Arquivo diário: 23/11/2013

Spurs (11-1) vs Cavaliers (4-9) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Cleveland Cavaliers – Temporada Regular

Data: 23/11/2013

Horário: 23h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Uma noite após uma boa vitória sobre o forte Memphis Grizzlies, o San Antonio Spurs volta à sua casa e enfrenta o Cleveland Cavaliers. Após perder LeBron James, o time de Ohio está em constante reconstrução, cada vez mais forte. Liderados pelo armador Kyrie Irving, os visitantes podem surpreender e arrancar muito suor dos texanos, mesmo com a campanha fraca que têm. As duas equipes vêm de partidas na noite de sábado, e, diferentemente dos donos da casa, a franquia do brasileiro Anderson Varejão vem de derrota para o New Orleans Pelicans.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan

C – Tiago Splitter

Fique de Olho – Contra o forte garrafão do Cavaliers, é essencial para a vitória do Spurs que Tiago Splitter mantenha suas boas atuações das últimas partidas. Com 65% de aproveitamento de arremessos de quadra nos últimos seis jogos, o pivô brasileiro também será importante na marcação na noite deste sábado para deter Andrew Bynum.

PG – Kyrie Irving

SG – Matthew Dellavedova

SF – Alonzo Gee

PF – Tristan Thompson

C – Andrew Bynum

Fique de Olho – Kyrie Irving conseguiu na última semana marcar 41 pontos em uma partida. O jogador está tendo ótimas atuações, liderando o Cavaliers em suas poucas vitórias na temporada. Com medias de 21,5 pontos e 6,5 assistências, por jogo, o armador mostra que será necessário que a defesa do Spurs preste muita atenção nele.

Anúncios

Dá no Parker e vai para o abraço

O San Antonio Spurs começou a temporada 2013/2014 da NBA vencendo 11 de suas 12 primeiras partidas. Atingiu este recorde jogando um basquete coletivo, de muita movimentação de bola, fazendo com que todos tenham chances de arremessar. No entanto, mesmo sendo um time muito menos individualista do que a média, é sempre bom ter alguém para contar em momentos decisivos, quando as defesas estão mais fechadas, mais concentradas e mais atendas e qualquer passe extra é um risco a mais. E é bom saber que, neste início de campeonato, Tony Parker tem sido um dos melhores jogadores da liga americana no quesito.

Parker é cada vez mais o dono do ataque do Spurs (D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

Olhando para os números, é fácil reparar o quanto o armador tem se destacado na positiva largada do Spurs. Até aqui, o time texano tem oito jogadores que atuam, ao menos, 20 minutos por jogo: Marco Belinelli, com 7,4 pontos em 20,4 minutos; Tiago Splitter, com 8,8 pontos em 22,9 minutos; Danny Green, com 8,1 pontos em 24,1 minutos; Boris Diaw, com 11,1 pontos em 23,6 minutos; Manu Ginobili, com dez pontos em 24,4 minutos; Tim Duncan, com 11,7 pontos em 28,6 minutos; Kawhi Leonard, com 12,6 pontos em 28,8 minutos, e Tony Parker, com 18,7 pontos em 31,6 minutos. É fácil perceber o quanto as estatísticas do francês destoam, tanto em tempo de quadra quanto em produção ofensiva.

No entanto, em jogos que entram equilibrados no quarto período, a importância do camisa #9 para o Spurs é ainda maior. Na noite de sexta-feira (22), na vitória do time texano sobre o Memphis Grizzlies, Parker anotou 11 pontos – acertando quatro dos seis arremessos de quadra que tentou, sendo um de três pontos, e dois dos quatro lances livres que tentou -, duas assistências e um rebote depois que o terceiro quarto tinha acabado 71 a 65 a favor do time texano. O resultado? O armador francês deixou a quadra com 20 pontos, sendo o cestinha do time, além de cinco assistências e dois rebotes em 35:56 minutos, e a equipe de San Antonio venceu, mesmo jogando fora de casa, por 102 a 86.

Não foi a primeira vez que isso aconteceu. Até aqui, na temporada, Parker tem média de sete pontos por jogo no quarto período. É a décima melhor marca de toda a NBA. Além disso, ele tem acertado 64,1% dos arremessos de quadra nos 12 minutos finais dos jogos, segunda melhor marca entre os dez primeiros em produção ofensiva neste recorte.

Para se ter uma noção da importância de Parker para o Spurs, o segundo melhor pontuador do time texano em quartos períodos é Diaw, que muitas vezes termina jogos decididos com a equipe reserva e anota, em média, 4,7 pontos por jogo nas parciais finais. Entre as outras estrelas do elenco, Manu Ginobili tem 2,3 pontos por exibição no recorte, contra 2,1 do francês. A cada dia mais, o a equipe passa para as mãos do armador francês.

O bom início de temporada do francês acaba com as dúvidas sobre a sua forma física, já que ele pareceu ter sofrido com problemas musculares durante a campanha que rendeu à seleção da França o título do Eurobasket – o primeiro troféu da história de Les Bleus – durante a offseason. Mesmo assim, o técnico Gregg Popovich deve pensar com carinho em poupá-lo de algumas partidas – o que só aconteceu com Duncan até aqui na temporada. Afinal, o Spurs provavelmente precisará de seu homem mais decisivo se quiser tem sucesso nos playoffs.

Spurs (11-1) @ Grizzlies (7-6) – Máquina texana

102×86https://i2.wp.com/i884.photobucket.com/albums/ac50/glaglauber/Logos%20NBA/MemphisGrizzlies.jpg

Dano continuidade ao espetacular início de temporada 2013/2014, o San Antonio Spurs emplacou a nona vitória consecutiva ao superar, nesta sexta-feira (22), o Memphis Grizzlies, em pleno FedEx Forum, por 102 a 86. O resultado elevou a campanha texana para 11-1, mantendo a franquia na liderança isolada da Conferência Oeste. Vamos aos destaques.

(Joe Murphy/NBAE Getty Images)

Spurs venceu a 11ª na temporada (Joe Murphy/NBAE Getty Images)

Tiki-taka

No futebol, o Barcelona estabeleceu uma dinastia vitoriosa nos últimos anos adotando a chamada tática “tiki-taka”, em que os jogadores trocam inúmeros passes, com cada atleta envolvido procurando tocar no máximo duas vezes na bola, para confundir e criar espaço nas defesas adversárias. No basquete, guardadas as particularidades de cada modalidade, o Spurs usa uma estratégia semelhante de girar sempre a bola em busca do melhor arremesso.

O entrosamento de um elenco que se conhece muito bem e a mentalidade coletiva faz da equipe uma verdadeira máquina, funcionando como um relógio. Até mesmo os recém-chegados Marco Belinelli e Jeff Ayres, que chegaram para esta temporada, já parecem perfeitamente inseridos no esquema tático, participando de maneira eficiente das movimentações. Contra o Grizzlies, os texanos deram mais uma aula de como jogar basquete.

Enferrujado

O começo de temporada ruim de Tim Duncan já foi tema de análise aqui neste blog, e realmente o lendário ala-pivô parece bem enferrujado em quadra. Sem a mesma velocidade e descalibrado, registrou oito pontos e seis rebotes, bem abaixo das atuações que nos acostumamos durante sua carreira. Mas, ao menos por enquanto, o elenco tem dado conta de “substituir” veterano, o que mostra que um esquema tático bem armado pode até mesmo suprir o mau momento de um jogador diferenciado como The Big Fundamental.

Leonard fez mais um bom jogo (Joe Murphy/NBAE Getty Images)

Em alta

Tiago Splitter viveu um período de baixa na equipe nesta temporada, perdendo a posição de titular para Boris Diaw. No entanto, o pivô brasileiro já parece ter recuperado a confiança do treinador Gregg Popovich e teve seu melhor desempenho ofensivo da temporada diante do Grizzlies. Ao todo, foram sete arremessos convertidos em dez tentativas, fazendo 17 pontos, suas melhores marcas nas 12 partidas disputadas até aqui.

Rotação recheada

Patty Mills deixou de ser um mero agitador de toalhas e nesta temporada tem sido parte efetiva da rotação de Gregg Popovich, como reserva imediato de Tony Parker. Jeff Ayres, recém-contratado, vem do banco ao lado de Boris Diaw como backup no garrafão. Apesar das limitações naturais, a dupla tem cumprido muito bem o seu papel: O australiano com seus arremessos e intensidade, e o ala-pivô com muitos corta-luzes e dando conta de concluir bolas fáceis embaixo da cesta.

Kawhi

É claro que Tim Duncan, Manu Ginobili e Tony Parker ocupam um lugar especial no coração de cada torcedor dos Spurs, mas, para mim, nenhum outro jogador tem sido tão divertido de acompanhar quanto Kawhi Leonard. Mais uma vez, o ala mostrou sobriedade e contribuiu em todos os aspectos do jogo. Marcou 12 pontos, e com seus longos braços capturou nove rebotes e roubou três bolas, além de distribuir outras três assistências.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 20 pontos e 5 assistências

Tiago Splitter – 17 pontos e 7 rebotes

Manu Ginobili – 15 pontos, 5 rebotes e 7 assistências

Kawhi Leonard – 12 pontos, 9 rebotes, 3 assistências e 3 roubos

Memphis Grizzlies

Mike Conley – 28 pontos

Zach Randolph – 16 pontos e 10 rebotes

Tony Allen – 12 pontos, 4 rebotes e 4 assistências