O que deu certo?

Vestiario Feminino

Nesta semana, o San Antonio Stars aplacou uma sequência de vitórias que não acontecia desde 2012. Do duelo contra o Los Angeles Sparks, no sábado anterior (14), até o encontro com o mesmo time neste domingo (22), o elenco texano não conheceu o sabor da derrota.

O primeiro compromisso foi o único realizado no AT&T Center, um dia antes de o San Antonio Spurs se sagrar campeão da NBA. Sorte deixada pelas meninas na quadra? Se for em relação à diferença no placar final, até pode ser. Depois de ter perdido dois jogos seguidos dentro de casa, as meninas texanas se redimiram vencendo por 101 a 74 o fortíssimo Sparks.

Na quinta-feira (19), o duelo foi fora de casa. O último encontro contra o Seattle Storm havia sido traumático. Tendo ficado muitos pontos atrás no placar, o Starts fez 28 tentos no quarto derradeiro para encostar e fechar em 79 a 72. A revanche desta semana também foi definida nos momentos finais, mas precisou de uma prorrogação para terminar.

No domingo, um dos momentos mais importantes do jogo entre Stars e Sparks foram três arremessos de 3 pontos seguidos de Becky Hammon (NBAE/Getty Images)

No domingo, um dos momentos mais importantes do jogo entre Stars e Sparks foram três arremessos de 3 pontos seguidos de Becky Hammon (NBAE/Getty Images)

Apesar de ter permanecido na frente na maior parte do duelo, a equipe da casa alncaçou o Stars e até chegou a passar. Mas uma bola de três de Danielle Adams no final do quarto final empatou o jogo. Na prorrogação, as visitantes dominaram e venceram por 87 a 82.

Em mais um compromisso fora de casa, neste domingo, a vitória foi conquistada com suor e equilíbrio. O Sparks e o Stars se encontraram na Califórnia para o terceiro duelo entre as equipes nesta temporada. Dessa vez, novamente as texanas conquistaram o resultado positivo.

Quais foram os principais fatores para que o jogo do Stars finalmente desse certo?

– O grupo, como não acontecia desde 2012, tem uma base forte e consistente. As jogadoras já treinam juntas há pelo menos cinco anos;

– Aquelas que eram novatas hoje assumem papel de liderança: Danielle Adams e Danielle Robinson, principalmente. Jayne Appel com algumas atuações de destaque;

– Melhor aproveitamento nos arremessos. Um pouco de números: Em 2013, o Stars teve um aproveitamento de 40% nas bolas de dois pontos, 31,6% nos triplos e 74,6% em lances livres. Até o momento, em 2014, todos esses índices aumentaram para 42,6%, 39% e 82,3% respectivamente. A justificativa está no poderio ofensivo de cinco jogadoras da equipe: Danielle Robinson, Jia Perkins, Kayla McBride, Danielle Adams e Becky Hammon – que, nessa ordem, estão entre as 50 maiores pontuadoras da atual temporada. Todas essas têm importante arsenal de arremessos, bandejas e jogadas decisivas, cada uma com uma característica específica, o que permite mais oportunidades de pontuação, um defeito em 2013;

– Um exemplo do fator grupo são duas jogadoras que se encontram entre as mais eficientes do campeonato: Jayne Appel e Sophia Young.

O grupo, finalmente, está com as engrenagens funcionando bem (NBAE/Getty Images)

O grupo, finalmente, está com as engrenagens funcionando bem (NBAE/Getty Images)

A verdade é que acompanhar o Stars está muito mais legal em 2014. O time consegue criar oportunidades diferentes e se sobressair em diversos momentos das partidas. Apesar de alguns momentos de apagão, sempre retorna e leva emoção à partida. Essa semana, talvez, tenha sido um ponto inicial de mudança de postura e um reencontro com as sequencias vitoriosas. E há muitos motivos para acreditar nisso.

As comandadas do treinador Dan Hughes têm mais três compromissos pela frente na próxima semana. No dia 24, enfrenta o Washington Mystics no AT&T Center. Depois, no dia 26, têm pela frente o perigoso Atlanta Dream, da brasileira Érika de Souza. No domingo, vão até a capital norte-americana para o reencontro com o Mystics.

Será que emplaca mais importantes vitórias? Na próxima semana espero ter um sim!

Anúncios

Publicado em 23/06/2014, em San Antonio Silver Stars, Vestiário Feminino. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Vinicius Nordi Esperança

    Tem algum lugar que dá para assistir os jogos?

    • Roberta F. Rodrigues

      Olá Vinicius!
      Tem sim. A WNBA tem o Live Access, que custa 15 dólares a temporada regular inteira. Lá dá para assistir todos os jogos, menos os transmitidos pela ESPN, do computador, tablet ou celular. É muito bom. O único problema é que vicia – hahaha.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s