Arquivo do autor:Fabrício Fiestras

EUA de volta ao topo do mundo!

Com mais de 2 meses ainda para o início da temporada regular da NBA e com o mundo girando em torno de Pequim-2008, não podia deixar de comentar um pouco sobre o torneio de basquete olímpico, mesmo depois da grande cobertura já realizada pelo nosso site.

Na minha modesta opinião, essa olímpiada será um verdadeiro passeio da equipe americana, com vitórias tranquilas sobre quaisquer adversários. Nada comparado ao time de Barcelona-1992, mas não terão problemas para derrotar ninguém. O vice-campeonato será disputado por várias equipes. Incluo nessa briga Argentina, Grécia, Rússia e Espanha. Lituânia e Croácia correndo por fora na briga por medalhas. O restante vai a China a passeio.

Das 6 postulantes à medalhas de prata e bronze, creio que a mais forte delas é a Espanha. Com uma base experiente, a equipe espanhola é fortíssima; com diversos jogadores com passagens pela NBA, será dificíl tirar a Espanha do pódio. A Argentina vem um pouco mais fraca do que em outras competições, e acho que não será nada fácil ficar entre as 3 primeiras, já que a forte equipe grega é um time muito cascudo, experiente, e que realiza uma marcação sob pressão quadra toda realmente impressionante. A Grécia é a equipe que joga o basquetebol mais tático no mundo de hoje em dia. Realmente dá gosto de ver a equipe em quadra. Outra equipe que vem de bons resultados é a Rússia. Porém, apesar disso, não acho que esteja no mesmo nível de Espanha e Grécia, embora tenha conquistado o Europeu de Seleções. Contar com Kirilenko não é uma garantia, e acho que como equipe acaba devendo em relação à Espanha e Grécia.

Correndo por fora, Lituânia e Croácia. A Lituânia, que conseguiu um bela classificação no Europeu não me enche os olhos, mas pode pintar como surpresa no pódio, embora não possua muitos jogadores de destaque no cenário internacional. Já a Croácia, apesar de uma inesperada derrota para o Brasil em um torneio preparatório, realizou um bom pré olímpico e chega com moral na Olimpíada. Um 6º lugar seria um lugar normal para a equipe croata, mas não nos surpreendamos se ela aparecer com uma medalha de bronze.

Das demais seleções, só acredito mesmo numa possível mas remota surpresa da equipe alemã, com seu ótimo pivô, recém naturalizado, Chris Kaman, e o excelente Dirk Nowitzki. Angola, Irã, Nova Zelândia, China e Austrália vaõ a Pequim a passeio.

Agora é esperar o torneio começar e minhas previsões serem postas à prova!

Até Pequim!

Anúncios

Uma offseason bem movimentada

Para quem pensou que a offseason da NBA não teria muita graça, se enganou. Muitas movimentações estão prontas para serem acertadas assim que a NBA libere.

Um jogador muito disputado foi Corey Maggette, que chegou finalmente a um acordo com o Golden State Warriors, que, por sua vez, já tinha perdido Baron Davis, para o ex-time de Maggette, o Los Angeles Clippers, que acabou perdendo também Elton Brand, praticamente acertado com os 76ers. No Sacramento, Artest decidiu continuar no Kings, mas não sem antes falar umas bobagens, já rotineiras vindas dele. Em New York, chegará o armador reserva do Bulls, Chris Duhon. A equipe do Milwaukee Bucks conseguiu Richard Jefferson, e cedeu por ele Bobby Simmons e o chinês Jianlian.

O time do Washington Wizards conseguiu chegar a acordos com duas de suas estrelas, Gilbert Arenas e Antawn Jamison, mantendo a boa base, junto com o ótimo Caron Butler. Resta torcer para Arenas jogar uma temporada inteira. Em Portland, chegou o excelente ala-armador Rudy Fernandez, que na Europa deu muito certo, e em quem os dirigentes de Portland apostam muito. Boston vem lutando para mantes James Posey, peça importante na rotação do time. Mutombo deve jogar mais uma temporada em Houston; o quarentão ainda vai aguentar mais uma temporada? E o destino de Marbury ninguém ainda sabe, embora o atleta tenha sempre problemas de relacionamento, ele vem sendo disputado por algumas equipes.

Rumores de trocas surgem em todos os momentos. Quem não gostaria de contar com Marion por exemplo? O Miami talvez troque o jogador… o destino ninguém ainda sabe. E Josh Smith? Ainda não é certo que ele fique em Atlanta, e o excelente defensor cairia como uma luva em qualquer equipe. Até mesmo o aposentado Darius Miles pode voltar, vocês acreditam? Eu, sinceramente, como torcedor dos Blazers, não consigo acreditar nesse cara, porém Suns e Celtics parece que querem tentar arriscar. Se conselho fosse bom, ninguém dava, mas eu vou dar um agora: não acreditem nesse cara!

As principais movimentações estão descritas aí em cima, agora é aguardar as trocas e assinaturas se oficiliazarem e começar a torcer pelas renovações feitas nas suas equipes! Lemrbando sempre que a qualquer momento uma nova negociação pode acontecer…

A justiça foi feita

Na minha estréia na coluna semanal, não podia deixar de falar do título conquistado na noite de ontem pelo time do Boston Celtics, dando prosseguimento ao que já tinha começado a falar meu colega de coluna Melloni.

Os jogos em Los Angeles foram bem parecidos. Em todos, o Lakers comandou o placar, porém no jogo 4, o time de Boston deu o pulo do gato e conseguiu vencer uma partida fora de casa, fazendo 3×1 na série, depois de estarem perdendo por mais de 20 pontos já no 1º período. Numa reação espetacular no 2º tempo, a equipe da costa Leste conseguiu umas das viradas mais impressionantes da história das finais da NBA, e venceu o jogo de forma surpreendente. No 5º jogo, Kobe novamente conseguiu levar o time de Los Angeles a mais uma vitória, com boa ajuda de Odom e Gasol no garrafão, deixando a série em 3×2.

No jogo 6, realizado ontem em Boston, um verdadeiro massacre. Os mandantes venceram por 131×92, fecharam a série com autoridade em 4×2  e conquistaram o título depois de 22 anos de jejum. Outra marca impressionante foi sair de pior time da NBA em uma temporada para vencer o título no ano seguinte. Ray Allen e Kevin Garnett finalmente conseguiram conquistar um anel, e Paul Pierce, o velho guerreiro de Boston, depois de anos de luta sem sucesso, também conseguiu seu primeiro campeonato. E mais: foi coroado com o prêmio de MVP das finais, prêmio, aliás, muito merecido para um jogador que teve impressionantes médias na decisão: 21,8 pontos, 6,3 assistências e 4,5 rebotes por jogo. Ray Allen também voltou a jogar bem e detém agora o recorde de bolas de 3 pontos em uma série de finais, com 22 bolas convertidas.

A justiça foi feita. O melhor time da temporada regular foi também o melhor time dos playoffs. Encontrou dificuldades na série contra Atlanta, mas acabou vencendo por 4×3. Contra os Cavs, a mesma coisa, 4×3. Nas finais de conferência, o que parecia ser mais difícil acabou sendo mais fácil; 4×2 contra o experiente time de Detroit. Nas finais contra o MVP da temporada regular, Kobe Bryant, novamente os Celtics fizeram valer seu melhor conjunto e fecharam em 4×2, para conquistarem o 17º caneco da sua história e se isolarem ainda mais como os maiores vencedores de todos os tempos da NBA. Parabéns para Doc Rivers e seu comandados. Parabéns Boston Celtics.

Pré-Jogo – Spurs @ Lakers – Jogo 1

Pré-Jogo – San Antonio Spurs @ Los Angeles Lakers – Jogo 1

Local: Staples Center

Horário: 22:00 (Horário de Brasília)

Data: 21/05/2008

A TV Esporte Interativo irá transmitir a partida.

Situação do jogo

Depois de 2 séries complicadas, principalmente no caso dos Spurs, ambas as equipes chegam bastante equilibradas, com o San Antonio, porém, com um desgaste um pouco maior, devido ao grande trabalho que encontrou para derrotar os Hornets em 7 jogos. O Lakers vem mais descansados, pois fecharam a série contra o Utah em 6 partidas. Kobe teve tempo para descansar e se recuperar de uma lesão nas costas que vem lhe incomodando nos últimos jogos. Na temporada regular, cada equipe venceu 2 jogos, uma mostra do equilíbrio que deve marcar essa série imperdível. Manu, Parker e Duncan vão ter que usar muito sua experiência em playoffs para derrotar Gasol, Odom e Mr. MVP, Kobe Bryant. Vamos aguardar e assistir esse grande duelo de 2 das melhores equipes da atualidade.

Fique de olho

Kobe Bryant

Quem mais poderíamos destacar? MVP, cestinha dos playoffs, levou o Lakers nas costas, sem esquecer, claro, da ajuda de Gasol, Fisher e Odom. Caso Kobe não estivesse no Lakers, certamente o time não estaria nas finais de conferência. Com impressionantes médias de 33,3 pontos, 6,3 rebotes e 6,8 assistências, Kobe tem que ser parado, ou pelo menos tem que ter sua produção reduzida se os Spurs realmente querem avançar à mais uma final de NBA. Segura ele Bruce Bowen!

Spurs @ Hornets – Jogo 5 – Mando de quadra é fundamental

79X101

Hornets lidera a série (3-2)

Em um jogo fundamental, a equipe de New Orleans fez valer o mando de quadra mais uma vez, e conseguiu a vantagem novamente na série.

O início foi muito equilibrado, com ambas as equipes atacando e defendendo bem. Os dois primeiros períodos foram extremamente parelhos, com os times se alternando no comando do jogo. O 1º quarto terminou com uma vantagem de apenas 2 pontos para os Spurs: 23×21. Na volta pro 2º período, a parcial terminou em 24 x 23 para os visitantes. Pelo lado dos Hornets, se destacava David West, com uma partida muito boa, além do já esperado Chris Paul. Pelos Spurs, destaque para Manu Ginobili, com uma boa pontuação.

Porém, na volta do intervalo, o panorama mudou por completo. O domínio na 3ª parcial foi total por parte do time da casa. O ataque dos Hornets funcionava bem, e a defesa era espetacular. David West e Chris Paul continuavam a comandar a equipe rumo à 3ª vitória na série. Duncan jogava mal pela equipe Texana. Apesar de bem nos rebotes, ele ía muito mal no aproveitamento de arremessos de quadra, com apenas 4 convertidos em 16 tentados. Ao fim do período, com 28 x 11 para o time da casa, o placar mostrava 72 x 58 a favor de New Orleans. David West já tinha 30 pontos e 13 rebotes, e Chris Paul alcançava 18 pontos e 11 assistências; uma dupla mortal.

No retorno pros últimos 12 minutos de jogo, o jogo voltou ao seu ritmo normal, o que favorecia a equipe mandante; a diferença foi sendo mantida, e New Orleans arrastou o jogo com uma vantagem tranquila até o fim. Final de jogo, 101 x 79, e a série continua mostrando que quem joga em casa vence. Se assim permanecer até o fim, os Hornets vencerão em 7 jogos. Abram os olhos, campeões!

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 20 pontos e 7 assistências.

Tony Parker – 18 pontos e 4 assistências.

Tim Duncan – 10 pontos e 23 rebotes.

New Orleans Hornets

David West – 38 pontos, 14 rebotes, 5 assistências e 5 tocos.

Chris Paul – 22 pontos e 14 assistências.

Morris Peterson – 12 pontos, 4-6 bolas de 3 pontos e 4 rebotes.

Peja Stojakovic – 9 pontos e 11 rebotes.