Spurs (16-4) @ Raptors (7-13) – Vamos dançar um tango!

116×103

O San Antonio Spurs viajou para enfrentar o Toronto Raptors nesta terça-feira (10) e se saiu bem. Não podendo contar com Tiago Splitter, afastado por uma lesão na panturrilha, a equipe texana deixou a quadra com a vitória por 116 a 103. Vamos aos destaques do jogo:

Spurs, de Leonard, venceu mais uma (nba.com/spurs)

O problema de um início lento

Quem vem assistindo aos últimos jogos do Spurs percebe que, na maioria das partidas, os texanos têm iniciado com um ritmo muito abaixo do necessário. Contra o Raptors, a equipe terminou o primeiro quarto com 12 pontos de desvantagem do placar. Jogando contra times de menor força, isso pode ser revertido – e vem sendo na maioria dos casos. Entretanto, caso queira brigar pelo título e superar esquadras muito mais completas como Indiana Pacers, Miami Heat, Oklahoma City Thunder e Golden State Warriors, entre outras, a tarefa de correr atrás no marcador quando o mesmo estiver dilatado pode ser fatal.

Ginobili foi o destaque da equipe (nba.com/spurs)

Magia argentina

Manu Ginobili sempre foi uma grande arma da equipe de San Antonio. A grande maioria dos torcedores temia sua reação após a última temporada, quando ele falhou em momentos cruciais ao longo das finais. Porém, ele mostra que não está mais abalado e vem com tudo neste campeonato. Na partida contra o Raptors, o argentino foi o cestinha (16 pontos) e melhor distribuidor de bolas (nove assistências) da equipe texana.

Australianos também jogam basquete

Aron Baynes e Patrick Mills. O primeiro um pouco mais que o segundo. Os dois vêm mostrando porque são boas apostas do técnico Gregg Popovich. Contra o Raptors, o pivô fez uma de seus melhores partidas pela equipe, sendo responsável por anotar 14 pontos e seis rebotes, além de uma bela enterrada sobre Steve Novak. O armador, por sua vez, vem mostrando regularidade, tendo  muito mais minutos nesta temporada.

Dá pra melhorar

Kawhi Leonard é a menina dos olhos dos torcedores do Spurs. Grande parte considera que a reconstrução da equipe vai ser em volta dele. Os playoffs da temporada 2012/2013 mostraram do que ele é capaz, principalmente nas finais. Entretando, neste campeonato seu rendimento diminuiu. A média de pontos permanece quase a mesma, assim como a de rebotes, mas a porcentagem de acertos da linha dos três pontos caiu de 37,4% para 25,5%, além do aproveitamento em lances livres, que foi de 82,5% para 76,2%. Seu tempo em quadra também diminuiu de 31,2 para 27,9 minutos por partida, fato que pode explicar o não aumento em suas médias. Todavia, é bom o menino ligar um sinal de alerta.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 16 pontos e nove assistências

Tony Parker – 15 pontos e seis assistências

Tim Duncan – 14 pontos e sete rebotes

Aron Baynes – 14 pontos e seis rebotes

Danny Grenn – 14 pontos

Toronto Raptors

DeMar DeRozan – 19 pontos e sete assistências

Amir Johnson – 19 pontos e nove rebotes

Jonas Valanciunas – 14 pontos e quatro rebotes

Terrence Ross – 14 pontos e quatro rebotes

Kyle Lowry – 11 pontos, sete rebotes e sete assistências

Sobre Vinicius Nordi Esperança

Mestrando da UFSCar. Desenvolvedor web. Spursnático e Palmeirense sofredor. email: viniciusnordiesperanca@gmail.com

Publicado em 11/12/2013, em Resumo de Jogos. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s