Arquivo mensal: abril 2014

Spurs (1) @ Mavericks (2) – Jogão

108×109

O San Antonio Spurs viajou até Dallas, na tarde desse sábado (26), para enfrentar o Dallas Mavericks pela terceira partida da primeira rodada de playoffs. Para amantes de basquete, foi uma bela partida, com emoção até o último segundo. Para os torcedores de San Antonio, foi um possível indicativo de pesadelos para a próxima temporada. Vamos aos destaques.

Tiago Splitter vem fazendo série impecável na defesa (NBAE/Getty Images)

Por um triz

Infelizmente a vitória não veio. Em jogo muito pegado desde o início, a partida só foi decidida na última bola. Em um arremesso todo desequilibrado, Vince Carter acertou uma improvável cesta dos 3 pontos no estouro do relógio, garantindo assim a vantagem da equipe azul e branca. Cabe aos comandados do técnico Gregg Popovich vencerem o jogo 4 para voltarem a pensar em título.

Manu Ginobili vem segurando as pontas para a equipe (NBAE/Getty Images)

Onde está Danny Green?

Muito se pergunta o que ocorre com Danny Green nessa série. Esperava-se que o ala-armador fosse grande empecilho para que Monta Ellis, além de ajudar nas bolas de 3, porém nenhuma das duas tarefas está sendo realizada pelo jogador. Apagado até agora na série, Green necessita reagir no próximo jogo para que a equipe preto e prata tenha alguma chance de virar essa série.

Missão dada, missão cumprida

Tiago Splitter vem tendo a difícil missão de diminuir a eficiência de Dirk Nowtzki. Missão essa, bem executada pelo brasileiro. Durante a temporada regular, o Alemão acertava 49.7% do tiros tentados, com média de 21.7 pontos por jogo. Já nas três primeiras partidas dos playoffs, tendo a marcação do Catarinense, o atleta de Dallas teve uma queda para 39.1% de acertos, com média de 15 pontos por partida.

Perímetro precisa funcionar

Uma das principais (senão a principal) armas do San Antonio Spurs é seu perímetro afiado. Com bons arremessadores dos três pontos, a equipe vem tendo rendimento abaixo do esperado. Durante a temporada regular, a média de tentativas por partida era de 21.4 bolas do perimetro, com 8.5 de acertos. Nos três primeiros jogos dos playoffs, essa média caiu para 18.3 tentativas, com 6.3 acertos. Para uma equipe que em muitas vezes depende das bolas de três, esse número, durante as finais, deveria ser no mínimo, igual ao apresentado na temporada regular.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 22 pontos

Tony Parker – 19 pontos e 6 assistências

Kawhi Leonard – 17 pontos

Tiago Splitter – 14 pontos e 13 rebotes

Manu Ginobili – 12 pontos

Dallas Mavericks

Monta Ellis – 29 pontos

Dirk Nowitzki – 18 pontos e 7 rebotes

Jose Calderon – 16 pontos e 9 assistências

Samuel Dalembert – 13 pontos e 10 rebotes

Vince Carter – 11 pontos

Anúncios

Holt e Popovich lamentam caso de racismo

No sábado (26), o site americano TMZ publicou um áudio que seria de Donald Sterling, dono do Los Angeles Clippers. Em conversa telefônica com sua namorada, o dirigente teria se manifestado de maneira racista, pedindo para que ela não levasse negros para os jogos de sua franquia e que não postasse fotos com eles em seu Instagram. Peter Holt, proprietário do San Antonio Spurs, e Gregg Popovich, treinador da franquia texana, comentaram o ocorrido.

‘Nojento’: palavra usada por Pop contra o racismo (NBAE/Getty Images)

Holt adotou cautela ao falar sobre o caso, já que a NBA informou que conduz uma investigação para ter certeza de que a voz do áudio era mesmo de Sterling.

“Quero ser muito cuidadoso. A liga está fazendo sua própria investigação e eu não quero me precipitar. Não sei o contexto, mas o que eu ouvi não soou nada bem e não é como se fosse a primeira vez para ele”, disse Holt, de acordo com reportagem do site americano Spurs Nation, lembrando que Sterling já enfrentou outras denúncias de racismo.

Porém, o dono do Spurs disse que o caso é lamentável por colocar em segundo plano o bom desempenho esportivo do Clippers na temporada. A equipe angelina terminou a temporada regular com a terceira colocação na Conferência Oeste e está vencendo a série da primeira rodada dos playoffs contra o Golden State Warriors por 2 a 1.

“Eles têm um grande time e o problema com isso para ele, na minha opinião – esqueça a NBA – é que isso tira a atenção do sucesso do time e o foco do time, o que é infeliz. É onde o foco deveria estar, na minha opinião. Esse é meu problema com qualquer proprietário, quando ele tira a atenção do que é real, que são os jogos, os playoffs, o time, o trabalho duro que o time fez e onde eles estão hoje, da maneira que for, negativamente ou positivamente, e coloca os holofotes sobre ele mesmo”, declarou o dirigente da franquia de San Antonio.

“Eu só acho que os holofotes precisam estar aonde devem estar, nos times e nos jogos. É nisso que nossos fãs estão interessados. Alguns donos acreditam que os fãs estão interessados nos donos. Eu não acredito nisso, pessoalmente, e por estar na liga por 18 anos, acho que entendo um pouco disso”, completou o proprietário.

Já Pop, ao seu estilo, foi bem mais direto do que o dono do Spurs ao falar sobre o caso.

“Os comentários são obviamente nojentos”, declarou o treinador da equipe alvinegra.

Spurs (1) @ Mavericks (1) – 1ª rodada dos playoffs

San Antonio Spurs @ Dallas Mavericks – Primeira rodada dos playoffs

Data: 26/04/2014

Horário: 17h30 (Horário de Brasília)

Local: America Airlines Center

Na TV: SPORTS+

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,62 (favorito) @ Mavericks 2,31

Os playoffs começaram, mas parece que o San Antonio Spurs ainda está em ritmo de férias. No primeiro jogo da série contra o Dallas Mavericks, os comandados do técnico Gregg Popovich tiveram dificuldades, porém saíram com a vitória. Entretanto, a sorte não estava ao lado de Tim Duncan e companhia no segundo duelo, no qual o time alvinegro errou muito e foi, por fim, derrotado pelo rival. Basta saber qual surpresa a equipe apresentará nesta terceira partida, tentando recuperar o mando de quadra na série.

Confrontos na série (1-1)

20/04/2014 – Spurs 90 x 85 Mavericks

Após começar bem e dar indícios de que poderia atropelar, o Spurs vacilou e só conseguiu a vitória nos últimos instantes, comandado por grandes atuações de Tim Duncan e Tony Parker.

23/04/2014 – Spurs 92 x 113 Mavericks

Apesar da ótima marcação exercida por Tiago Splitter em cima de Dirk Nowitzk, o Spurs abusou dos turnovers, facilitando a vida do Mavericks, e acabou derrotado em pleno AT&T Center.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan

C – Tiago Splitter

Fique de Olho: Um das principais esperanças do Spurs nesses playoffs, tanto na marcação quanto no ataque, Danny Green não vem correspondendo às expectativas. Ainda que obtendo um bom desempenho defensivamente, peca por não realizar o trabalho que encheu os olhos dos torcedores texanos durante as finais do ano passado.

PG – Jose Calderón

SG – Monta Ellis

SF – Shawn Marion

PF – Dirk Nowitzki

C – Samuel Dalembert

Fique de Olho: Experiência de sobra e eficiência. Capaz de arremessar uma bola dos três pontos de maneira muito estranha, e ainda assim converter a cesta. Esse é Shawn Marion, que fez ótima partida no jogo 2 dessa série contra o Spurs, e não se espera menos dele.

Spurs (1) vs Mavericks (1) – Surra merecida

92×113

A derrota do San Antonio Spurs para o Dallas Mavericks por 113 a 92, nesta quarta-feira (23), tem mais efeitos do que se imagina. Além de perder o mando de quadra, o alvinegro toma um choque de realidade e deixa a luz amarela acesa. O duelo está empatado, mas a equipe poderia estar com déficit de dois jogos, uma vez que o primeiro também foi marcado por apatia dos comandados de Gregg Popovich. Vamos ao principais pontos da partida.

Manu Ginobili bem que tentou… (NBAE/Getty Images)

Sem defesa, sem vitória

O grande pecado do Spurs foi não defender. Ou, pior, achar que o bom trabalho de Tiago Splitter em Dirk Nowitzki seria o bastantte. De novo o adversário achou alternativas ofensivas, principalmente com sua dupla de armadores. Sem defesa, o time da casa não teve chances.

Duncan não conseguiu render (NBAE/Getty Images)

E o fôlego?

Novamente, o time começou muito bem. Abriu sete pontos de vantagem para o adversário, mas ficou para trás de novo. E dessa vez não teve pique para correr atrás nos últimos minutos. Nem a ótima atuação ofensiva de Manu Ginobili no ataque – pelo menos na questão da pontuação – ajudou a melhorar. Entrar no jogo acordado e assim se manter é uma boa ideia.

Preço alto

Danny Green e Tiago Splitter são titulares por mérito e por conta de suas qualidades. No caso do ala-armador, as bolas de longa distância; no caso do pivô, por sua ótima defesa, principalmente em Nowitzki. Mas enquanto o camisa #4 atrapalha muito o sistema defensivo e pouco faz no ataque, o brasileiro ajuda na defesa, mas é quase nulo ofensivamente. O preço a se pagar para ter os donos no quinteto inicial é esse. Vale a pena?

Erros, erros e mais erros…

Tudo isso posto, o que fez a diferença realmente foram os turnovers. Por jogo, o Spurs cometeu, em média, na temporada regular, 14 erros de ataque. Na derrota diante do Mavericks, foram nada menos que 22. Fator que fez com que o time chutasse apenas 64 bolas na cesta adversária – para efeito de comparação, a equipe de Dallas arremessou 92.

Agora é acordar

Popovich terá como missão acordar um elenco que parece fadado ao erro nessa série. Foram dois jogos com o time quase dormindo em boa parte do tempo. Até o próximo duelo, no final de semana, o treinador tem tempo para corrigir os erros e retomar a série positiva diante de um adversário que na temporada regular era presa fácil.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 27 pontos e 4 assistências

Tony Parker – 12 pontos e 3 assistências

Tim Duncan – 11 pontos, 7 rebotes e 2 tocos

Dallas Mavericks

Monta Ellis – 21 pontos, 3 assistências, 3 rebotes e 3 roubos de bola

Shawn Marion – 20 pontos, 5 rebotes e 3 roubos de bola

Devin Harris – 18 pontos, 5 assistências e 4 rebotes

Dirk Nowitzki – 16 pontos, 5 rebotes e 2 roubos de bola

Patrick Mills fica em nono na eleição para o MIP

Nesta quarta-feira (23), a NBA divulgou, por meio de seu site oficial, os resultados da votação para o Most Improved Player – ou seja, do jogador que mais melhorou da temporada 2012/2013 para a 2013/2014. O esloveno Goran Dragic, do Phoenix Suns, levou a honraria, e o australiano Patrick Mills, do San Antonio Spurs, ficou na nona colocação.

Mills em ação contra o Mavericks (NBAE/Getty Images)

Na eleição, cada participante poderia votar em três candidatos, em ordem – o primeiro recebia cinco pontos, o segundo três e o terceiro, um. Mills foi lembrado quatro vezes na segunda colocação e duas na terceira, finalizando com 14 pontos.

Além de Dragic (408 pontos), ficaram na frente de Mills Lance Stephenson, do Indiana Pacers (158); Anthony Davis, do New Orleans Pelicans (155); Gerald Green, do Phoenix Suns (117); DeAndre Jordan, do Los Angeles Clippers (66); Kyle Lowry, do Toronto Raptors (43); Blake Griffin, do Los Angeles Clippers (30) e DeMar DeRozan, do Toronto Raptors (28).

Na temporada regular, Mills apresentou médias de 10,2 pontos, 2,1 rebotes e 1,8 assistências em 18,9 minutos por exibição. No campeonato anterior, sustentou 5,1 pontos, 1,1 assistências e 0,9 rebotes em 11,3 minutos por partida. Segundo o técnico Gregg Popovich, a melhora se deu porque o armador conseguiu perder peso. Nos playoffs, o australiano estreou com dois pontos (1-4 FG, 0-3 3 PT) e um rebote em 14:05 minutos na vitória por 90 a 85 sobre o Dallas Mavericks, no jogo de abertura da primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste.

Deste modo, Mills se torna o quatro representante do Spurs lembrado nas votações dos prêmios da temporada. Gregg Popovich foi eleito o técnico do ano, e Tim Duncan e Kawhi Leonard foram lembrados entre os melhores defensores.

E MAIS…

Jazz estaria de olho em Boylen

O San Antonio Spurs pode estar perto de perder um assistente técnico. De acordo com reportagem do site americano Spurs Nation, Jim Boylen está na mira do Utah Jazz, que já avisou que não vai renovar contrato com seu atual treinador, Ty Corbin.

Dennis Lindsey, General Manager do Jazz, trabalhou na diretoria do Houston Rockets enquanto Boylen era assistente técnico do time. Além disso, o profissional, hoje no Spurs, treinou uma universidade local entre 2007 e 2012, tendo fortes laços com Salt Lake City.