Arquivos do Blog

Parker elege rivais prediletos e Toros vai à final da D-League

Parker X Lakers: uma história de amor!

Se depender do armador Tony Parker, o San Antonio Spurs já tem seu caminho traçado nos playoffs desta temporada. Após o triunfo de segunda-feira (23) sobre o Portland TrailBlazers, o francês elegeu Los Angeles Lakers e Dallas Mavericks como seus adversários favoritos.

“As partidas ficam mais intensas nos playoffs. Você precisa comer e descansar para ser o mais competitivo possível dentro de quadra”, disse o camisa 9. “Eu adoro enfrentar o Lakers. Desde meu primeiro dia em San Antonio, o objetivo sempre foi vencê-los. Também gosto de jogar contra o Mavericks; somos realmente detestados em Dallas”, completou.

E para vocês, caros leitores: quem é seu adversário favorito?

E mais…

Toros disputa final da D-League pela primeira vez em sua história

Número sugestivo...

A temporada da D-League (Liga de Desenvolvimento da NBA) está chegando ao fim. A final terá início nesta terça-feira (24) e o torcedor do Spurs tem bons motivos para acompanhar de perto a disputa. Isso porque uma das equipes envolvidas no embate é o Austin Toros – franquia filiada ao time texano.

Será a primeira final do Toros em sua história. O time contará com peças conhecidas – e importantíssimas – para tentar derrotar o Los Angeles D-Fenders na melhor de três jogos: Cory Joseph e Justin Dentmon.

O jovem Joseph, que é armador, foi recrutado pelo San Antonio Spurs no último Draft, mas, por ser muito cru, acabou sendo enviado para a D-League para ganhar experiência e amadurecer seus fundamentos. Em 14 partidas em Austin, Cory tem médias de 13,8 pontos, 5,1 assistências e 5,1 rebotes por noite.

O outro motivo para vermos essa final, que pode ser acompanha gratuitamente através do Futurecast, é o também armador Justin Dentmon, que recentemente ganhou um contrato de dez dias com o Spurs. Dentmon foi eleito o MVP da NBDL e vem com moral para a disputa derradeira. Na pós-temporada, contudo, ele vem jogando abaixo do esperado, com médias de 14,0 pontos e 3,8 assistências.

MVP! MVP! MVP!

Spurs (46-16) vs Lakers (40-24) – Incontestável!

https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/sas.gif121×97

O San Antonio Spurs recebeu, nesta sexta-feira (20), o Los Angeles Lakers para o terceiro jogo entre as equipes na temporada. E se o último confronto disputado em solo texano deixou uma impressão ruim e uma dúvida pairando no ar, dessa vez Tim Duncan e companhia trataram de acabar com ela e massacraram o rival por 121 a 97. A partida marcou o retorno de Kobe Bryant ao time angelino, após sete partidas fora.

Parker comemora a vitória com sua dancinha francesa (AP Photo)

Restou alguma dúvida?

Se lembram quando o Spurs foi derrotado pelo Lakers, em San Antonio, tomando um verdadeiro “vareio” nos rebotes, sem Kobe Bryant e com show de Andrew Bynum? Nem faz tanto tempo assim, mas o que se viu em quadra foi completamente diferente desta vez. Se naquela derrota o Spurs permitiu 60 rebotes aos angelinos, desta vez os texanos ganharam a briga lá no alto e ficaram com 42 ressaltos, contra 29 do rival. Bynum, que naquele confronto havia coletado, sozinho, 30 rebotes, desta vez pegou apenas dois.

Três quartos foram suficientes para o trio somar 61 pontos (AP Photo)

O Big Three voltou

Que Duncan, Tony Parker e Manu Ginobili ainda são a base do Spurs, todo mundo sabe. Mas há quanto tempo os três não terminavam uma partida com 20 pontos cada? Já se vão mais de um ano desde 1º de abril de 2011. Com 21 pontos de Duncan, 20 de Parker e outros 20 de Manu, ficou difícil para o Lakers. Os números só não foram maiores porque só Ginobili pisou em quadra no último quarto, e por apenas quatro minutos.

Nem parece o Spurs

Ainda estranho quando vejo o San Antonio Spurs ultrapassando a barreira dos cem pontos. Há alguns anos, a equipe não chegaria a 121 tentos nem se houvessem quatro ou cinco prorrogações. Este, aliás, foi um dos assuntos da última coluna Interferência, de Rafael Proença. Contra o Lakers, o Spurs chegou à contagem centenária restando praticamente oito minutos ainda por jogar. Um desempenho ofensivo espetacular, fruto do ótimo aproveitamento de 61% nos tiros de quadra.

O "fortinho" Diaw, aos poucos, ganha mais relevância na equipe (AP Photo)

Que isso, gordinho? Que isso?

Vou analisar aqui o desempenho dos dois “gordinhos” do time de San Antonio, que vivem momentos opostos. O primeiro é Boris Diaw, que parece estar se soltando. O francês saiu do banco e ficou 24 minutos em quadra, anotando oito pontos e cinco rebotes. Mas mais do que os números, o ala-pivô conseguiu exercer ótima marcação sobre Pau Gasol, limitando o espanhol a apenas quatro acertos em dez arremessos tentados, além de ter atormentado o angelino no ataque, se movimentando por toda a quadra.

O outro é DeJuan Blair, o jovem que chegou arrebentando em San Antonio há duas temporadas e agora parece cada vez mais dispensável. Primeiro perdeu o lugar no time titular para Tiago Splitter, que nos dois jogos contra o Lakers começou em quadra. Agora, perdeu espaço até no banco. Nesta sexta, ficou apenas sete minutos em quadra, todos eles quando o confronto já estava decidido.

 Teimosia

Gregg Popovich é um dos melhores – se não o melhor – técnico da NBA, mas algumas pequenas coisas me irritam no treinador. Uma delas é a sua teimosia em escalar Gary Neal como armador principal nos momentos em que Parker descansa. O camisa 14 é um excepcional arremessador, um dos melhores em toda a liga, mas não é muito inteligente com a bola nas mãos. Armando o jogo, é comum vê-lo se enrolando com marcações um pouco mais pressionadas, ou então forçando chutes em momentos inapropriados, ao invés de acionar seus companheiros. Nos playoffs pode ser um problema. Confiar mais em Patrick Mills pode ser uma alternativa melhor.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 21 pontos e oito rebotes

Tony Parker – 20 pontos e dez assistências

Manu Ginobili – 20 pontos, sete assistências e seis rebotes

Gary Neal – 12 pontos

Los Angeles Lakers

Kobe Bryant – 18 pontos

Andrew Bynum – 17 pontos

Matt Barnes – 14 pontos e cinco rebotes

Curtas: Pop vê superioridade do Lakers e Manu bate recorde

Quem aposta que Popovich pagou geral e o time vai jogar melhor hoje?

O San Antonio Spurs fez uma de suas piores partidas da temporada na quarta-feira (11) contra o Los Angeles Lakers. Após o jogo, o técnico Gregg Popovich reconheceu a superioridade do rival – que ainda teve o importante desfalque do astro Kobe Bryant.

“O Lakers fez uma excelente partida e foi superior do começo ao fim”, disse o treinador, sobre o revés por 98 a 84. “Geralmente jogamos melhor do que isso, mas eles foram soberanos na defesa e no ataque”, completou.

Sobre os 30 rebotes do pivô Andrew Bynum e o amplo domínio dos californianos nesse quesito (60 a 33 ao final do embate), Popovich evitou um tom mais crítico e preferiu dar os créditos ao adversário. “Eles merecem todas as honras. Os jogadores arremessaram bem e pegaram muitos rebotes. Foi um desempenho pobre de nossa parte”, finalizou.

O armador Tony Parker, que anotou apenas quatro pontos, se disse desapontado com a derrota. “Foi uma noite decepcionante para nós. Temos que dar todo o crédito ao Lakers. Ele acertaram tudo, enquanto nós jogamos muito mal. Eu particularmente estive péssimo”, analisou o armador francês.

Tim Duncan foi outro que destacou a supremacia angelina após o duelo. “Jogamos mal embaixo da cesta. Eles arremessaram melhor, pegaram mais rebotes e tiveram mais segundas chances – Bynum teve papel fundamental nisso. Resumindo, eles foram apenas superiores a nós”, disse o camisa 21.

E mais…

Noite de recordes

Manu Ginobili - San Antonio SpursAlém de Matt Bonner, que passou Michael Finley e se tornou o quarto jogador da história do Spurs com mais bolas de três feitas, Manu Ginobili também atingiu uma marca histórica na quarta. Os nove pontos feitos contra o Lakers deixam Manu como o sexto da franquia a atingir 10 mil pontos. Ele está atrás de James Silas, Tony Parker, David Robinson, Tim Duncan e George Gervin.

Spurs (40-16) vs Lakers (37-22) – Grande derrota ou azar?

San Antonio Spurs84X98Los Angeles Lakers

San Antonio Spurs e Los Angeles Lakers mediram forças na quarta-feira (11) pela primeira vez nesta temporada. No primeiro encontro, melhor para o time californiano, que, mesmo sem o astro Kobe Bryant, arrancou uma surpreendente vitória do Spurs em pleno AT&T Center pelo placar de 98 a 84. Será que esse revés preocupa os texanos ou foi apenas uma obra do acaso? Vamos conferir!

Até perdi a conta de quantas vezes vi essa cena ontem...

Fator Black Mamba

Por incrível que pareça, a ausência de Kobe Bryant pode ter sido benéfica para o Lakers. Sem ele, Mike Brown concentrou suas jogadas em Pau Gasol e Andrew Bynum e explorou o Calcanhar de Aquiles texano – a péssima defesa embaixo da cesta. Bynum foi dominante e conseguiu impressionantes 30 rebotes (além de 16 pontos). O espanhol, por sua vez, anotou 21 pontos e pegou 11 rebotes. Quem também se beneficiou com a “folga” do camisa 24 foi o ala Metta World Peace (Ron Artest), cestinha do jogo com 26 tentos (10-15).

Pegar rebotes às vezes é bom…

Como já pudemos perceber, o Los Angeles Lakers dominou a partida do começo ao fim. Essa dominância toda pôde ser observada pelo placar dos rebotes. O time de Mike Brown coletou 60 ressaltos, enquanto o Spurs ficou com apenas 33. Ou seja, Bynum sozinho pegou praticamente o mesmo número de rebotes que toda a equipe texana. Para se ter uma ideia, nenhum jogador do Spurs coletou mais do que cinco ressaltos. Tá ruim? Sim, mas pode piorar. Kawhi Leonard e Stephen Jackson foram os atletas que conquistaram cinco rebotes. No mais, nenhum pivô conseguiu sequer igualar essa marca. Vergonhoso, né!?

Preocupa ou foi só um duelo atípico?

Bem, essa é uma pergunta que eu fiquei me fazendo durante boa parte da noite. O Los Angeles Lakers expôs as fraquezas do nosso time mais uma vez. DeJuan Blair, Matt Bonner, Boris Diaw e Tiago Splitter foram incapazes de incomodar os pivôs angelinos. Ao mesmo tempo, San Antonio fez uma partida atípica ofensivamente (apenas 40,7% de aproveitamento nos tiros de quadra). O trio de estrelas do Spurs foi muito mal. Juntos, somaram apenas 27 pontos. Vamos ter uma ideia melhor de como será um hipotético confronto contra os californianos na pós-temporada na semana que vem, quando as duas equipes se enfrentam mais duas vezes – provavelmente com Kobe Bryant em quadra.

Ficar no banco, que coisa triste...

Mais um teste

O San Antonio Spurs tem uma nova pedreira pela frente nesta quinta. O adversário da vez será o Memphis Grizzlies – nosso algoz da última temporada. Será que conseguiremos lidar com Zach Randolph e Marc Gasol ou seremos novamente “engolidos” nos rebotes?

Orange Mamba

Para a nossa alegria, o ala-pivô Matt Bonner, o Red Rocket, entrou para a história do San Antonio Spurs. Com três bolas de longa distância convertidas na noite, ele se tornou o quarto jogador que mais cestas de três pontos converteu com a camisa do Spurs (492), ultrapassando Michael Finley.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Danny Green – 22 pontos e três rebotes

Tim Duncan – 14 pontos

Matt Bonner – Nove pontos

Los Angeles Lakers

Metta World Peace – 26 pontos e quatro rebotes

Pau Gasol – 21 pontos e 11 rebotes

Andrew Bynum – 16 pontos e 30 rebotes

Spurs (40-15) vs Lakers (36-22) – Temporada Regular

San Antonio Spurs (40-15) vs Los Angeles Lakers (36-22) – Temporada Regular

Data: 11/04/2012

Horário: 21h30 (horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Depois de perder para o Utah Jazz sem suas principais estrelas, o San Antonio Spurs enfrenta nesta quarta-feira (11) um dos seus principais rivais em toda a NBA – o Los Angeles Lakers. O time californiano, no entanto, virá desfalcado do astro Kobe Bryant, que tem dores na perna esquerda e será poupado pelo técnico Mike Brown. Ao contrário da maioria, fiquei chateado com a baixa do camisa 24, já que seria bem interessante ver o duelo entre ele e o novato Kahwi Leonard.

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Se desgastado ele já tem feito muito estrago, imaginem o que Tony Parker pode fazer após alguns dias de descanso? Na temporada, o francês tem médias de 19,1 pontos e 7,6 assistências (lidera a equipe em ambos os quesitos) e é um dos candidatos – ainda que distante – ao prêmio de MVP.

Los Angeles Lakers

PG – Ramon Sessions

SG – Devin Ebanks

SF – Metta World Peace (Ron Artest)

PF – Pau Gasol

C – Andrew Bynum

Fique de Olho – Sem Kobe Bryant, o armador Ramon Sessions será o responsável por organizar todo o ataque dos Los Angeles Lakers. Na última partida da equipe, contra o New Orlenas Hornets, Sessions se aproveitou da ausência de Kobe para marcar 17 pontos, seis assistências e seis rebotes. Olho nele!