Arquivo diário: 28/03/2017

Spurs (57-16) vs Cavaliers (47-26) – Aula de basquetebol

 103×74

Após bater o New York Knicks no sábado, o San Antonio Spurs recebeu o Cleveland Cavaliers no AT&T Center nessa segunda-feira (27) e, sem dificuldades, superou o atual campeão da NBA por 103 a 74. Com o triunfo, o time texano chega à quinta vitória seguida, enquanto a equipe de Ohio teve seu segundo tropeço consecutivo, caindo para a segunda posição da Conferência Leste, atrás do Boston Celtics. Veja, a seguir, os destaques da noite,

Kawhi ampliou a vantagem no estouro do cronômetro (Reprodução/facebook.com/spurs)

Escola Popovich

Quem pôde assistir ao duelo entre Spurs e Cavaliers viu um exemplo de postura que um candidato a campeão da NBA precisa ter. E não, não se tratou da franquia de Cleveland, atual dona do título da liga, e sim da equipe mandante. Nem o mais otimista torcedor poderia prever que o alvinegro passaria com tamanha tranquilidade por LeBron James e companhia.

Lance de Ginobili levantou o público (NBA/Mark Sobhani/Getty Images)

Para concretizar a vitória, o Spurs contou com outro elemento fundamental além do desempenho dos seus atletas: os ensinamentos do técnico Gregg Popovich. A mão do treinador foi de fundamental importância para a vitória texana, que começou a ser construída no segundo quarto, quando a diferença a favor dos mandantes começou a crescer. Um nome ilustra bem o que Pop passa nos treinos é o do Kawhi Leonard. O astro dos mandantes tinha a missão de contribuir com a pontuação da equipe e ainda tinha a responsabilidade de anular LeBron James. As duas tarefas foram concluídas com êxito.

Contudo, não é só de talentos individuais que se faz o estilo Popovich. O coletivo é tão importante quanto. Com exceção às transições rápidas e aos contra-ataques, praticamente todos os jogadores em quadra pegavam na bola em cada posse do alvinegro de San Antonio. Jogadas rotativas, uso de corta-luz, movimentação sem bola e ampla visão de jogo são alguns dos aspectos que podemos destacar.

Enquanto isso, do outro lado da quadra, nomes importantes como Kyrie Irving e Kevin Love foram meros coadjuvantes e tiveram rendimento bem abaixo do esperado. O time do Cavs esteve perdido e desperdiçou diversas oportunidades de ataque.

A importância do banco

Outra característica do Spurs é a profundidade do banco de reservas. Com as mais diversas nacionalidades e modos de jogo à disposição, Gregg Popovich mostrou que é possível montar vários quintetos funcionais. Resultado: entra um, sai outro, e o time se mantém o mesmo. Prova da importância disso está nos números. Ao fim do primeiro tempo, os suplentes texanos já haviam marcado mais de 20 pontos com Manu Ginobili, David Lee, Pau Gasol e Patty Mills, enquanto os do Cavs zeraram, deixando a responsabilidade nas costas dos titulares.

Mão torta

Nem tudo foi perfeito para o time do Spurs. Aliás, para nenhuma das equipes. Afinal, ambas tiveram aproveitamento bem abaixo do normal nos chutes de longa distância. Para efeitos de comparação, o primeiro arremesso de três pontos de San Antonio só foi convertido quando Pau Gasol veio à quadra. Antes dele, Leonard, Green e até Aldridge arriscaram bolas de longe e não tiveram êxito. Ao todo, 7-26 para o alvinegro, aproveitamento de 26,9%, enquanto o adversário teve 4-26, com 15,4% de aproveitamento. Amassaram o aro!

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 25 pontos, 6 rebotes, 6 assistências e 3 roubos de bola

LaMarcus Aldridge – 14 pontos, 7 rebotes e 4 assistências

Pau Gasol – 14 pontos e 4 rebotes

Manu Ginobili – 12 pontos e 3 rebotes

Dewayne Dedmon – 8 pontos e 13 rebotes

Cleveland Cavaliers

LeBron James – 17 pontos, 8 assistências e 8 rebotes

Tristan Thompson – 11 pontos e 7 rebotes