Blogueiro analisa a contratação de Gasol

Por Luís Araújo*

As participações no All-Star Game em cada um dos anos em que passou no Chicago Bulls não aconteceram à toa. É verdade que a vaga entre os 12 melhores da Conferência Leste na segunda vez só apareceu depois que Jimmy Butler, seu então companheiro de time, se machucou. Mas não dá para dizer que foi estanho vê-lo participando do evento. Longe disso.

Gasol é o principal reforço do Spurs até aqui (Reprodução/sportsnaut.com)

Apesar dos vários problemas da equipe em que estava, Pau Gasol conseguiu se tornar na temporada 2015/2016 apenas o terceiro jogador em toda a história da NBA com 35 anos ou mais a registrar médias de pelo menos 15 pontos, dez rebotes e dois tocos por partida. Os outros dois foram Artis Gimore e Patrick Ewing, o que o coloca ao lado de ótima companhia.

Mesmo aos 36 anos, Gasol realmente tem ainda uma boa quantidade de combustível no tanque. Outra amostra disso foi a campanha irretocável no Eurobasket de 2015, na qual sobrou dentro de quadra e comandou a seleção espanhola ao título continental. Muitas das coisas boas que ele apresentou ao longo da carreira e que o fizeram construir a reputação de um dos jogadores de garrafão mais talentosos do mundo permanecem lá.

A técnica com as duas mãos para finalizar nos arredores da cesta provavelmente jamais desaparecerá. Os movimentos para criar espaços para a finalização, seja de costas para o aro ou de frente, mantêm a eficiência de outros tempos. Os arremessos de média distância seguem funcionando muito bem. Até mesmo algumas bolas de três deram as caras durante a trajetória em Chicago. Os 69 tiros de longe em 72 partidas disputadas na última temporada foram um recorde dele na NBA, e o aproveitamento de 35% pode ser considerado satisfatório.

E MAIS: Pau Gasol assina por dois anos com o San Antonio Spurs

Além disso tudo, Gasol continua passando com competência e sabedoria, o que ajuda a ampliar o impacto de um jogador com as características dele e que combina bem demais com um time como o San Antonio Spurs. A lembrança de cestas que Kawhi Leonard e, principalmente, LaMarcus Aldridge descolaram em jogadas nas quais criaram sozinhos no post-up pode até enganar em um primeiro momento, mas a equipe foi a terceira em assistências por jogo na última temporada, atrás apenas de Golden State Warriors e Atlanta Hawks, e a sétima que mais precisou de um passe antes de colocar a bola dentro do aro.

Em um time recheado de bons arremessadores e de gente que sabe se movimentar sem bola, essas características de Gasol podem ser muito úteis. É verdade que os toques deverão ser bem menores em relação aos que tinha em Chicago. Algum sacrifício terá de ser feito também em relação à quantidade de minutos em quadra. Mas é provável que tudo isso esteja às claras. Seria muito ingênuo da parte do pivô imaginar o contrário ao aceitar se juntar ao Spurs.

Também é óbvio que uma coisa ou outra no que diz respeito à adaptação do espanhol ao lado de Aldridge e de como os dois se movimentarão para não atrapalhar as ações de Leonard precisarão ser feitas. Mas são o tipo de coisa que um técnico como Gregg Popovich não deverá ter tanta dificuldade assim para ajustar. Em suma, Gasol é uma peça de talento ofensivo enorme e que favorece muitas das coisas que o Spurs gosta de fazer no ataque.

VAIVÉM: Veja quem chega, quem sai e os rumores sobre o Spurs

Mas o outro lado da quadra é um grande ponto de preocupação. Os dois tocos por jogo na temporada passada podem passar a impressão de que Gasol é um bom defensor. Ele até é, de fato, mas só nestas situações em que um oponente está diante dele perto da cesta e tenta finalizar no um contra um. Aí, o tamanho do espanhol faz a diferença. A inteligência, também. Ele sabe usar os braços longos e o tempo de bola para atrapalhar quem tentar pontuar por ali.

O problema é quando as coisas se afastam dali. Gasol é péssimo na ajuda. Deu para ver trocentas vezes durante a trajetória com o Bulls ele simplesmente ficar olhando os companheiros de perímetro serem batidos nas tentativas de infiltração, sem se posicionar para fazer a cobertura a tempo de atrapalhar a bandeja. Pode até ser que algumas destas falhas sejam corrigidas, mas ele nunca será um Tim Duncan neste aspecto.

Pior ainda acontece quando Gasol é arrastado para longe da cesta. O deslocamento lateral para marcar talvez seja sua principal fraqueza, o que deverá torná-lo um alvo extremamente atraente para os ataques rivais. Aí, sim, será um ponto que Popovich terá de pensar um pouco mais em como tentar corrigir ou, pelo menos, esconder ao máximo.

Há outro fator que precisa ser levado em conta nisso aí: a chegada de Gasol acabou implicando na saída de Boris Diaw, peça importante em muitos momentos nos quais o Spurs recorreu ao small-ball e teve sucesso. Na única vitória sobre o Warriors na temporada passada, por exemplo, o francês teve papel fundamental, sobretudo nas trocas de marcação após os bloqueios. Se esse tipo de procedimento era a grande aposta para bater o principal concorrente da Conferência Oeste (e que deverá ficar ainda mais forte), como será que esse time vai se virar? Porque esse é o tipo de coisa que Gasol não vai entregar. E aí?

Não há dúvidas de que o pivô espanhol representa um acréscimo generoso para o nível geral de talento do elenco em San Antonio. Mas também é seguro dizer que ele não é, pelo menos inicialmente, a resposta para todas as coisas que o Spurs precisa para desafiar quem está atualmente no trono do Oeste. Pelo contrário: é uma presença que até coloca em risco a manutenção dos bons resultados defensivos que foram apresentados. A bola agora está nas mãos de Popovich, que tem essa equação para tentar solucionar.

*Luís Araújo é blogueiro do Triple-Double e torcedor do Chicago Bulls

Sobre Equipe Spurs Brasil

Seu site de notícias sobre o San Antonio Spurs em português. Ativo desde fevereiro de 2008.

Publicado em 12/07/2016, em Análises. Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Boa análise, mas o time recheado de bons arremessadores citados com certeza não é o nosso.
    Nossos principais problemas (nas duas ultimas temporadas) incluem a falta de pontaria e fraquíssimo aproveitamento dos jogadores, falta de vitalidade e força física no garrafão, não temos nenhum homem capaz de dar aos Spurs o que outros jogador dão as suas equipes, como Tristan Thompson para os cavs, só para citar um. Outro grande problema já é conhecido de todos, apesar de ser ignorado por quase todos, temos o armador mais preguiso e mão de gelatina de toda a liga.
    Gasol vai ser um acréscimo, mas ainda falta muito para buscarmos com tranquilidade a vice conferência, pq bater o warriors é impossível.

    • Concordo com o que disse. O Parker me mata de raiva, na próxima free agents parece que o CP3 vai estar disponível o spurs deveria fazer de tudo para trazer ele, isso inclui trocar o Parker o que eu acho difícil de acontecer.

  2. Concordo com o texto do Luís, e acho que a chegada do Gasol, é sem dúvida boa, mas realmente a questão física é onde o San Antonio deve se preocupar e revezar os veteranos com bons jovens que possam trazer gás, porque são 82 jogos na temporada, e é aí que entra a importância em ter Leonard, Anderson, Simmons, Green (mais pela sua defesa) e se sair bem até o Dedmon, e pra tapar esse buraco na defesa (Gasol é bom no um contra um mas deixa a desejar na cobertura de garrafão) acredito que o Pop tentará usar o esforço coletivo da equipe na defesa, kawhi deve ajudar dentro do garrafão e espero uma melhora do Aldridge também…

  3. Parabéns pelo texto, boa análise.

    Mas também foi uma ótima análise feita no comentário da (o) Molina, concordei com tudo.

    Ainda sobre o texto, a parte da saída do diaw, eu ainda nem tinha pensado nisso, mas talvez tenha sido uma perda quase tão maior do que o maior possível acréscimo da vinda do gasol que eu sempre quis que acontecesse.
    Diaw foi importante demais nos Spurs, muito versátil na marcação e sobretudo, um jogador muito tático. É esperar para ver.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s