Spurs (3) vs. Rockets (2) – No sufoco

 

110×107

Após perder o jogo 4 na estrada, o San Antonio Spurs voltou para o AT&T Center, onde recebeu o Houston Rockets nessa terça-feira (9), valendo o desempate da semifinal da Conferência Oeste, e venceu na prorrogação por 110 a 107, com direito a toco decisivo de Manu Ginobili sobre James Harden. Confira, a seguir, os destaques do jogo:

Ginobili não deixou a idade pesar e fez sua primeira enterrada no ano (Jesse D. Garrabrant/NBA/Getty Images)

Teste para cardíacos

Já dizia o sábio: playoffs separam os homens dos meninos. O Spurs é uma mistura dos dois, de experientes como Ginobili a novatos como Jonathon Simmons. Antes de falar do individual, vale destacar como foi o jogo. De um lado, os mandantes ditavam o ritmo, quase sempre à frente do placar. Do outro, os visitantes contavam com James Harden e suas jogadas individuais, além dos chutes de longa distância de todo o time, que colocava o Rockets sempre em busca da virada. O jogo foi para o último quarto seguindo o roteiro das parciais anteriores, com as duas equipes alternando liderança, mas sem abrir larga vantagem.

A prorrogação foi um verdadeiro teste para cardíacos. Com as duas equipes desperdiçando bolas importantes, foram os chutes de longa distância que fizeram a diferença a favor do alvinegro de San Antonio. Ora Danny Green, Manu Ginobili e Patty Mills, ora Ryan Anderson, Eric Gordon e James Harden. No fim, o Spurs conseguiu colocar três pontos de frente e contou com uma bola e presa e um toco histórico para concretizar a vitória em casa.

Foi na metade do terceiro quarto que Kawhi Leonard machucou seu tornozelo esquerdo e permaneceu em quadra mancando, mas quando sentou no último período não voltou mais. Era jogar ou entregar. E o time escolheu jogar. Por exemplo, Danny Green, que é bastante cobrado por sua contribuição, principalmente nas bolas de três pontos, fez sete dos seus 16 pontos na prorrogação. Mas, o destaque fica para Jonathon Simmons. O ala-armador teve a tarefa de substituir o astro na marcação sobre Harden e cumpriu seu dever com louvor. É elogiável a atuação de um atleta tão jovem em um momento tão importante, quando a experiência pode ser decisiva. Vale destacar que o reserva também foi muito bem no ataque.

Sobre a situação de Leonard, o ala disse no fim da partida que não é nada sério e que estará em quadra para o jogo 6, que será realizado em Houston, nesta quinta-feira (11).

O toco que entrou para a história (Ronald Martinez/Getty Images)

Erros bobos

Como não poderia deixar de ser, o time de San Antonio sofre ofensivamente com a ausência de Tony Parker. Patty Mills talvez não seja o nome mais indicado para assumir o lugar do francês, mas foi quem iniciou a partida como titular pela primeira vez desde que o camisa #9 lesionou o joelho esquerdo.

A ausência de Parker evidenciou alguns erros que foram fundamentais para situações de sufoco que poderiam ser evitadas. O já citado Mills é um dos pontos. O armador é bem mais eufórico que o francês, e tal exaltação custa caro em determinados momentos. Exemplo disso quando o Bala queimou uma bola de contra-ataque após boa atuação da defesa, devolvendo assim a posse para o Rockets. Em outro momento, Aldridge conquistou um rebote de ataque e passou para o ex-reserva, que muito mal e porcamente fez rápido giro e arremessou da zona morta, quase sem olhar para a tabela.

Tal jogada poderia ter sido evitada, aproveitando os 24 segundos e reorganizado a equipe. Tais arremessos precipitados do camisa #8 ainda podem causar grandes estragos.

Aldridge também vale ser citado. O ala-pivô foi fundamental, principalmente nos rebotes ofensivos, conquistando nove deles. Porém, em uma jogada onde ninguém entendeu nada, o astro recebeu a bola debaixo do aro – literalmente – e, marcado por um adversário mais baixo, optou por passar a bola para Mills na linha dos três pontos. A jogada poderia muito bem ter sido diferente, com o big man usando seu tamanho para concretizar dois pontos que seriam importantes naquela altura e quem sabe até conquistado um arremesso de bonificação.

Pau Gasol é um caso mais sério que os anteriormente citados. O experiente pivô espanhol sumiu de quadra, cometendo erros grotescos, evitando contato e raramente aparecendo para o jogo. David Lee foi uma alternativa e, em determinando momento, Popovich optou até por jogar com apenas Aldridge no garrafão, com Mills, Ginobili, Green e Simmons em quadra. O ápice foi quando, na última bola do último quarto, o espanhol ficou no garrafão sem nada a contribuir enquanto o australiano, marcado por Harden, teve dificuldades e arremessou a bola quando o tempo já havia esgotado. O comandante alvinegro demonstrou toda insatisfação no momento com o veterano e com razão, já que o camisa #16 que poderia ter feito um corta-luz.

Precisamos falar sobre Ginobili

O tempo. Dizem que o tempo é o melhor remédio. Voltando ao primeiro tópico, no qual faltou falar sobre Ginobili, parece que o veterano não liga muito para o tempo, seja seus 39 anos de idade (completa 40 em 28 de julho) ou os décimos que faltavam quando deu toco em Harden.

Após o jogo 4, Ginobili disse em entrevista que o Spurs teria de dar a vida na partida seguinte e que o time tinha perdido a grande oportunidade da série na segunda partida em Houston, que empatou a série. O argentino cumpriu com a sua palavra e foi de fundamental importância, principalmente na organização da equipe nos momentos mais importantes.

Foi a experiência falando alto, e o corpo surpreendentemente correspondendo à altura. Na questão de raça, talvez no elenco do Spurs não tenha nenhum outro atleta como Ginobili.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 22 pontos, 15 rebotes, 4 assistências, duas roubadas de bola e dois tocos

Patty Mills – 20 pontos e 4 assistências

LaMarcus Aldridge – 18 pontos e 14 rebotes

Danny Green – 16 pontos, 5 rebotes e 3 assistências

Manu Ginobili – 12 pontos, 7 rebotes e 5 assistências

Jonathon Simmons – 12 pontos e 3 roubos de bola

Houston Rockets

James Harden – 33 pontos, 10 assistências e 10 rebotes

Patrick Beverley – 20 pontos e 4 rebotes

Ryan Anderson – 19 pontos e 7 rebotes

Eric Gordon – 11 pontos, 6 rebotes e 3 assistências

Anúncios

Sobre Sergio Neto

Jornalista esportivo desde 2012, ano em que passou a integrar a equipe do Spurs Brasil. Tem passagens por ESPN, Band e Estadão Esportes. Fanático por basquete desde criança e pelo San Antonio Spurs desde a era das "Torres Gêmeas". Também é redator de NBA no The Playoffs (theplayoffs.com.br/nba).

Publicado em 10/05/2017, em Playoffs 2017, Resumo de Jogos. Adicione o link aos favoritos. 25 Comentários.

  1. O cidadão que disse que Ginobili já deveria estar de terno na arquibancada faz tempo está por aí? Passe seu endereço para que eu envie o poster com a IMAGEM DO DIA. Vai dar um bom quadro na parede de qualquer torcedor do Spurs.

    • Bom eu não concordo com o que ele disse de aposentar o Ginobili, mas não podemos nos enganar.
      Eu torço para os Spurs desde 1999, já fui ate expulso aqui desta página, por sempre expor a verdade, pois os administradores nao gostam de transparência.
      A verdade é que Ginobili fez uma temporada pífia, com aproveitamento medíocre e digno de pena para alguém que joga na NBA e não no NBB da vida.
      Ele ainda tem utilidade no elenco, devido a sua experiência e lampejos como o de ontem, mas nao estranharia se fizesse outra péssima partida, amanhã.
      E vc Carol, torcedora desde 2017? Nunca vi você por aqui em anos anteriores!!!

      • Acompanho a NBA há 6 anos apenas, sou bem jovem. Qual é o ponto? Quem acompanha o Spurs há mais tempo tem mais razão, é isso? É batalha de RGs?

    • O ponto não o tempo e sim a profundidade de conhecimento.
      Vc conheceu os Spurs na fase boa, nao teve ideia da história e evolução gradativa da franquia, portanto deveria entender que quando falamos que Tony e Manu deveriam estar de terno e gravata, é porque conhecemos o ápice deles e sabemos aquilo que eles podem render.
      Desfrutar das coisas na fase excelente é muito TOP, quero ver vc por aqui quando começar uma renovação brava na equipe!!

      • Eu conheço o ápice de Manu e Tony, assim como saberia desenhar vários dos ataques do Jazz de John Stockton e Karl Malone, que davam aula de pick and roll muito antes d’eu nascer.

        Vou te contar um segredo (mas não conte pra ninguém): não precisa ter vivido a época das coisas para ter profundidade de conhecimento sobre elas. Estamos em 2017, há MUITOS meios de se informar.

  2. raphaelcastrosouza

    Foi dramático, mas foi um jogo muito legal de assistir. Bom jogo do Simmons, tanto na defesa quanto no ataque. E não é que o Green sabe infiltrar! Porém, essa vitória veio, a meu ver, dos vacilos do rockets no final do jogo. Embora o Algridge tenha feito bons números, ele jogou mal. Para um cara que quer tanto ser um FP, quando o Leonard ficou fora do jogo, era hora de mostrar sangue nos olhos e partir para cima. E tem o Gasol, que foi péssimo e quase afunda o time. Essa formação com só um pivô foi a de que mais gostei. Agora que venha o jogo 6 e torçamos para que o Leonard esteja 100%, pois se com ele já está difícil imagina sem? Tenho a impressão que teremos um jogo 7.

    • Atuações como a de ontem, que fizeram Gasol ser tão contestado em Los Angeles e estar sempre no rol de trades da equipe.
      Vejo que o espanhol, ainda tem muito a qualificar nossa equipe, mas precisa ser mais duro, mais inteligente e voluntarioso a equipe, como no provavel game winner do Paty Mills.

  3. Eu sou um cidadão que acha q esse é o pior time dos Spurs em 10 anos. Tenho bpnevos, adesivos e camisas do Parker e do Ginobili. Eu e outro cidadão aqui do fórum concordamos q já chegou a hora do paletó para ambos. Se for para colocar jogador para dar um toco por temporada…prefiro ver jogos de tênis.

    Continuo dizendo que amo esse time, mas odeio essa bundamolice eternal. Poor time do spurs ever.

    • Pois é, ainda bem que o Spurs é comandado por cidadãos que pensam de outra forma.

      Claro, você pode continuar achando que foi só um toco, ou só uma cravada, ou só 5 assistências (líder do time no fundamento), assim como pode continuar achando que foi “só um jogo”.

      Mas também poderia tentar calcular quantos jogos de temporada regular valem o jogo de ontem: jogo 5 de semifinal de conferência, com placar geral empatado, sem Tony Parker desde o jogo 3, sem a principal estrela do time durante todo o overtime e com os dois principais homens de garrafão incapazes de pontuar sobre a formação mais baixa do Rockets.

      Quando Ginobili de fato colocar o paletó (talvez ao final destes playoffs porque não nego que a idade chega), o time sentirá sua ausência em quase todos os aspectos do jogo que conseguimos ver ontem (liderança, QI de basquete, defesa, ataque, jogadas clutch, flops, etc.). Sorte a nossa de ainda podermos contar com ele em momentos como esse!

      • O jorge está certíssimo ali, pois não adianta enchermos a bola dos caras e esquecermos as estatísticas. Ginobili teve jogos zerados esta temporada e Parker com margem ofensiva e defensiva negativas.
        Olha, o que dá a entender´é que um jogador que faz 34 anos ou 39, vira um inválido, que não sabe mais acertar a cesta e ter a mínima precisão nos passes.
        Sabemos que isto não é verdade, pois temos o exemplo do Kerr, do Ray Allen, do Carter, que jogaram até uma certa idade e mesmo assim nao perderam a capacidade de ser acertar uma cesta.
        Acho que tanto Manu como Tony Parker, quando atingiram certa idade, deixaram de treinar e apurar a técnica, só assim para explicar a queda brusca de ambos, sem falar nas contusões, mas os outros tb tiveram contusoes.

      • Ginobili deixou vários jogos zerados mesmo, mas o que você quer dizer com Parker ter margem ofensiva e defensiva negativas? “Perderam a capacidade de acertar a cesta”?

        O que aconteceu, e é óbvio que aconteceria, é que sua participação como playmaker foi reduzida, dando lugar a jogadas desenhadas para Kawhy e Aldridge, que teoricamente são as estrelas da vez.

        Mas Parker continua sendo um dos armadores mais eficientes da liga. Leia e compare: http://www.nba.com/players/tony/parker/2225

      • A questão é bem simples, Parker tem até razoaveis estatisticas, porém tem bem menos chutes, tudo por causa da sua nova função, que decorreu de péssimas atuações ano passado, que nos prejudicou nos Playoffs contra OKC.
        Parker não soube se aperfeiçoar com o passar dos anos, diria até que parou no tempo em vários quesitos, perdendo qualidade nos passes, nos arremates, na defesa(se bem que ele nunca foi um expert) e também organizando mal as jogadas, sem falar em escolhas erradas que nos custou e muito os playoffs de 2016.
        A idade não é desculpa para Parker, se tornar o pedreiro que ele virou, lembro que caras como Jason Kidd quanto mais velho ficavam, mais eficientes eram.
        Com o término da temporada, Ginobili deveria se aposentar e Parker, se quisesse continuar deveria diminuir o salario e fazer parte da segunda ou terceira unidade.
        Não tem jeito, temos que buscar armador no Mercado e não precisa colar link da NBA comigo, pois quando vc nasceu eu já dava enterrada no Ibirapuera, no sabadao dos veteranos.

      • Foi mal, Silas. É que o que você fala carece de sustentação objetiva (leia-se argumentação lógica, dados, etc.). Sinto te informar, mas ter passado a vida enterrando no sabadão dos veteranos não significa que você entende do esporte, haja vista alguns comentaristas de basquete que temos que ouvir nas transmissões em português (tipo Zé Boquinha e congêneres). Assim como você, esses caras se gabam de terem sido técnicos/ex-jogadores e se ancoram na falácia do argumento de autoridade, com a gente tendo que engolir milhões de afirmações ultraquestionáveis e sem sentido, só porque o cara tem a carteirinha de veterano. Prefiro a inteligência de blogs de análise tática bem mais jovens, como o Bola Presa e o Triple Double.

  4. Acorda Gasol!!! LaMarcus Aldridge o que Aconteceu com seu jogo? Sumiu?

  5. Aí o barba pensou “agora eu se consagro” opa, péra. kkkkkk

  6. Antonio carlos nogueira

    Acompanho há vários anos, só pra terem uma idéia virei um “Spur” por causa do almirante, não adianta, somos diferentes, sabemos que Ginobili e Parker estão terminando, mas sabemos os que esses caras fizeram e somos gratos demais por isso, somos diferentes, nem sei explicar, vieram muitos depois dos títulos e cobram como se fosse uma outra franquia qualquer, não somos, somos diferentes, preservamos o jogo coletivo, os ídolos e a busca por um jogo efetivo, títulos todos querem, mas tendo isso já vale bastante e ontem foi a prova cabal disso, ganhamos na camisa. Vamos ver o que acontece na sequencia mesmo sabendo que não somos favoritos, somos Spurs e vamos encarar de frente.

  7. Comentários aqui no blog viraram ataques a outros membros, uma briga de quem tem mais razão.

    Não tem mais nem graça comentar, pq os donos da verdade não respeitam ninguém. Eu sou mais uma que acho que o tempo de Parker e Ginobili nos Spurs já acabou. Acho que Gasol não pode nem pisar mais quadra dos Spurs e que Green é um dos jogadores mais fracos de toda a nba. Uma ou outra boa atuação deles, um ou outro lance mágicos não vão me fazer mudar de ideia. Regularidade é tudo nesse esporte, não adianta ir bem de vez enquando.

    Essa menina aí tem problemas sérios de personalidade. Em vez de comentar sobre os feitos do time prefere exaltar as críticas alheias como se fosse superior a todos com suas teses.

    • Eu só falei o que eu penso e me chamaram de cidadão. Hahahaha
      Normal. Cidadão não ofende e não dói. Cada um penso o que quiser e no fim, o que tiver que ser, será. Eu só venho dizer que há anos eu não entendo como esse time maravilhoso pode ser tão apático. Parece que não importa muito para eles… Sei lá.

      Acho que o mais inteligente é apostar no Houston para o spurs vencer. Eu sempre perco as minhas apostas. Houston, nem adianta treinar. Eu nunca aceto minhas apostas

    • Eu só falei o que eu penso e me chamaram de cidadão. Hahahaha
      Normal. Cidadão não ofende e não dói. Cada um penso o que quiser e no fim, o que tiver que ser, será. Eu só venho dizer que há anos eu não entendo como esse time maravilhoso pode ser tão apático. Parece que não importa muito para eles… Sei lá.

      Acho que o mais inteligente é apostar no Houston para o spurs vencer. Eu sempre perco as minhas apostas. Houston, nem adianta treinar. Eu nunca aceto minhas apostas

  8. Spurs já tem conversas marcadas com cp3 e Derrick rose após o fim da temporada, alguém já leu essas notícias?

  1. Pingback: Spurs (3) @ Rockets (2) – Semifinal do Oeste | Spurs Brasil

  2. Pingback: Prévia de Warriors x Spurs – Final do Oeste | Spurs Brasil

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s