Arquivo do autor:1996pedro

Spurs (7-4) vs Rockets (4-7) – Vitória no clássico

 96×89

Nesse sábado, o San Antonio Spurs recebeu o Houston Rockets, rival da Divisão Sudoeste, e venceu o confronto pelo placar de 96 a 89. Vamos, a seguir, aos destaques da partida.

Forbes e Aldridge fizeram bom jogo (Reprodução/twitter.com/spurs)

Força dos astros

O Spurs entrou em quadra com Derrick White, Bryn Forbes, DeMar DeRozan, Dante Cunningham e LaMarcus Aldridge como quinteto inicial. Como de costume, DeRozan e Aldridge guiaram a equipe rumo à vitória. O primeiro anotou somente 13 pontos contra o Rockets, mas compensou ao registrar também 11 rebotes e três assistências. O ala-pivô, por sua vez, deixou a quadra com 27 pontos e dez rebotes, sendo o destaque do alvinegro no clássico em questão.

Chance para o novato

Com as lesões de Pau Gasol e Jakob Poeltl, Chimezie Metu teve a chance de integrar a segunda unidade ao lado de Patty Mills, Marco Belinelli, Quincy Pondexter e Davis Bertans logo após ser chamado de volta da G-League. O novato ficou em quadra por 12 minutos e registrou dois rebotes, ambos ofensivos, e um toco. Errou o único arremesso de quadra que arriscou.

Baixa pontuação e White decisivo

A expectativa de alta pontuação, principalmente por conta da característica do Rockets, foi negada no primeiro quarto. Foram apenas 41 pontos somados vantagem mínima pros visitantes, que terminaram a parcial vencendo por 21 a 20. A segunda parte do primeiro tempo teve mais pontos, e Forbes assumiu as rédeas com três bolas de três no período. Na volta do intervalo, o jogo desgarrou em dois momentos a favor dos donos da casa, mas em ambas o time de James Harden equilibrou as ações. Nos 12 minutos finais, o clássico seguiu equilibrado até decisiva bola de 3 de White, garantindo o triunfo e marcando o fim da série de derrotas do Spurs.

Próximo jogo

Em seu próximo compromisso, o Spur voltam a jogar fora de casa. Dessa vez a parada é contra o Sacramento Kings na madrugada de segunda para terça-feira, à 01:00 (de Brasília).

Destaques da partida

San Antonio Spurs

LaMarcus Aldridge – 27 pontos e 10 rebotes

Derrick White – 14 pontos, 8 assistências, 4 rebotes e 2 roubos de bola

DeMar DeRozan – 13 pontos, 11 rebotes e 3 assistências

Bryn Forbes – 13 pontos e 5 rebotes

Houston Rockets

James Harden – 25 pontos, 6 rebotes, 3 assistências, 2 roubos de bola e 2 tocos

Eric Gordon – 23 pontos, 4 rebotes e 2 roubos de bola

Chris Paul – 13 pontos, 4 assistências, 4 rebotes e 3 roubos de bola

Clint Capela – 12 pontos, 17 rebotes e 2 tocos

Anúncios

Spurs vai imortalizar camisa de Manu Ginobili

A famosa camisa #20 do San Antonio Spurs será aposentada e pendurada no teto do AT&T Center, ginásio da franquia texana. O manto foi usado por 16 temporadas pelo craque argentino Manu Ginobilli e com ele o ala-armador se sagrou quatro vezes campeão da NBA.

A camisa 20 é oficialmente eterna (Reprodução/San Antonio Express-News)

A carreira de Manu é uma história típica de filme de super herói. Do início difícil no basquete argentino à maturidade alcançada no basquete europeu, à glória da medalha de ouro em Atenas e à formação do Big Three com Tony Parker e Tim Duncan, que encantou a NBA durante anos.

Em San Antonio, o trio ficou cravado na história da NBA com títulos, qualidade técnica e longevidade. Sob o comando de Gregg Popovich, os três começaram a jogar juntos em uma franquia campeã da liga e a transformaram em uma pentacampeã. Eleito melhor reserva da temporada 2007/2008, o argentino realmente fez diferença nas finais de 2013. Em um momento da liga de puro jogo físico, seu talento impulsionou os Spurs na vitória sobre o Miami Heat.

O MVP da Olimpíada de Atenas possui como maiores prêmios individuais o próprio nos jogos Olímpicos, seu maior marco no basquete, além de duas participações no All-Star Game da NBA, o prêmio de melhor reserva e a eleição para a seleção dos melhores novatos da temporada 2002/2003 da liga profissional americana de basquete. Na maior competição do mundo da modalidade, o astro argentino se aposentou com médias de 13,5 pontos, 3,8 assistências e 3,5 rebotes por exibição ao longo das 16 temporadas em que atuou.

O legado de Manu é exaltado pela NBA, tanto que o mesmo é um dos embaixadores da liga e foi um dos principais responsáveis pela abertura do mercado latino para prospecção de jogadores. Sua presença no Hall da Fama do basquete é algo que deve ser concretizado já durante os próximos anos, e sua contribuição para a internalização do campeonato foi gigantesca.

Spurs (1-0) x (0-1) Wolves – Começando com vitória

 112×108

Começou com vitória a caminhada do San Antonio Spurs na temporada 2018/2019. Jogando no AT&T Center, a equipe bateu o Minnesota Timberwolves pelo placar de 112 a 108 e inicia a campanha com o pé direito. Os maiores pontuadores do jogo foram DeMar DeRozan pelos mandantes, com 28 pontos, e Jeff Teague pelos visitantes, com 27. Vamos à análise da partida.

Aldridge se destacou com duplo-duplo (Reprodução/twitter.com/spurs)

Equipe em quadra

O técnico Gregg Popovich mandou à quadra Bryn Forbes, DeMar DeRozan, Rudy Gay, LaMarcus Aldridge e Jakob Poeltl para iniciar o jogo. Ao longo da partida entraram Davis Bertans, Dante Cunningham, Pau Gasol, Patty Mills e Marco Bellinelli. Com essa equipe, houve uma liderança no primeiro quarto, finalizado com vitória por 31 a 23. Gay foi o responsável pela primeira cesta do time na temporada. No segundo período, houve um maior equilíbrio, e o Wolves venceu a parcial por 29 a 25. A terceira parcial foi o momento de maior oscilação do alvinegro, permitindo que o adversário vencesse de forma contundente por 31 a 25. Nos 12 minutos finais, os donos da casa reverteram o momento negativo e conseguiu boa vantagem quase que eu totalidade, com exceção aos três últimos minutos do jogo onde a equipe perdeu uma vantagem de oito pontos para vencer apenas graças a arremesso decisivo de DeRozan.

Belinelli fez sua reestreia (twitter.com/spurs)

Dupla on Fire

A dupla DeRozan e Aldridge esteve muito bem no primeiro teste oficial da temporada. O primeiro atuou durante 38 minutos, foi o cestinha da partida ao marcar 28 pontos e ainda entregou quatro rebotes e quatro assistências. O segundo jogou por 42 minutos e anotou 21 pontos, 19 rebotes e duas assistências. Outro astro que merece menção honrosa é Gay, que mesmo sendo dúvida antes do jogo conseguiu participar bem dele por 23 minutos e registrou 18 pontos e sete rebotes.

Pelo rival, algumas estrelas da liga fizeram um bom jogo e contribuíram bem para o equilíbrio da partida ate o fim. Jeff Teague foi o cestinha do time com 27 pontos, além de quatro assistências em 32 minutos, Jimmy Butler entregou 23 pontos, sete rebotes e três assistências com a mesma minutagem, e Wiggins teve 20 pontos, seis rebotes e três assistências em 37 minutos.

Estatísticas do jogo

O Spurs acertou 40 dos 93 arremessos de quadra que tentou, com 43% de aproveitamento, além de 11 das 25 bolas de três que arriscou, com 44%. Além disso, registrou 52 rebotes, sendo 19 ofensivos, além de 22 assistências, quatro tocos, três roubadas de bola, 22 faltas e 12 desperdícios de posse, cedendo oito pontos ao adversário a partir destes erros. Fez a mesma quantidade de pontos em contra-ataques, além de 32 no garrafão. Os líderes de cada estatística foram DeRozan, com 28 pontos, Aldridge, com 19 rebotes, e Gasol, com seis assistências.

Próxima partida

No próximo jogo, o Spurs visita o Portland TrailBlazers, sábado (20), às 23h (de Brasília).

Destaques da partida

San Antonio Spurs

DeMar DeRozan – 28 pontos 4 assistências e 4 rebotes

LaMarcus Aldridge – 21 pontos e 19 rebotes

Rudy Gay – 18 pontos e 7 rebotes

Bryn Forbes – 11 pontos e 3 rebotes

Minnesota Timberwolves

Jeff Teague – 27 pontos e 4 assistências

Jimmy Butler – 23 pontos, 7 rebotes e 3 assistências

Andrew Wiggins – 20 pontos, 6 rebotes e 3 assistências

Gorgui Dieng – 12 pontos e 5 rebotes

Spurs (3-2) @ Magic (2-3) – Fechando com vitória

 100×81

Encerrando sua participação na pré-temporada, o San Antonio Spurs foi até a Flórida para enfrentar o Orlando Magic e venceu o adversário pelo placar de 100 a 81. Com campanhas iguais até então, as equipes estavam em estágio similar na fase de preparação, e o time da casa era um adversário bom para um teste do renovado alvinegro. Vamos aos destaques do jogo.

Spurs se despediu com vitória sobre o Magic (Reprodução/nba.com/magic)

Astros em alta

Os destaques do Spurs no jogo foram DeMar DeRozan, com 20 pontos, e Patty Mills, que saiu do banco de reservas para contribuir com 15 pontos. Outro que também chamou a atenção foi o ala-pivô LaMarcus Aldridge, que terminou a partida com 13 pontos e 15 rebotes.

Rotação tomando forma

A equipe titular foi composta por Bryn Forbes, DeMar De Rozan, Davis Bertas, LaMarcus Aldrigde e Jakob Poeltl. Vindo do banco, participaram Patty Mills, Nick Johnson, Marco Belinelli, Quincy Pondexter, Dante Cunningham, Okaro White, Chimezie Metu e Pau Gasol.

O Spurs dominou a primeira metade do jogo, fazendo 22 a 10 no primeiro quarto e indo para os vestiários vencendo por 40 a 30. Na metade final, o alvinegro manteve o ritmo forte apresentado no primeiro tempo, vencendo a terceira parcial por 31 a 22 e encaminhando o triunfo.

Aproveitamentos médios

No jogo contra o Magic, o Spurs acertou 41% de seus arremessos de quadra e 32% de suas bolas de três, convertendo oito das 25 que arriscou. Além disso, conseguiu fazer 28 cestas dentro do garrafão. A equipe coletou 54 rebotes, sendo nove deles ofensivos, e ainda computou 24 assistências, seis roubos de bola, cinco tocos, 18 faltas e 13 desperdícios de posse.

Média da pré temporada

Rudy Gay foi o destaque da pré-temporada do Spurs, convertendo 66,7% de suas bolas de três e terminando com média de 15,3 pontos por partida, liderando a equipe nos fundamentos. DeMar DeRozan foi quem mais deu passes para cesta, quatro por jogo, e quem mais roubou bolas, 1,3 por exibição. DeJounte Murray foi quem mais coletou rebotes, com 5,7 por noite.

Próxima parada

O próximo jogo do Spurs é nesta quarta-feira (17/10), às 21h30, quando a equipe de San Antonio enfrenta o Minnesotra Timberwolves em sua estreia na temporada regular.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

DeMar DeRozan – 20 pontos e 2 roubos de bola

Patty Mills – 15 pontos e 4 assistências

LaMarcus Aldridge – 13 pontos, 15 rebotes, 4 assistências e 2 tocos

Pau Gasol – 10 pontos, 5 rebotes e 4 assistências

Orlando Magic

Evan Fournier – 23 pontos, 4 assistências e 4 rebotes

Mo Bamba – 15 pontos e 9 rebotes

Nikola Vucevic – 14 pontos, 12 rebotes e 4 assistências

Quem leva vantagem na troca entre Spurs e Raptors?

A nova mexicana finalmente acabou. Só que, dos três países da América do Norte, só México não está envolvido. Kawhi Leonard e Danny Green deixam o San Antonio Spurs a caminho do Canadá e do Toronto Raptors, que envia DeMar DeRozan, Jakob Poeltl e uma escolha protegida de 1ª rodada do draft de 2019 para o alvinegro. Quem levou a melhor na troca?

Thank you - Kawhi

Agradecimento a Leonard postado pelo Spurs (Reprodução/Twitter/Spurs)

Técnico do Spurs, Gregg Popovich deu entrevista coletiva após a troca e reiterou sua gratidão por Leonard e todo o tempo que o camisa #2 esteve no Texas: “Kawhi sempre foi maravilhoso enquanto esteve aqui. Ele nos ajudou a ganhar o quinto campeonato e trabalhou duro o tempo todo. Nós desejamos o melhor a ele. Agora, é tempo de seguirmos em frente”.

Além disso, afirmou sua vontade em trabalhar com as duas novidades que chegam do pais vizinho: “Não poderia estar mais feliz por DeMar em San Antonio. É um jogador quatro vezes All-Star, fez parte do time ideal da NBA, um cara ótimo para a comunidade, jogador de time. É um cara que eu respeito e que já observei por um bom tempo. Estou muito animado por tê-lo aqui. Jacob é um jovem talento, e acho que tem uma grande oportunidade de se desenvolver e se tornar um jogador muito bom na NBA. Eles vão ser importante parte do nosso programa”.

A grande questão é: quem se deu melhor na troca? Tal dúvida é extremamente complexa, pois não envolve apenas o passado dos jogadores, mas sim um universo inteiro de variáveis. Porém, um dos caminhos para a análise são as estatísticas de cada jogador.

Começando com os jogadores que se foram. Leonard possui um histórico de estatísticas muito bom. Além de prêmios individuais, como o MVP das finais de 2014, o ala teve evolução que se deu a partir do momento que o protagonismo chegou para ele. Levando em conta apenas a temporada regular, são 30,4 minutos, 16,3 pontos, 49,5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 38,6% nas bolas de três, 6,2 rebotes, 2,3 assistências, 1,8 rebotes e 0,7 tocos por jogo.

O outro ex-Spur que passa para o lado canadense é Danny Green. O também ala era um jogador que não possuía o protagonismo, mas era importante na marcação, além de ser importante como o cara da bola de três do time em determinados momentos. O jogador possui medias de 25,1 minutos, 8,8 pontos, 41,8% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 39,5% nas bolas de três, 3,4 rebotes, 1,6 assistências, 1 rebote e 0,8 tocos por exibição.

Do Canadá, chega uma peça que é 4x All-Star da liga e que pode ser importantíssima para o time no futuro. DeMar DeRozan é ala, tem as qualidades para ser protagonista e chega para evoluir seu jogo no momento decisivo dos jogos. As medias do ala na temporada regular são de 34,1 minutos, 19,7 pontos, 44,8% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 28,8% nas bolas de três, 4,1 rebotes, 3,1 assistências, 1 rebote e 0,3 tocos por parida.

Welcome DeMar

Post de boas-vindas a Leonard feito pelo Spurs (Reprodução/Twitter/Spurs)

A última peça desse quebra cabeça é o austríaco Jakob Poltl, que joga de pivô na liga desde a temporada 2016/2017. Com 2,13 metros de altura, pode ser uma peça importante para o sistema de jogo, fazendo o serviço sujo na defesa e poupando peças como LaMarcus Aldridge e Pau Gasol, que são mais experientes. Nas duas temporadas, ele possui medias de 15,8 minutos, 5,4 pontos, 64,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 50% nas bolas de três, 4,1 rebotes, 0,5 assistências, 0,4 rebotes e 0,9 tocos por compromisso.

Os números provam que o Raptors absorve um astro com histórico, mas que precisa se provar após longo período de inatividade. Incorporam também em seu coletivo um grande jogador de grupo, mas que não está no auge do jogo individual. Pelo Spurs, chegam dois jogadores que precisam ser desenvolvidos em momentos distintos da carreira. DeRozan está no auge, e nesse momento um técnico como Popovich pode ser ideal para o grande salto de bom jogador a MVP. Poeltl é um talento a ser lapidado, e esta é uma categoria em que o treinador é mestre.