Arquivo diário: 02/11/2013

De olho nele

Com as vitórias sobre o Memphis Grizzlies e o Los Angeles Lakers, mesmo sem poder contar com Tim Duncan na segunda, o San Antonio Spurs começou muito bem, obrigado, sua caminhada na temporada 2013/2014 da NBA. Mas não é só no território americano que os torcedores da equipe encontram motivos para empolgação. Do outro lado do oceano Atlântico, um dos prospectos ligados à franquia texana deu uma largada para lá de positiva em sua carreira profissional no basquete. Trata-se de DeShaun Thomas, que vem jogando a LNB Pro A – o campeonato francês de basquete – e a Euroliga com a camisa do Nanterre.

Thomas está indo bem na Europa (Panoramic)

Thomas foi selecionado pelo Spurs na 58ª escolha do Draft deste ano. O ala vinha de sua terceira temporada no basquete universitário americano, apresentando médias de 19,8 pontos (44,5% FG, 34,4% 3 PT, 83,4% FT) e 5,9 rebotes em 35,4 minutos por exibição pelo Ohio State Buckeyes. Além disso, disputou a Summer League de Las Vegas com a franquia texana, obtendo, em média, 12,4 pontos (41,4% FG, 37,5% 3 PT, 88,9% FT) e cinco rebotes em 28,6 minutos por partida. No entanto, por conta da falta de espaço no elenco do alvinegro, o jogador decidiu acertar com um clube europeu antes de tentar a sorte na NBA.

Por enquanto, a decisão parece ter sido acertada. Na LNB Pro A, Thomas tem médias de 12,6 pontos (59,1% FG, 47,4% 3 PT, 66,7% FT) e 3,4 rebotes em 19,4 minutos por exibição. Mesmo ainda não tendo assumido a vaga de titular e recebendo tempo de quadra restrito, o prospecto é o cestinha da equipe no torneio ao lado de Will Daniels, que anota os mesmos 12,6 pontos, mas em 23,6 minutos por jogo. Além disso, o ala é líder do time no aproveitamento de tiros de quadra entre os os que jogaram as cinco partidas do time e o melhor arremessador de três pontos entre os que tentaram ao menos duas bolas deste tipo no elenco.

O poder ofensivo de Thomas ficou claro desde sua estreia com o Spurs na Summer League. Além disso, o jogador demonstra personalidade. Tanto que seu jogo que mais me chamou a atenção até aqui foi na Euroliga. Na competição, o ala assume uma fatia ainda mais limitada da rotação, obtendo, em média, nove pontos (39,1% FG, 50% 3 PT, 62,5% FT) e três rebotes em 18,7 minutos por exibição. Porém, no terceiro compromisso do time, o atleta mostrou seu valor.

Depois de ter perdido seus dois primeiros jogos, diante de CSKA Moscou e Partizan, o Nanterre viajou á Espanha para uma complicadíssima e importantíssima partida contra o Barcelona. E venceu por 71 a 67. Thomas? Deixou o banco de reservas para anotar 14 pontos (4-10 FG, 3-5 3 PT, 3-5 FT) e sete rebotes em 22:16 minutos, sendo peça fundamental para o excelente resultado do time francês na competição continental.

Thomas, cada vez mais, mostra que já é um jogador com arsenal ofensivo interessante, além de ser uma excelente opção para a vaga de Matt Bonner, cujo salário de US$ 3.945.000 desta temporada é o último de seu contrato com o Spurs. Bom arremessador, o prospecto pode, ao menos, exercer a função que atualmente cabe ao ala-pivô no elenco. Resta saber se Pop desejará contar com o jogador já na próxima campanha ou se ele fará parte da reconstrução do elenco após as aposentadorias de Manu Ginobili e Tim Duncan.

Anúncios

Spurs (2-0) @ Blazers (1-1) – Temporada regular

San Antonio Spurs @ Portland TrailBlazers – Temporada Regular

Data: 03/10/2013

Horário: 0h (Horário de Brasília)

Local: Moda Center

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,79 (favorito) @ Blazers 2,04

Com vitórias sobre o Memphis Grizzlies e o Los Angeles Lakers nos primeiros jogos na temporada, o San Antonio Spurs viaja até Oregon para encarar o Portland TrailBlazers no segundo duelo do primeiro back-to-back da campanha. Ausência contra o time angelino, Tim Duncan viajou com o elenco, mas segue como dúvida – a boa atuação de Boris Diaw pode render mais descanso ao ala-pivô. Com um elenco renovado, o time da casa estreou com vitória diante do Phoenix Suns e surpreendeu ao bater o Denver Nuggets na sexta-feira (1).

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Boris Diaw

C – Tiago Splitter

Fique de Olho – Uma das principais armas do adversário é o armador Damian Lillard. Para contê-lo, será essencial uma boa atuação defensiva de Kawhi Leonard, que ainda poderá aproveitar a possível ausência de Duncan para pontuar mais.

PG – Damian Lillard

SG – Wesley Matthews

SF – Nicolas Batum

PF – LaMarcus Aldridge

C – Robin Lopez

Fique de Olho – Uma máquina de pontuar. Esse é LaMarcus Aldridge, que vem de uma incrível partida com 25 pontos anotados diante do bom garrafão do Denver Nuggets. Com ou sem Duncan em quadra, ele será perigosíssimo para o Spurs. Olho nele!

Spurs (2-0) @ Lakers (1-2) – Virada sem Duncan

91×85

Na noite desta sexta-feira (1º), o San Antonio Spurs assustou a sua torcida quando chegou a estar perdendo por 15 pontos de diferença para o Los Angeles Lakers no segundo quarto, atuando no Staples Center, casa do adversário. Porém, com os dois times desfalcados, a equipe texana soube impor o seu jogo e vencer o primeiro duelo entre as franquias sem Tim Duncan ou Kobe Bryant desde 1996. Confira, a seguir, como foi a partida.

Ginobili foi um dos destaques da partida (NBAE/Getty Images)

Sem Duncan? Sem problemas

Com Tim Duncan fora do jogo por ainda sentir dores no peito por conta de colisão sofrida durante a vitória sobre o Memphis Grizzlies, o técnico Gregg Popovich decidiu escalar Boris Diaw e Tiago Splitter como titulares no garrafão. E os dois corresponderam. O francês anotou 14 pontos em 22:23 minutos e repetiu a marca do jogo de estreia, mostrando que está mais disposto a atacar a cesta nesta temporada. E o brasileiro deixou a quadra com nove pontos, três assistências e importantes 14 rebotes em 32:22 minutos, igualando seu recorde pessoal na coleta de ressaltos, que havia sido estabelecido justamente contra o Lakers.

Parker foi o cestinha do jogo (NBAE/Getty Images)

Mais espaço para os reservas

Sem Duncan, sobrou tempo para os jogadores que brigam por minutos no garrafão. O reserva mais usado foi Matt Bonner, que errou os dois arremessos que tentou e deixou a quadra com três rebotes e uma assistência em 15:39 minutos. O recém-contratado Jeff Ayres também zerou, anotando cinco rebotes, uma assistência, três faltas e três desperdícios de posse em 13:09 minutos. Por fim, Aron Baynes também passou em branco, obtendo três rebotes, uma assistência, duas faltas e dois desperdícios de posse em 12:06 minutos.

O Big Two

Com a ausência de Duncan, Tony Parker e Manu Ginobili chamaram a responsabilidade e ajudaram a decidir o jogo a favor do Spurs. O francês foi o cestinha do jogo, anotando 24 pontos, e ainda contribuiu com seis assistências e quatro rebotes em 35:56 minutos. O argentino, por sua vez, parece estar voltando à boa forma e, vindo do banco, deixou a quadra com 20 pontos, três assistências e três rebotes em 27:08 minutos.

Terceira força

Graças à lesão de Duncan, coube a Kawhi Leonard a função de ser a terceira opção ofensiva do Spurs. E o ala não decepcionou, anotando 15 pontos e 11 rebotes – único duplo-duplo do time texano no jogo – em 31:34 minutos. A atuação arrancou elogios de Pop, que foi perguntado sobre as semelhanças do jogador com Bruce Bowen após o jogo. “Ele é muito melhor que Bruce Bowen. Bruce não sabia driblar ou passar”, declarou.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 24 pontos, 6 assistências e 4 rebotes

Manu Ginobili – 20 pontos, 3 assistências e 3 rebotes

Kawhi Leonard – 15 pontos e 11 rebotes

Boris Diaw – 14 pontos

Los Angeles Lakers

Pau Gasol – 20 pontos, 11 rebotes e 2 tocos

Jodie Meeks – 14 pontos e 6 rebotes

Wesley Johnson – 12 pontos