Arquivo diário: 26/11/2015

Spurs (12-3) vs Mavericks (9-7) – Venceu. Não convenceu

88×83https://i0.wp.com/content.sportslogos.net/logos/6/228/thumbs/ifk08eam05rwxr3yhol3whdcm.gif 

Em uma partida de poucos encantos para o torcedor que compareceu ao AT&T Center, o San Antonio Spurs ao menos cumpriu a lição de casa ao bater, nesta quarta-feira, o Dallas Mavericks por 88 a 83. Foi a terceira vitória consecutiva para o time preto e prata, enquanto os rivais somaram o terceiro revés em sequência. Vamos aos destaques.

Aldridge em ação contra o Mavs (Reprodução/nba.com/spurs)

Sempre ele

É de impressionar a temporada que Kawhi Leonard vem fazendo com a camisa do Spurs. Se quando desembarcou no Texas era apenas um bom defensor com a missão de converter alguns chutes da zona morta no ataque, agora o ala mostra o quanto desenvolveu a versatilidade de seu jogo. Giros, infiltrações, arremessos de média e longa distância saem com naturalidade no repertório do camisa #2. Isso tudo, claro, mantendo, do outro lado, o nível que lhe rendeu o prêmio de Defensor do Ano da NBA na temporada passada. Contra os Mavericks, marcá-lo foi um verdadeiro tormento para Wesley Mattews.

Parker fez bom jogo (Reprodução/nba.com/spurs)

Recuperando o ritmo

Há de se levar em conta que Deron Williams não é exatamente um armador rápido, mas Tony Parker demonstrou em determinados momentos a antiga velocidade e habilidade para concluir bandejas. Diante de um marcador com menos mobilidade, o francês conseguiu levar vantagem, fez seu jogo fluir e flertou com um triplo-duplo, terminando a partida com 16 pontos, oito assistências e oito rebotes.

Não encantou

Além das boas atuações de Leonard e Parker, há poucas coisas a se destacar no desempenho desta quarta-feira. Como sugere o placar magro, abaixo dos 90 pontos para ambas as equipes, a partida se deu em um ritmo lento e com muitos erros para ambos os lados. Os arremessadores, em especial, não estavam em noite inspirada. O Spurs encerrou a noite com somente 28,6% de aproveitamento nos três pontos, contra 27,9% do Mavericks, que foi ainda pior.

A movimentação de bola, marca registrada do time de San Antonio durante a campanha do título de 2014, também não flui com tanta naturalidade, ficando mais a cargo das qualidades individuais dos jogadores a missão de encontrar espaços em quadra.

Problemas

Pode até parecer um tanto exagerado tecer críticas a uma equipe que venceu 80% dos jogos da temporada e tem a segunda melhor campanha da NBA, mas algumas coisa precisam melhorar para o Spurs não se complicar contra equipes do primeiro escalão.

O banco, antes um diferencial do time texano, ainda peca na consistência. Manu Ginobili, até então o melhor suplente da equipe, teve noite ruim, errando todas as seis bolas de três pontos que tentou e convertendo só dois de 12 arremessos de quadra. Patty Mills segue irregular, alternando boas e más atuações, enquanto Boris Diaw zerou na pontuação pela segunda noite seguida. Outro que não converteu um ponto sequer foi Rasual Butler. Já entre os titulares, Danny Green ainda não justificou o salário de 11 milhões de dólares por ano e segue com a mira descalibrada – apenas dois acertos em sete bolas longas diante do Mavs.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 26 pontos, 8 rebotes e 5 assistências

LaMarcus Aldridge – 18 pontos e 7 rebotes

Tony Parker – 16 pontos, 8 rebotes e 8 assistências

Dallas Mavericks

Wesley Matthews – 15 pontos

Dirk Nowitzki – 13 pontos e 14 rebotes

Devin Harris – 11 pontos

Anúncios