Arquivo diário: 20/01/2014

O que acontece com Danny Green?

Entrando no loja oficial do San Antonio Spurs no AT&T Center, você irá rapidamente encontrar uniformes oficiais das maiores estrelas da franquia texano. E a camisa número 4 está entre as mais populares entre os torcedores do time. Danny Green foi muito importante para a excelente campanha do alvinegro no campeonato passado – o lateral teve média de 10,5 pontos por jogo durante a temporada regular e 11,1 nos playoffs. Além disso, quebrou o recorde de bolas de três pontos da história das finais da NBA, com 25 em toda a série contra o Miami Heat. Com certeza, esse foi um grande feito para o ala-armador, que foi escolhido só no segundo round do Draft de 2009, na 46ª posição, pelo Cleveland Cavaliers.

Volta logo, Green! (Reprodução/playoffbrasil.com.br)

Na cabeça do torcedor, após uma temporada produtiva como a passada, muitos pensavam (incluindo eu) que Green iria não só ter mais uma ótima campanha, mas também se firmar como importante peça para o futuro da franquia. Porém, infelizmente, o campeonato vem sendo decepcionante para os fãs do nova-iorquino. O ala-armador teve uma ótima atuação na vitória sobre o New York Knicks, no dia 10 de novembro, anotando 24 pontos e dez rebotes. Mas depois disso, sua sequência foi inconsistente, alternando atuações medianas e jogos ruins.

A chegada de Marco Belinelli, que estava no Chicago Bulls, foi muito importante para a rotação do Spurs. O técnico Gregg Popovich observou o baixo aproveitamento de Green e de pouquinho a pouquinho foi dando mais oportunidades para o italiano, deixando o nova-iorquino de lado. Em alguns jogos que assisti dessa temporada, percebi um camisa #4 totalmente sem confiança nos arremessos, afoito no ataque e frustrado quando comete algum turnover. Em determinadas partidas, o vi entrando só no final do segundo quarto!

Como se não bastasse o período de baixo aproveitamento, Green se lesionou na vitória sobre o Minnesota Timberwolves, no dia 12 de janeiro. O atleta foi diagnosticado com uma fratura no dedo indicador da mão esquerda, e irá perder cerca de quatro semanas. Que zica!

Pop terá uma difícil missão de “recuperar” seu lateral se quiser brigar por título de novo. É nítido que Green está muito longe de jogar o basquete que encantou a NBA na temporada passada. Porém, não é hora de se desesperar ou desacreditar do talento do camisa #4. O ala-armador é um cara batalhador e um excelente profissional, e precisa ter calma e perseverança para dar a volta por cima e voltar a arrebentar. Quem mandou meter 25 bolas de três nas finais? Só se cobra de quem tem algo a oferecer, e disso ninguém duvida de Danny Green!

Anúncios

Spurs (32-9) @ Bucks (7-33) – Vitória e liderança!

110×82

Neste domingo (19), o San Antonio Spurs, jogando em casa, recuperou a liderança da Conferência Oeste ao vencer o Milwaukee Bucks por 110 a 82. Os visitantes mantiveram a lanterna do campeonato com mais uma derrota na conta. A equipe texana não contou com o armador Tony Parker, que foi poupado, mas bem substituído por Patty Mills, que liderou o time com 20 pontos, sete assistências e três roubos de bola. Confira como foi a partida:

Ayres também teve uma boa atuação (NBAE/Getty Images)

O jogo

Depois de uma derrota em casa para o Portland TrailBlazers, o Spurs tinha uma boa oportunidade para se reerguer e recuperar a ponta do Oeste. E foi exatamente isso o que aconteceu. O fraco time do Bucks não conseguiu impedir que a equipe texana, mesmo usando alguns atletas que não têm tantas oportunidades, vencesse. Cory Joseph iniciu o jogo no lugar de Tony Parker, poupado. Porém, o destaque na armação não foi o jovem armador canadense, e sim do australiano Patty Mills. O camisa #8 converteu oito dos 12 arremessos que tentou, acertando quatro bolas de três pontos, além de anotar sete assistências e três roubos de bola.

O Spurs conseguiu vencer o adversário em todas as parciais do jogo: 29 a 16 no primeiro quarto, 24 a 22 no segundo, 31 a 22 no terceiro e 26 a 22 no quarto, fechando a conta em 110 a 82. O time texano volta à quadra nesta quarta-feira, contra o Oklahoma City Thunder (a partida será televisionada pela ESPN+). No mesmo dia, o Bucks encara o Detroit Pistons.

Mostraram serviço!

Patty Mills liderou o Spurs contra o Bucks (NBAE/Getty Images)

O Spurs aproveitou o baixo rendimento da equipe adversária para dar chance a jogadores que não são tão utilizados no elenco. E deu certo. Confiantes, os “esquecidos” da equipe souberam aproveitar a oportunidade e não fizeram feio. Pelo contrário, agradaram e conquistaram a confiança do técnico Gregg Popovich e dos torcedores da franquia. Primeiramente, Patty Mills. O armador australiano demonstrou que tem força de vontade e liderou a equipe, somando 20 pontos, sete assistências, três roubos e um ótimo aproveitamento nos arremessos de quadra. Tivemos também a presença de Nando De Colo, que, apesar dos rumores de sua possível saída, também mostrou para o que veio e, em 25 minutos em quadra, anotou 13 pontos, quatro rebotes, duas assistências e dois roubos. Cory Joseph, que substituiu Tony Parker como armador titular, também foi bem. O canadense fez 12 pontos e distribuiu três assistências.

Outro jogador não tão utilizado que mostrou serviço foi Jeff Ayres. O ala-pivô aproveitou o fraco garrafão do Bucks e terminou a partida deste domingo com 13 pontos e seis rebotes.

Ainda no setor, Aron Baynes também foi bem, marcando nove pontos e totalizando seis rebotes. Por último, e não menos importante, vem Marco Belinelli. Por um lado, o italiano vendo sendo mais utilizado do que os outros jogadores e com certeza já conquistou a confiança do torcedores. Mas não podemos deixar de destacar que o atleta encaixou muito bem na equipe. O ala-armador somou 14 pontos e três assistências na partida. Malcolm Thomas também jogou. Em 14 minutos, o atleta anotou apenas dois pontos, mas pegou nove rebotes.

Mais um double-double pra conta

Tim Duncan, sem dúvidas, merece seu lugar de destaque na história da NBA. O ala-pivô, mais uma vez, marcou um double-double nesta que pode ser uma temporada decisiva para o jogador. Ele atuou por 27 minutos e anotou 11 pontos e 13 rebotes (12 deles defensivos).

Lembra dele?

Gary Neal, ao lado de Danny Green, teve boas aparições nas finais da última temporada, contra o Miami Heat, quando obteve um ótimo aproveitamento nos chutes de três pontos. Na offseason, ele saiu do Spurs e foi para o Bucks. Porém, o ala-armador está longe de fazer o que o destacou na temporada anterior. No time texano, o jogador tinha o cargo de substituir Tony Parker, juntamente com Cory Joseph. Já em Milwaukee, a história não é mais a mesma. Na partida deste domingo, o jogador atuou por 17 minutos e anotou apenas três pontos e três assistências. Na temporada, tem média de 10,1 tentos por jogo.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Patty Mills – 20 pontos, 7 assistências e 3 roubos de bola

Marco Belinelli – 14 pontos e 3 assistências

Jeff Ayres – 13 pontos e 6 rebotes

Nando De Colo – 13 pontos e 4 rebotes

Cory Joseph – 12 pontos, 4 rebotes e 3 assistências

Milwaukee Bucks

Brandon Knight – 21 pontos e 3 assistências

Giannis Antetokounmpo – 11 pontos e 4 rebotes

John Henson – 10 pontos e 11 rebotes

Larry Sanders – 10 pontos e 7 rebotes