Foco: reserva reboteiro de Leonard

Restando 39 dias para seu primeiro amistoso de pré-temporada, o San Antonio Spurs ainda tem uma vaga aberta em seu elenco de olho na temporada 2013/2014 da NBA. E, de acordo com os últimos rumores envolvendo agentes livres, a busca da franquia texana se dá para suprir a maior carência do plantel no momento: um reserva para Kawhi Leonard. Entre todos os jogadores do alvinegro, o camisa #2 é o único ala de origem. Por isso, as notícias de que James Johnson e Josh Childress passarão por treinos de avaliação com a equipe animam, mostrando que diretoria e comissão técnica estão atentas à questão.

Johnson será avaliado pela comissão técnica do Spurs (Cary Emondson/US Presswire)

A princípio, talvez, uma contratação nem seja necessária. O Spurs pode se dar ao luxo de usar Tony Parker, Danny Green e Kawhi Leonard como titulares no perímetro. Na segunda unidade, Cory Joseph (ou Nando De Colo), Marco Belinelli, recém-contratado, e Manu Ginobili podem fazer o time funcionar muito bem no ataque. Na defesa, Boris Diaw e o próprio Danny Green mostraram contra o MVP LeBron James, na recente final da NBA, que podem defender muito bem a posição 3 nos minutos de descanso do único ala do elenco. Mas, mais do que isso, a chegada do 15º jogador pode dar uma opção a mais para o técnico Gregg Popovich montar seus quintetos durante os jogos.

Como disse na minha última coluna, em que sugeri a contratação de Viktor Sanikidze, o Spurs perde força nos rebotes quando precisa utilizar formações mais baixas. De todas as opções que Pop tem para montar seu time no small-ball – incluindo Boris Diaw e Matt Bonner -, só Kawhi Leonard é um reboteiro confiável. Na última temporada, de acordo com o NBA Stats, o ala coletou 11,3% dos ressaltos do time texano enquanto esteve em quadra, contra 8,8% do francês e 8,2% do Red Rocket. Em parte, a chegada de Jeff Pendergraph ajuda a sanar isso – o ágil ala-pivô ex-Indiana Pacers pegou 14,8% dos rebotes da equipe enquanto esteve em quadra pela franquia de Indianápolis no último campeonato.

No entanto, Pendergraph, assim como Bonner, é pesado demais para a posição 3, embora tenha agilidade acima da média para a 4. Segundo o site 82games, o Red Rocket ocupou apenas 1% da rotação da equipe texana na ala na última temporada, contra 0% do ex-jogador do Pacers em Indianápolis. Por isso, a princípio, o Spurs precisa de um jogador que possa entrar em quadra nos minutos de descanso de Leonard, mas que também possa dividir a quadra com ele, preferencialmente sem fazer com que a equipe perca força nos rebotes.

Johnson parece ser esse jogador quando olhamos para suas estatísticas. Na última temporada, com o Sacramento Kings, o jogador ocupou 13% da rotação da ala e 8% da rotação da posição 4 pela equipe. Além disso, coletou 9,4% dos rebotes do time enquanto estava em quadra. Para atuar pelo Spurs, no entanto, o atleta precisa melhorar seu tiro de longa distância – nada que Chip Engelland não possa resolver. Mas seu gráfico de arremesso do último campeonato mostra sua dificuldade em converter bolas do perímetro.

Reprodução/http://stats.nba.com

Reprodução/stats.nba.com

Childress também parece mais uma opção interessante – mas mais pelo seu passado do que por sua carreira recente. Na última temporada, o ala disputou apenas 14 partidas pelo Brooklyn Nets e ocupou somente 2% da rotação de ala – também disputou alguns minutinhos como ala-armador e ala-pivô. No pequeno período, coletou 7,8% dos rebotes disponíveis do time enquanto estava em quadra. No entanto, o jogador converteu 33,3% de seus tiros de três pontos na última temporada, contra apenas 9,5% de Johnson.

De qualquer modo, os dois aparecem como opções válidas para o Spurs. Childress, mais habilidoso com a bola nas mãos, poderia empurrar Leonard para a posição 4 em formações mais baixas, enquanto Johnson, que aposta mais na força física, seria o ala-pivô do small-ball do time. Qualquer um dos dois, se contratados, desde que por uma quantia barata, podem dar ao time a última pecinha que falta no elenco.

Anúncios

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil, seu maior orgulho na carreira jornalística. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é redator do UOL. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 31/08/2013, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s