Arquivos do Blog

Com o jeito “caipira”

Estamos quase lá… Falta muito pouco para a temporada 2012/2013 começar. A bola sobe pra valer na NBA a partir da próxima terça-feira (30), com três partidas, mas o San Antonio Spurs estreia um dia depois, em duelo contra o New Orleans Hornets (com transmissão da ESPN). Entre os especialistas, quase nenhum coloca os texanos na briga pelo título, mas isso não deve abalar os jogadores do elenco de Gregg Popovich.

Não mexam com os homens do Oeste…

Pouca badalação, analistas não muito esperançosos, torcida um tanto quanto desconfiada. Foi mais ou menos com este cenário que o Spurs começou suas últimas temporadas. Este ano a situação é parecida. Em votação realizada entre os General Managers da NBA, nenhum apontou o Spurs como futuro campeão. Na mídia norte-americana, Los Angeles Lakers e Miami Heat dominam as pautas quando o assunto é candidatos ao título, enquanto os texanos raramente aparecem.

Nos últimos anos, o time de San Antonio deixou de carregar o status de favorito e passou a adotar o estilo caipira, o famoso  “come-quieto”. Enquanto todos voltam seus olhos para os elencos estelares montados em Los Angeles e Miami, os texanos aparecem de fininho para se intrometerem entre os favoritos.

Sangue jovem é a esperança do Spurs para se manter no topo mais uma temporada

Se a cada novo início de temporada circulam discursos sobre o fim da “Era Duncan”, em quadra o que se vê é um Spurs altamente competitivo, que liderou a Conferência Oeste nas duas últimas temporadas regulares.

É bem verdade que o título não veio, mas ano após ano a franquia mostra que, mesmo com seus astros já com idade avançada, continua entre as melhores equipes da NBA. Se Duncan e Ginobili não são mais garotos, continuam desfilando categoria e eficiência em quadra, além de contarem com o apoio de excelentes coadjuvantes.

E é novamente nesses coadjuvantes que o Spurs se apoia para voltar a surpreender os favoritos. Com toda a base do ano passado mantida, a equipe confia em nomes como Danny Green, Kawhi Leonard e Boris Diaw para ajudar o trio de ferro a ir em busca de mais um título da NBA.

Enquanto os holofotes se viram para a Califórnia e para a Flórida, o Texas, quietinho quietinho, e com seu jeito caipira, se prepara para roubar a cena outra vez.

Ainda dá?

Olá caros leitores! Muitos de vocês já devem me conhecer, desde o início do blog faço parte da equipe, mas já há algum tempo estava ausente devido a alguns compromissos pessoais, que me forçaram a ficar um pouco afastado. Agora, estou de volta e irei ocupar este espaço às quintas-feiras, com uma coluna deixando um pouco da minha visão sobre a NBA e, principalmente, o San Antonio Spurs.

Neste primeiro artigo, o assunto que quero abordar é a Conferência Oeste. Afinal, depois de cair para o Oklahoma City Thunder na final de conferência da última temporada, quais são as chances do Spurs em 2012/2013?

Sabemos que os principais astros do elenco texano já não garotos, mas será que a equipe ainda tem condições de brigar por mais um título da NBA, o quinto da história da franquia? Sou daqueles mais otimistas que acreditam até o fim que a equipe pode, sim, chegar ao título, mas ao mesmo tempo olho para os concorrentes e vejo que não será nada fácil.

Primeiro, claro, o Oklahoma City Thunder está ai, sem grandes novidades no elenco mas com todos aqueles que fizeram parte da campanha no último ano, que resultou no vice-campeonato da liga. E chega a ser assustador imaginar que Kevin Durant, Russell Westbrook, James Harden e Serge Ibaka irão completar a próxima temporada todos com 24 anos ou menos. Ou seja, é uma equipe que já chegou a uma final de NBA, mas que ainda é extremamente jovem e que deve evoluir cada vez mais. Sem dúvida formam um adversário de peso.

Quem também voltou a ganhar força neste cenário é o Los Angeles Lakers. A equipe de Kobe Bryant adicionou nada menos que Steve Nash e Dwight Howard ao seu plantel, tudo isso sem perder o espanhol Paul Gasol. Juntos com Metta World Peace (ex-Ron Artest), vão formar um quinteto titular fortíssimo.

De quebra, os angelinos ainda buscaram o ala-pivô Antawn Jamison para reforçar o banco de reservas, que foi o principal ponto fraco da equipe no último campeonato.

Com muitas peças novas, o entrosamento pode ser um problema no início, mas, com tanto talento reunido, os Lakers se apresentam com força na briga pelo título.

Correndo por fora, o “primo pobre” de Los Angeles, os Clippers, também não pode ser descartado. O time, que manteve uma excelente base formada por Chris Paul, Chauncey Billups, Caron Butler, Blake Griffin e DeAndre Jordan, aposta no reforço do banco de reservas para chegar ao título.

Perderam Kenyon Martin, é verdade, mas adicionaram ótimas peças como o experiente Grant Hill, o pontuador Jamal Crawford e o versátil Lamar Odom, que retorna a Los Angeles, mas agora vestindo branco e vermelho, não mais o amarelo e roxo.

Podendo surpreender, destaco o Minnesota Timberwolves. Com Ricky Rubio voltando de lesão, ao lado do sempre espetacular Kevin Love, a equipe já tinha tudo para voltar aos playoffs – algo que não acontece desde os tempos de Kevin Garnett -, mas a franquia fez algumas apostas ousadas que, se derem certo, farão os “lobos” incomodarem. E muito.

Da Rússia, trouxeram de volta ã NBA o polivalente Andrei Kirilenko e também o novato Alexey Shevd, que com Rubio e Luke Ridnour formará um ótimo trio para as posições de armação. Renascendo das cinzas, quem também está de volta é Brandon Roy, que havia deixado as quadras devido a graves problemas nos joelhos, mas que tenta retornar e mostrar que ainda pode ser útil na NBA.

Provavelmente ainda não é uma equipe pronta para brigar pelo título, mas capaz de supreender algum favorito que entrar de “salto alto”.

E aí, será que o San Antonio Spurs ainda tem chance de conquistar o título? Os texanos também mantiveram praticamente todos os jogadores que fizeram parte do elenco no último campeonato e devem iniciar a temporada sem grandes novidades. Será o suficiente?