Arquivo diário: 07/12/2013

Spurs (15-3) vs Pacers (17-2) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Indiana Pacers – Temporada regular

Data: 07/12/2013

Horário: 23h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,63 (favorito) vs Pacers 2,18

Após o cancelamento do jogo contra o Minnesota Timberwolves, o San Antonio Spurs volta para casa e encara o Indiana Pacers. O desafio é grande, já que o time de Indianápolis é dono do melhor recorde da liga, além de possuir também a melhor defesa. No entanto, o retrospecto dos visitantes no Texas desde a chegada de Tim Duncan não é dos melhores. Os donos da casa venceram 14 confrontos e perderam apenas um desde 1997. Para se degladiar com o veterano, o Pacers tem ninguém menos que Roy Hibbert, que ostenta incríveis de 3,4 tocos por jogo na temporada. Tiago Splitter, com uma lesão na panturrilha, deve ser desfalque.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Boris Diaw

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Na última vez que entrou em quadra, Tim Duncan, aos 37 anos, provou que ainda tem lenha para queimar. Ele foi o responsável pelo arremesso da vitória nos segundos finais do triunfo sobre o Atlanta Hawks, terminando o jogo com incríveis 23 pontos e 21 rebotes.

 PG – George Hill

 SG – Lance Stephenson

 SF – Paul George

 PF – David West

C – Roy Hibbert

Fique de Olho –  Paul George é um dos favoritos ao prêmio de MVP da temporada. A evolução do jogador jogo a jogo é de chamar atenção. Com defesa incrível e confiança assustadora, o ala está com médias de 24,6 pontos, 5,9 rebotes e 3,4 assistências por jogo no campeonato.

Anúncios

Como Malcolm Thomas pode ajudar o Spurs

Nesta semana, o San Antonio Spurs, que começou o campeonato com 14 jogadores no plantel, resolveu fazer sua primeira aposta para ocupar a última vaga aberta no elenco. A franquia acertou a contratação do ala-pivô Malcolm Thomas, que estava jogando no Los Angeles D-Fenders, da D-League – a liga de desenvolvimento da NBA – e já havia defendido as cores da equipe texana em curta passagem na temporada 2011/2012. Agora, de volta ao alvinegro, o atleta terá uma chance para ajudar o time a resolver uma carência interna: a dificuldade na coleta de rebotes durante a utilização de formações mais baixas e/ou ágeis.

Thomas foi colega de Kawhi na universidade (Gregory Bull/AP)

Thomas, ala-pivô de 25 anos de idade e 2,06m de altura, jogou três temporadas no basquete universitário – as duas últimas, em 2009/2010 e 2010/2011, por San Diego State, sendo companheiro de equipe de Kawhi Leonard. Mesmo indo bem, principalmente em sua última campanha, na qual apresentou médias de 15,2 pontos e 10,5 rebotes em 32,7 minutos por exibição, passou em branco no Draft de 2011, sem ser selecionado. Por isso, naquele ano, sua carreira profissional começou no Mobis Phoebus, da Coreia do Sul. Desde então, além do Spurs, passou pelo Golden State Warriors, pelo Chicago Bulls, por franquias da D-League e, em 2012/2013, pelo Maccabi Tel Aviv, equipe de Israel.

Com agilidade e atleticismo acima da média para a posição e capacidade para abrir a quadra com arremessos de três pontos, Thomas pode se encaixar no esquema tático do Spurs em função parecida com a exercida por Boris Diaw e Matt Bonner: um ala-pivô que também sabe transitar pelo perímetro. Nesta temporada, o jogador acertou oito dos 13 tiros de longa distância que tentou nos dois primeiros jogos que fez pelo D-Fenders. Seu gráfico de arremessos mostra sua eficiência, especialmente nas bolas arriscadas da cabeça do garrafão.

Chart

Porém, o principal problema do elenco atual do Spurs acontece justamente quando uma dessas formações mais baixas e/ou ágeis precisa ser usada. Na derrota para o Houston Rockets, por exemplo, o técnico Gregg Popovich abriu mão de usar Tim Duncan e Tiago Splitter juntos em quadra ao mesmo tempo por conta das características do time adversário. Resultado: o alvinegro coletou apenas 33 rebotes, contra 54 do time visitante. Para escalar um quinteto assim, Pop tem apenas Leonard como reboteiro acima da média para a posição 4, já que Diaw e Bonner estão longe de dominar. E é exatamente aí que Thomas pode ajudar.

Em sua curta carreira de 12 jogos na NBA, o novo ala-pivô do Spurs coletou, em média, 10,1 rebotes a cada 36 minutos. Em Israel, na temporada passada, foram pouco menos de 9,6 a cada 36 minutos. Como base, só Tiago Splitter, com 11,5; Tim Duncan, com 10,4; e Aron Baynes, com 9,8 ressaltos coletados a cada 36 minutos, têm números semelhantes aos de Thomas. Isso sem falar em suas médias maiúsculas no começo de sua trajetória na D-League neste ano: 33,5 pontos, 15,5 rebotes, 2,5 roubadas de bola e dois tocos em 40 minutos por exibição, liderando os dois primeiros fundamentos enquanto disputava o torneio.

Claro que os números de Thomas foram colhidos, em sua grande maioria, fora do ambiente da NBA, que possui, provavelmente, os alas-pivôs e pivôs mais assustadores fisicamente do planeta. Porém, eles mostram, ao menos, que o Spurs está atento às suas fraquezas e que está disposto a corrigi-las. Resta saber se o novo reforço será bom o bastante para isso.