As primeiras impressões sobre Brandon Paul

O San Antonio Spurs teve uma offseason sem muitas contratações de impacto, mas cheia de rumores. Os principais boatos eram sobre armadores: Chris Paul, Derrick Rose e até mesmo Kyrie Irving tiveram seus nomes especulados na franquia texana. Porém, com o início da temporada, nenhum grande nome da posição foi anunciado, e o único reforço vindo de fora do Draft na armação era Brandon Paul, jogador desconhecido que até então atuava na Turquia.

San Antonio Spurs v Sacramento Kings

Brandon Paul pode se tornar uma importante peça na rotação (Reprodução/nba.com/spurs)

Ao chegar no Texas, Paul trouxe consigo dúvidas para a torcida do Spurs. Seu jogo parecia pouco desenvolvido, principalmente no ataque, e para piorar a situação o armador veio para o lugar de Jonathon Simmons, que em dois anos com o time virou um xodó dos torcedores devido à sua história, ao seu estilo atlético de jogar e às suas boas exibições nos últimos playoffs.

Porém, Gregg Popovich é excelente em observar talentos para o seu sistema coletivo e discreto, e com Paul não foi diferente. Apesar de não possuir muito talento ofensivo, o armador tem um arremesso de três pontos excelente e espaça a quadra, dando liberdade para LaMarcus Aldridge e Kawhi Leonard operarem no garrafão. Na temporada, em sete partidas, tem quase 64% de aproveitamento nos chutes de longa distância. Apesar de poucas tentativas, 11 no total, a mecânica e confiança do jogador indicam o grande potencial no fundamento.

A área de destaque de Paul é a defesa. Essa foi a característica que mais chamou a atenção de Popovich. Sua raça e dedicação na marcação são muito importantes para o sistema do time. Apesar de poucos jogos, o técnico aproveitou bem o armador no período em que ele esteve em quadra. O reforço já foi responsável pela marcação de DeMar DeRozan, Kyle Lowry e Kyrie Irving. A estratégia do treinador é incorporar seu novo jogador ao time com o tempo em situações onde a equipe tenha que impedir a qualquer custo seus adversários. E ao pedir para seu comandado marcar grandes nomes, Pop busca acostumar o camisa #3 ao ritmo de jogo e à pressão de combater as principais estrelas da liga profissional americana de basquete.

Apesar de pouco tempo de temporada, Paul aproveitou seu tempo em quadra, e aos poucos, conquista a confiança de Popovich. Durante a temporada, o armador deve trabalhar em seu arremesso e em sua defesa para se tornar um confiável “3&D”. Com sua característica, o jogador tem potencial para se tornar um importante jogador no sistema do Spurs.

Comparações com Simmons são inevitáveis, mas Paul tem um potencial ofensivo maior graças ao seu arremesso, e sua defesa já é melhor que a do ex-camisa #17. Só faltam mais chances.

Resta à torcida esperar para ver a evolução ou a decadência do armador, afinal, sete jogos é uma amostra muito pequena para conclusões definitivas. Mas os sinais são promissores.

Anúncios

Publicado em 01/11/2017, em Análises, Artigos. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s