Arquivo do autor:1996pedro

Quem leva vantagem na troca entre Spurs e Raptors?

A nova mexicana finalmente acabou. Só que, dos três países da América do Norte, só México não está envolvido. Kawhi Leonard e Danny Green deixam o San Antonio Spurs a caminho do Canadá e do Toronto Raptors, que envia DeMar DeRozan, Jakob Poeltl e uma escolha protegida de 1ª rodada do draft de 2019 para o alvinegro. Quem levou a melhor na troca?

Thank you - Kawhi

Agradecimento a Leonard postado pelo Spurs (Reprodução/Twitter/Spurs)

Técnico do Spurs, Gregg Popovich deu entrevista coletiva após a troca e reiterou sua gratidão por Leonard e todo o tempo que o camisa #2 esteve no Texas: “Kawhi sempre foi maravilhoso enquanto esteve aqui. Ele nos ajudou a ganhar o quinto campeonato e trabalhou duro o tempo todo. Nós desejamos o melhor a ele. Agora, é tempo de seguirmos em frente”.

Além disso, afirmou sua vontade em trabalhar com as duas novidades que chegam do pais vizinho: “Não poderia estar mais feliz por DeMar em San Antonio. É um jogador quatro vezes All-Star, fez parte do time ideal da NBA, um cara ótimo para a comunidade, jogador de time. É um cara que eu respeito e que já observei por um bom tempo. Estou muito animado por tê-lo aqui. Jacob é um jovem talento, e acho que tem uma grande oportunidade de se desenvolver e se tornar um jogador muito bom na NBA. Eles vão ser importante parte do nosso programa”.

A grande questão é: quem se deu melhor na troca? Tal dúvida é extremamente complexa, pois não envolve apenas o passado dos jogadores, mas sim um universo inteiro de variáveis. Porém, um dos caminhos para a análise são as estatísticas de cada jogador.

Começando com os jogadores que se foram. Leonard possui um histórico de estatísticas muito bom. Além de prêmios individuais, como o MVP das finais de 2014, o ala teve evolução que se deu a partir do momento que o protagonismo chegou para ele. Levando em conta apenas a temporada regular, são 30,4 minutos, 16,3 pontos, 49,5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 38,6% nas bolas de três, 6,2 rebotes, 2,3 assistências, 1,8 rebotes e 0,7 tocos por jogo.

O outro ex-Spur que passa para o lado canadense é Danny Green. O também ala era um jogador que não possuía o protagonismo, mas era importante na marcação, além de ser importante como o cara da bola de três do time em determinados momentos. O jogador possui medias de 25,1 minutos, 8,8 pontos, 41,8% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 39,5% nas bolas de três, 3,4 rebotes, 1,6 assistências, 1 rebote e 0,8 tocos por exibição.

Do Canadá, chega uma peça que é 4x All-Star da liga e que pode ser importantíssima para o time no futuro. DeMar DeRozan é ala, tem as qualidades para ser protagonista e chega para evoluir seu jogo no momento decisivo dos jogos. As medias do ala na temporada regular são de 34,1 minutos, 19,7 pontos, 44,8% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 28,8% nas bolas de três, 4,1 rebotes, 3,1 assistências, 1 rebote e 0,3 tocos por parida.

Welcome DeMar

Post de boas-vindas a Leonard feito pelo Spurs (Reprodução/Twitter/Spurs)

A última peça desse quebra cabeça é o austríaco Jakob Poltl, que joga de pivô na liga desde a temporada 2016/2017. Com 2,13 metros de altura, pode ser uma peça importante para o sistema de jogo, fazendo o serviço sujo na defesa e poupando peças como LaMarcus Aldridge e Pau Gasol, que são mais experientes. Nas duas temporadas, ele possui medias de 15,8 minutos, 5,4 pontos, 64,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 50% nas bolas de três, 4,1 rebotes, 0,5 assistências, 0,4 rebotes e 0,9 tocos por compromisso.

Os números provam que o Raptors absorve um astro com histórico, mas que precisa se provar após longo período de inatividade. Incorporam também em seu coletivo um grande jogador de grupo, mas que não está no auge do jogo individual. Pelo Spurs, chegam dois jogadores que precisam ser desenvolvidos em momentos distintos da carreira. DeRozan está no auge, e nesse momento um técnico como Popovich pode ser ideal para o grande salto de bom jogador a MVP. Poeltl é um talento a ser lapidado, e esta é uma categoria em que o treinador é mestre.

Anúncios

Spurs (1-2) x (3-0) Blazers – Coisas positivas do banco

 89×95

Vindo de segura vitória sobre o Washington Wizards, o San Antonio Spurs perdeu nesta terça-feira (10) para o Portland Trail Blazers por 95 a 89, no encerramento da primeira fase da Summer League de Las Vegas. A equipe teve Jaron Blossomgame e Lonnie Walker IV como pilares do ataque – cada um registrou 12 pontos. Além disso, contou com apoio de Amida Brimah que saiu do banco para anotar nove pontos e nove rebotes. Ao todo, cinco jogadores do alvinegro chegaram os dígitos duplos em pontuação, mas a ação coletiva não serviu para bater Gary Trent Jr. e companhia, e a derrota foi um resultado justo. Vamos aos destaques da partida:

Walker finaliza jogada durante a partida (Reprodução/nba.com/spurs)

Jogadores utilizados

O Spurs entrou em quadra com Olivier Hanlan, Lonnie Walker, Jaron Blossomgame, Cory Jefferson e Drew Eubanks como titulares. Do banco, saíram London Perrantes, Jeff Ledbetter, Trey Mckinney-Jones, Raphiael Putney e Amida Brimah. Derrick White, que sofreu lesão muscular, e Chimezie Metu, que machucou o pulso, ficaram fora do confronto com o Blazers.

Blossomgame foi cestinha (Reprodução/nba.com/spurs)

O jogo

A justiça se estabeleceu em todo o jogo, tanto que em apenas um momento do segundo quarto a liderança foi do Spurs. O Blazers liderou por quase 48 minutos e chegou a abrir 22 pontos de diferença em determinado momento. Dois quartos foram significativos para essa vantagem, pois o time de Portland venceu o primeiro e o terceiro por seis e oito pontos de vantagem, respectivamente. O alvinegro venceu a segunda parcial por apenas um ponto e a última, quando chegou a esboçar reação e encostar no placar, por sete.

Estatísticas do jogo

Em relação aos números finais, a equipe esteve bem nos critérios importantes. Ao todo, o Spurs anotou 35 rebotes e 20 assistências, além de nove roubadas de bola e cinco tocos. O problema coletivo foi a dificuldade em colocar a bola dentro da cesta, pois o aproveitamento nos arremessos de quadra foi de 46,6%. Nas bolas de três, o número foi bom: 43,5%.

Brilho

Pelo lado do Spurs, o destaque foi Amida Brimah. O jogador veio do banco de reservas e terminou a partida com nove pontos e nove rebotes em apenas 16 minutos. O pivô mostrou que a exibição apagada contra o Wizards ficou para trás e, com 60% de aproveitamento nos arremessos de quadra, foi um alicerce no ataque. Porém, não foi em apenas um lado da tabela que ele foi bem, pois seus dois tocos mostraram um trabalho importante também na defesa.

Desempenho coletivo

Como os números mostraram, o time esteve bem na questão coletiva, mas o balanço defensivo do terceiro período precisa ser ajustado. Foi nesse que a vantagem do Blazers chegou aos 22 pontos. Além disso, a dificuldade em acertar a cesta em momentos críticos deve ser revista nos próximos dias. O desequilíbrio na marcação fez com que o já citado Gary Trent Jr chegasse à casa dos 20 pontos e que outros quatro jogadores superassem os dez pontos.

Pontos de avaliação

Duas estatísticas são alarmantes no jogo. O Spurs cometeu 23 turnovers, cinco a mais que o adversário. Além disso, foram cometidas 27 faltas durante os 48 minutos. contra 22 do Blazers.

Jogada do dia

A grande jogada ficou por conta de Brimah. No ultimo período, quando a ultima chama de esperança ainda soprava e o placar anotava 86 x 90 para o adversário, o pivô deu um toco que deixou o jogo ainda aberto com mais 49 segundos pela frente. Pena que foi pouco.

Destaques da partida:

San Antonio Spurs

Jaron Blossomgame – 12 pontos e 4 rebotes

Lonnie Walker IV – 12 pontos

Trey Mckinney – 11 pontos e 5 rebotes

Olivier Hanlan – 11 pontos, 3 assistências e 3 rebotes

Portland Trail Blazers

Gary Trent Jr. – 20 pontos

Wade Baldwin IV – 16 pontos e 9 assistências

Jake Layman – 15 pontos e 8 rebotes

John Jenkins – 13 pontos

Caleb Swanigan – 12 pontos e 9 rebotes

Spurs (1-1) x (0-2) Wizards – Segue a vida em Las Vegas

95×90https://i0.wp.com/content.sportslogos.net/logos/6/219/thumbs/21956712016.gif

Nesse domingo (8), o San Antonio Spurs deu sequência à sua participação na Summer League de Las Vegas em duelo com o Washington Wizards. O confronto foi dominado pelo alvinegro por boa parte do tempo, com exceção do momento decisivo – ou seja, o quarto período, no qual o time, que tinha vantagem de 16 pontos, terminou com apenas cinco de diferença, vencendo pelo placar de 95 a 90. A equipe titular foi composta por Olivier Hanlan, Derrick White, Lonnie Walker IV, Jaron Blossomgame e Chimezie Metu. Vamos, a seguir, aos destaques do jogo.

Walker tem melhorado (Reprodução/facebook.com/Spurs)

Estatísticas do jogo

O jogo teve Blossomgame como cestinha pelo lado do Spurs com 22 pontos, seguido por Walker, com 14. e Metu com 13 pontos. Ao todo, 11 jogadores foram utilizados pela equipe no confronto: além dos cinco já citados titulares, Drew Eubanks, Trey Mckinney-Jones, London Perrantes, Cory Jefferson, Jeff Ledbetter e Amida Brimah também entraram em quadra. Ao todo, o time terminou o confronto com 37 rebotes, 18 assistências, sete roubadas de bola, cinco tocos, 50% de aproveitamento nos arremessos de quadra e seis bolas de três convertidas.

Metu jogou bem (Reprodução/facebook.com/spurs)

O jogo

O confronto foi tranquilo para o Spurs, pois em apenas um momento do primeiro quarto o Wizards assumiu a liderança de modo bem passageiro. O primeiro período foi o único vencido pelo alvinegro, mas a vantagem de 26 a 15 adquirida nessa parcial deu tranquilidade para o time durante o jogo. O segundo quatro foi vencido pelos adversários por 16 a 14, e o quarto por 28 a 24. O terceiro foi o mais equilibrado e terminou em 31 a 31.

Balanço defensivo

Se o ataque do Spurs esteve bem durante boa parte do jogo, a defesa precisa de atenção, pois mostrou-se desequilibrada no ultimo período. O ala-armador Troy Brown Jr, que se destacou em quadra, terminou o jogo com 21 pontos e 12 rebotes e quase levou a vitória para o Wizards.

Brilhou

O destaque do jogo ficou com Blossomgame, campeão da G-League pelo Austin Spurs na última temporada. Além de terminar como líder dos texanos na pontuação, o jogador foi ainda o maior reboteiro do time, ao coletar nove, e atuou por 31 minutos. Além disso, teve 72,7% de aproveitamento nos arremessos de quadra e acertou a única bola de três que arriscou.

Jogada do dia

E o dia era mesmo dele. No último período, quando a vantagem era de um ponto a 20 segundos do fim do jogo, Blossomgame fez uma cravada que praticamente definiu a vitória do Spurs.

O que vem por aí

Na terça-feira, o Spurs pega o Portland Trail Blazzers sua última partida na primeira fase do torneio. Depois, se inicia a disputa dos playoffs. Dia 12 de outubro, franquia texana começa sua campanha na temporada 2018/2019 em confronto com o Orlando Magic.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Jaron Blossomgame – 22 pontos, 9 rebotes e 2 tocos

Lonnie Walker – 14 pontos, 5 rebotes e 3 roubos de bola

Chimezie Metu – 13 pontos, 8 rebotes e 3 assistências

London Perrantes – 12 pontos, 4 rebotes e 3 assistências

Jeff Ledbetter – 11 pontos e 3 assistências

Washington Wizards

Devin Robinson – 24 pontos, 3 assistências, 3 roubos de bola e 2 tocos

Troy Brown Jr. – 21 pontos, 12 rebotes e 3 roubos de bola

Thomas Bryant – 20 pontos, 7 rebotes e 4 assistências

Chris Chiozza – 10 pontos, 11 assistências, 4 rebotes e 2 roubos de bola