Spurs (2) @ (1) Thunder – Mando recuperado

https://i2.wp.com/content.sportslogos.net/logos/6/233/thumbs/827.gif100×96

Não durou muito a desvantagem do San Antonio Spurs na semifinal da Conferência Oeste deste ano. Depois de perder o jogo 2 em casa, o alvinegro texano caiu na estrada e venceu, no ginásio do adversário, o Oklahoma City Thunder pelo placar de 100 a 96, nessa sexta-feira (6), abrindo 2 a 1 na série. Vamos, a seguir, aos destaques do confronto.

Rebote ofensivo de Leonard decidiu o jogo (Reprodução/nba.com/spurs)

Craque decisivo

Kawhi Leonard dividiu o posto de cestinha da partida dessa sexta com Russell Westbrook. O ala do Spurs deixou a quadra com 31 pontos, além de 11 ressaltos e três assistências. Mas se engana quem pensa que foi somente com cestas que o astro ajudou a decidir o jogo. Nos instantes finais, o camisa #2 coletou um importantíssimo rebote ofensivo depois de arremesso errado de LaMarcus Aldridge e tocou a bola para Tony Parker, que sofreu falta e converteu os dois lances livres, fazendo com que o alvinegro abrisse quatro pontos de vantagem restando apenas 18 segundos para o fim. A jogada praticamente selou a vitória da equipe texana.

Parker em mais um dia difícil para os inimigos (Reprodução/nba.com/spurs)

Calando os críticos – II

Durante a semana, Tony Parker concedeu entrevista coletiva e, entre suas respostas, explicou que seu trabalho não é mais pontuar, e sim “deixar Gregg Popovich feliz”. Para os que ainda têm dificuldades de entender seu novo papel, o armador deixou claro contra o Thunder que, se necessário, ele ainda pode ajudar a decidir um jogo. Foram 19 pontos, oito rebotes e cinco assistências para o astro francês do time de San Antonio, que só havia obtido tais números em playoffs uma vez na carreira: na série de 2013 contra o Golden State Warriors. Decadência? Aqui não!

Ajuda do coadjuvante

Apesar de ter deixado o jogo com 24 pontos e oito rebotes, Aldridge fez sua partida menos eficiente da série até o momento, convertendo somente oito dos 21 arremessos de quadra que tentou. Para a sorte do Spurs, o reserva David West compensou e veio do banco de reservas com a pontaria calibrada.

Foram sete pontos e três arremessos de quadra convertidos em seis arriscados para o ala-pivô, incluindo um dos cinco únicos tiros de três pontos convertidos em playoffs da sua carreira e um gancho de esquerda decisivo na reta final. Importante para garantir o resultado.

Limitando o tanque

Apesar de ter conseguido anotar 31 pontos, Westbrook precisou de 31 arremessos de quadra para chegar à marca. Como é muito difícil conter Kevin Durant – o ala precisou de apenas 18 arremessos para marcar 28 pontos -, o segredo para o Spurs pode estar em limitar o armador. Mérito da boa marcação individual desempenhada por Kawhi Leonard e Danny Green e da defesa coletiva, que fechou o garrafão e não deixou o camisa #0 infiltrar com facilidade.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 31 pontos, 11 rebotes e 3 assistências

LaMarcus Aldridge – 24 pontos e 8 rebotes

Tony Parker – 19 pontos, 8 rebotes e 5 assistências

Oklahoma City Thunder

Russell Westbrook – 31 pontos, 9 rebotes e 8 assistências

Kevin Durant – 26 pontos, 5 rebotes e 3 assistências

Serge Ibaka – 15 pontos e 5 rebotes

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil, seu maior orgulho na carreira jornalística. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor do LANCE!Net desde 2013, três anos após ter sido estagiário do Diário LANCE!. Neste meio tempo, foi repórter de automobilismo na agência mob36, redator do UOL Esporte e colunista no Basketeria.

Publicado em 07/05/2016, em Resumo de Jogos. Adicione o link aos favoritos. 15 Comentários.

  1. Antonio carlos nogueira

    Bela vitória, com calma vamos chegar aos 4 x 2 nessa série. Pra mim o jogador chave da partida foi o Parker que estava fazendo uma partida pífia e apareceu no momento certo, se ele não tivesse ressurgido das cinzas não teríamos vencido esse jogo.

  2. Depois da cesta de três do West tive certeza que a noite seria preto branco e prata. Belo jogo.

  3. Li esses dias aqui que o parker era um lixo e que nunca jogou nada, não quero só falar desse jogo e nem de toda temporada regular mas sim da história. Tem que respeitar. Spurs 4 x 2

  4. Antonio carlos nogueira

    Pablo, 101% contigo,

    Big three, tem que ser respeitado, são ídolos por tudo que fazem e principalmente pelo que já fizeram, é claro que a idade chega e o corpo sente, natural que seja assim, seria lindo terminar com mais um anel, mas a história linda deles na franquia já esta mais do que marcada de forma positiva, aconteça o que acontecer.

  5. Em tds os titulos do spurs, parker estava bem. Sabemos que o papel dele é outro agora dentro da equipe, mas é muito bom ver ele decidindo e chamando o jogo pra si no final. Nao sei se mostrou isso na transmissão aqui no Brasil, mas vi a transmissão em ingles e na reta final do jogo, Parker em um timeout, numa conferência entre jogadores, falou duro com o time, chamando a responsabilidade e mostrando muita liderança. Acho que Parker foi a chave pro Spurs nesse jogo. E talvez pro resto da serie e consequentemente do sexto anel.

  6. Pois é, como eu sempre disse, precisa aparecer alguém pra ajudar Leonard e Aldridge, no primeiro jogo foi o green, nesse o Parker, ganhamos os dois.
    Provavelmente fui eu quem chamou o Parker de lixo, não me arrependo porque quando disse isso me referia ao basquete jogado por ele na temporada que foi a nivel de jogador do nbb. Além do mais, nunca gostei do jogo dele mesmo e sempre deixo isso claro.
    Parker é o mais novo dos três e o mais sem vontade, não aturo jogador sem vontade.
    Agora, a vitória foi fundamental, poderia ter sido mais tranquila, se não fosse os lances livre. Porém, é o segundo jogo que os Spurs pagam pra ver o ibaka arremessar e pelo segundo jogo ele tá matando todas.

    • Alguém sabe dos rumores de Kevin durant nos Spurs? Tavam falando disso na ESPN ontem mas não peguei a informação completa.

      • Aposto que vai para o LAL. Pop por favor manda trazer o Mike Conley, o grizzlies está enrolando na renovação.

  7. danilovboas

    Me pergunto se algum dia as pessoas vão entender como esse esporte funciona. Especialmente, como o Spurs funciona.
    Nesse jogo existem papéis definidos, com jogadores específicos pra executar certas funções. É assim que basquete funciona. Agora, em San Antonio isso é levado ainda mais a sério, Pop sempre deixou isso claro e todos os jogadores sempre cumpriram exatamente com seus papéis. Quem não quer cumprir vaza, não importando seu status, simples assim.
    Aqui não tem estrelato sem motivo. Nem mesmo Duncan centralizou sempre o ataque. Na verdade faz uns 10 anos que ele não é mais o centro do ataque, e jamais se queixou disso. Ginobili sempre teve bola pra ser titular em qualquer franquia da liga, mas sempre aceitou serenamente a reserva no Spurs. Leonard passou vários jogos da segunda temporada dele depois que se lesionou no Toros. Robinson entregou de bom grado as chaves do time pra Tim Duncan em 1999, e aceitou um papel secundário (até menos do que isso, na verdade) em 2003.
    Nos últimos anos do ataque do Spurs dependia fundamentalmente da agressividade do Parker, iniciando o ataque com um pick e depois aproveitando as rotações pra achar alguém livre ou então atacando a cesta. Funcionou maravilhosamente bem. Acontece que não funciona daquele jeito mais. Os melhores times baixaram a altura, aumentaram a quantidade de gente no perímetro e estão se armando com defensores absurdamente rápidos e atléticos. Mesmo executando com perfeição um pick e tendo uma janela aberta pra atacar a cesta, um jogador como Ibaka ou Adams pode ainda chegar pra fechar o caminho, mesmo que tudo tenha sido feito perfeitamente. E aquele passe pra fora, que sempre resultou um Green ou qualquer outro livre, agora resulta num chute contestado porque Westbrook é um monstro físicamente. Estou dando os jogadores do Thunder como exemplo, mas isso funciona para qualquer time com um perímetro tão forte na defesa, como todos os principais contenders tem. Assistir o Spurs por 4 anos fez as defesas aprenderem a defender esse esquema, não importa quão bem você o execute. O Clippers mostrou ano passado que é possível defender a rotação de bola mesmo perfeitamente executada se você tiver as peças certas no perímetro.
    Simplesmente não dava mais pra deixar as chaves do ataque nas mãos do Parker. Percebendo isso, e percebendo como as defesas se adaptaram a defender o jogo de rotação de bola e como os times diminuíram sua altura, o Spurs foi na contramão e trouxe alguém pra dar justamente aqueles arremessos que ninguém mais quer dar. Buscamos um especialista e nosso ataque se transformou. Hoje, San Antonio é um time voltado para dar a bola em boas condições a Lamarcus Aldridge. A era Parker acabou. Em certo sentido ele volta no tempo, ao período pré-2007, em que era um coadjuvante de luxo.
    San Antonio já fez isso muitas vezes. Cada time campeão do Spurs tinha uma característica diferente, algo que os adversários não estavam prontos para defender. Enquanto toda a Liga diminui o tamanho e acelera o ritmo de jogo (o Spurs era um dos que jogava mais rápido até ano passado), San Antonio agora diminui o ritmo, o que contribui para a defesa sensacional. E mais uma vez surpreende a NBA, porque todo mundo evidentemente tem muitas dificuldades pra marcar Lamarcus Aldridge e ao mesmo tempo sabem que não podem subir a altura do time senão o Spurs destrói todo mundo com a movimentação de bola que ainda está lá, só está adormecida.
    Foi o que aconteceu no jogo de ontem. LMA não estava on fire como nos jogos em casa, o thunder modificou a defesa e tirou Adams de perto do aro pra trazer ele mais pra perto do Aldridge. E é aí que entra a genialidade do Pop e do Parker, além do preparo do time. Aproveitando que Adams estava longe do aro, Parker e o restante do time recebeu carta branca pra atacar a cesta, gerando muitos lances livres que, se bem aproveitados, teriam resultado num jogo mais tranquilo. Além disso, isso gera um monte de bolas de fora mais fáceis, que o próprio Parker soube aproveitar. Aposto que o Thunder tá num dilema terrível agora, não sabendo se deixam Aldridge chutar e fazer 50 pontos, ou se marcam ele mais de perto e acordam o Spurs de 2014 que chutou o traseiro deles já.

    Mas não nos enganemos: a tônica do ataque do Spurs não vai mudar. O jogo ontem foi apertado em parte porque LMA errou alguns arremessos fáceis, senão dava pra terminar o primeiro tempo uns 20 na frente. Parker não vai recuperar a centralização do ataque, o Thunder vai continuar tendo que marcar Aldridge de perto, vão continuar tentando imprimir essa correria e o Spurs vai continuar tentando colocar a bola limpa nas mãos do Aldridge e aproveitando os espaços que isso gera.

    A diferença que isso é tudo o que o Thunder pode fazer, enquanto o Spurs ainda tem um certo Kawhi Leonard pra destruir tudo e ainda pode contar com um jogador extremamente inteligente, totalmente acostumado a ler e aproveitar as falhas do adversário, que sabe se amoldar às situações complicadas, e que foi a cara do ataque que deixou a NBA de queixo caído por anos e agora usa seus talentos pra tornar seus companheiros melhores e aparece sempre que vê a porta aberta.

  8. Galera, vamos ser bem realistas, a temporada do Parker este ano esta muito abaixo. Mas ai vão dizer: ” Mas ele tem aproveitamento de mais de 50%”. Tá tudo bem, ele tem sim, mas olha a média de pontos de um armador com o potencial dele, sinto que essa temporada ele não teve vontade nenhuma de jogar, as vezes desligado do jogo, inseguro demais, até mesmo nas bolas de 3 (digo isso pela temporada este ano) sendo que ele tem um ótimo arremesso e aproveitamento da linha de 3, ontem ele mostrou isso, não critico Tony Parker e sua história, eu critico o que ele tem feito essa temporada, ele pode render muito mais e todos nós sabemos disso. Nesses Playoffs ele mudou bastante de postura, ontem ele chamou a responsabilidade e jogou muito bem. Enfim algo que fiquei preocupado é com os erros em lances livre, somos a melhor equipe em aproveitamento de FT, e nesses dois últimos jogos erramos muito, e os melhores batedores como KL errando muito, isso ao final do jogo custa muito caro, FT ganha jogo sim. No mais fiquei satisfeito pela vitória, e foi bom pra mostrar pra alguns aqui do blog que estavam desacreditados tratando como se fossemos o 76ers (um comentário em outro post mencionou isso kkkk), e não tem crise em San Antonio! GoSpursGo!
    OBS: foi comentado ontem na ESPN que estamos indo atrás de Kevin Durant que será free agent. ótima notícia.

  1. Pingback: Spurs (2) @ (1) Thunder – Semifinal do Oeste | Spurs Brasil

  2. Pingback: Spurs (2) vs Thunder (2) – Semifinal do Oeste | Spurs Brasil

  3. Pingback: Spurs (2) vs (3) Thunder – Complicou | Spurs Brasil

  4. Pingback: Spurs (2) vs (3) Thunder – Semifinal do Oeste | Spurs Brasil

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s