Arquivos do Blog

20 triunfos consecutivos: estaria o Spurs fazendo história?

Entrando para a história?

Li um mini-artigo bem legal escrito pelo jornalista Tim Griffin, do Spurs Nation, sobre a sequência de 20 vitórias consecutivas do San Antonio Spurs. Segundo ele, especialistas ao redor dos Estados Unidos vêm colocando esse feito entre os maiores da história de todos os esportes americanos.

Esses caras ficam na memória, claro!

Pode ser um pouco exagerado, mas às vezes acho que temos uma forte tendência saudosista. Muita gente reclama que a época boa do basquete era quando tínhamos Michael Jordan, Charles Barkley, John Stockton, Karl MaloneHakeem Olajuwon, Patrick Ewing, David Robinson… Os mais antigos certamente lembram de Magic Johnson, Kareem Abdul-Jabbar, Larry Bird, Oscar Robertson, George Gervin, Wilt Chamberlain, Bill Russell, Jerry West, Pete Maravich, e por aí vai.

Os saudosistas mais novos já se entristecem só de pensar que jogadores como Tim Duncan, Kevin Garnett, Jason Kidd, Steve Nash, Manu Ginobili e Kobe Bryant vivem seus últimos anos de carreira, mas esquecem de enxergar o que está acontecendo debaixo dos próprios olhos.

Daqui a dez anos, quando LeBron James, Dwyane Wade, Chris Bosh, Chris Paul, Deron Williams e Rajon Rondo estiverem deixando as quadras, esse pessoal voltará lamentar, afinal, nunca a NBA vai ver um Lebron James da vida novamente. Será mesmo? Será que é assim ou nós que supervalorizamos o passado?

Falei tudo isso para introduzir alguns números interessantes. O San Antonio Spurs tem 20 vitórias consecutivas, como todos vocês já sabem. Essa já é a quarta maior sequência da história da NBA, e a primeira se englobarmos partidas de playoffs. Será que é exagero dizer que a franquia está sim fazendo história?

E jogadores como esses dois? Pra mim eles cabiam no passado facilmente. Por que os “ignoramos”?

Como é possível perceber, eu já tenho um ponto de vista definido, mas queria ler o que vocês têm a dizer, caros leitores. Neste vídeo, especialistas debatem o tema. Confira!

A morte do armador

Kidd e Parker: armadores com diferentes papéis

Respeitável público,

No manual do basquete, a primeira função dada ao armador principal é a de organizar o jogo e distribuir a bola. Este é o que podemos chamar de “armador clássico”, aquele que é responsável por fazer os seus companheiros jogarem. Na NBA de hoje, o melhor exemplo para vestir esta camiseta ainda é Jason Kidd. O veterano do Dallas Mavericks tem uma visão de jogo quase perfeita e cria as jogadas sempre com a primeira intenção de buscar um companheiro melhor posicionado para arremessar.

A preferência por um armador clássico ou um pontuador já me fez presenciar discussões acaloradas e o assunto se faz pertinente, pois tanto o jogador sensação quanto o atual MVP da Liga buscam a cesta a todo momento. O jovem Jeremy Lin, do New York Knicks, tornou-se o queridinho da NBA após uma memorável atuação contra o Los Angeles Lakers, quando, com seus 38 pontos, superou o astro adversário Kobe Bryant e levou sua equipe a uma grande vitória. Para alegria dos que gostam de bola na cesta, Lin tem médias de quase 15 pontos por partida em seu primeiro ano, enquanto distribui seis assistências por noite. Voltaremos a ele daqui a pouco. Derrick Rose, do Chicago Bulls, é outro que também dá de ombros para os passes. O melhor jogador da temporada passada anota 23 pontos e oito assistências por jogo. As estatísticas não chegam a ser um desastre, mas se tornam alarmantes quando vemos que dois jovens armadores de futuros possivelmente brilhantes pensam primeiro em marcar pontos e depois em assistir.

No San Antonio Spurs, Tony Parker nunca foi unanimidade muito em razão de sua avidez pela cesta. Para se ter uma ideia, depois de 11 temporadas na Liga, o francês vem tendo suas melhores médias em assistências agora em 2012, com não muito festejáveis oito passes por noite. Na vitória de ontem sobre o Knicks por 118 a 105, Parker foi o cestinha da noite com 32 pontos, enquanto Lin marcou 20, ficando atrás apenas de Carmelo Anthony, que garantiu 27 pontos para o Knicks. Juntos, os armadores combinaram apenas 10 assistências, sendo seis delas de Parker. Neste ano, mais precisamente no dia 23 de janeiro, Parker alcançou seu recorde de assistências em um jogo ao distribuir 17 passes contra o New Orleans Hornets.

Este “problema” muito mais me parece de mentalidade do que de falta de qualidade. Obviamente que visão de jogo não é algo que se aprenda, ninguém se tornará um Jason Kidd ou um Steve Nash à base de treinamento, embora possa desenvolver este quesito. Me parece mental, pois o ideário do armador-pontuador é algo que parece estar sendo gestado desde a base, sejam nos colégios e universidades norte-americanos ou nas escolinhas e afins por todo canto do mundo. Os que gostam do armador que organiza ainda devem prestar um pouco de atenção em Chris Paul e Deron Williams, embora este último, ao que parece, tenha assumido de vez a condição de cestinha no time do New Jersey Nets. O MVP de Rose e o imediatismo de Lin podem significar para muitos garotos o segredo do sucesso e em contrapartida a morte do armador clássico. Como vaticinou um certo treinador de futebol brasileiro que chegaria um dia onde o esporte bretão não teria mais atacantes, podemos estar próximos do basquete sem armadores. Espero que não.

Spurs (18-9) @ Nets (8-20) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ New Jersey Nets – Temporada Regular

Data: 11/02/2012

Horário: 23h00 (Horário de Brasília)

Local: Prudential Center

O San Antonio Spurs fará seu terceiro jogo na Rodeo Road Trip. O aproveitamento até aqui vem sendo excelente: dois jogos e duas vitórias. A partida de logo mais contra o Nets marcará o esperado retorno do argentino Manu Ginobili.

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Kawhi Leonard/Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Foram 22 jogos ausente. Depois de uma longa espera, Manu Ginobili finalmente poderá reestrear. O técnico Gregg Popovich, no entanto, já avisou que o camisa 20 terá minutos limitados e provavelmente começará o embate no banco de reservas.

New Jersey Nets

PG – Deron Williams

SG – Jordan Farmar

SF – Anthony Morrow

PF – Kris Humphries

C – Shelden Williams

Fique de Olho – O time do New Jersey Nets é bem fraco, mas o armador Deron Williams ainda é um grande jogador. Na temporada, o ex-craque do Utah Jazz tem médias de 20,7 pontos, 8,4 assistências e 3,4 rebotes por noite. Olho nele!

Spurs (48-10) vs Nets (17-41) – Estragando a estreia

106×96https://i1.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/njn.gif

Na estreia de Deron Williams pelo New Jersey Nets, quem roubou a cena no AT&T Center foi Manu Ginobili. Com 26 pontos, seis rebotes e cinco assistências, o argentino comandou a vitória do San Antonio Spurs por 106 a 96.

Fica para a próxima, garoto! (AP Photo)

Enquanto todas as cameras no AT&T Center estavam voltadas para o ex-armador do Utah Jazz, quem começou com tudo foi DeJuan Blair. O ala-pivô anotou 13 pontos no primeiro quarto e logo o Spurs já estava comandando o placar.

A pequena vantagem ia se mantendo até os minutos finais do primeito tempo, quando Deron Williams começou a se soltar e acionar seus companheiros, que mostraram pontaria afiada, principalmente de média distância. O New Jersey Nets foi para o intervalo à frente por um ponto, 54 a 53.

Manu Ginobili é o nome da fera! (AP Photo)

Mas bastou o terceiro quarto começar para que a equipe texana recuperasse a dianteira e demontrasse força, ampliando a vantagem para dígitos duplos. Vencendo o período por 35 a 18, o San Antonio Spurs foi para os últimos 12 minutos com relativa tranquilidade no marcador.

Sem ser ameaçado no período final, coube ao Spurs apenas administrar o resultado. A qualquer sinal de reviravolta do adversário, lá estava Manu Ginobili sofrendo falta e convertendo os lances livres, que garantiam a 48ª vitória texana na temporada.

A estreia de Deron

Peço licença aos nosso leitores para deixar aqui minha análise sobre a estreia de Deron Williams pelo New Jersey Nets. É impossível esconder que este era o principal destaque da partida de ontem, e o armador até que se saiu bem para uma primeira vez ao lado dos novos companheiros.

Deron buscou o tempo todo acionar seus colegas, mas que nem sempre estavam nos lugares certos. Claramente a falta de entrosamento pesou, mas com seu talento Deron conseguiu compensar um pouco, encontrando os companheiros livres em diversos momentos.

Mas pareceu pouco à vontade para pontuar. Acostumado ao sistema de pick and rolls do Utah Jazz, o armador tentou usar da mesma arma em sua nova equipe, mas os pivôs Kris Humpries e Brook Lopez pareciam meio perdidos. Sem o espaço gerado pelos pick and rolls, Deron teve dificuldades em conseguir infiltrar e também em achar arremessos sem ser marcado.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 26 pontos, seis rebotes e cinco assistências

Geroge Hill – 19 pontos e sete rebotes

DeJuan Blair – 17 pontos e seis rebotes

Tim Duncan – 17 pontos e seis rebotes

Tony Parker – 13 pontos e dez assistências

New Jersey Nets

Anthony Morrow – 25 pontos e cinco rebotes

Deron Williams – 14 pontos e 12 assistências

Brook Lopez – 13 pontos e oito rebotes

Spurs (47-10) vs Nets (17-40) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs. New Jersey Nets – Temporada Regular

Data: 25/02/2011

Horário: 22h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

O melhor time da NBA, o San Antonio Spurs, enfrentará uma das piores equipes até agora na temporada, que disputa os últimos lugares do Leste. Mas a história do jogo vai muito mais além. Será a noite de estreia de Deron Williams pelo New Jersey Nets depois que o armador foi trocado, de maneira surpreendente, pelo Utah Jazz. Apesar de ser um adversário, vele a penar das uma “espiada” no que ele poderá fazer.

Confrontos na temporada (1-0)

14/02/2011 – Spurs 102 vs 85 Nets

Em meio à Rodeo Trip, o San Antonio Spurs passou por cima New Jersey Nets e aplicou um verdadeiro massacre no rival, mesmo atuando fora de casa. Manu Ginobili foi o cestinha daquela noite, com 22 pontos.

PG – Tony Parker

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Tim Duncan

C – DeJuan Blair

Fique de Olho – Do outro lado estará Deron Williams estreando por sua nova equipe. Para Tony Parker, a tarefa é tentar estragar a festa do Nets, anulando o estreante da noite e roubando a cena na partida. Será que ele consegue?

https://i1.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/njn.gif

PG – Deron Williams

SG – Antohony Morrow

SF – Damion James

PF – Kris Humphries

C – Brook Lopez

Fique de Olho – Todos os olhos na partida de hoje se voltam para a estreia de Deron Williams no New Jersey Nets. Depois de uma troca bombástica, que o levou do Utah Jazz direto para a costa leste, muito se falou sobre o armador estar insatisfeito. Como ele irá reagir em quadra?