Ginobili fala sobre permanência no Spurs e futuro

SBnoticias

Recentemente, Manu Ginobili deu uma entrevista para o jornal argentino La Nación para revelar se continuaria ou não jogando pelo San Antonio Spurs, o que acabou se confirmando. Além disso, o camisa 20 falou sobre as novidades na equipe, suas expectativas e o futuro.

Ginobili se prepara, aos poucos, para o adeus (NBAE/Getty Images)

“Eu não posso mais ficar na quadra jogando 30 minutos em 82 jogos, não importa o quanto eu queira fazer isso, não dá. Mas eu me considero importante para a equipe como um craque ou líder, mas sei que meu jogo não tem mais o mesmo efeito. Eu sei que não sou mais decisivo como antes, então, não crio grandes expectativas em relação a isso”, disse Ginobili.

“Anos atrás, a equipe dependia de mim para decidir. Agora, temos (Kawhi) Leonard para assumir isso. Temos (Tony) Parker, ou (LaMarcus) Aldridge, ou quem quiser” – completou.

Anos e anos dentro da equipe fizeram com que o argentino, assim como os outros membros do Big Three, tivesse uma função que vai muito além de apenas jogar basquete. Eles agem como assistentes técnicos, conversando com os outros jogadores e orientando os mais novos.

“Depois de 13 anos, eu sei como esse sistema funciona. Eu sei como o (Gregg) Popovich pensa, então eu posso conversar com os outros jogadores. Nos momentos em que ele está maluco com a equipe e pode dizer algo impróprio, eu posso impedi-lo e apontar o seu erro. Esse conhecimento faz as coisas correrem bem dentro do time”, conta Ginobili.

Manu foi questionado sobre o quanto é importante para ele vencer um título neste ponto de sua carreira tão vitoriosa. O jogador foi bastante sincero em sua resposta.

“Não tanto quanto há dois anos. Aquelas finais contra o Miami Heat em 2013 me mudaram significativamente. Eu estou mais calmo. Eu atingi a maturidade tarde na minha carreira. Há derrotas e há derrotas. 2013 foi muito frustrante, mas nos levou direto para a vitória em 2014. Algumas derrotas machucam tanto que fazem você dar todo o seu melhor na próxima vez. Você não quer que a sorte seja um fator”, explica o ala-armador argentino.

Toda a expectativa gerada em cima de sua decisão de ficar no time ou se aposentar gerou uma pressão bem grande. Foi preciso um tempo com sua família para pensar melhor. Além disso, Popovich e alguns jogadores da equipe também conversaram com ele.

“Minha esposa disse que me queria mais em casa, mas ao mesmo tempo não estava preparada para me ver aposentar. Isso afeta a todo mundo além de mim. São anos me vendo fazer a mesma coisa. A aposentadoria é algo traumático para um atleta. Então, minha família me incentivou, e Popovich deu o empurrão necessário”, disse.

Apesar de ter prorrogado sua permanência na equipe, o argentino sabe que o momento de dizer adeus às competições profissionais está a cada momento mais próximo.

“Eu venho me preparando para este momento já faz um tempo. Eu vou sentir saudades do clima do vestiário, das competições, da adrenalina dos jogos. Isso é inevitável. Nada do que eu faça vai, de fato, me preparar para as emoções que um último jogo traz, mas eu me sinto mais preparado para isso do que a quatro anos atrás”, finaliza o lendário camisa #20.

Anúncios

Sobre Sonia Cury

21 anos. Jornalista. Apaixonada por esportes. Estudiosa da cultura coreana. Torcedora do Spurs na NBA e do Packers na NFL. Gosta da vida urbana e desse contraste de caos e cores. Viajar para outros países e aprender com outras culturas é sua meta de vida.

Publicado em 10/08/2015, em Notícias e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s