Arquivo do autor:Sergio Neto

Spurs (0) @ Warriors (2) – Quando nada dá certo

 

100×136

Após ser derrotado no jogo 1, o San Antonio Spurs continuou em Oakland para a final da Conferência Oeste contra o Golden State Warriors e perdeu o segundo duelo nessa terça-feira (16) por 136 a 100. Sem Kawhi Leonard, o time sofreu para conter as bolas de três do adversário, que dominou o jogo. Confira, a seguir, os destaques da noite.

Jonathon Simmons foi uma grata surpresa no jogo 2 (Reprodução/twitter.com/NBA)

Alguém anotou a placa?

É simples. Foram raros os momentos em que o Spurs conseguiu algum êxito, seja na defesa ou no ataque, e sobraram momentos positivos para o Warriors. Esqueça o jogo 1. Nada houve de semelhante à equipe do primeiro confronto. Sabe aquela cena do filme “Space Jam – O Jogo do Século”, quando o time dos alienígenas começam a pontuar sem parar e o placar marca é só um lado que joga? Foi mais ou menos isso que aconteceu em Oakland.

Curry desequilibrou (Andrew D. Bernstein/NBAE via Getty Images)

Brincadeiras à parte, não teve nada de engraçado no desempenho apresentado pelo time de Gregg Popovich no jogo 2 da final do Oeste. Começando pelo primeiro tempo, no qual nada deu certo para o Spurs. LaMarcus Aldridge pontuou apenas na metade pro fim do segundo quarto. O ala-pivô sofreu muito com a defesa adversária, que conseguiu anular seus giros com marcação dupla toda vez que o astro ia para o lance individual, tornando sua vida um inferno.

Apenas Jonathon Simmons conseguia atacar a cesta com êxito. O ala-armador, que começou como titular no lugar de Leonard, estava realmente desempenhando a função do astro do Spurs, ditando o ritmo de jogo tanto na defesa como no ataque. Patty Mills pouco contribuiu. Outros jogadores, como Pau Gasol, Danny Green e Manu Ginobili, também estiveram abaixo da média e não contribuíram.

Um time completamente fora de sintonia era justamente o que o adversário precisava. A receita é simples: Spurs perdido, com o Warriors nos seus melhores dias. Resultado: larga vantagem e tranquilidade.

Mérito total da equipe de Golden State, que soube aproveitar a péssima noite do alvinegro. Stephen Curry foi o principal fator que desequilibrou o jogo, especialmente com suas bolas de três. Os mandantes registraram 23 assistências em 28 cestas no primeiro tempo, com acertando 66% dos arremessos de quadra e abrindo 72 a 44.

O melhor momento do Spurs foi quando a segunda unidade foi acionada. Destaque para o ala-pivô letão Davis Bertans que teve 100% de aproveitamento nos arremessos (4-4 FG, 3-3 3 PT e 2-2 FT). Antes mesmo do último quarto, os reservas de ambos os times já eram vistos em quadra. Para quem assistiu ao jogo, a última parcial demorou uma eternidade.

O (único) destaque positivo

Simmons foi o único destaque do Spurs. Era ele quem, no primeiro tempo, conseguia pontuar para o time. Na primeira metade, acertou sete de seus 11 arremessos de quadra. Porém, fez apenas cinco pontos no resto da partida. Não era pra menos, já que os reservas vieram à quadra ainda no terceiro quarto como forma de aceitar a derrota.

Justiça seja feita: Dewayne Dedmon e Davis Bertans também vieram bem vindo do banco. O pivô anotou nove pontos e nove rebotes nos 20 minutos em que esteve em quadra. O letão foi perfeito – literalmente – nos arremessos, sendo um dos raros bons nomes da equipe no jogo.

Para refletir

É de se esperar que um craque como Leonard faça falta no time. Mas o Spurs também abusa desta dependência do astro. Afinal, sem ele no jogo 1, o time perdeu uma vantagem da mais de 20 pontos construída por todo um período e não viu a cor da bola no jogo 2.

Leonard ainda é dúvida para o jogo 3, no sábado  em San Antonio. Apesar de Simmons ter aparecido muito bem como solução para a ausência o astro, é bom Gregg Popovich pensar em algo para reerguer a equipe, ou a história poderá se repetir na presença da própria torcida.

Bryn Forbes, Kyle Anderson, Dewayne Dedmon, Dejounte Murray e até Joel Anthony jogaram. Todos os reservas ganharam tempo de quadra. Popovich mexeu, tentando achar um time. E, para o bem da sobrevivência na série, é bom que a solução apareça até sábado.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Jonathon Simmons – 22 pontos, 3 rebotes e 3 assistências

Davis Bertans – 13 pontos e 4 rebotes

Golden State Warriors

Stephen Curry – 29 pontos, 7 assistências, 7 rebotes e 3 roubos de bola

Patrick McCaw – 18 pontos, 5 assistências, 3 rebotes e 3 roubos de bola

Kevin Durant – 16 pontos e 3 assistências

Draymond Green – 13 pontos, 9 rebotes, 6 assistências, 3 roubos de bola e 2 tocos

Klay Thompson – 11 pontos, 6 rebotes e 4 assistências

Anúncios

Spurs (0) @ Warriors (1) – Final do Oeste

San Antonio Spurs @ Golden State Warriors – Final do Oeste

Data: 16/05/2017

Horário: 22h (Horário de Brasília)

Local: Oracle Arena

Onde assistir: ESPN e NBA League Pass

Cotação no Apostas Online: Spurs 9,37 @ Warriors 1,08 (favorito)

Após deixar escapar a vitória no jogo 1, o San Antonio Spurs encara o Golden State Warriors em Oakland nesta terça-feira (16) pelo jogo 2 das finais da Conferência Oeste. A notícia ruim fica por conta da ausência de Kawhi Leonard, que torceu o tornozelo esquerdo em lance polêmico envolvendo o pivô adversário, Zaza Pachulia. O lado bom é que o astro passou por ressonância magnética nessa segunda-feira, e o resultado foi negativo. Ou seja, nenhuma lesão foi constada. Sendo assim, mesmo listado como dúvida, o astro ala voltar às quadras somente no sábado, quando a série se muda para San Antonio.

Clique aqui e compre seus ingressos para o jogo

Confrontos na série (0-1)

14/05/2017 – Spurs 111 @ 113 Warriors

Após perder Leonard no terceiro quarto quando tinha uma vantagem de mais de 20 pontos no placar, o Spurs acabou cedendo a vitória para o Warriors, que se recuperou e largou à frente na série. Apesar da derrota, LaMarcus Aldridge teve ótima atuação, com 28 pontos e oito rebotes, enquanto Stephen Curry anotou 40 pontos e sete rebotes para os mandantes.

PG – Patty Mills

SG – Danny Green

SF – Jonathon Simmons

PFLaMarcus Aldridge

C – Pau Gasol

Fique de Olho – Com o Spurs lidando com os desfalques de Tony Parker e Kawhi Leonard, é de se esperar que LaMarcus Aldridge seja o termômetro ofensivo da equipe. No jogo 1 da série, o ala-pivô foi o cestinha da equipe com 28 pontos (11-24 FG), além de ter anotado oito rebotes, três assistências e três roubos de bola. Contando com um elenco relativamente baixo do Warriors, o ala-pivô e seus chutes do perímetro podem ser a principal arma do alvinegro.

PG – Stephen Curry

SG – Klay Thompson

SFKevin Durant

PF – Draymond Green

C – Zaza Pachulia

Fique de Olho – Kevin Durant juntou-se ao elenco do Warriors em busca de um anel e foi muito criticado por conta disto. A verdade é que os julgamentos não afetaram o astro. Muito pelo contrário! O ala usou isso como incentivo e, mesmo com os holofotes voltados a Curry, tem feito sua parte. No jogo 1, foi um dos fatores de desequilíbrio, principalmente com a saída de Leonard. Sem o craque texano em sua cola, o camisa #35 deve ter mais liberdade.

Spurs (3) vs. Rockets (2) – No sufoco

 

110×107

Após perder o jogo 4 na estrada, o San Antonio Spurs voltou para o AT&T Center, onde recebeu o Houston Rockets nessa terça-feira (9), valendo o desempate da semifinal da Conferência Oeste, e venceu na prorrogação por 110 a 107, com direito a toco decisivo de Manu Ginobili sobre James Harden. Confira, a seguir, os destaques do jogo:

Ginobili não deixou a idade pesar e fez sua primeira enterrada no ano (Jesse D. Garrabrant/NBA/Getty Images)

Teste para cardíacos

Já dizia o sábio: playoffs separam os homens dos meninos. O Spurs é uma mistura dos dois, de experientes como Ginobili a novatos como Jonathon Simmons. Antes de falar do individual, vale destacar como foi o jogo. De um lado, os mandantes ditavam o ritmo, quase sempre à frente do placar. Do outro, os visitantes contavam com James Harden e suas jogadas individuais, além dos chutes de longa distância de todo o time, que colocava o Rockets sempre em busca da virada. O jogo foi para o último quarto seguindo o roteiro das parciais anteriores, com as duas equipes alternando liderança, mas sem abrir larga vantagem.

A prorrogação foi um verdadeiro teste para cardíacos. Com as duas equipes desperdiçando bolas importantes, foram os chutes de longa distância que fizeram a diferença a favor do alvinegro de San Antonio. Ora Danny Green, Manu Ginobili e Patty Mills, ora Ryan Anderson, Eric Gordon e James Harden. No fim, o Spurs conseguiu colocar três pontos de frente e contou com uma bola e presa e um toco histórico para concretizar a vitória em casa.

Foi na metade do terceiro quarto que Kawhi Leonard machucou seu tornozelo esquerdo e permaneceu em quadra mancando, mas quando sentou no último período não voltou mais. Era jogar ou entregar. E o time escolheu jogar. Por exemplo, Danny Green, que é bastante cobrado por sua contribuição, principalmente nas bolas de três pontos, fez sete dos seus 16 pontos na prorrogação. Mas, o destaque fica para Jonathon Simmons. O ala-armador teve a tarefa de substituir o astro na marcação sobre Harden e cumpriu seu dever com louvor. É elogiável a atuação de um atleta tão jovem em um momento tão importante, quando a experiência pode ser decisiva. Vale destacar que o reserva também foi muito bem no ataque.

Sobre a situação de Leonard, o ala disse no fim da partida que não é nada sério e que estará em quadra para o jogo 6, que será realizado em Houston, nesta quinta-feira (11).

O toco que entrou para a história (Ronald Martinez/Getty Images)

Erros bobos

Como não poderia deixar de ser, o time de San Antonio sofre ofensivamente com a ausência de Tony Parker. Patty Mills talvez não seja o nome mais indicado para assumir o lugar do francês, mas foi quem iniciou a partida como titular pela primeira vez desde que o camisa #9 lesionou o joelho esquerdo.

A ausência de Parker evidenciou alguns erros que foram fundamentais para situações de sufoco que poderiam ser evitadas. O já citado Mills é um dos pontos. O armador é bem mais eufórico que o francês, e tal exaltação custa caro em determinados momentos. Exemplo disso quando o Bala queimou uma bola de contra-ataque após boa atuação da defesa, devolvendo assim a posse para o Rockets. Em outro momento, Aldridge conquistou um rebote de ataque e passou para o ex-reserva, que muito mal e porcamente fez rápido giro e arremessou da zona morta, quase sem olhar para a tabela.

Tal jogada poderia ter sido evitada, aproveitando os 24 segundos e reorganizado a equipe. Tais arremessos precipitados do camisa #8 ainda podem causar grandes estragos.

Aldridge também vale ser citado. O ala-pivô foi fundamental, principalmente nos rebotes ofensivos, conquistando nove deles. Porém, em uma jogada onde ninguém entendeu nada, o astro recebeu a bola debaixo do aro – literalmente – e, marcado por um adversário mais baixo, optou por passar a bola para Mills na linha dos três pontos. A jogada poderia muito bem ter sido diferente, com o big man usando seu tamanho para concretizar dois pontos que seriam importantes naquela altura e quem sabe até conquistado um arremesso de bonificação.

Pau Gasol é um caso mais sério que os anteriormente citados. O experiente pivô espanhol sumiu de quadra, cometendo erros grotescos, evitando contato e raramente aparecendo para o jogo. David Lee foi uma alternativa e, em determinando momento, Popovich optou até por jogar com apenas Aldridge no garrafão, com Mills, Ginobili, Green e Simmons em quadra. O ápice foi quando, na última bola do último quarto, o espanhol ficou no garrafão sem nada a contribuir enquanto o australiano, marcado por Harden, teve dificuldades e arremessou a bola quando o tempo já havia esgotado. O comandante alvinegro demonstrou toda insatisfação no momento com o veterano e com razão, já que o camisa #16 que poderia ter feito um corta-luz.

Precisamos falar sobre Ginobili

O tempo. Dizem que o tempo é o melhor remédio. Voltando ao primeiro tópico, no qual faltou falar sobre Ginobili, parece que o veterano não liga muito para o tempo, seja seus 39 anos de idade (completa 40 em 28 de julho) ou os décimos que faltavam quando deu toco em Harden.

Após o jogo 4, Ginobili disse em entrevista que o Spurs teria de dar a vida na partida seguinte e que o time tinha perdido a grande oportunidade da série na segunda partida em Houston, que empatou a série. O argentino cumpriu com a sua palavra e foi de fundamental importância, principalmente na organização da equipe nos momentos mais importantes.

Foi a experiência falando alto, e o corpo surpreendentemente correspondendo à altura. Na questão de raça, talvez no elenco do Spurs não tenha nenhum outro atleta como Ginobili.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 22 pontos, 15 rebotes, 4 assistências, duas roubadas de bola e dois tocos

Patty Mills – 20 pontos e 4 assistências

LaMarcus Aldridge – 18 pontos e 14 rebotes

Danny Green – 16 pontos, 5 rebotes e 3 assistências

Manu Ginobili – 12 pontos, 7 rebotes e 5 assistências

Jonathon Simmons – 12 pontos e 3 roubos de bola

Houston Rockets

James Harden – 33 pontos, 10 assistências e 10 rebotes

Patrick Beverley – 20 pontos e 4 rebotes

Ryan Anderson – 19 pontos e 7 rebotes

Eric Gordon – 11 pontos, 6 rebotes e 3 assistências

Spurs (2) vs. Rockets (2) – Semifinal do Oeste

San Antonio Spurs vs Houston Rockets – Semifinal da Conferência Oeste

Data: 09/05/2017

Horário: 21h (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Onde assistir: ESPN e NBA League Pass

Depois de perder o jogo 4, o San Antonio Spurs volta ao AT&T Center nesta terça-feira (9) para o desempate da série contra o Houston Rockets pela semifinal da Conferência Oeste. Ambas as equipes já mostraram seu melhor e seu pior, com uma vitória e uma derrota em cada ginásio. Quem se classificar para a próxima fase terá pela frente o Golden State Warriors, que nesta segunda-feira (8) eliminou o Utah Jazz, varrendo o time de Salt Lake City. Desde que se mudou para o ginásio em 2002, o alvinegro tem aproveitamento de 81-28 em partidas de playoffs no local, melhor marca da NBA desde então.

Confrontos na série (2-2)

01/05/2017 – Spurs 99 vs 126 Rockets

Foram impressionantes 27 pontos de vantagem para o Rockets sobre o no jogo 1. O time visitante não tomou conhecimento do rival texano e fez o que bem quis em pleno AT&T Center. Pelos alvinegros, destaque para Kawhi Leonard, com 21 pontos, 11 rebotes e seis assistências. O oponente contou com boas exibições de Trevor Ariza, com 23 pontos, James Harden, com 20 pontos e 14 assistências, e Clint Capela, com 20 pontos e 13 rebotes.

03/05/2017 – Spurs 121 vs 96 Rockets

Com grande atuação de Kawhi Leonard, que deixou a quadra com 34 pontos, oito assistências, sete rebotes e três roubadas de bola, o Spurs atropelou o Rockets e devolveu a derrota sofrida no jogo 1 na mesma moeda. A nota triste para os torcedores do alvinegro ficou por conta da lesão de Tony Parker, que está fora da temporada.

05/05/2017 – Spurs 103 @ 92 Rockets

Com Dejounte Murray como titular no lugar de Tony Parker, LaMarcus Aldridge retornando a boa forma e Kawhi Leonard fazendo o que sabe, o Spurs recuperou o mando de quadra em vitória sobre James Harden e companhia mesmo jogando na casa do adversário.

07/05/2017 – Spurs 104 @ 125 Rockets

Com um bom aproveitamento das bolas de três pontos, o Houston Rockets igualou a série ao vencer em cada por 125 a 104. O destaque negativo para o basquete brasileiro ficou por conta da lesão de Nenê Hilario, que vinha com boas atuações neste playoff e agora está fora por tempo indeterminado. James Harden fez 28 pontos, 12 assistências e cinco rebotes e Jonathon Simmons foi o cestinha alvinegro com 17 pontos e quatro rebotes.

PG – Dejounte Murray

SG – Danny Green/Jonathon Simmons

SF – Kawhi Leonard

PF – LaMarcus Aldridge

C – Pau Gasol

Fique de Olho – Com o baixo rendimento de Kawhi Leonard e LaMarcus Aldridge no jogo 4 – foram 16 pontos para cada um -, Jonathon Simmons ganhou destaque vindo do banco de reservas e sendo o cestinha do Spurs. O ala-armador atuou por 23 minutos e anotou 17 pontos (6-12 FG), com quatro rebotes e duas roubadas de bola. Ao todo, na série contra o Rockets, o jogador tem mostrado bom desempenho, com média de 12 pontos por atuação. Ao lado de Dejounte Murray, o camisa #17 é uma das promessas no elenco de Gregg Popovich.

PG – Patrick Beverley

SG – James Harden/Eric Gordon

SF – Trevor Ariza

PF – Ryan Anderson

C – Clint Capela

Fique de Olho – Eric Gordon pode ser considerado parte do banco de luxo do Rockets. A franquia está muito bem servida de suplentes para a posição, contando também com Lou Williams. Ao lado de Nenê, antes da lesão, O ala-armador é um dos reservas que mais tem causado problemas para os adversários do time nestes playoffs. Contra o Spurs, sua média de pontuação é de 14 pontos, já contando os 22 registrados no último duelo.

Spurs (1) vs. Rockets (1) – Na mesma moeda

 

121×96

Após perder o jogo 1 por 27 pontos, o San Antonio Spurs recebeu recebeu novamente o Houston Rockets nesta quarta-feira (3), pela semifinal da Conferência Oeste, e derrotou o rival texano por 121 a 96. Apesar da vitória, o destaque negativo fica por conta da lesão de Tony Parker, que está fora do resto da temporada. Confira, a seguir, como foi o duelo:

Leonard e Parker foram os principais pontuadores da equipe (Mark Sobhani/NBAE via Getty Images)

Más notícias primeiro

Uma das piores coisas que poderiam acontecer ao Spurs nestes playoffs ocorreu nessa quarta. Ao executar um arremesso de dentro do garrafão, Tony Parker caiu de mau jeito e teve de ser retirado de quadra pelos companheiros. Momentos mais tarde foi divulgado pela equipe que o armador não voltaria mais para o jogo. Segundo Gregg Popovich, a situação era feia.

Dito e feito. Parker precisará por cirurgia e não volta mais às quadras nesta pós-temporada. O armador francês rompeu tendão do quadríceps na queda, que ocorreu na metade do último quarto. De acordo com o jornalista Michael C. Wright, da ESPN americana, o atleta passou por exames de ressonância e precisará ser operado. A franquia de San Antonio divulgou um comunicado oficial na tarde desta quinta-feira oficializando a informação.

Parker já tem 34 anos e há quem afirme que seu afastamento das quadras pode ser definitivo. O armador terminou o jogo com 18 pontos e quatro assistências, atingindo também a marca de 4.000 pontos na carreira e, ao lado de LeBron James, se tornou o único jogador a atingir tal marca somada à de mil assistências nos playoffs. Confira o lance aos 1:55 do resumo abaixo.

Dejounte Murray e Patty Mills são os cotados para assumir a vaga de Parker no time.

Gasol dominou os rebotes (Mark Sobhani/NBAE via Getty Images)

O jogo

Não há quem não ficou mordido ou preocupado diante da atuação da equipe no primeiro jogo contra o Rockets. Afinal, perder de 27 pontos em casa não é algo que se vê todo dia. Até Tim Duncan, astro recém aposentado, foi visto nos treinos tendo uma conversa particular com o ala-pivô LaMarcus Aldridge.

A equipe pareceu que acordou do pesadelo do dia 1º de maio, abrindo logo no início 30 a 5 no placar. Muito disso por conta da defesa aplicada em James Harden, que praticamente foi anulado. Foi na terceira parcial que o alvinegro conseguiu abrir sua maior vantagem na partida até então. Mas foi também quando o Barba resolveu aparecer para o jogo. Pelo lado do Spurs, o ala-armador Jonathon Simmons voltou a apresentar bom desempenho na parcial, ajudando o time.

No último quarto, Harden e Leonard começaram no banco, mas logo vieram à quadra. Como no resto da partida, o ala do Spurs prevaleceu sobre o rival.

Ryan Anderson foi o encarregado da pontuação do time de Houston em noite em que seu principal cestinha havia sido anulado. Mas não foi o bastante para colocar a equipe no jogo.

No geral, a equipe de San Antonio mostrou o que se espera de um time comandado por Gregg Popovich. O jogo não ficou apenas centrado em Leonard. Foram utilizadas movimentações sem bola, trabalho coletivo e passes precisos que culminaram em cestas. Até então, o Rockets havia marcado pelo menos 100 pontos em todos os jogos de playoffs deste ano.

Defesa!

Já dizia o sábio: ataque vence jogo, defesa vence campeonato. Todos os atletas marcados por Kawhi Leonard na primeira metade de partida não pontuaram quando defendidos pelo astro do Spurs. Vale destacar também o volume de jogo do Rockets, que ficou mais distribuído graças à forte marcação do ala em Harden, que teve atuação bem abaixol, anotando apenas 13 pontos e convertendo somente três dos 17 arremessos de quadra que tentou.

Destaque também para o empenho defensivo de Pau Gasol. O pivô vinha de atuações bem abaixo do esperado, mas conseguiu se redimir e, apesar de fazer apenas seis pontos, contribuiu com 13 rebotes, sendo sete defensivos, e quatro tocos. Para os problemas que Popovich tem de encontrar um companheiro à altura de Aldridge, esta foi uma boa solução.

Próximos duelos

Confira abaixo o calendário de confrontos da série entre Spurs e Rockets:

01/05/2017 – Spurs 99 vs 126 Rockets
03/05/2017 – Spurs 121 vs 96 Rockets
05/05/2017 – Spurs @ Rockets
07/05/2017 – Spurs @ Rockets
09/05/2017 – Spurs vs Rockets
11/05/2017 –  Spurs @ Rockets (se necessário)
14/05/2017 – Spurs vs Rockets (se necessário)

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 34 pontos, 8 assistências, 7 rebotes e 3 roubos de bola

Tony Parker – 18 pontos, 4 assistências e 3 rebotes

LaMarcus Aldridge – 15 pontos, 8 rebotes e 2 tocos

Jonathon Simmons – 14 pontos

Danny Green – 12 pontos, 3 rebotes e 3 assistências

Houston Rockets

Ryan Anderson – 18 pontos e 8 rebotes

Eric Gordon – 15 pontos e 3 rebotes

Clint Capela – 14 pontos e 3 rebotes

James Harden – 13 pontos, 10 assistências e 7 rebotes

Patrick Beverley – 12 pontos e 3 assistências