Arquivo diário: 13/04/2017

Prévia de Spurs x Grizzlies – Primeira rodada dos playoffs

Irmãos Gasol vão duelar nos playoffs (Mark Sobhani/nba.com/spurs)

Depois de terminar a temporada regular com 61 vitórias e 21 derrotas e garantir a segunda posição da Conferência Oeste, o San Antonio Spurs enfrenta o Memphis Grizzlies, sétimo colocado, na primeira rodada dos playoffs de 2017. Enquanto o alvinegro chega com todo o elenco à disposição para o começo do mata-mata, a equipe do Tennessee inicia a série com Chandler Parsons como baixa e Tony Allen e James Ennis III como dúvidas.

Spurs e Grizzlies começam a se enfrentar neste sábado (15), no AT&T Center. Ao longo da temporada regular, as duas equipes da Divisão Sudoeste mediram forças quatro vezes, com duas vitórias para cada lado. Relembre como foram todos estes confrontos a seguir:

06/02/2017 – Spurs 74 @ 89 Grizzlies

No primeiro duelo entre as duas equipes, o Spurs começou a edição de 2017 da Rodeo Road Trip com derrota para o Grizzlies. David Lee, com 14 pontos, foi o cestinha do time na ocasião.

18/03/2017 – Spurs 96 @ 104 Grizzlies

Após perder o primeiro confronto contra o Grizzlies, o Spurs foi novamente até Memphis para tentar buscar sua primeira vitória contra o time do Tennessee na temporada. Não foi o que ocorreu. Novamente mostrando uma ótima defesa e um jogo lento, a equipe de casa se impôs e triunfou. Destaque para Kawhi Leonard, com 22 pontos, e LaMarcus Aldridge, com 21.

23/03/2017 – Spurs 97 x 90 Grizzlies

No primeiro duelo entre as equipes disputado no AT&T Center na temporada, o Spurs conseguiu sua primeira vitória sobre o Grizzlies no campeonato. O destaque foi o ala-pivô LaMarcus Aldridge, que deixou a quadra com 23 pontos, oito rebotes e três tocos.

04/04/2017 – Spurs 95 x 89 Grizzlies

No último confronto, o Spurs venceu o Grizzlies na prorrogação e garantiu o empate no confronto com o rival de Divisão Sudoeste na temporada. Destaque para Kawhi Leonard, com 32 pontos, 12 rebotes, quatro assistências e duas roubadas de bola.

Agora, chegou a hora do Spurs medir forças com o adversário na série válida pela primeira rodada da Conferência Oeste. A seguir, blogueiros do Spurs Brasil contam o que esperam do confronto e dos jogadores que poderão ajudar a decidi-la. Confira as análises abaixo:

Cássio Cutulli

Palpite: Spurs 4 a 2
Finalmente os playoffs vão começar. O Spurs conta com todo o elenco saudável após a volta de Dejounte Murray, que havia ficado fora por quatro semanas. Pelo Grizzlies, a única baixa deve ser Chandler Parsons, fora da temporada. Os confrontos entre os rivais de divisão na primeira fase foram muito físicos, com o mandante sempre levando a melhor. Dessa forma, o que irá ditar o duelo serão os sistemas defensivos sufocantes e o desempenho na estrada. O alvinegro tem um time superior e demonstrou nos últimos duelos que está sabendo lidar com as trocas de marcação do adversário, que conta com Tony Allen, um leão na defesa e que, se estiver em um dia bom, acaba contagiando os colegas e dificultando as infiltrações. Dessa forma, como o perímetro dos texanos é inconsistente contra quem aperta muito a marcação, a chave deve ser LaMarcus Aldridge, que, apesar de enfrentar um garrafão muito bom, pode aumentar as chances de vitória se consiguir se sobressair. O foco é proteger a área pintada e, do outro lado, pontuar dentro dela, claro que com o apoio de Kawhi Leonard e de quem mais vier de fora. Caso a ameaça interior seja grande, serão abertas brechas para os arremessos de três, o que dará um respiro aos comandados de Gregg Popovich.
Peça-chave do Spurs:
 LaMarcus Aldridge
Peça-chave do Grizzlies:
 Tony Allen

Lucas Pastore

Palpite: Spurs 4 a 2
O Grizzlies é um dos adversários que mais sabe explorar as deficiências do Spurs: tem ótimos jogadores de garrafão para atacar a deficitária defesa de Pau Gasol e David Lee e uma marcação sufocante o bastante para atrapalhar Kawhi Leonard, conseguindo, assim, estagnar o ataque do alvinegro. Por isso, apesar da teórica diferença de qualidade dos dois elencos, a série pode se tornar uma das mais equilibradas da primeira fase dos playoffs. Para triunfar sem dificuldades, o time texano precisa que LaMarcus Aldridge esteja bem dos dois lados da quadra, desafogando o principal astro do time ofensivamente e combatendo JaMychal Green e Marc Gasol na área pintada. O problema é que o rival deve trazer do banco Zach Randolph, um dos maiores carrascos do alvinegro, para enfrentar a segunda unidade, que tem proteção interior deficitária. Resolver o matchup será a chave do duelo.
Peça-chave do Spurs:
 LaMarcus Aldridge
Peça-chave do Grizzlies:
 Zach Randolph

Sergio Neto

Palpite: Spurs 4 a 2
O Grizzlies é, historicamente, uma pedra no sapato do Spurs. E, sinceramente, a equipe que eu menos gosto de enfrentar, principalmente nos playoffs. Neste ano, eles vêm bem, mesmo sem destaque por parte da mídia. Zach Randolph deixou o time titular para se tornar um dos reservas de maior destaque da liga. Mike Conley, para mim leva vantagem sobre Tony Parker, o que pode desequilibrar o duelo em determinado momento, obrigando a Greeg Popovich a recorrer a Patty Mills. Imagino que, assim como foi na temporada, o termômetro texano tem nomes e sobrenomes: Kawhi Leonard e LaMarcus Aldridge.
Peça-chave do Spurs:
 Kawhi Leonard
Peça-chave do Grizzlies:
 Marc Gasol

Vinicius Esperança

Palpite: Spurs 4 a 2
Não há como não se lembrar dos playoffs de 2011, quando o Spurs, que chegava como franco favorito, foi atropelado pelo Grizzlies em seis jogos e deu adeus à chance de título. Aquela eliminação, uma das mais doídas dos últimos anos, ficou para história: Zach Randolph, no auge físico e técnico, e Marc Gasol, evoluindo de maneira avassaladora, encarando veteranos decadentes, com Tim Duncan e Antonio McDyess praticamente dando adeus à NBA. Passou-se o tempo, e as coisas mudaram (mas nem tanto). O alvinegro não tem mais The Big Fundamental, mas conta com LaMarcus Aldridge e Pau Gasol, dois dos melhores pivôs da liga. Os rivais possuem as mesmas ameaças na área pintada, mais velhas e com o espanhol em seus melhores anos. Some a isso a dificuldade que o time texano tem ao enfrentar rivais físicos, principalmente perto da cesta, e você terá algumas derrotas no caminho. Mas nada que faça tirar o sono. No fim, os comandados de Gregg Popovich devem perder de um a dois jogos, mas têm muito mais talento e um banco mais profundo.
Peça-chave do Spurs:
 Kawhi Leonard
Peça-chave do Grizzlies:
 Marc Gasol

Olho neles!


LaMarcus Aldridge foi eleito, ao lado de Kawhi Leonard a peça-chave do Spurs na série pelos blogueiros do Spurs Brasil. Isso porque o ala-pivô terá de desafogar o ala no ataque ao mesmo tempo em que lida com Marc Gasol, Zach Randolph e JaMychal Green na defesa. Na temporada, o jogador teve médias de 17,3 pontos e 7,3 rebotes em 32,4 minutos por exibição. Considerando apenas os quatro duelos com o Grizzlies, esses números sobem para 18 pontos e oito rebotes em 36,1 minutos por partida.

Duas vezes votado, Marc Gasol foi eleito a peça-chave do Grizzlies no confronto pelos blogueiros do Spurs Brasil. O pivô espanhol é a âncora da defesa do time, podendo ajudar a fechar a porta de Kawhi Leonard nas infiltrações, e ainda pode atacar Pau Gasol e David Lee, que têm marcação deficitária. Na temporada, o astro tem médias de 19,5 pontos, 6,3 rebotes e 4,6 assistências em 34,2 minutos por partida. Nos quatro duelos que fez com o Spurs, esses números vão para 13,8 pontos, 7,3 rebotes e 4,5 assistências em 35,5 minutos por jogo.

Anúncios

Spurs (61-21) @ Jazz (51-31) – Que se iniciem os playoffs

 

97×101

O San Antonio Spurs visitou o Utah Jazz em sua última partida pela temporada regular 2016/2017 da NBA e acabou sendo derrotado por 101 a 97, nessa quarta-feira (12), acumulando seu terceiro revés seguido antes dos playoffs. Veja, a seguir, como foi o duelo:

Gasol entrou para a história da NBA contra o Jazz (Melissa Majchrzak/NBAE via Getty Images)

Bem-vindo à história, Pau Gasol

Apesar da terceira derrota consecutiva antes do início dos playoffs, a partida contra o Jazz teve lá seus pontos positivos. Vale destacar os 13 pontos e sete rebotes de Pau Gasol, que começou o confronto do banco de reservas. Com isso, o espanhol de 36 anos chegou à marca de 20.001 pontos na liga, juntando-se a nomes de peso como Kareem Abdul-Jabbar, Kevin Garnett e Tim Duncan como os únicos a chegarem a registrarem pelo menos 20.000 pontos, 10.000 rebotes, 3.500 assistências e 1.500 tocos na NBA.

“É muito significativo. É difícil imaginar ser capaz de chegar a esses números, isso só prova o tipo de jogador que eu sou e o quão duro eu tive que trabalhar para chegar a esse tipo de metas. Estou apenas grato a este momento, grato pelos companheiros de equipe que estiveram ao meu redor e aos meus técnico que me treinaram ao longo dos anos e me permitiram jogar como eu joguei”, afirmou Gasol, após a partida.

Lei do ex

Aldridge foi cestinha da equipe (Melissa Majchrzak/NBAE via Getty Images)

Se você reparar bem no quinteto inicial do Jazz dessa quarta-feira (12), vai encontrar dois nomes bastante familiares: George Hill e Boris Diaw. O primeiro foi envolvido na troca que trouxe ninguém menos que Kawhi Leonard para o elenco do Spurs, sendo enviado para o Indiana Pacers. Por lá, o atleta ficou de 2011 a 2016 até ser contratado pela franquia de Utah. Contra o time de San Antonio, o atleta, que agora atua como armador principal do seu time, foi responsável por 13 pontos e cinco assistências.

Diaw, por sua vez, foi um daqueles casos considerado como um “achado”. O ala-pivô francês estava no Charlotte Bobcats antes de desembarcar no Texas, em 2012, e logo achou seu lugar na equipe e conquistou não só a confiança de Gregg Popovich como o carinho do torcedor do alvinegro. Nas finais de 2014, teve papel fundamental na conquista do último título conquistado pelo alvinegro, chegando a marcar muito bem LeBron James, principal jogador do Miami Heat na época.

O francês ficou no Spurs até 2016. Enfrentou a ex-equipe na noite desta quarta-feira e não esteve muito tempo em quadra. Diaw iniciou como titular e atuou por 15 minutos, anotando somente quatro pontos, uma assistência, um rebotes e uma roubada de bola.

“Isso fez nossos jantares muito menos divertidos.”le era um dos únicos rapazes que bebiam comigo. Eu tentei corromper todos os meus jogadores com vinho, e ele era fácil, era um alvo fácil”, brincou Popovich, quando questionado sobre a saída de Diaw do Spurs.

Turma do terrão

Após três quartos de jogo equilibrado, os dois técnicos optaram por colocar os reservas em quadra na última etapa, poupando os titulares para os playoffs. Pelo Spurs, nomes como Kyle Anderson, Jonathon Simmons, Davis Bertans e Dejounte Murray ganharam alguns minutos.

Anderson foi responsável por oito pontos, dois rebotes e duas assistências em 16 minutos. Simmons contribuiu com apenas dois pontos e dois rebotes em 13 minutos. Bertans esteve em quadra por 12 minutos e fez sete pontos. Por fim, Murray, que acaba de voltar de lesão, atuou um pouco menos – por apenas cinco minutos – e registrou dois pontos.

Vale destacar a atuação de Dewayne Dedmon no jogo dessa quarta. Apesar de estar entre os titulares, o pivô atuou por apenas 14 minutos, e anotou dois pontos e oito rebotes.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

LaMarcus Aldridge – 18 pontos, 5 rebotes e 3 roubos de bola

Kawhi Leonard – 14 pontos e 5 rebotes

Tony Parker – 14 pontos (5-8 FG)

Pau Gasol – 13 pontos e 7 rebotes

Utah Jazz

Gordon Hayward – 14 pontos

Rudy Gobert – 13 pontos e 9 rebotes

George Hill – 13 pontos e 5 assistências

Shelvin Mack – 13 pontos e 3 assistências