Arquivos do Blog

Meio a meio

A semana do San Antonio Silver Stars infelizmente não foi das melhores. Com apenas uma partida, que terminou em derrota, contra o Connecticut Sun, a equipe não vai repetir o recorde do ano passado de várias vitórias seguidas logo no começo da temporada. O placar final foi de 83 a 79. Vendo assim, até parece que não foi feio, mas foi.

O Stars tem uma mania – terrível para os torcedores – de consertar seus erros no final do último quarto para recuperar uma vantagem grande adquirida pelo rival. Na sexta-feira (25), o Connecticut chegou a abrir 12 pontos sobre o visitante, e, por pouco, mas por muito pouco MESMO, a vitória não foi alcançada. Um dos melhores momentos foi quando Shameka Christon arremessou para três pontos, no susto, e, além de fazer a cesta, ganhou um lance livre. Aí já era tarde demais, de qualquer maneira.

Danielle Adams, mais uma vez, foi o alicerce do San Antonio Silver Stars quando Becky Hammon e Sophia Young estavam mal. Contradizendo a todos, a garota tem futuro nessa liga!

O Connecticut Sun não é um time de se admirar, mas adotaram uma tática que os EUA usaram nas Olimpíadas de 2008: neutralizar Becky Hammon. A veterana ala-armadora não tinha espaço no jogo para formar seus ataques de costume. Ainda assim, anotou 11 pontos e oito assistencias. O destaque, porém, ficou por parte de Danielle Adams (21 pontos). No começo da partida, os únicos oito pontos a favor do Stars vieram de suas mãos.

Também quero ressaltar a presença em quadra de Shenise Johnson, que ainda está bem no início de sua carreira profissional, mas já mostra coragem e aprendizado rápido.

Com o resultado desta semana, o San Antonio está em terceiro lugar na Conferência Oeste, com campanha 1-1 (uma vitória e uma derrota).

O próximo desafio do San Antonio Silver Stars será na quarta-feira (30/05), contra o Chicago Sky, estreia da equipe no AT&T Center E (muita ênfase neste “E”) o reencontro com Ruth Riley, pivô do time até o ano passado.

Meu palpite? Vitória das texanas.

Até a próxima!