Arquivo diário: 21/09/2013

Belinelli vai mal e Itália está fora do Mundial

Não deu para Marco Belinelli e a Itália. O ala-armador, recentemente contratado pelo San Antonio Spurs, teve atuação bem abaixo do esperado e viu seu país cair diante da Sérvia, 76 a 64, e deixar escapar a chance de se classificar para o Mundial da Espanha do ano que vem.

Não deu, Azzurra! (FIBA Europe/Castoria/De Massis)

Não deu, Azzurra! (FIBA Europe/Castoria/De Massis)

A partida, disputada na Eslovênia e válida pelo Eurobasket, começou com massacre sérvio. Comandada pela ótima atuação do pivô Nenad Krstic, a equipe do Leste Europeu arrasou logo de começo, abrindo 27 a 11 apenas no primeiro quarto. Restou à Azzurra tentar reverter o placar por meio das bolas longas. E aí se esperava mais de Belinelli, especialista no quesito.

Mas o ala-armador foi mal, acertou apenas três dos 13 chutes que tentou e colaborou com o péssimo desempenho ofensivo da Itália, decisivo para o placar final. No total, o jogador do Spurs saiu de quadra com oito pontos, três rebotes e também três assistências.

Belinelli agora deverá passar por um período de descanso para se juntar aos companheiros nos treinos da pré-temporada do Spurs, que começam em outubro.

Moral para o líder

Cada jogo que Tony Parker termina sem lesões no Eurobasket é um alívio para os torcedores do San Antonio Spurs. O armador, que está com a seleção da França na competição continental, terminou a última temporada da NBA sofrendo com problemas físicos e, talvez, o futuro da equipe texana na final contra o Miami Heat poderia ser diferente se o camisa #9 estivesse 100%. Por isso, grande parte da torcida ficou preocupada quando o jogador decidiu abrir mão de parte de suas férias para defender a equipe nacional. Mas, no fim das contas, a experiência no Velho Continente pode ser proveitosa para o astro, e, consequentemente, para seu time na próxima campanha.

Pode comemorar, Parker! (FIBA Europe/Castoria/Ceretti)

Pode comemorar, Parker! (FIBA Europe/Castoria/Ceretti)

As preocupações em turno da saúde de Parker aumentaram durante o período preparatório para o Eurobasket, quando o armador voltou a sentir dores nas duas pernas. Isso porque, limitado fisicamente, o astro do Spurs foi vítima de uma eficiente defesa do Heat na final da NBA. Mas o sinal da alerta foi ficando em segundo plano com as boas atuações do camisa #9 no torneio continental, disputado na Eslovênia. Na sexta-feira (20), o jogador anotou 32 pontos, seis rebotes, duas roubadas de bola e uma assistência, além de cinco desperdícios de posse e uma falta, em 37 minutos, e ajudou sua seleção a enfim bater a Espanha por 75 a 72, após prorrogação, em jogo válido pela semifinal do campeonato. Um verdadeiro show!

Na competição, Parker tem médias de 19,7 pontos e 3,3 assistências em 29,5 minutos por exibição pela França. Lidera a sua seleção nas três estatísticas, empatado com Boris Diaw, seu colega de Spurs, nos passes decisivos. Além disso, dos 133 arremessos de quadra que tentou no torneio continental, acertou assustadores 52,6%. Entre Les Bleus, somente dois jogadores têm aproveitamento melhor: Alexis Ajinca, que converteu 54,8% de seus 73 tiros, e Antoine Diot, que guardou 53,6% de 28 tentativas.

Os números de Parker também se destacam quando comparados aos de outros jogadores. Entre os sete cestinhas do torneio, só o francês se classificou para a segunda fase. Aparece na terceira colocação, atrás do sueco Jeffery Taylor, com 21,2 pontos por jogo, e do bósnio Mirza Teletovic, com 21. E, entre os jogadores que disputaram pelo menos metade dos jogos do seu time e tentaram ao menos oito arremessos por partida, ele é o segundo com melhor aproveitamento nos tiros de quadra, perdendo só para o tcheco Jan Vasely, com 58,7%.

Não é segredo para ninguém que Parker foi o principal jogador do Spurs na última temporada. Com um sistema ofensivo desenhado para ele, o armador apresentou médias de 20,3 pontos, 7,6 assistências e três rebotes em 32,9 minutos por jogo na fase de classificação e 20,6 pontos, sete assistências e 3,2 rebotes em 36,4 minutos por partida nos playoffs. No entanto, o francês poderia ser vítima da traumática derrota para o Heat na final, assim como qualquer outro jogador do time, e voltar desmotivado para outra maçante campanha de 82 jogos.

Mas a motivação pode vir justamente da Europa. Neste domingo, às 16h (de Brasília), Parker encara a Lituânia na grande decisão do Eurobasket para tentar dar o título inédito à França, que tem como maiores conquistas em sua história as medalhas de prata olímpicas em 1948 e 2000 e o vice-campeonato europeu em 1949 e 2011. Algo que está longe de ser impossível depois da histórica vitória da seleção sobre a Espanha.

Assim, a preocupação sobre a saúde de Parker deve ficar para trás no domingo. O torcedor do Spurs deve torcer para o armador ser campeão da competição europeia e voltar cheio de moral para comandar o time texano em mais uma campanha rumo aos playoffs. Afinal, como mostrado na última temporada, a equipe depende do sucesso dele.

Parker leva a França para a final do Eurobasket

Uma atuação brilhante. Assim pode ser definida a apresentação de Tony Parker, que, após ser eleito o segundo maior jogador europeu da história do basquete, comandou a França na vitória por 75 a 72 sobre a Espanha, nesta sexta-feira (20), em jogo válido pela semifinal do Eurobasket, disputado na Eslovênia, e levou sua seleção à grande decisão do torneio.

Mais um show de Tony Parker (Fiba Europe/Elio Castoria)

Mais um show de Tony Parker (Fiba Europe/Elio Castoria)

Em jogo decidido apenas no último minuto da prorrogação, Parker deixou a quadra com 32 pontos, seis rebotes, duas roubadas de bola e uma assistência, além de cinco desperdícios de posse e uma falta, em 37 minutos. Mais dois jogadores do San Antonio Spurs entraram em quadra pela França na partida: Boris Diaw anotou oito pontos, oito rebotes, três assistências e duas roubadas de bola, além de cinco faltas e três desperdícios de posse, em 30 minutos; e Nando De Colo obteve três pontos, duas assistências e uma roubada de bola, além de dois desperdícios de posse e duas faltas, em 18 minutos.

Na final, a França vai encarar a Lituânia de Robertas Javtokas, prospecto ligado ao Spurs. Também nesta sexta, a seleção venceu a Croácia por 77 a 62 na outra semifinal, e o pivô contribuiu com quatro pontos, três rebotes e uma roubada de bola, além de três faltas, em 12 minutos. A decisão do torneio acontece no domingo, às 16h (de Brasília).

Também nesta sexta, a Itália foi derrotada por 66 a 58 pela Ucrânia, em jogo válido pela repescagem. Marco Belinelli, contratação recente do Spurs, contribuiu com sete pontos, seis rebotes e duas assistências, além de dois desperdícios de posse, em 32 minutos. Neste sábado, às 12h30, a Azzurra volta à quadra contra a Sérvia para brigar pela última vaga no Mundial do ano que vem, que será disputado na Espanha.