Arquivo diário: 29/12/2013

Spurs (24-7) vs Kings (9-20) – Sem muito que comemorar

112×104

O San Antonio Spurs sofreu, mas bateu o Sacramento Kings por 112 a 104 na noite deste domingo (29) e chegou à sua 24ª vitória na temporada regular. Após um começo de jogo tranquilo, as coisas se complicaram com o adversário chegando no placar, mas foram facilmente decididas no último período. O triunfo, obtido novamente diante de uma equipe com campanha negativa, foi construído principalmente devido à atuação do trio formado por Tim Duncan, Manu Ginobili e Tony Parker. Vamos ao que de melhor aconteceu na partida.

Splitter e o garrafão do Spurs triunfaram, mas tiveram problemas com Cousins (NBAE/Getty Images)

Gêniobili

Todos sabemos que Manu Ginobili ficou mordido com sua péssima atuação nas finais da última temporada. E o reflexo disso tem sido um campeonato consistente, digna de seus melhores tempos na NBA. Com 28 pontos, o argentino foi o cestinha do Spurs na partida, decisivo para a vitória. Nos momentos de aperto, as jogadas necessariamente passavam por suas mãos. Cada vez mais vemos um camisa #20 mais parecido com o de tempos atrás.

Ginobili teve grande atuação (NBAE/Getty Images)

Defesa ruim

Diferente do que costuma ser praxe, o Spurs não defendeu bem. A alta porcentagem de arremessos convertidos pelo adversário (41-91) foi determinante para o sufoco levado no terceiro quarto, quando o Kings chegou a ficar seis pontos na frente. Além disso, os 44 rebotes obtidos pelo time texano ficaram abaixo dos 51 do adversário e permitiram cinco segundas chances apenas para o pivô DeMarcus Cousins, cestinha do adversário e do duelo com 29 pontos.

Rotação menor

Pouco antes do jogo, Nando De Colo e Malcolm Thomas foram enviados ao Austin Toros, da D-League. Além disso, Jeff Ayres e Matt Bonner não entraram em quadra e Cory Joseph atuou por insignificantes 13 segundos. Com isso, alguns titulares, como Duncan e Parker ultrapassaram a marca dos 30 minutos em quadra, mesma situação do sexto homem Manu Ginobili.

Que feio, Belo!

Destaque negativo para Marco Bellineli. Após boas atuações que lhe renderam a vaga de Danny Green no quinteto titular, o italiano amassou o aro e foi o pior jogador do time diante do Kings. Foram 11 arremessos tentados e apenas dois convertidos, o que lhe rendeu apenas 16 minutos em quadra. Sem ele, o Spurs acertou mais a cesta e teve maior controle da partida.

Sem comemorar

A vitória foi importante, mas não trouxe muitas visões otimistas. No fim das contas, reinou a experiência do Spurs. Mas preocupações defensivas são válidas e fica o questionamento de quanto os jogadores já estão se poupando para os playoffs. Mesmo os mais novos, como Kawhi Leonard, estão abaixo do esperado. A luz amarela está acesa?

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 28 pontos, três rebotes e três assistências

Tony Parker – 22 pontos e sete assistências

Tim Duncan – 17 pontos, 13 rebotes e dois tocos

Tiago Splitter – 11 pontos e oito rebotes

Sacramento Kings

DeMarcus Cousins – 29 pontos e 14 rebotes

Isiah Thomas – 27 pontos e nove assistências

Rudy Gay – 24 pontos e nove rebotes

Anúncios

Spurs (23-7) vs Kings (9-19) – Temporada regular

San Antonio Spurs vs Toronto Raptors – Temporada Regular

Data: 29/12/2013

Horário: 22h00 (de Brasília)

Local: AT&T Center

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,10 (favorito) @ Kings 6,30

Após vitória no clássico com o Dallas Mavericks, o San Antonio Spurs recebe o Sacramento Kings em busca da sua 24ª vitória na temporada regular. Com todos os jogadores disponíveis, o técnico Gregg Popovich terá a tranquilidade de pegar um adversário com campanha negativa, fator que tem sido determinante nas vitórias do time texano. Por outro lado, os visitantes vêm de um resultado surpreendente ao vencer o Miami Heat. Rudy Gay e DeMarcus Cousins são as grandes armas de um elenco jovem e promissor, mas sem gana de vitória.

PG – Tony Parker

SG – Marco Belinelli

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan

C – Tiago Splitter

Fique de Olho – O jogo é bom para Tony Parker. A defesa adversária não é das melhores e não deve dar trabalho ao armador, que é o destaque do Spurs na temporada e terá a chance de trabalhar seus arremessos. O francês precisa apenas ficar de olho nas infiltrações, já que Cousins tem atrapalhado os adversários na hora da penetração no garrafão.

PG – Isiah Thomas

SG – Ben McLemore

SF – Rudy Gay

PF – Jason Thompson

C – DeMarcus Cousins

Fique de Olho – Com médias assombrosas de 22,7 pontos e 11,1 rebotes por jogo na temporada até aqui, o pivô DeMarcus Cousins trabalha bem dos dois lados da quadra e deve complicar o jogo para o garrafão do Spurs, que sofre com rebotes constantemente.

Spurs teria interesse em Deng

A temporada 2013/2014 mal começou, mas o San Antonio Spurs já se planeja de olho na próxima offseason. Segundo reportagem do site americano Project Spurs, a franquia teria interesse em Luol Deng, ala do Chicago Bulls que será agente livre ao fim do campeonato.

Deng em ação contra o Spurs na última temporada (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

De acordo com Aggrey Sam, jornalista da CSN Chicago, Cleveland Cavaliers, Dallas Mavericks, Los Angeles Lakers, Memphis Grizzlies e Toronto Raptors são outras franquias que também já demonstraram interesse em contar com os serviços do jogador do Chicago Bulls.

“Vários times já mostraram muito interesse em Luol. Muitas pessoas estão animadas. Muitas pessoas ficaram surpresas por nenhuma proposta de extensão ter sido oferecida a ele e muitas pessoas estão animadas com a chance de se candidatar para ter um jogador como Luol, e eles acham que seria uma grande oportunidade consegui-lo por nada em troca se o Bulls deixá-lo sair”, declarou Ron Shade, empresário do jogador.

Na próxima offseason, o Spurs terá três agentes livres: o armador Patrick Mills e os alas-pivôs Matt Bonner e Boris Diaw. Com isso, a franquia texana deve ter aproximadamente US$ 7,7 milhões em salários para gastar contratações ou, se preferir, com renovações.

Nesta temporada, Deng tem médias de 19,6 pontos (45,8% FG, 28,1% 3 PT, 80,2% FT), sete rebotes e 4,1 assistências em 38,4 minutos por exibição pelo Bulls.