes, 2,7 assistências e uma roubada por partida – em todos os fundamentos, os melhores números desde que o atleta começou a jogar na NBA.

Outro jogador que, sem dúvidas, vai ser importante para os hermanos será o ala-pivô Luis Scola – que já deixou de ser surpresa faz tempo. O atleta vem atuando por quase 32 minutos por noite com a camisa do Houston Rockets – esta é a temporada em que o argentino mais ficou em quadra na liga. Scola – que divide seus minutos entre as posições quatro e cinco – dá trabalho para os grandalhões na NBA e costuma crescer de produção quando joga pela Argentina. Ele deve ser a segunda figura mais importante no time.

Além do trio, temos ainda outros jogadores, como Andres Nocioni e Fabrício Oberto, que vêm ganhando lá seus minutos no Sacramento Kings e no Washington Wizards, respectivamente. Pablo Prigioni comandou, nesta semana, uma surpreendente vitória fora de casa do Real Madrid sobre o Barcelona, distribuindo assistências e roubadas de bola. Walter Herrmann, depois de enfrentar lesões, voltou a jogar pelo Caja Laboral – equipe dos brasileiros Marcelinho Huertas e Tiago Splitter. Além disso, membros do selecionado que, mesmo desfalcado, levou a Argentina ao bronze na última Copa América devem ser lembrados.

Até que fase os hermanos podem chegar depende de algumas variáveis. Ginobili, que andou sofrendo com lesões, e Scola e Delfilo, que têm seus contratos se encerrando no meio do ano, podem ser desfalques. Porém, completa, a Argentina pode sonhar com uma final – ainda mais caso o Dream Team não vá completo e se Pau Gasol resolver não jogar na Turquia. Vale lembrar que é o único título que Manu Ginobili ainda não tem…

Scola e Splitter: alguma semelhança?

Quando San Antonio draftou o argentino Luis Scola no longínquo ano de 2002, todos ficaram animados, especialmente nós, sul-americanos, que acompanhávamos seu jogo mais de perto.

Até hoje, contudo, o caso Scola/Spurs ficou muito mal explicado…

Nunca ninguém soube ao certo se San Antonio pouco se esforçou para trazê-lo já em 2002 ou se o ala-pivô preferiu passar mais um ano no Tau Cerámica (Caja Laboral).

Scola reclama, diz que R.C. Buford e companhia o ignoraram, pois seu desejo era vir para a NBA logo de cara.

Os engravatados texanos, por sua vez, falam até hoje que era inviável pagar ao argentino o que ele ganhava como ídolo na Espanha.

Ao meu ver, faltou boa vontade para ambos. Enquanto San Antonio se recusou a oferecer uma mid-level exception (gasto que pode sobrepujar a folha salarial), o argentino se negou a estrear na liga norte-americana com um modesto salário de novato.

O resultado todos nós já conhecemos… Scola cansou do Spurs, que se viu obrigado a trocar seus direitos por um saquinho de marshmallows.

Depois disso tudo, o ala-pivô foi parar em Houston (onde está até hoje). Lá, ele é ídolo da torcida e um dos atletas mais consistentes do elenco. Inclusive, toda vez que joga contra os comandados de Gregg Popovich, faz chover.

Curiosamente, San Antonio está caindo no mesmo erro de outrora no caso Tiago Splitter.

O brasileiro é reconhecido pela imprensa europeia por ser o melhor pivô do continente, o que é um baita pedigree.

Mesmo em poder dessa joia rara, os texanos continuam reticentes em oferecer um contrato razoável para Splitter.

Resultado? Ele pode parar no Real Madrid, que deverá anunciar uma oferta milionária para contar com seus serviços.

No meu ponto de vista, o caso do argentino Luis Scola foi mais do que suficiente para os executivos preto e prata aprenderem.

Nós, torcedores, ficamos na expectativa para que algo benéfico seja feito…

Em prol do San Antonio Spurs, é claro!