Arquivo da categoria: Resumo de Jogos

Spurs (3) @ Clippers (4) – Aqui jaz o campeão

109×111

O sonho de ver o San Antonio Spurs hexacampeão ganhando, pela primeira vez, dois títulos seguidos acabou na noite deste sábado (2). Em um instantaneamente histórico jogo 7 da série contra o Los Angeles Clippers, válido pela primeira fase dos playoffs da Conferência Oeste, o alvinegro perdeu por 111 a 109, no Staples Center, casa do oponente, e saiu de férias mais cedo que a torcida gostaria. Veja, a seguir, os principais pontos do duelo.

Atuação de Duncan não foi o bastante (Reprodução/nba.com/spurs)

A coroa pesa

Mostrando que ainda tem condições de contribuir, Tim Duncan foi eficiente como sempre, obtendo 27 pontos (11-16 FG, 5-8 FT) e 11 rebotes em 37:17 minutos e sendo um dos cestinhas da partida. Tony Parker teve bons números – 20 pontos (10-21 FG, 0-1 3 PT), cinco assistências e cinco rebotes em 33:40 minutos – mas errou bolas decisivas no quarto período. Kawhi Leonard, por sua vez, sentiu o peso do protagonismo. Anotou 13 pontos (5-13 FG, 1-4 3 PT, 2-2 FT) e dez rebotes em 33:19 minutos, mas acertou só um dos sete arremessos de quadra que tentou no último quarto. Com certeza uma etapa importante para o aprendizado do ala, que deve voltar ainda melhor na próxima temporada.

Ginobili vai voltar? (Reprodução/nba.com/spurs)

É preciso ter classe

Mais do que listar os erros do Spurs e apontar o dedo para supostos culpados após a dolorosa e precoce eliminação, é preciso admitir que o alvinegro foi eliminado por um grande time. As duas equipes foram as que, talvez, terminaram a temporada regular em melhor fase, mas os texanos tiveram de lidar com os problemas de Tony Parker e Tiago Splitter, que estiveram longe de suas melhores condições físicas e, consequentemente, técnicas durante a série.

Além disso, temos de reverenciar Chris Paul, astro do Clippers que, mesmo com dores musculares na coxa esquerda desde o primeiro quarto do jogo deste sábado, conseguiu anotar 27 pontos (9-13 FG, 5-6 3 PT, 4-4 FT), seis assistências e dois roubos de bola, deixando a quadra como um dos cestinhas da partida e convertendo o espetacular arremesso nos segundos finais que deu a vitória para a equipe angelina.

Isso é um adeus, ídolos?

É difícil encontrar as palavras para escrever sobre isso, mas existe a chance do jogo deste sábado ter sido o último de Manu Ginobili e Tim Duncan pelo Spurs. Em entrevistas concedidas após a partida, ambos despistaram sobre a possibilidade e disseram que ainda vão pensar sobre o futuro de suas carreiras. Se eu tivesse de apostar, chutaria que The Big Fundamental volta. Mas o ala-armador argentino, que terminou a série com médias de oito pontos, 4,6 assistências e 3,4 rebotes por exibição, parece mais perto de parar.

Quem volta? Quem vem?

Essa promete ser uma das offseasons mais movimentadas da era Gregg Popovich. Além de Manu Ginobili e Tim Duncan, o Spurs terá mais cinco agentes livres irrestritos: Danny Green, Marco Belinelli, Jeff Ayres, Matt Bonner e Reggie Williams. Kawhi Leonard, Cory Joseph e Aron Baynes são agentes livres restritos, com qualifying offers de, respectivamente, US$ 4,268,608,00, US$ 3,201,889,00 e US$ 2,596,250,00. Isso significa que o alvinegro tem direito de cobrir quaisquer propostas feitas pelos atletas e, caso algum não receba nenhuma, seu vínculo é automaticamente renovado por uma temporada por este valor. Só cinco jogadores da franquia têm contratos garantidos para o próximo campeonato: Tony Parker, Tiago Splitter, Boris Diaw, Patrick Mills e Kyle Anderson. Além disso, começam a surgir rumores, como o do interesse em LaMarcus Aldridge. Será que o elenco vai mudar radicalmente?

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 27 pontos e 11 rebotes

Tony Parker – 20 pontos, 5 assistências e 5 rebotes

Danny Green – 16 pontos, 8 rebotes, 5 tocos, 3 assistências e 2 roubos de bola

Kawhi Leonard – 13 pontos e 10 rebotes

Boris Diaw – 12 pontos, 4 rebotes e 3 assistências

Los Angeles Clippers

Chris Paul – 27 pontos, 6 assistências e 2 roubos de bola

Blake Griffin – 24 pontos, 13 rebotes e 10 assistências

Matt Barnes – 17 pontos, 5 rebotes, 2 roubos de bola e 2 tocos

Jamal Crawford – 16 pontos e 3 assistências

JJ Redick – 14 pontos, 3 assistências e 3 rebotes

DeAndre Jordan – 7 pontos e 14 rebotes

Spurs (3) vs Clippers (3) – Decisão em L.A.

96×102 

A série mais equilibrada da primeira rodada dos playoffs vai mesmo ser decidida em um jogo 7. Nesta quinta-feira (30), atuando em casa, o San Antonio Spurs não jogou bem e deixou escapar a chance de fechar a série diante do Los Angeles Clippers. A derrota, por 102 a 96, obriga o time texano a vencer pela terceira vez no Staples Center neste confronto se quiser avançar para a próxima fase. Vamos, a seguir, aos destaques do confronto.

(AP Photo/Darren Abate)

Nada resolvido e a decisão vai para Los Angeles (Darren Abate/AP)

Empacou

Diferente do que nos acostumamos, o ataque do Spurs não parecia entrosado. A movimentação de bola não fluiu, e o desempenho ofensivo “empacou”. Muitos dos arremessos e infiltrações foram contestados ou desequilibrados. Principais armas no perímetro, Tony Parker e Kawhi Leonard combinaram para só sete acertos em 27 tiros de quadra tentados.

(AP Photo/Darren Abate)

Parker segue com atuações abaixo da média (Darren Abate/AP)

Acorda Green!

Quem se lembra daquele Danny Green mortal na linha de três pontos que bateu o recorde de cestas de longa distância das finais da NBA em 2013? Pois tragam-o de volta. Pelo terceiro jogo consecutivo, o ala-armador teve um rendimento pífio e converteu apenas um de cinco arremessos de longe. Nos três últimos confrontos, o camisa #4 acertou somente duas de 16 tentativas.

Belinelli

O Spurs só se manteve no jogo até os segundos finais graças ao bom trabalho executado por Boris Diaw e, especialmente Marco Belinelli. O italiano estava em uma noite endiabrada e matou sete tiros longos em 11 arremessos, convertendo bolas dificílimas, mesmo desequilibrado ou de muito longe. Gregg Popovich, entretanto, insistiu com Green em boa parte do duelo e recolocou o camisa #3 nos lances finais. Mesmo assim, o reserva quase fez milagre pelo time da casa.

Já vi este filme

Assim como no jogo 5, uma interferência ofensiva teve papel decisivo no resultado da partida, só que desta vez a favor do Clippers. Com o Spurs perdendo por quatro pontos a menos de dois segundos para o fim, Belinelli arremessou de longe, e a bola quicou no aro. Na tentativa do tapinha, Diaw encostou nela ainda estava sobre o aro, o que caracterizou a interferência. Logo em seguida, Blake Griffin também cometeu infração, que, em um primeiro instante, foi anotada pelos árbitros, dando os três pontos aos texanos. O lance, porém, foi revisto, e o toque anterior do francês foi aferido, anulando o lance e dando a posse aos visitantes.

Vencer ou ir para casa

O sétimo e decisivo confronto da série será disputado neste sábado (2), às 21h (de Brasília), no Staples Center, casa do Clippers. Quem vencer avança para encarar o Houston Rockets em uma das semifinais da Conferência Oeste. Quem perder tira férias antecipadas.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Marco Belinelli – 23 pontos

Boris Diaw – 17 pontos, 5 assistências e 4 rebotes

Tim Duncan – 13 pontos e 12 rebotes

Los Angeles Clippers

Blake Griffin – 26 pontos, 12 rebotes e 6 assistências

Chris paul – 19 pontos e 15 assistências

J.J. Redick – 19 pontos

DeAndre Jordan – 15 pontos e 14 rebotes

Spurs (3) vs Clippers (2) – Teste pra cardíaco

assinatura SA Br''111×107

Briga pela bola, equilíbrio e tensão até a última campainha. Em um duelo típico de pós-temporada, o San Antonio Spurs venceu o Los Angeles Clippers por 111 a 107, nessa terça-feira (28), fora de casa, e abriu 3 a 2 na série, válida pela primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste, roubando mais uma vez o mando de quadra. O jogo seis acontece no Texas, na próxima quinta, quando o atual campeão poderá fechar o confronto e sacramentar sua classificação para a próxima fase. Vamos aos destaques do jogão:

Spurs vs. Clippers: Game 5

Tim Duncan doutrinou no último quarto (NBAE/Getty Images)

Fator banco

A força do banco do time de San Antonio apareceu mais uma vez. Após dez primeiros minutos de partida tenebrosos para o alvinegro, o Clippers sobrava e tinha uma vantagem considerável de 14 pontos. Porém, quando os treinadores começaram a mexer nos quintetos, Patty Mills e Manu Ginobili vieram para a quadra e comandaram uma corrida de 15 a 0 do Spurs, que virou o marcador e a maré do jogo, que se manteria equilibrado até o seu final.

Mills foi importante (NBAE/Getty Images)

O australiano manteve o bom desempenho na série e fechou o jogo com 13 pontos em apenas 15 minutos. Já o veterano camisa #20 contribuiu com 14 pontos e seis assistências e, de quebra, ainda ultrapassou ninguém menos que Michael Jordan, se tornando o 11º jogador com mais vitórias na pós-temporada.

Outro que se destacou foi Boris Diaw, que não deixou de ser decisivo mesmo tendo seus minutos limitados por problemas de falta. No último quarto, o Zé Colmeia anotou oito dos seus dez pontos na partida, entre eles uma bola de três da zona morta e um fadeaway “espírita” no estouro do relógio dos 24 segundos. Ao todo, foram 48 pontos vindo do banco do alvinegro, contra apenas 17 dos três suplentes utilizados pelo Clippers ao longo do confronto.

Fator fundamental

É chover no molhado dizer que Tim Duncan foi importante para o Spurs, mas não dá para passar batido. Aos 39 anos de idade, o camisa #21 foi consistente durante o jogo e simplesmente espetacular na reta final. No quarto derradeiro, The Big Fundamental ignorou a presença de Blake Griffin e fez de tudo um pouco, sendo dominante dos dois lados quadra, pontuando, bloqueando e forçando turnovers em momentos chave da partida. O veterano deixou a quadra com 21 pontos, 11 rebotes, quatro assistências, três roubadas de bola e um toco. Com esses números, ainda se tornou o mais velho jogador a alcançar três partidas com pelo menos 20 pontos e dez rebotes em uma mesma série de playoff.

Fator raça

Tony Parker e Danny Green são dois jogadores que vêm jogando abaixo do seu potencial na série, mas tiveram sua importância no triunfo. Mesmo atuando no sacrifício por conta de um problema muscular, o francês contribuiu com 14 pontos e três assistências, chamando a responsabilidade em diversos momentos decisivos. Já o ala-armador contribuiu com apenas nove pontos e esteve longe de ser o gatilho certeiro que foi na temporada regular, mas foi vital na defesa, impondo uma forte marcação sobre Chris Paul, que parou nos 19 pontos.

Fator sorte

Todo time campeão costuma ser acompanhado pela sorte. Pois bem; ela apareceu ontem à noite. Restando seis segundos para o fim e perdendo por apenas um ponto, o Clippers tinha a bola nas mãos para vencer a partida. Após chute de Blake Griffin por cima de Tim Duncan, a bola chorava prestes a cair quando DeAndre Jordan deu um tapinha ilegal para converter o arremesso, caracterizando uma interferência, já que a bola estava acima do aro. A arbitragem marcou a irregularidade e, na sequência, o Spurs ficaria com a vitória, com Danny Green convertendo um lance livre e Kawhi Leonard apanhando o rebote do segundo disparo.

 Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 24 pontos, 11 rebotes, 4 assistências, 3 roubos de bola e 1 toco

Kawhi Leonard – 18 pontos, 9 rebotes e 3 assistências

Manu Ginobili – 14 pontos e 6 assistências

Tony Parker – 13 pontos, 5 rebotes e 3 assistências

Patty Mills – 13 pontos

Boris Diaw – 10 pontos e 7 rebotes

Los Angeles Clippers

Blake Griffin – 30 pontos, 14 rebotes, 7 assistências e 4 roubos de bola

DeAndre Jordan – 24 pontos, 14 rebotes e 2 tocos

Chris Paul – 19 pontos, 10 assistências e 5 rebotes

Spurs (2) vs Clippers (2) – Derrota em casa e série empatada

105×114

O Los Angeles Clippers conseguiu se recuperar da sua pior derrota na história dos playoffs, ocorrida no jogo 3 da série contra o San Antonio Spurs, em grande estilo. Com ótimas atuações de Chris Paul e Blake Griffin, o time californiano empatou a série em 2 a 2, mesmo jogando no AT&T Center, casa do alvinegro e voltou a ter a vantagem no mando de quadra. Vamos, a seguir, aos destaques do duelo disputado neste domingo (26):

Spurs vs. Clippers 4/26/15

Não deu para o San Antonio Spurs (Reprodução/nba.com/spurs)

Números

Apesar da derrota, Kawhi Leonard voltou a ter um bom jogo, com 26 pontos. Tim Duncan voltou a pontuar bem, com 22. E Tony Parker ressuscitou e contribuiu com 18. Mesmo com tudo isso, o time do Texas não conseguiu a vitória. Chris Paul, com uma atuação brilhante, foi o responsável pelo empate na série. Foram 34 pontos e sete assistências. Ele acertou 11 arremessos em 19 tentativas, além de ter convertido todos os seus dez lances livres.

Spurs vs. Clippers 4/26/15

Leonard acertou três bolas do perímetro (Reprodução/nba.com/spurs)

Banco

Uma das vantagens do Spurs na série é ter um banco melhor e que contribuiu mais, certo? Não dessa vez. O filho do treinador Doc Rivers, o armador Austin Rivers, resolveu que ia mostrar que sabe jogar. O garoto segurou bem o time enquanto Chris Paul estava no banco. Foram 16 pontos para ele. Jamal Crawford também entrou para fazer 15 pontos. Glen Davis fez dois. Ou seja, três jogadores fizeram 33 pontos. O banco do Spurs até fez mais, 39, mas distribuído em cinco atletas. Em suma, o Clippers precisou substituir pouco para descansar os seus titulares, e quando o fez a segunda unidade deu conta do recado.

Bolas de três

Os arremessos do perímetro não caíram como de costume pelo Spurs. Foram apenas seis em 25 tentativas. O recurso é muitas vezes usado pelo time. Só Kawhi Leonard foi responsável por metade dos acertos do time no quesito durante o confronto.

Astro renascido?

O francês Tony Parker tinha feito 17 pontos na soma dos três primeiro jogos. Só no jogo 4, ele fez 18. Isso mostra uma grande evolução. O armador está se sentindo melhor em quadra e já não é mais tanto uma fraqueza para o time tê-lo por muitos minutos como titular. Obviamente, ainda é preciso fazer ajustes para que o camisa #9 não encare Chris Paul na defesa.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 26 pontos, 7 rebotes e 5 assitências

Tim Duncan – 22 pontos e 14 rebotes

Tony Parker – 18 pontos

Patty Mills – 14 pontos e 3 rebotes

Manu Ginobili – 10 pontos e 3 assistências

Boris Diaw – 10 pontos e 3 assistências

Los Angeles Clippers

Chris Paul – 34 pontos e 7 assistências

Blake Griffin – 20 pontos, 19 rebotes e 7 assistências

JJ Redick – 17 pontos e 3 rebotes

 Austin Rivers – 16 pontos

Jamal Crawford – 15 pontos

Spurs (2) vs Clippers (1) – 39 anos, vitória e festa

100×73

Não deu para o Los Angeles Clippers. No primeiro jogo entre a equipe da Califórnia e o San Antonio Spurs no Texas nesta pós-temporada, os comandados de Gregg Popovich deram um show e massacraram o adversário, vencendo pelo placar de 100 a 73 e assumindo a liderança da série, disputada em melhor de sete jogos e válida pela primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste. Vamos ao que de melhor aconteceu na partida.

Aniversariante Tim Duncan fez a festa (Reprodução/nba.com/spurs)

39? Parece 29!

O jogo ocorreu na sexta-feira, mas aqui no Brasil terminou no sábado, então vale. O mito-ala-pivô Tim Duncan completa 39 anos de idade nesta data. Quase quatro décadas nas costas e ainda é âncora defensiva de um time que atropela adversários e se coloca sempre entre os favoritos. Na vitória sobre o Clippers, foram apenas quatro pontos, mas colaboração essencial com quatro assistências, além de ótimo posicionamento defensivo que rendeu sete rebotes e três tocos. Vida longa ao histórico craque da franquia de San Antonio!

Leonard se destacou de novo (Reprodução/nba.com/spurs)

39? O futuro já está aí!

Se Duncan está mais perto de sua aposentadoria a cada jogo que passa, o Spurs já sabe quem irá carregar o bastão. Foram 32 pontos (13-18 FG), três roubos de bola e dois bloqueios, além de quatro rebotes. Com você, o futuro. Com vocês, o atual MVP das Finais e Jogador de Defesa do Ano. Com vocês, Kawhi Leonard. Mais uma vez, o ala mostrou toda sua versatilidade ao variar a defesa em diversos adversários, além de assumir papel decisivo no ataque diante de uma atuação ofensiva abaixo da média do resto da equipe. O futuro, amigos, já chegou.

39? Não, só 12 mesmo. Preocupante…

Duncan foi ótimo na defesa, mas foi pouco acionado no ataque, com apenas seis arremessos tentados. Ok, trata-se da estratégia para não esbarrar em DeAndre Jordan, como ocorreu no primeiro jogo. Mas preocupa o fato de Tony Parker e Manu Ginobili terem somado somente oito pontos na partida desta sexta.

O francês foi bem mal, com 11 arremessos tentados e apenas três convertidos ao longo da partida contra o Clippers. Já o argentino atuou pouco tempo e fez apenas dois pontos no confronto, mas colaborou bem com seis rebotes, seis assistências e dois tocos. De qualquer modo, as estrelas – principalmente o armador – precisam entrar mais no jogo.

39? Queremos só 3, vai…

Com a vitória, o Spurs assume a liderança na série, abrindo 2 a 1 sobre os californianos. Fator ótimo, já que o Clippers terá que se jogar ao ataque para recuperar o mando de quadra roubado pelo alvinegro em Los Angeles. Se mantiver a intensidade defensiva da terceira partida, o time texano fecha a série facilmente. Com outra vitória, será só focar no próximo adversário, basicamente. E tem cheiro de foguete decolando rumo a San Antonio…

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 32 pontos, 4 rebotes, 3 roubos de bola e 2 bloqueios

Boris Diaw – 15 pontos

Danny Green – 11 pontos

Los Angeles Clippers

Blake Griffin – 14 pontos, 10 rebotes e 5 assistências

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 57 outros seguidores