Arquivos do Blog

Rapidinhas: Spurs passará ileso pela trade deadline e Da’Sean Butler quase pronto para voltar à NBA

"Só vamos trocar se for vantajoso", diz Popovich.

Faltam apenas sete dias para a trade deadline e o San Antonio Spurs deverá sair desse período sem grandes mudanças – como já é de costume. O único que aparece no radar de trocas é James Anderson, mas o ala tem jogado muito mal e dificilmente verá alguma equipe interessada em seus serviços.

Na quarta-feira antes da partida contra o New York Knicks, Gregg Popovich foi questionado pelos jornalistas, falou sobre o tema e confirmou o que já era esperado por todos. “Raramente nós fazemos alguma coisa”, disse o treinador, em referência ao término do período de trocas. “Nós meio que hibernamos durante a trade deadline“, completou.

Segundo Popovich, o San Antonio Spurs só entrará no mercado se tiver alguma proposta muito vantajosa. “Qualquer troca será feita se ela tiver algum sentido e se ajudar nosso time a ser melhor nos playoffs e no futuro”, pontuou.

E mais…

Da’Sean Butler pretende voltar para a NBA

O ala Da’Sean Butler tinha tudo para fazer sucesso na NBA, mas um grave problema no joelho minou a carreira do ex-astro da Universidade de West Virginia na principal liga de basquete do planeta. Recrutado pelo Miami Heat e com passagem pelo San Antonio Spurs, o ala nunca conseguiu se firmar e decidiu tentar a sorte no exterior durante o locaute.

De volta aos Estados Unidos, o ala ganhou uma nova chance. Da’Sean Butler foi contratado recentemente pelo Austin Toros, franquia filiada ao Spurs na D-League (Liga de Desenvolvimento da NBA), e está indo muito bem. “O joelho está bom”, analisou Brad Jones, técnico do Austin Toros. “O que mais tem me empolgado é o arremesso dele. Seu chute é bem melhor do que eu imaginava”, completou o treinador.

Com médias de 10,8 pontos, 5,2 rebotes e duas assistências em pouco mais de 29 minutos por noite, Butler está caminhando, ainda que lentamente, para o esperado retorno à NBA – muito provavelmente para o nosso Spurs.

Spurs dispensa Da’Sean Butler

O San Antonio Spurs anunciou na terça-feira (13) a dispensa do ala Da’Sean Butler. O jogador chegou à equipe no último dia 25 de março após passagem pelo Austin Toros, franquia filiada ao Spurs na Liga de Desenvolvimento da NBA (D-League), mas foi dispensado antes mesmo de fazer seu debute.

Aos 23 anos, o jogador construiu uma sólida carreira universitária atuando pela Universidade de West Virginia e era considerado um atleta promissor, mas encontrou muitas dificuldades no basquete profissional após sofrer com uma série de problemas físicos.

No último mês de novembro, ainda durante o locaute, Butler assinou um contrato temporário com o Rigas VEF, da Letônia. Ele deverá voltar para lá caso nenhuma equipe da NBA se interesse novamente por seu jogo.

Muito a dizer

Saber que o San Antonio Spurs tinha problemas para lidar com jogadores altos e fortes, mesmo em uma temporada na qual a equipe texana teve a segunda melhor campanha da NBA, era preocupante. Porém, nem por isso a derrota para o Memphis Grizzlies deixou de ser chocante. Só tenho esse assunto para falar hoje. Por isso, começo esta coluna listando dois momentos que aconteceram antes dos playoffs e que ajudaram a determinar a precoce derrocada do time do AT&T Center.

Carrascos

1) Grizzlies 103 @ 110 Clippers: No dia 13 de abril, na última rodada da temporada regular, o time de Memphis poupou Mike Conley, Tony Allen e Zach Randolph e perdeu para a já eliminada equipe angelina. Em caso de vitória, o Grizzlies subiria para o sétimo posto e encararia o Los Angeles Lakers na primeira rodada. Muitos dizem que a equipe forçou o confronto contra o Spurs, mas ninguém confirma. Por outro lado, a equipe texana teria um confronto muito mais tranquilo contra um New Orleans Hornets desfalcado do ala-pivô David West.

2) Ginobili se machuca: No mesmo dia, Gregg Popovich, que havia poupado os titulares no jogo anterior, diante do Lakers, resolveu escalar força máxima na rodada final, diante do Phoenix Suns. Resultado: com menos de dois minutos jogados, Manu Ginobili contundiu o cotovelo direito. É bem verdade que a chave na série contra o Grizzlies foi o frontcourt, mas ter o argentino 100% poderia fazer a diferença. Principalmente na primeira partida, parelha até o final, quando o time do Texas sentiu a falta de seu closer. Uma vitória no Jogo 1 poderia ter mudado a cara da série.

Porém, creio que esses fatores apenas abreviaram uma inevitável queda do Spurs. Mais cedo ou mais tarde, a equipe enfrentaria outro ataque forte e seria eliminada. Los Angeles Lakers, Boston Celtics e Chicago Bulls poderiam dar tanto trabalho a Antonio McDyess e Tim Duncan quanto Zach Randolph e Marc Gasol deram nestes últimos dias.

Caso passasse pelo Grizzlies, o Spurs enfrentaria o Oklahoma City Thunder. Creio que seria um matchup mais favorável para os texanos. Serge Ibaka e Kendrick Perkins fazem uma belíssima dupla, porém mais eficiente na defesa do que no ataque. Kevin Durant é um jogador alto e forte fisicamente. Mas o craque tem como principal defeito de seu repetório a falta de um jogo de costas para a cesta. Por isso, George Hill e Manu Ginobili, mesmo mais baixos, seriam alternativas para marcá-lo com eficiência.

Porém, como disse anteriormente, o Spurs mostrou muitos problemas. Se passasse pelo Thunder, a queda seria mais para a frente por outro time. Em contrapartida, Ibaka e Perkins parecem o antídoto perfeito para Randolph e Gasol, e a equipe de Oklahoma City não deve encontrar dificuldades para chegar às finais de conferência.

Agora é a hora de pensar no ano que vem. O jogo seis contra o Grizzlies pode ter dado indícios para o futuro texano. Antonio McDyess deve se aposentar, e pode dar a vaga no time titular para Tiago Splitter, o primeiro big man a sair do banco na última partida. Richard Jefferson, por mais esforçado que seja, ainda está longe de render o esperado desde que foi contratado, e, na segunda metade do duelo, perdeu seu lugar no time titular para George Hill.

Por isso, o Spurs pode começar a temporada 2011/2012 com Tony Parker, George Hill, Manu Ginobili, Tim Duncan e Tiago Splitter no time titular. No banco, Gary Neal, James Anderson, Danny Green, Richard Jefferson, Matt Bonner e DeJuan Blair. Mais a possível chegada de jogadores que atuam na Europa, como Nando de Colo e Ryan Richards. Suficiente para brigar pelo título? Difícil…

Resta torcer para o Spurs conseguir trazer um free agent de peso, ou consiga alguma troca favorável. Porém, também acho difícil que isso aconteça. Será que poderemos contar com mais um steal no próximo Draft? Será que o recém-contratado Da’Sean Butler, aposta para a próxima temporada, vai corresponder? Por enquanto, sobram perguntas e faltam respostas…

Spurs manda Da’Sean Butler para a D-League

O Spurs mal contratou o ala Da’Sean Butler e já o enviou para a D-League (Liga de Desenvolvimento da NBA). Butler, recém-recuperado de um problema físico, está pronto para jogar há cerca de três semanas.

O jogador vestirá a camisa do Austin Toros para recuperar a forma física. Vale lembrar que outro ala, James Anderson, também “estagiou” no time texano, filiado ao San Antonio Spurs,  para se reabilitar de uma cirurgia no pé.

42ª escolha do draft de 2010, Butler teve o Miami Heat como seu primeiro time dentro da NBA, mas logo foi dispensado. Na universidade, o ala ajudou West Virginia a chegar ao Final Four da NCAA. Em sua última temporada universitária, Butler acumulou expressivas médias de 17.2 pontos e 6.2 rebotes por noite.