Arquivos do Blog

Austin Toros conquista o título da D-League

Festa em Austin...

O Austin Toros, equipe filiada ao San Antonio Spurs na D-League, liga de desenvolvimento da NBA, conquistou o primeiro título de sua história ao bater, na noite deste sábado (28), o Los Angeles D-Fenders por 122 a 110.

O time da capital texana virou a série (disputada em melhor de três partidas) mesmo após ter perdido o primeiro jogo em casa. Nos dois embates da Califórnia, brilhou a estrela de Justin Dentmon, MVP da NBDL. Dentmon, que chegou a ter uma chance em San Antonio ao longo da temporada regular, marcou 30 pontos no duelo que deu o título ao Toros.

E mais…

Patrick Mills treina duro para ganhar mais espaço

Esse aí caiu como uma luva!

O armador australiano Patrick Mills, destaque das duas últimas partidas do Spurs na temporada, vem treinando duro para ganhar mais chances de mostrar seu potencial.

No sábado à tarde, Mills e o assistente técnico Brett Brown foram os últimos a deixar a quadra. O camisa 8 ficou treinando arremessos após o expediente e foi alvo de brincadeiras por parte de R.C. Buford, General Manager da franquia. “Ei, Patty. Você já pode ir para casa agora. O baile fecha à meia-noite”, brincou Buford.

O bom desempenho do australiano nas partidas contra Phoenix Suns (27 pontos) e Golden State Warriors (34 pontos) renderam elogios do titular da posição, Tony Parker.

“Patty é muito bom e estou feliz por ele”, contou o francês. “Ele foi muito agressivo (nos jogos em que foi titular) e creio que será uma peça muito útil nos playoffs”, concluiu.

Parker elege rivais prediletos e Toros vai à final da D-League

Parker X Lakers: uma história de amor!

Se depender do armador Tony Parker, o San Antonio Spurs já tem seu caminho traçado nos playoffs desta temporada. Após o triunfo de segunda-feira (23) sobre o Portland TrailBlazers, o francês elegeu Los Angeles Lakers e Dallas Mavericks como seus adversários favoritos.

“As partidas ficam mais intensas nos playoffs. Você precisa comer e descansar para ser o mais competitivo possível dentro de quadra”, disse o camisa 9. “Eu adoro enfrentar o Lakers. Desde meu primeiro dia em San Antonio, o objetivo sempre foi vencê-los. Também gosto de jogar contra o Mavericks; somos realmente detestados em Dallas”, completou.

E para vocês, caros leitores: quem é seu adversário favorito?

E mais…

Toros disputa final da D-League pela primeira vez em sua história

Número sugestivo...

A temporada da D-League (Liga de Desenvolvimento da NBA) está chegando ao fim. A final terá início nesta terça-feira (24) e o torcedor do Spurs tem bons motivos para acompanhar de perto a disputa. Isso porque uma das equipes envolvidas no embate é o Austin Toros – franquia filiada ao time texano.

Será a primeira final do Toros em sua história. O time contará com peças conhecidas – e importantíssimas – para tentar derrotar o Los Angeles D-Fenders na melhor de três jogos: Cory Joseph e Justin Dentmon.

O jovem Joseph, que é armador, foi recrutado pelo San Antonio Spurs no último Draft, mas, por ser muito cru, acabou sendo enviado para a D-League para ganhar experiência e amadurecer seus fundamentos. Em 14 partidas em Austin, Cory tem médias de 13,8 pontos, 5,1 assistências e 5,1 rebotes por noite.

O outro motivo para vermos essa final, que pode ser acompanha gratuitamente através do Futurecast, é o também armador Justin Dentmon, que recentemente ganhou um contrato de dez dias com o Spurs. Dentmon foi eleito o MVP da NBDL e vem com moral para a disputa derradeira. Na pós-temporada, contudo, ele vem jogando abaixo do esperado, com médias de 14,0 pontos e 3,8 assistências.

MVP! MVP! MVP!

Sobre a aposentadoria de Ford e o restante da temporada…

Será que ele volta um dia?

T.J. Ford deu seu adeus à NBA nesta segunda-feira (12) e pegou todos de surpresa em San Antonio. A imprensa local já especulava seu retorno na quarta, contra o Orlando Magic, mas o jogador preferiu abandonar o esporte e cuidar de sua saúde. A notícia é triste, mas a vida é assim mesmo…

Ford convivia com um problema nas costas chamado estenose do canal medular e jogava há anos contrariando o veredicto dos médicos, que pediam sua aposentadoria. O persistente camisa 11 ignorou os especialistas, mas decidiu colocar um ponto final em sua curta carreira de nove anos após uma pancada do amigo Baron Davis na vitória da equipe texana sobre o New York Knicks.

“Tenho evitado o diagnóstico dos médicos por anos. Já fiquei deitado na quadra sem forças nem para me mexer outras vezes antes. Só estou tentando sair dessa enquanto ainda tenho chance, porque quando se está deitado lá (na quadra) nunca se sabe o que pode acontecer”, disse ele, ao anunciar o término da carreira.

Particularmente fiquei muito surpreso e triste quando essa notícia pingou na internet, mas o que podemos fazer? Ford poderia tranquilamente continuar como reserva, jogando 15 minutos por noite, mas optou por cuidar dos filhos e da família. O susto foi grande e com certeza ele nunca mais quer passar por isso novamente. Ou seja, o psicológico pesou um pouco – ou muito – em favor da aposentadoria.

Digo e repito: é muito triste, mas infelizmente temos que virar a página. Sem T.J. Ford, o San Antonio Spurs tem que dar um jeito de conseguir um novo armador. Cory Joseph, que agora é o reserva imediato, já mostrou que ainda é muito cru para a NBA. Gary Neal pode quebrar um galho organizando a equipe, mas nunca será um especialista, e Manu Ginobili é excelente, mas duvido que Gregg Popovich irá desgastá-lo por muito tempo no comando do time.

Desta maneira, sobram pouquíssimas alternativas. A primeira delas seria trocar James Anderson por um armador de ofício. Anderson pediu para ser negociado recentemente, mas o problema é que ele vem jogando muito mal e ninguém parece estar interessado em seus serviços. Outra alternativa, essa um pouco mais distante, seria repatriar Aaron Brooks, que atualmente está no basquete chinês. Precisaria ver como ele está na China e por quanto ele toparia fechar com o Spurs – acho meio inviável no momento.

Alternativa caseira?

De tudo o que foi falado até agora, o mais lógico parece ser garimpar algum talento na D-League (Liga de Desenvolvimento da NBA). O Austin Toros, que é o time filiado ao San Antonio Spurs na NBDL, tem uma peça que pode ajudar muito o técnico Gregg Popovich. Trata-se do armador Justin Dentmon. O camisa 9 do Toros é hoje um dos melhores – quiçá o melhor – jogador  da D-League e sabe pontuar como poucos. Na atual temporada, Dentmon tem médias de 22,9 pontos, cinco assistências e 3,8 rebotes em pouco mais de 37 minutos por noite. Aos 26 anos e com 1,83m, Dentmon parece uma aposta lógica. Em sua última partida em Austin, ele anotou 35 pontos (14-21), pegou oito rebotes, distribuiu cinco assistências e cometeu apenas dois turnovers. Acho que um contrato de dez dias seria interessante. Alguém concorda?

Cory Joseph faz estreia discreta em Austin

Joseph está em Austin ganhando experiência

O armador Cory Joseph estreou discretamente na vitória do Austin Toros sobre o Maine Red Claws por 109 a 103. Joseph ficou em quadra por 31 minutos, anotou 11 pontos (2-6), pegou cinco rebotes e roubou duas bolas. O pivô Luke Zeller, que disputou a pré-temporada com o Spurs e que também foi enviado para Austin, fez seis pontos e pegou três rebotes em aproximadamente 18 minutos.

O cestinha da noite foi o também armador Justin Dentmon. O jogador, que é um dos principais pontuadores da D-League, marcou 24 pontos (10-14 FG), coletou quatro rebotes e distribuiu cinco assistências. Como o San Antonio Spurs está sem o argentino Manu Ginobili, machucado, acho que vale a pena observar esse jogador mais de perto.