Arquivo mensal: outubro 2015

Spurs (1-1) vs Nets (0-2) – Fórmula mágica

assinatura SA Br''

102×75

Em jogo marcado por dois tempos completamente distintos, o San Antonio Spurs atropelou o Brooklyn Nets por 102 a 75 e alcançou sua primeira vitória na temporada 2015/2016 da NBA, nesta sexta-feira (30), no AT&T Center. O ala Kawhi Leonard foi mais uma vez o cestinha alvinegro, enquanto o ala-pivô LaMarcus Aldridge chegou ao primeiro double-double como jogador da franquia. O próximo compromisso dos texanos será no domingo à tarde, fora de casa, contra o Boston Celtics. Vamos, a seguir, aos destaques da partida:

Leonard larga por cima de Lopez. Camisa #2 foi o cestinha do Spurs. (NBAE/Getty Images)

Água dos Looney Tunes

Quem assistiu apenas ao primeiro tempo de partida e foi dormir certamente levou um susto ao ver o resultado final. Isso porque os dois primeiros quartos do alvinegro texano foram para se esquecer. Cometendo muitos erros (dez turnovers), convertendo apenas 40% dos arremessos de quadra e permitindo ao adversário um aproveitamento de 49% nos chutes – incluindo 24 pontos dentro do garrafão -, o Spurs foi para os vestiários perdendo por 47 a 42.

Na volta do intervalo, porém, entraram em ação os ajustes de Gregg Popovich (ou seria uma água milagrosa?): para começar, oito pontos seguidos do até então sumido Tony Parker. Depois, com uma defesa mais forte e muita movimentação de bola, o Spurs alcançou um aproveitamento extraordinário de 65% nos arremessos e virou o placar ao vencer a terceira parcial por 34 a 17. No último quarto, o cenário se manteve e os texanos chegaram à vitória após anotarem 60 pontos, contra apenas 28 do Nets no segundo tempo.

Novidade, Aldridge fez boa partida (NBAE/Getty Images)

O Spurs que queremos ver

Uma das fórmulas do sucesso da franquia texana na era Popovich é a força de seu jogo coletivo. Mesmo com muitas caras novas, essa característica voltou a aparecer na vitória desta quarta, com seis jogadores alvinegros figurando com mais de dez pontos. O banco, por sua vez, liderado por Manu Ginobili (12), também mostrou sua força ao produzir 43 pontos – a mesma quantidade alcançada por todos os titulares do Nets. Ao todo, 12 dos 13 jogadores do Spurs que estiveram em quadra nesta sexta-feira pontuaram.

Aquecendo os motores

Embora não tenha beirado sua expressiva marca do jogo anterior, na derrota para o Oklahoma City Thunder, Kawhi Leonard manteve seu nível de atuação e mais uma vez foi o cestinha e destaque do Spurs, fechando a partida com 16 pontos, dez rebotes e duas roubadas. Nos dois jogos até aqui, o camisa #2 registra 50% de aproveitamento nos arremessos de quadra e 100% nos lances-livres. O menino está voando!

Outro ponto positivo na primeira vitória da equipe de San Antonio nesta temporada foi a performance de LaMarcus Aldridge, principal contratação do Spurs na offseason. Se soltando aos poucos, o camisa #12 conseguiu seu primeiro double-double com a camisa alvinegra, anotando dez pontos, pegando 11 ressaltos e distribuindo quatro assistências. Ainda pouco para a estrela que brilhou no Portland TrailBlazers e roubou as atenções como agente livre, mas uma mostra que a evolução de desempenho deverá ser questão de tempo.

Menção honrosa: outro reforço para a temporada, Boban Mariajonovic fez sua estreia na temporada regular e, em apenas cinco minutos, anotou seis pontos, pegou cinco rebotes e deu uma assistência, levando ao delírio os torcedores que ficaram até o fim do jogo no ginásio.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 16 pontos, 10 rebotes, 2 roubos, 1 toco e 1 assistência

Tim Duncan – 15 pontos e 8 rebotes

Manu Ginobili – 12 pontos, 5 rebotes e 4 assistências

LaMarcus Aldridge – 10 pontos, 11 rebotes, 4 assistências e 1 toco

Tony Parker – 10 pontos e 4 assistências

Patty Mills – 11 pontos, 3 rebotes e 3 assistências

Brooklyn Nets

Brook Lopez – 17 pontos, 3 rebotes e 4 assistências

Jarrett Jack – 12 pontos, 6 rebotes e 7 assistências

Anúncios

Spurs (0-1) vs Nets (0-1) – Temporada Regular

assinatura SA Br'

San Antonio Spurs vs Brooklyn Nets – Temporada Regular

Data: 30/10/2015

Horário: 22h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center, San Antonio, TX

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,05 (favorito) vs Nets 10,38

Após sucumbir na estreia para o Oklahoma City Thunder, o San Antonio Spurs joga pela primeira vez em seu renovado ginásio, buscando o primeiro triunfo na temporada 2015/2016. O adversário da vez será o Brooklyn Nets, que também vem de derrota na estreia e não vence um jogo no AT&T Center há 13 anos. O time da Big Apple terá o retorno de Jarrett Jack, que perdeu o primeiro compromisso por contusão, enquanto os texanos verão pela primeira vez os reforços LaMarcus Aldridge e David West jogando uma partida oficial em casa. Pelo histórico e pela fragilidade do adversário, o alvinegro tem tudo para fazer o seu torcedor sorrir nesta sexta-feira, mesmo com a falta de entrosamento do elenco.

Clique aqui e compre seus ingressos para o jogo

Kawhi Leonard

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – LaMarcus Aldridge

C – Tim Duncan

Fique de olho – Kawhi Leonard é cada vez mais o dono do time. A evolução do camisa #2 nos últimos anos é notável, tornando ele um dos jogadores mais completos da liga. Na estreia, contra o Thunder, The Claw foi o destaque do time, quebrando seu recorde pessoal de pontos na carreira (32) e fazendo um trabalho excepcional na defesa contra Kevin Durant. Com Tony Parker vivendo má fase e LaMarcus Aldridge ainda tímido no sistema do técnico Gregg Popovich, o ala tem tudo para ser o protagonista neste início de temporada.

Brook Lopez

PG – Jarrett Jack

SG – Bojan Bogdanovic

SF – Joe Johnson

PF – Thadeus Young

C – Brook Lopez

Fique de olho – Em sua oitava temporada na liga e de contrato renovado, Brook Lopez hoje é a principal referência dos Nets. Na estreia da temporada, na derrota para o Chicago Bulls, o jogador de 2,10m já se destacou, terminando com 26 pontos e sete rebotes. Hoje, diante de um garrafão mais leve do Spurs (sem pivôs de ofício na rotação), que já sofreu no jogo passado contra os limitados Enes Kanter e Steve Adams, será a peça chave para um triunfo.

Spurs (0-1) @ Thunder (1-0) – Mais cuidado, Green!

106×112https://i2.wp.com/content.sportslogos.net/logos/6/2687/thumbs/khmovcnezy06c3nm05ccn0oj2.gif 

Não foi exatamente o início de campeonato que o torcedor do San Antonio Spurs sonhava, é verdade. Mas a derrota desta quarta-feira (28) para o Oklahoma City Thunder, pelo placar de 112 a 106, tem que ser relativizada. Começando que esta não era mesmo uma partida fácil. Um revés, fora de casa, para o adversário completo pode ser considerado um resultado normal em qualquer estágio da campanha. Além disso, a equipe texana estreava algumas novidades no elenco que mudam consideravelmente o jeito de jogar e exigem tempo para adaptação e aprendizado das movimentações. Além disso, se não fosse uma enorme besteira de Danny Green no final, o resultado até poderia ter sido outro…

Green e um jogo para apagar da memória (Layne Murdoch Jr./NBAE Getty Images)

O que foi isso?

Se por um lado podemos justificar a derrota desta quarta-feira pelos motivos citados no primeiro parágrafo, por outro o erro cometido por Green nos segundos finais é inexplicável. Perdendo por dois pontos (108 a 106), o Spurs teria a bola final nas mão para empatar o jogo ou até mesmo virar. Mas o camisa #14 – com um recém-renovado contrato de 44 milhões de dólares por quatro anos, vale lembrar – enterrou as chances de vitória do time de San Antonio.

Ele recebeu a bola das mão de Tim Duncan, saindo do bloqueio, e faltando ainda 15 segundos no relógio, subiu para o arremesso de três pontos marcado por Steven Adams. A bola foi curta e nem sequer tocou o aro. Um erro gravíssimo de leitura da defesa adversária por parte do ala, que até então havia errado todas os quatro tiros de longa distância que tentara.

Aldridge precisa se entrosar (Layne Murdoch Jr./NBA Getty Images)

Estreia

LaMarcus Aldridge, principal contratação texana para a temporada, teve um início bem discreto. Ainda buscando o entrosamento com os companheiros, teve um volume de jogo bem menor do que costumava ter no Portland TrailBlazers. Chutou apenas 12 bolas, acertando somente quatro delas. Pouco diante do que ele pode fazer, sabemos. Outro que debutou com a camisa texana foi David West, atuando por 18 minutos e deixando a quadra com oito pontos e dois rebotes.

O menino Kawhi

Uma coisa parece ter ficado bem clara desde já. O Spurs de 2015/2016 é o time de Kawhi Leonard. O ala, de 24 anos de idade, teve atuação soberba dos dois lados da quadra. No ataque, chamou a responsabilidade e pontuou de todas as maneiras, sobre quem quer que o marcasse. Na defesa, limitou Kevin Durant a apenas 31% de aproveitamento nos arremessos de quadra. Se escapar das lesões, tem tudo para figurar no próximo All-Star Game.

Acabou o gás?

Se Kawhi mostrou estar “na ponta dos cascos”, a situação de Tony Parker preocupa. Depois de jogar o Eurobasket pela França em nível bem abaixo do seu usual, o armador parece estar sentindo o peso da idade. Aos 33 anos e após 14 temporadas na NBA, o astro não parece mais mostrar aquela velocidade em direção a cesta e o poder de infiltração de antigamente. Na defesa, a lentidão foi fatal diante de um explosivo Russell Westbrook, que deitou e rolou.

Com um Parker cada vez mais limitado, recairá sobre Kawhi uma responsabilidade ainda maior na pontuação, e até mesmo no início das jogadas, quebrando a primeira linha de defesa, antes atribuição do armador com seus dribles em velocidade. Na defesa, o francês terá que ser “escondido”, deixando nas mãos de Green ou até mesmo do camisa #2 a responsabilidade de guardar armadores velozes como Westbrook, Chris Paul ou Stephen Curry, só para citar jogadores de rivais diretos da Conferência Oeste.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Kawhi Leonard – 32 pontos, 8 rebotes e 3 roubos de bola

Manu Ginobili – 11 pontos e 7 assistências

LaMarcus Aldridge – 11 pontos e 5 rebotes

Oklahoma City Thunder

Russell Westbrook – 32 pontos e 10 assistências

Kevin Durant – 22 pontos e 6 rebotes

Enes Kanter – 15 pontos e 16 rebotes

Spurs (0-0) @ Thunder (0-0) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Oklahoma City Thunder – Temporada Regular

Data: 28/10/2015

Horário: 22h (Horário de Brasília)

Local: Chesapeake Energy Arena

Na TV: ESPN

Cotação no Apostas Online: Spurs 2,62 @ Thunder 1,50 (favorito)

É dada a largada para a temporada 2015/2016 da NBA. Cercado de expectativas após as aquisições da offseason, o San Antonio Spurs estreia logo de cara com um desafio e tanto: enfrentar, fora de casa, o Oklahoma City Thunder. Não importa o resultado: será cedo demais para tirar conclusões, mas o confronto, por ser um duelo direto entre postulantes as primeiras colocações na Conferência Oeste e pode ter peso lá na frente, especialmente como critério de desempate. Por isso, vencer logo de cara é muito importante.

Clique aqui e compre seus ingressos para o jogo

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – LaMarcus Aldridge

C – Tim Duncan

Fique de olho – Talvez o agente livre mais cobiçado da última offseason, LaMarcus Aldridge decidiu se juntar a Tim Duncan em San Antonio para formar uma das duplas de garrafão mais fortes da NBA. Sua chegada à equipe, no entanto, gera mudanças substanciais em relação ao esquema adotado nos últimos anos, quando Tiago Splitter ocupava a vaga no quinteto titular. Esta será a estreia oficial do ala-pivô com a camisa do Spurs, e vale desde já observar com atenção a maneira com que ele irá se encaixar e se adaptar ao novo time.

https://i2.wp.com/content.sportslogos.net/logos/6/2687/thumbs/khmovcnezy06c3nm05ccn0oj2.gif

PG – Russell Westbrook

SG – Andre Roberson

SF – Kevin Durant

PF – Serge Ibaka

C – Steven Adams

Fique de olho – MVP na temporada 2013/2014, Kevin Durant atuou em apenas 27 partidas em 2014/2015 devido a uma fratura no pé direito e viu o seu Thunder, comandado por Russell Westbrook, ficar fora dos playoffs. Recuperado da lesão que o limitou no último campeonato, o camisa #35 quer retomar a sua “coroa” e o posto de melhor pontuador da NBA. Talento ele tem de sobra, isso todos sabem. Pará-lo será uma difícil missão para Kawhi Leonard.

Como Leonard se encaixa no futuro próximo do Spurs

*  Por Bruno Pongas

Há pouco mais de três anos, escrevi um artigo no meu antigo blog dando cinco motivos para depositarmos nossas fichas em Kawhi Leonard como futuro do San Antonio Spurs. À época, o ala havia acabado sua primeira temporada com a camisa do alvinegro e ingressava na equipe texana que disputaria a Summer League de Las Vegas em 2012.

Leonard já é destaque do Spurs (Reprodução/San Antonio Express News)

Naquele momento, os cinco motivos que destaquei foram os seguintes:

  • Perfil: o fato dele ser um jogador reservado, humilde, bem no estilo de Tim Duncan e que Gregg Popovich tanto gosta;
  • Frieza: destaquei a boa série de playoff que ele havia feito na final da Conferência Oeste de 2012, contra o Oklahoma City Thunder, com médias de 8,8 pontos e 7,3 rebotes por noite, além de um aproveitamento de quase 45% nos arremessos de longa distância (desempenho muito melhor do que o de outros jogadores de quem se esperava mais);
  • Defesa: a defesa sempre foi o carro-chefe do camisa #2, e ele mostrou um grande potencial defensivo desde que chegou a San Antonio, limitando significantemente jogadores do nível de Kevin Durant já em sua rookie season;
  • Arremesso: ainda quando jogava pela Universidade de San Diego, Leonard era um bom prospecto, mas entre os seus pontos negativos estava o seu inconstante arremesso. Ao chegar ao Spurs, contudo, o ala demonstrou bom potencial neste quesito, fechando sua temporada de novato com aproveitamento de 49,3% no geral e de 37,6% nas bolas de três;
  • Franchise player: com base nos tópicos acima e no papel designado a ele na Summer League de 2012, quando foi testado liderando o ataque da equipe e arremessando à vontade, concluí que Leonard estava sendo preparado e realmente tinha potencial para tomar as rédeas de San Antonio após as aposentadorias de Tim Duncan e Manu Ginobili.

E onde Kawhi Leonard chegou após esses três anos?

Como disse anteriormente, Leonard sempre foi exímio como defensor e era a peça que faltava para elevar o Spurs a outro patamar. Antes, com George Hill (que também era bom defensor), faltava alguém para marcar pontuadores mais altos, como os casos de Kevin Durant e LeBron James, já que o armador, hoje no Indiana Pacers, era consideravelmente menor. Com a chegada do ala, contudo, os texanos conseguiram sanar essa que era uma de suas maiores deficiências e voltaram a brigar de vez pelo título da liga.

O “efeito Leonard” foi notável logo de cara. Nas três primeiras temporadas, o ala ajudou o Spurs a chegar a duas finais consecutivas, além de uma final de conferência em seu ano de novato. Como quê a mais, aquele cara que chegara para ser “apenas um defensor de primeira classe” evoluiu bastante ofensivamente e se tornou uma referência no ataque.

Nos playoffs de 2014, o camisa #2 registrou expressivas médias de 14,3 pontos (50% FG, 41,9% 3 PT) e 6,7 rebotes por noite, números que subiram na final para 17,8 pontos (61,2% FG, 57,9% 3 PT) e 6,4 rebotes e lhe deram o prêmio de melhor jogador das finais.

O desempenho do ala nos duelos decisivos, especialmente no Jogo 3, quando marcou 29 pontos, renderam, inclusive, algumas estatísticas curiosas (via USA Today):

  • Nunca antes em sua carreira (seja no college ou na NBA) Leonard tinha marcado 29 pontos. Ele alcançou esse recorde pessoal em uma final;
  • Nos últimos 35 anos, só dois jogadores marcaram 29 ou mais pontos em uma final antes dos 23 anos: os ídolos do Los Angeles Lakers Magic Johnson (42 pontos em 1980) e Kobe Bryant (30 pontos em 2001);
  • Leonard se tornou o jogador mais jovem da história (22 anos e 346 dias) a marcar pelo menos 25 pontos com 75% de aproveitamento nos arremessos em um jogo de final. O recorde era de James Worthy (23 anos e 93 dias).

O desenvolvimento ofensivo do camisa #2, como disse, elevou o Spurs a outro patamar e postergou um incômodo processo de rebuild pelo qual a franquia teria que passar após a gloriosa era de Duncan, Parker e Ginobili. Falarei mais sobre isso no próximo tópico; antes, alguns vídeos do ala durante as finais do ano passado:

Melhores momentos das finais de 2014:

Análise tática de como Leonard conseguiu ser eleito o MVP das finais:

Entrevista na TNT após Leonard receber o troféu de MVP das finais:

Onde Kawhi Leonard pode chegar?

Ter uma camisa aposentada? Acho que sim, até porque Leonard acabou de assinar um longo e milionário contrato com o Spurs. O objetivo aqui, no entanto, é falar mais a curto prazo: o que esperar do ala na ofensiva que agora também tem o astro LaMarcus Aldridge?

Eu enxergo dois cenários possíveis e prováveis – e que no final das contas devem se fundir ao longo dos compromissos do alvinegro de San Antonio. No primeiro, Leonard vai continuar ganhando mais espaço no ataque de Gregg Popovich e dividirá as responsabilidades ofensivas com o recém-chegado ala-pivô. No segundo, o ala vai gastar mais energia na sua especialidade (a defesa) e participar com menos intensidade no campo ofensivo.

Na série da última temporada contra o Los Angeles Clippers, por exemplo, Leonard foi a principal peça ofensiva da equipe e pagou um preço por isso, pois claramente teve mais dificuldades para defender do que o costume. Por mais que seja um ser humano com um atleticismo fora da curva, é praticamente impossível no nível da NBA dar 100% nos dois lados da quadra sem pagar o preço amargo que se chama cansaço.

É por isso que acredito que, apesar de ser uma peça indispensável no sistema ofensivo do Spurs, em muitos momentos Leonard voltará a ser aquele garoto que foi recrutado com o objetivo principal de defender, gastando mais energia neste papel. E isso faz todo o sentido, já que o ataque texano é extremamente versátil e pode fluir igualmente bem com o camisa #2 concluindo menos jogadas do que na última temporada.

Independente disso tudo, acredito que Leonard continuará evoluindo, e que esta temporada tem tudo para ser a melhor de sua carreira no Texas. Vale lembrar que no último ano ele se machucou no começo da campanha e perdeu muitos jogos, demorando a pegar no tranco. Quando entrou no ritmo, todavia, protagonizou jogos dominantes como esses:

Contra o Cleveland Cavaliers e LeBron James em 12 de março:

Contra o Golden State Warriors em 5 de abril:

Contra o Oklahoma City Thunder em 7 de abril:

Na defesa nem tem muito o que falar. O camisa #2 vai continuar sendo um tormento para os principais nomes da NBA. LeBron que o diga…