Spurs (0) @ Warriors (0) – Primeira rodada dos playoffs

San Antonio Spurs @ Golden State Warriors – Temporada Regular

Data: 14/04/2018

Horário: 16h00 (Horário de Brasília)

Local: Oracle Arena

Onde assistir: ESPN e NBA League Pass

Cotação no Apostas Online: Spurs 4,00 @ Warriors 1,28 (favorito)

Depois de terminar a temporada na sétima colocação da Conferência Oeste, o San Antonio Spurs estreia nos playoffs contra o Golden State Warriors, atual campeão da NBA e vice-líder da classificação. A equipe texana continua sem Kawhi Leonard, que se recupera de lesão. Os mandantes, por sua vez, não terão Stephen Curry e Patrick McCaw, machucados.

Clique aqui e compre seus ingressos para o jogo

 

PG – Dejounte Murray

SG – Patty Mills

SF – Danny Green

PF – Kyle Anderson

C – LaMarcus Aldridge

Fique de Olho – Se o Warriors confirmar o favoritismo e eliminar o Spurs, uma das únicas notícias boas para a torcida do alvinegro texano na temporada terá sido a possibilidade de acelerar o desenvolvimento de Dejounte Murray. Contra o time de Golden State, o jovem armador deve começar o jogo com a responsabilidade de comandar o ataque e marcar Klay Thompson, perseguindo-o em meio a corta-luzes. Na temporada, o camisa #5 do time de San Antonio teve médias de 8,1 pontos e 5,7 rebotes em 21,5 minutos por partida. Contando apenas os três duelos que fez contra os atuais campeões, esses números se transformam em nove pontos, 6,3 rebotes e 4,3 assistências em 26,3 minutos por exibição.

PG – Quin Cook

SG – Klay Thompson

SF – Kevin Durant

PF – Draymond Green

C – Zaza Pachulia

Fique de Olho – As lesões de Curry e McCaw viraram uma oportunidade para Cook começar como titular os primeiros playoffs de sua carreira. O armador terminou a temporada com médias de 9,5 pontos e 2,7 assistências em 22,4 minutos por exibição. Jogou duas vezes contra o Spurs, sustentando 11 pontos, três assistências e três rebotes em 29,5 minutos por partida.

Anúncios

Prévia de Warriors x Spurs – Primeira rodada

Ginobili precisa ajudar Aldridge para o Spurs ter chance (Reprodução/nba.com/spurs)

Depois de terminar a temporada regular na sétima colocação da Conferência Oeste, o San Antonio Spurs estreia nos playoffs contra o Golden State Warriors, atuais campeões da NBA e vice-líderes da classificação. O alvinegro começa a série sem Kawhi Leonard, enquanto os californianos têm Stephen Curry e Patrick McCaw como desfalques.

Spurs e Warriors começam a se enfrentar neste sábado (14), na Oracle Arena, casa do adversário. Ao longo da temporada regular, as duas equipes mediram forças quatro vezes, com apenas uma vitória a favor dos texanos. Relembre como foram todos estes confrontos a seguir:

Confrontos na temporada (1-3):

02/11/2017 – Spurs 92 vs 112 Warriors

Sem Tony Parker, Kawhi Leonard e Joffrey Lauvergne, o Spurs não foi páreo para o Warriors e acabou derrotado em casa. LaMarcus Aldridge, com 24 pontos e dez rebotes, se destacou.

10/02/2018 – Spurs 105 @ 122 Warriors

No segundo duelo da temporada, o Warriors levou a melhor de novo. Na ocasião, Kyle Anderson anotou 20 pontos, seis rebotes, quatro assistências, três roubadas de bola e dois tocos.

08/03/2018 – Spurs 107 @ 110 Warriors

Sem Kawhi Leonard e Pau Gasol, o Spurs visitou o Warriors e até conseguiu equilibrar o jogo, mas acabou derrotado. LaMarcus Aldridge, com 30 pontos e 17 rebotes, se destacou.

19/03/2018 – Spurs 89 x 75 Warriors

A única vitória do Spurs sobre o Warriors na temporada regular aconteceu no AT&T Center, em jogo em que os californianos não puderam contar com Stephen Curry, Klay Thompson e Kevin Durant e ainda perderam Draymond Green durante a partida. LaMarcus Aldridge, com 33 pontos, 12 rebotes e dois tocos, se destacou pelo alvinegro de San Antonio na ocasião.

Agora, chegou a hora de o Spurs medir forças com o time californiano na série válida pela primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste. A seguir, blogueiros do Spurs Brasil contam o que esperam do confronto e dos jogadores que poderão ajudar a decidi-lo. Confira abaixo:

Lucas Pastore

Palpite: Warriors 4 a 1
A ausência de Kawhi Leonard faz com que o Spurs não tenha um jogador que possa defender Kevin Durant – Danny Green, que é quem chega mais perto disso, é baixo demais para a função. Por outro lado, o Warriors também não tem um marcador capaz de deter LaMarcus Aldridge no mano a mano. A diferença está nos elencos de apoio: enquanto os californianos contam com Klay Thompson, Andre Iguodala e Draymond Green, o alvinegro vive do último suspiro de veteranos e de lampejos de jogadores mais jovens. Se não bastasse, ainda cerca o camisa #12 com gente que não arremessa bem, como Dejounte Murray, Tony Parker e Kyle Anderson, o que deve fazer com que os adversários dobrem a marcação sobre o ala-pivô toda hora. Infelizmente, trata-se de um oponente com poder de fogo demais.
Peça-chave do Spurs:
 Manu Ginobili
Peça-chave do Warriors:
 Draymond Green

Sonia Cury

Palpite: Warriors 4 a 2
Playoffs se trata, acima de tudo, de consistência. É preciso um elenco equilibrado para suportar toda a grande carga emocional e física que a fase eliminatória demanda. Apesar de não poder contar com Stephen Curry, o Warriors segue com um elenco forte e entrosado, diferente do Spurs, que sofreu com diversos desfalques ao longo da temporada e oscilou muito em seu desempenho. Mesmo com o crescimento notável de jogadores como Kyle Anderson, que teve muito mais tempo de quadra e destaque, e Dejounte Murray, o time texano depende muito das ações e liderança de LaMarcus Aldridge para se impor em um confronto. Já o time de Oakland, mesmo com a ausência de sua principal estrela, conta com nomes como Klay Thompson e Kevin Durant, que estão em sua melhor forma e momento, além de um banco de reservas que responde às expectativas do técnico Steve Kerr. O que pode ajudar o alvinegro é a experiência e a maneira como os jogadores com mais tempo na franquia crescem em momentos decisivos, assim como Gregg Popovich, que sabe extrair o que seus comandados têm de melhor a oferecer em situações decisivas. Manu Ginobili vem de uma boa sequência na reta final, Rudy Gay está aparecendo no boxscore com mais frequência, Tony Parker voltou a fazer boas atuações e até peças como Danny Green e Patty Mills – com suas bolas de três – tiveram algumas boas atuações, e é aí que está o problema: a equipe é inconsistente nessa temporada. E se tratando de playoffs, cada oscilada é um risco. Mesmo assim, é esperado um grande duelo.
Peça-chave do Spurs: Manu Ginobili
Peça-chave do Warriors: Klay Thompson

Vinicius Esperança

Palpite: Warriors 4 a 1
Atuais campeões da NBA, com um dos melhores times de todos os tempos e com dois dos melhores jogadores na atualidade, contra um Spurs enfraquecido sem sua principal estrela. O Warriors é amplo favorito no confronto. Mesmo com a ausência de Stephen Curry, que perderá toda a primeira rodada dos playoffs, o time californiano, que aparentemente tirou o pé nessa temporada regular, ainda apresenta suas armas com Draymond Green, Kevin Durant e Klay Thompson. O banco adversário, que já foi um dos melhores da NBA, agora não parece ser tão produtivo, porém, não pode-se duvidar. Por outro lado, LaMarcus Aldridge vive, talvez, a melhor temporada de sua carreira, o que pode ser um ponto positivo para equipe texana. A experiência que Dejounte Murray obteve nos playoffs passados pode ajudar, e Manu Ginobili, que nesse fim de temporada mostrou-se fisicamente e mentalmente muito forte, pode ser um ponto de desequilíbrio. Entretanto, os comandados de Steve Kerr não devem ter dificuldades em “atropelar” os comandados de Gregg Popovich. Por fim, não pode-se deixar de pensar que o velho Pop pode surpreender com algum de seus coelhos tirados da cartola. Tony Parker, que vem fazendo temporada bem sofrível, pode tornar as partidas mais equilibradas.
Peça-chave do Spurs:
 Tony Parker
Peça-chave do Warriors:
 Draymond Green

Olho neles!

LaMarcus Aldridge é o destaque do Spurs na temporada por muito, o que deve fazer com que o Warriors dobre a marcação sobre ele. Quem melhor pode ajudá-lo é Manu Ginobili, criativo para envolvê-lo em jogadas de pick-and-roll e confiável para converter cestas de três e ajudar a espaçar a quadra para o colega. Na temporada, o argentino teve médias de 8,9 pontos e 2,5 assistências em vinte minutos por exibição. Nos quatro jogos contra os californianos, esses números foram de seis pontos e 2,3 assistências em 16,4 minutos por partida.

Além de ser um coadjuvante de luxo para Durant no ataque, o que Aldridge não tem, Draymond Green pode desequilibrar de vez a série se conseguir marcar Aldridge no mano a mano, sem a necessidade de dobras na defesa. Na temporada regular, o ala-pivô do Warriors apresentou médias de 11 pontos, 7,6 rebotes e 7,3 assistências em 32,7 minutos por exibição. Considerando somente os quatro confrontos com o alvinegro de San Antonio, esses números foram de 11 pontos, sete rebores e 6,8 assistências em 28,2 minutos por partida.

Spurs (47-35) vs Pelicans (48-34) – Sem reação

SBresumo

98×122pelicans

O San Antonio Spurs fez seu último jogo na temporada regular contra o New Orleans Pelicans, fora de casa, nessa quarta-feira (11). Com excelente atuação de Anthony Davis, que já veio com tudo desde a primeira parte da partida, o alvinegro não conseguiu reagir e acabou derrotado pelo adversário pelo placar de 122 a 98. Confira, a seguir, os destaques do confronto.

Manu até tentou iniciar uma reação, mas não deu (Reprodução/nba.com/spurs)

Desvantagem

O Spurs começou pontuando, partindo para a cesta e tentando efetuar algumas jogadas, mas a parceria de Anthony Davis com Nikola Mirotic foi mais eficiente e abriu vantagem de 10 a 4. As coisas esquentaram após o monocelha atingir Dejounte Murray em uma jogada e não receber falta por isso, o que deixou Gregg Popovich maluco com a arbitragem e culminou em uma falta técnica para o treinador. O alvinegro aumentou seu volume de jogo depois disso, com Rudy Gay e Tony Parker trazendo contribuições sólidas. O primeiro quarto terminou com a vantagem de apenas um ponto dos mandantes, que naquela altura venciam por 27 a 26.

Bryn Forbes fez um jogo inconstante (Reprodução/nba.com/spurs)

No segundo quarto, Manu Ginobili entrou com tudo no jogo ao fazer uma cesta de três pontos, dando indícios de que o Spurs seria dominante. Porém, não foi o que aconteceu. O Pelicans cresceu ainda mais em cima da rotação da equipe texana por meio das jogadas de Jrue Holiday, que furou a defesa do time alvinegro diversas vezes. Kyle Anderson apertou a marcação e voltou a por o time nos trilhos, com a diferença entre as equipes voltando a ser de apenas um ponto. Mesmo assim, os mandantes não caíram e continuaram pressionando a defesa dos texanos, girando a bola e se infiltrando no perímetro. Faltas bobas e jogadas precipitadas fizeram com que os visitantes decaíssem e fossem para o intervalo perdendo por 18 pontos de vantagem.

No terceiro quarto, o Spurs começou lento, e o Pelicans ampliou a vantagem. A primeira reação veio com tiros de três pontos de Anderson e Danny Green. Em seguida, Bryn Forbes também apareceu. Entretanto, a defesa seguia sem conseguir segurar o principais jogadores da equipe adversária.

Por isso, todas as vezes em que o alvinegro emplacava uma sequência de pontos, logo perdia toda a reação construída. No último quarto, Popovich resolveu colocar seus reservas em quadra, já que a vantagem dos mandantes era grande, em uma formação com Dejounte Murray, Bryn Forbes, Brandon Paul, Davis Bertans e Joffrey Lauvergne.

Mesmo com o jogo na mão, o técnico do Pelicans manteve seu principal jogador, Anthony Davis, em quadra até quase o fim da partida, retirando-o quando restavam apenas quatro minutos. Assim, a equipe da casa garantiu a vitória sobre o Spurs por 122 a 98.

Dor de cabeça

O Pelicans tem sido um problema para o Spurs faz tempo. Sua maneira rápida de trocar passes e furar a defesa texana ao longo dos jogos desta temporada prova o quanto um trabalho de equipe faz a diferença. No duelo de quarta-feira (11), Rajon Rondo e Jrue Holiday complementavam com perfeição a solidez de Anthony Davis e Nikola Mirotic. Vale a pena destacar que Holiday, Davis e Mirotic foram os maiores pontuadores da partida com 23, 22 e 21 pontos, respectivamente. Além disso, Rondo, Mirotic e Davis obtiveram duplo-duplos.

No lado texano, os principais jogadores foram Aldridge, Parker e Murray que marcaram 11 pontos, seguidos de Kyle Anderson, Bryn Forbes e Brandon Paul, que fizeram dez. Destaque para a entrada de Manu no segundo quarto, que, mesmo não marcando muitos pontos, contribuiu para a reação da equipe em alguns momentos do confronto, bem como Danny Green.

Agora é playoffs!

O Spurs cometeu muitos turnovers e teve dificuldades para segurar o Pelicans no perímetro. Talvez a cabeça já estivesse nos playoffs, já que a vaga estava assegurada desde a vitória sobre o Sacramento Kings. Mesmo assim, a derrota serve como uma análise dos setores que precisam ser fortalecidos, já que o ritmo intenso da pós-temporada não deixa margem para erros bobos.

O lado bom é que os playoffs representam uma chance de começar de novo e, mesmo com uma temporada incomum para o Spurs, mais uma vez Gregg Popovich conseguiu deixar a sua equipe entre os melhores da Conferência Oeste. O sentimento é diferente, e a torcida já passa a depositar a sua confiança na experiência da equipe e na ascensão dos jovens talentos.

Seja como for, o Spurs termina a temporada com 47 vitórias e 35 derrotas, na sétima posição do Oeste, e enfrenta o Golden State Warriors, segundo, na primeira rodada dos playoffs.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Dejounte Murray – 11 pontos e 6 rebotes

LaMarcus Aldridge – 11 pontos e 5 rebotes

Tony Parker – 11 pontos

Kyle Anderson – 10 pontos

Brandon Paul – 10 pontos

Bryn Forbes – 10 pontos

New Orleans Pelicans

Jrue Holiday – 23 pontos e 7 assistências

Anthony Davis – 22 pontos e 15 rebotes

Nikola Mirotic – 21 pontos e 15 rebotes

Rajon Rondo – 19 pontos e 14 assistências

Spurs (47-34) vs Kings (26-55) – Playoff que você quer?

 

98x85

Vinte e uma vezes. Essa é a quantidade de temporadas seguidas em que o San Antonio Spurs se classifica para os playoffs da NBA. A equipe texana recebeu o já eliminado Sacramento Kings na noite desta segunda-feira (9), no AT&T Center, despachou os adversários pelo placar de 98 a 85 e consolidou a vaga na pós-temporada. Confira, a seguir, os destaques do confronto:

Eu ouvi playoffs? (Reprodução/Spurs Site Oficial)

Soberano

A marca de 21 temporadas consecutivas se classificando para os playoffs não é um recorde só da NBA, mas que engloba todas as quatro principais ligas de esportes profissionais dos Estados Unidos, contando também NFL, MLB e NHL. O Spurs concretizou a vaga e a marca de mais longa sequência ativa nos quatro principais esportes profissionais. O Pittsburgh Penguins, da NHL, aparece no segundo lugar com 12 temporadas. Em seguida, vêm o New England Patriots, da NFL, com nove, e os Los Angeles Dodgers, da MLB, com cinco.

Gay foi importante no fim (Reprodução/Spurs Site Oficial)

Um bom lugar para se estar

Antes de a temporada começar, era possível afirmar que o Spurs era uma excelente opção para os agentes livres que queriam almejavam grandes objetivos. A equipe texana chegou a flertar com nomes como Carmelo Anthony, Chris Paul, Kyle Lowry e até mesmo Kyrie Irving. No fim, a offseason foi um pouco decepcionante e o time de San Antonio assinou com Rudy Gay, até então uma grande incógnita para a torcida.

Ao longo das últimas 11 temporadas, Gay se classificou para os playoffs em apenas uma oportunidade. No alvinegro de San Antonio, suas chances quase se foram com algumas lesões no decorrer da campanha, e é claro, com o fato de o time tropeçar diversas vezes, ameaçando a classificação para a próxima fase. Mas O ala não estava disposto a deixar a possibilidade correr pelas mãos. O jogador saiu do banco de reservas e foi o principal jogador da equipe contra o Kings ao lado de Manu Ginobili, com 18 pontos e seis rebotes.

“É bom. Na verdade é ótimo. É para isso que serve a temporada, para chegar onde estamos agora. É um sentimento bom. Estou ansioso por algo que espero há muito tempo. Vai ser divertido”, disse Gay, após a partida. Ao lado de Bryn Forbes, o camisa 22 combinou para 25 pontos no último quarto, tendo registrado oito pontos e cinco rebotes na parcial.

Próximo passo

Apesar de remotas, ainda há chances de o Spurs ter vantagem do mando de quadra na próxima fase. A equipe texana precisa, antes de mais nada, derrotar o New Orleans Pelicans fora de casa nesta quarta-feira (11), no seu último compromisso na temporada regular.

A equipe de Gregg Popovich está, atualmente, na sexta colocação da Conferência Oeste, com 47 vitórias. Se os playoffs começassem hoje, teria pela frente o Portland TrailBlazers, com a desvantagem do mando de quadra. A equipe texana precisa torcer por tropeços do Utah Jazz e do Oklahoma City Thunder para subir na classificação. As equipes encaram o Portland TrailBlazers e o Memphis Grizzlies, respectivamente. Dá para sonhar?

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Rudy Gay – 18 pontos e 6 rebotes

Manu Ginobili – 17 pontos, 6 rebotes e 5 assistências

LaMarcus Aldridge – 15 pontos e 14 rebotes

Patty Mills – 15 pontos

Sacramento Kings

Willie Cauley-Stein – 25 pontos e 10 rebotes

De’Aaron Fox – 21 pontos, 7 assistências e 4 rebotes

Buddy Hield – 17 pontos e 3 rebotes

Spurs (46-34) vs Kings (26-54) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Sacramento Kings – Temporada Regular

Data: 09/04/2018

Horário: 21h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Onde assistir: NBA League Pass

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,05 (favorito) vs Kings 10,00

Ainda sem vaga garantida nos playoffs da Conferência Oeste, o San Antonio Spurs recebe o Sacramento Kings na noite desta segunda-feira com a chance de carimbar a presença na pós-temporada da liga pelo 21º ano consecutiva. Já sem grandes pretensões, o time californiano viaja até o Texas com o objetivo de bagunçar a classificação do adversário para a próxima fase e tentar, pelo menos, vencer um dos quatro encontros das equipes na temporada.

Confrontos na temporada (3-0)

23/12/2017 – Spurs 108 @ 99 Kings

No primeiro confronto na temporada, o Spurs venceu o Kings em casa com ótima atuação de Pau Gasol, que registrou um triplo-duplo, e de LaMarcus Aldridge, destaque desta campanha.

08/01/2018 – Spurs 107 @ 100 Kings

Com mais emoção do que o esperado, o Spurs venceu o Kings em casa no segundo jogo de um back-to-back. LaMarcus Aldridge, com 31 pontos e 12 rebotes, se destacou na ocasião.

28/01/2018 – Spurs 113 vs 98 Kings

A atuação do Spurs não foi de brilhar os olhos, mas no fim o time do então aniversariante Gregg Popovich engrenou e deu a vitória de presente ao técnico. Dejounte Murray, com 14 pontos e dez rebotes, e Pau Gasol, com 14 pontos e 11 rebotes registraram duplos-duplos.

PG – Dejounte Murray

SG – Patty Mills/Manu Ginobili

SF – Danny Green

PF – LaMarcus Aldridge

C – Pau Gasol

Fique de Olho – Para não ficar fora dos playoffs pela primeira vez na Era Popovich, o Spurs pode contar com uma experiente arma vindo do banco de reservas. Na vitória sobre o Portland TrailBlazers, no último compromisso da equipe, o argentino jogou como se a idade não importasse e terminou a noite com 17 pontos, sendo dez no último quarto. Desses dez, foram oito seguidos em um intervalo de 49 segundos no meio da parcial.

PG – De’Aaron Fox

SG – Bogdan Bogdanovic

SF – Justin Jackson

PF – JaKarr Sampson

C – Willie Cauley-Stein

Fique de Olho – Se de um lado a chave para a vitória pode estar na experiência, do outro pode muito bem estar na juventude. Calouro escolhido na quinta posição do Draft de 2017, De’Aron Fox tem feito uma boa temporada de estreia e mostrou ter qualidade para ser o futuro da franquia. Contra o Memphis Grizzlies, no último jogo da equipe californiana, foi responsável por 13 pontos, seis rebotes, quatro assistências e duas roubadas de bola.