Arquivo diário: 16/11/2013

Cinco atletas do Spurs são indicados para o All-Star Game

Nesta sexta-feira, (15), a NBA anunciou a lista de jogadores pré-indicados para o All-Star Game desta temporada, que será disputado no dia 16 de fevereiro do ano que vem, em New Orleans, e abriu a votação ao público. A relação conta com cinco jogadores do San Antonio Spurs.

Parker, Duncan, Manu e Kawhi, além de Splitter, na lista (Brendan Maloney/USA Today)

Tony Parker, Manu Ginobili, Kawhi Leonard, Tim Duncan e Tiago Splitter aparecem na lista pela Conferência Oeste. Os demais estão disponíveis para indicação em uma relação abaixo, onde é possível indicar jogadores que não foram pré-selecionados.

Além do site da NBA, é possível votar por Facebook, Instagram e Twitter. Basta escrever o nome do jogador que você quer ver no All-Star Game junto com a hashtag #NBABallot.

Anúncios

Sinal amarelo para Duncan?

Seria difícil exigir um começo melhor de campeonato para o San Antonio Spurs. Nos primeiros nove jogos da temporada 2013/2014, a equipe, que atualmente lidera a Conferência Oeste da NBA, venceu oito deles. Com Marco Belinelli e Jeff Ayres ocupando os lugares que eram de Gary Neal e DeJuan Blair na rotação, a movimentação de bola do time parece melhor do que nunca. Porém, se engana quem acha que não existe espaço para evolução no elenco. Até porque, nestas primeiras semanas da liga, a maior preocupação, talvez, que os torcedores do alvinegro tenham no momento diz respeito a uma das principais estrelas do plantel: o ala-pivô Tim Duncan, que ainda não encontrou seu melhor basquete.

Duncan tem encontrado dificuldades (Melissa Majchrzak/NBAE/Getty Images)

Até aqui, The Big Fundamental, que foi poupado na vitória sobre o Philadelphia 76ers e disputou oito das nove partidas do Spurs no campeonato, apresenta média de 12 pontos por jogo, mais baixa que os 13,4 da temporada 2010/2011, a pior de sua carreira. E isso não tem a ver com o fato de ele estar atuando menos tempo para ser preservado. Duncan tem anotado 15,3 pontos a cada 36 minutos, sendo que a pior marca de sua vida foi 17,1, também na temporada 2010/2011. Atualmente, ele tem aproveitamento de 39,4% nos arremessos de quadra, muito inferior aos 49,0% de 1999/2000, sua campanha mais “descalibrada”. Seu gráfico nestas primeiras semanas mostra sua dificuldade, especialmente em média distância.

Shotchart_1384615616434

Claro que não é agora que Duncan precisa mostrar todo seu potencial para que o Spurs volte a brigar pelo título da NBA. É natural que o astro se poupe e guarde energia para que chegue inteiro e saudável nos playoffs, quando mais importa. A questão é que errar arremessos não é sinônimo de se preservar. Por isso, a questão merece, sim, atenção.

No entanto, não é necessário criar nenhum tipo de drama a respeito disso. Primeiro porque o time tem se virado muito bem mesmo com a baixa produtividade de um de seus principais nomes. Segundo, porque Duncan tem encontrado outras maneiras de colaborar: são 7,1 rebotes, 3,5 assistências e 1,8 tocos em 28,3 minutos por partida até aqui. Além disso, é normal que os jogadores mais velhos sejam os que mais demoram para recuperar o ritmo de jogo e a melhor forma física e técnica no início da temporada. E não custa lembrar o lado pessoal também: o camisa #21 foi um dos que mais demonstrou abatimento após a derrota para o Miami Heat nas finais deste ano, que aconteceram em meio ao divórcio do ídolo local.

Por essas e outras, Duncan tem o apoio do grupo. Manu Ginobili é um dos que apostam nele. O ala-armador argentino rasgou elogios ao companheiro após a vitória do Spurs sobre o Washington Wizards, mesmo após o ala-pivô tendo acertado apenas um dos 12 arremessos de quadra que tentou, atingindo a pior noite em aproveitamento de toda a sua carreira.

“Não tenho dúvidas de que ele vai se recuperar. Amanhã, ele vai acordar cedo e dar um milhão de arremessos para se recuperar. Especialmente sendo o tipo de competidor que ele é. Você só precisa acertar alguns arremessos e aí tudo muda. Não é nada demais”, declarou Manu, de acordo com reportagem do site americano Spurs Nation.

A recuperação já começa a dar sinais de que pode estar perto de acontecer. Nesta sexta-feira (15), durante a vitória do Spurs sobre o Utah Jazz, Duncan – que aparentemente já está de namorada nova – acertou sete dos 16 arremessos de quadra que tentou. Mesmo sendo um aproveitamento ainda abaixo da média, certamente o camisa #21 ficará mais confiante com os 14 pontos que converteu. Ainda é cedo para se preocupar com ele.

Spurs (9-1) @ Jazz (1-9) – Passou o carro

91×82

Na noite desta sexta-feira (15), o San Antonio Spurs, líder da Conferência Oeste, visitou o Utah Jazz, lanterna, e chegou a assustar seus torcedores ao parecer que sairia de quadra com sua segunda derrota na temporada 2013/2014 da NBA. No entanto, a equipe texana reagiu no último período e, com grande atuação nos 12 minutos finais, conseguiu mais uma vitória, mantendo-se na ponta de maneira isolada. Confira, a seguir, os destaques da partida.

Diaw voltou a se destacar (Melissa Majchrzak/NBAE/Getty Images)

Alamotruck

O Spurs, que chegou a estar perdendo por 15 pontos de diferença para o Jazz, deu a impressão de que perderia o jogo em Salt Lake City. Porém, no quarto período, a equipe texana marcou 31 pontos, contra apenas 15 dos donos da casa, garantindo a vitória. Algo parecido ocorreu no triunfo sobre o Denver Nuggets e, talvez, seja mostra de que o experiente elenco vá se poupar durante as partidas e dar o máximo apenas quando for necessário.

Parker foi decisivo (Melissa Majchrzak/NBAE/Getty Images)

Francês decisivo

O grande comandante da reação do Spurs no quarto período foi Tony Parker. O armador, cestinha do jogo com 22 pontos, anotou 14 deles no quarto período, acertando quatro dos oito arremessos de quadra e seis dos oito lances livres que tentou durante a parcial. O camisa #9 do alvinegro ainda obteve duas das seis assistências que distribuiu no jogo nos 12 minutos finais.

Francês agressivo

Em seu último ano de contrato com o Spurs, Boris Diaw começou o campeonato disposto a mostrar serviço. Contra o Jazz, o francês anotou 17 pontos, ficando só atrás de Parker entre os cestinhas do time texano, e ainda contribuiu com cinco rebotes, duas assistências, dois tocos e duas roubadas de bola. Aparentemente mais disposto a atacar a cesta, o ala-pivô tem agora média de 11,4 pontos por jogo neste início de campanha, sua melhor desde a temporada 2008/2009, acertando 56,5% dos arremessos de quadra, melhor aproveitamento pessoal desde aquele mesmo ano.

Cavou uma vaguinha

Aparentemente, o recém-contratado Jeff Ayres caiu nas graças de Gregg Popovich e arrumou um lugar na rotação do Spurs. Contra o Jazz, Tim Duncan e Tiago Splitter voltaram a formar o garrafão titular, e Boris Diaw foi o principal reserva. Mas o ex-jogador do Indiana Pacers completou a rotação, anotando dois pontos e duas faltas em pouco menos de oito minutos. Aron Baynes atuou por apenas 22 segundos, e Matt Bonner não saiu do banco de reservas.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 22 pontos e 6 assistências

Boris Diaw – 17 pontos, 5 rebotes, 2 tocos e 2 roubos de bola

Tim Duncan – 14 pontos, 9 rebotes e 3 tocos

Utah Jazz

Derrick Favors – 20 pontos, 18 rebotes, 3 tocos e 3 roubos de bola

Gordon Hayward – 15 pontos, 9 rebotes e 3 assistências

Richard Jefferson – 14 pontos, 3 rebotes e 3 roubos de bola