Arquivo mensal: novembro 2015

Spurs (14-3) @ Bulls (9-5) – Temporada regular

San Antonio Spurs @ Chicago Bulls – Temporada Regular

Data: 30/11/2015

Horário: 23h00 (Horário de Brasília)

Local: United Center

Na TV: SporTV

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,61 (favorito) @ Bulls 2,33

Após boas vitórias sobre Denver Nuggets e Atlanta Hawks, o San Antonio Spurs volta para a estrada. O adversário da vez é o duríssimo Chicago Bulls, um dos favoritos ao posto de principal time da Conferência Leste. Se vencer, o alvinegro texano chegará ao seu sexto triunfo seguido, embalando seu melhor momento neste início de temporada.

Clique aqui e compre seus ingressos para o jogo

8271la.png

PG – Tony Parker

SG – Danny Green 

SF – Kawhi Leonard

PF – LaMarcus Aldridge

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Diante de uma defesa muito forte, o Spurs irá precisar que LaMarcus Aldridge mostre o melhor de seu bom arsenal ofensivo. Se encarar Nikola Mirotic como seu defensor, o ala-pivô tem tudo para se dar bem no duelo desta segunda-feira.

hj3gmh82w9hffmeh3fjm5h874i.png

PG – Derrick Rose

SG – Jimmy Butler

SF – Doug McDermott

PF – Nikola Mirotic

C – Pau Gasol

Fique de Olho – Nada menos do que “o Kawhi Leonard deles”, Jimmy Butler vem em uma ascensão meteórica na NBA e aos poucos assume o posto de principal jogador do Bulls. O ala-armador vem demonstrando eficácia alta nos dois lados da quadra.

Spurs (14-3) vs Hawks (11-8) – Para crescer a moral

https://i2.wp.com/content.sportslogos.net/logos/6/233/thumbs/827.gif108×88

Neste sábado (28), o San Antonio Spurs venceu, em casa, o Atlanta Hawks por 108 a 88 e chegou à 14ª vitória na temporada, a quinta seguida, abrindo assim três jogos de vantagem para o Oklahoma City Thunder na vice-liderança da Conferência Oeste. Se o calendário “amigo” tem sido um dos motivos para o bom início, o triunfo de 20 pontos de diferença sobre um time forte deixa uma boa impressão. Vamos aos destaques do duelo.

Leonard foi, de novo, o cestinha do Spurs (Reprodução/nba.com/spurs)

Fazendo história

Contra o Hawks, Tony Parker deixou a quadra com 11 pontos, 6 assistências e 3 rebotes, enquanto Tim Duncan contribuiu com 10 pontos, 18 rebotes, quatro assistências e dois tocos. A vitória foi a de número 700 dos astros jogando juntos pelo Spurs. Lendas!

Duncan fez história mais uma vez (Reprodução/nba.com/spurs)

Freguesia

Desde que foi draftado em 1997 pelo Spurs, Tim Duncan não sabe o que é perder em casa para o Hawks. A última vitória do time de Atlanta em San Antonio foi no dia 15 de fevereiro daquele ano. Não bastasse a freguesia, The Big Fundamental ainda se tornou o primeiro jogador de ao menos 39 anos de idade a registrar um duplo-duplo com 18 ou mais rebotes desde que Dikembe Mutombo o fez em 1997.

Defesa e três pontos

Dois fundamentos foram fundamentais para que o Spurs vencesse: a defesa e os arremessos de três pontos. O alvinegro segurou os visitantes ao seu pior quatro na temporada (12 pontos no segundo) e ao seu pior primeiro tempo no campeonato (37). Os 88 pontos igualaram ainda a marca mais baixa da equipe de Atlanta nestes 19 jogos. Por outro lado, o time texano converteu nove bolas de três pontos, repetindo sua melhor marca nesta campanha até aqui.

Envolvida

A ex-armadora Becky Hammon deu mais uma mostra de que tem futuro na profissão durante o confronto com o Hawks. Em determinado ponto do jogo, a assistente mostrou em sua prancheta uma jogada defensiva para Gregg Popovich, que a fez, na seguida, explicá-la para os jogadores. A movimentação terminou em um turnover dos visitantes.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 22 pontos e 7 rebotes

LaMarcus Aldridge – 13 pontos, 6 rebotes, 3 roubos de bola e 2 tocos

Patrick Mills – 13 pontos

Manu Ginobili – 12 pontos e 3 assistências

Tony Parker – 11 pontos, 6 assistências e 3 rebotes

Tim Duncan – 10 pontos, 18 rebotes, 4 assistências e 2 tocos

Atlanta Hawks

Mike Scott – 12 pontos e 3 assistências

Kent Bazemore – 11 pontos e 7 rebotes

Al Horford – 10 pontos, 4 rebotes e 3 assistências

Spurs (13-3) vs Hawks (11-7) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Atlanta Hawks – Temporada Regular

Data: 28/11/2015

Horário: 23h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Na TV: SporTV

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,28 (favorito) vs Hawks 3,75

Um dia depois de vencer o Denver Nuggets na estrada, o San Antonio Spurs volta ao seu ginásio para enfrentar o Atlanta Hawks. Gregg Popovich deve utilizar-se dos retornos de Manu Ginobili e Tim Duncan, poupados na noite anterior, e assim ter todo o seu elenco à disposição. Os visitantes, por sua vez, têm o pivô brasileiro Tiago Splitter como dúvida.

Clique aqui e compre seus ingressos para o jogo

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – LaMarcus Aldridge

C – Tim Duncan

Fique de olho – Com um planejamento de jogos e minutos nos últimos campeonatos, Tim Duncan consegue manter-se assustadoramente eficiente mesmo aos 39 anos de idade. Nesta temporada, suas médias são de dez pontos e 8,2 rebotes em 27,6 minutos por exibição.

PG – Jeff Teague

SG – Kyle Korver

SF – Thabo Sefolosha

PF – Paul Millsap

C – Al Horford

Fique de olho – Recuperado de uma fratura na perna direita, Thago Sefolosha, importante na defesa e nos tiros de três, vai aos poucos sendo incorporado de volta na rotação do Hawks. Até aqui, fez 14 partidas na temporada, com média de 7,7 pontos e cinco rebotes por jogo.

Spurs (13-3) @ Nuggets (6-10) – Tranquilo!

91×80xeti0fjbyzmcffue57vz5o1gl

O San Antonio Spurs nem sequer precisou de todos os seus titulares para derrotar, pela segunda vez na temporada, o Denver Nuggets. Com belíssimo jogo de Kawhi Leonard, o time de Gregg Popovich venceu por 91 a 80, nesta sexta-feira (27), e chegou à sua 13ª vitória na temporada. Vamos, a seguir, ao que de melhor aconteceu no confronto.

Leonard foi destaque outra vez (Reprodução/nba.com/spurs)

A primeira vez…

A gente nunca esquece? Bem, talvez nem sempre seja assim. Que o diga Boban Marjanovic, o pivô gigantesco que chegou ao Spurs neste ano e foi titular pela primeira vez contra o Nuggets. No geral, porém, não mudou muito para ele: foram apenas seis minutos e nenhum arremesso de quadra – seus dois únicos pontos vieram de lances livres.

Parker fez bom jogo (Reprodução/nba.com/spurs)

 … e a enésima

Agora, quando uma situação começa a se repetir muitas vezes, então finalmente temos um padrão, certo? E é isso o que acontece com Kawhi Leonard. Mais uma vez, o ala foi o melhor em quadra e liderou o Spurs à quarta vitória seguida com uma atuação incrível. Foram nada menos do que 25 pontos, sete rebotes, seis assistências, cinco bloqueios e (ufa, está acabando!) quatro roubadas de bola. Incrível.

Pro-fun-di-da-de

Uma coisa que tem feito bastante diferença para o Spurs no começo da temporada é a profundidade do elenco. As aquisições recentes – LaMarcus Aldridge e David West, mais especificamente – melhoraram de tal forma o plantel que, hoje, as ausências de nomes como Tim Duncan e Manu Ginobili, poupados, são muito menos sentidas. Ponto para a diretoria!!

Mas nem tudo são flores

Aldridge continua meio “fora” do esquema. Tudo bem, não é fácil se adaptar ao complexo sistema de jogadas de Gregg Popovich, mas mesmo assim esperava-se mais. De qualquer modo, apesar de ter feito apenas oito pontos, o ala-pivô não atrapalhou e arremessou “só” 11 bolas. Mas, é claro, vamos dar tempo ao tempo. Quando entrosar…

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 25 pontos, 7 rebotes, 6 assistências, 5 bloqueios e 4 roubos de bola

Tony Parker – 13 pontos e 5 assistências

Denver Nuggets

Danilo Gallinari – 16 pontos

Três formas de parar Curry e o irresistível Warriors

16 vitórias em 16 jogos, melhor início da história da NBA…

Esse é o Golden State Warriors de Stephen Curry, que vem pulverizando rivais e já ameaça o recorde do Chicago Bulls de 72 vitórias e dez derrotas, conquistado em 1995/1996.

Quem vai pará-lo? (Foto: Getty Images)

Quem vai pará-lo? (Getty Images)

O assunto da moda na imprensa internacional é quem vai parar a franquia californiana e quando isso vai acontecer. Isso pode ocorrer a qualquer momento, claro, mas pelo que o Warriors vem jogando até aqui, vai ser difícil esse recorde cair facilmente.

Na onda do tema, comecei a pensar em como parar esse time que já é um dos melhores da história da liga, sobretudo já visando o confronto do próximo 25 de janeiro contra o nosso San Antonio Spurs e uma eventual série de playoffs entre as duas equipes.

Pensei em três formas que um time pode usar para minimizar (porque pará-lo é impossível) sua principal estrela, o armador Stephen Curry. Vamos lá?

1. Reduzir seu volume com jogo físico e dobras

Stephen Curry é o cérebro do time. Ele arma, cria, arremessa, envolve seus companheiros… faz de tudo um pouco. Um caminho para minimizar o impacto seria pressioná-lo no fundo quadra – dobrando se preciso – e obrigá-lo a passar a bola o quanto antes.

A estratégia seria dobrar sempre que ele recebesse a bola, reduzindo assim seu volume de jogo e deixando seus companheiros com mais liberdade durante a partida. É uma estratégia arriscada, principalmente se pensarmos que o elenco da franquia californiana é bastante profundo e conta com outros jogadores de elite, mas poderia funcionar.

Na final da última temporada, contra o Cleveland Cavaliers, os momentos de maior sucesso de LeBron James e companhia aconteceram quando o camisa #30 foi seguidamente dobrado ou quando teve de lidar com uma defesa que o incomodou fisicamente, dando trombadas e o acompanhando o tempo todo sem se importar com os outros atletas em quadra. Veja alguns exemplos do bom trabalho defensivo do armador australiano Matthew Dellavedova:

sc01

sc02

sc03

sc04

sc05

sc06

2. Dar a bola a Stephen Curry

O oposto do item anterior também seria uma estratégia válida. Dar espaço para o armador ter um alto volume de jogo e evitar que seus companheiros pontuem com facilidade pode funcionar, especialmente se Curry estiver em uma noite pouco inspirada (o que está bem difícil de acontecer). Eventualmente, o astro poderia marcar 30, 40 ou até 50 pontos contra o time que fizesse isso, mas seus colegas pontuariam abaixo de suas médias.

3. Cometendo poucos turnovers e sendo assertivo no ataque

Um dos carros-chefe do camisa #30 é a bola de três pontos no contra-ataque. Já cansamos de vê-lo pontuar aproveitando-se de adversários voltando descoordenados para a defesa após um turnover ou depois de um ataque mal executado.

Soa até meio clichê, mas evitar desperdícios será crucial para quem quiser batê-los. Trabalhar bem o ataque também é fundamental, pois uma ofensiva mal pensada fatalmente acarretará em contra-ataque com aquela bola de três mortal, como você pode ver a seguir:

sc07

sc08

Já funcionou no passado…

O tipo de defesa física e com dobras que mencionei no item 1 funcionou especificamente no jogo entre Spurs e Warriors no último dia 5 de abril. Observe como Kawhi Leonard usa sua envergadura para desarmar o camisa #30 repetidas vezes.

sc09

sc10

sc11

sc12

Sozinho, Leonard nem sempre vai conseguir minimizar Curry, pois leva desvantagem contra rivais mais rápidos (vide Chris Paul nos últimos playoffs). No entanto, seu porte e físico e envergadura definitivamente devem ajudar a atrapalhá-lo. A chave, além disso, é usar Tony Parker e sobretudo Patrick Mills em papel semelhante ao que Dellavedova fez nas finais.

Ou seja, o Spurs tem boas armas para reduzir o impacto do camisa #30, mas claro que isso vai depender muito de quanto Curry vai estar inspirado nos duelos, já que o armador é daqueles gênios que em dias iluminados nem a melhor defesa do mundo consegue parar.