Arquivo diário: 04/08/2013

Destaques individuais

A última posição na Conferência Oeste da WNBA é ocupada pelo San Antonio Silver Stars. A má fase causada pela ausência das duas principais jogadoras da equipe parece ser mais longa do que o esperado, mas o time não está de todo ruim. Existem alguns flashes que vão fazer essa temporada ser lembrada com um pouco de carinho. Começando pelo Jogo das Estrelas…

Danielle Robison representou o Silver Stars no All-Star Game (Brian Babineau/NBAE/Getty Images)

O All-Star Game de 2013 da WNBA aconteceu na semana passada, na Mohegan Sun Arena, casa do Connecticut Sun. Apesar do time que usa esse ginásio como lar não estar bem das pernas no campeonato, a estrutura do local, que conta com um cassino e um hotel, é muito bem bolada. Já estive duas vezes por lá (não para o cassino, vale ressaltar) e o mais legal é a aproximação das jogadoras com os torcedores. Normalmente existem os treinos abertos para que o público tenha acesso às atletas, e na saída do dia do jogo principal, você ainda consegue encontrar com diversos nomes que sempre sonhou em conhecer. Eu, por exemplo, tive a oportunidade de conversar com Dan Hughes, técnico do Silver Stars, durante duas edições seguidas deste evento. O cara é a simpatia em pessoa.

Este ano, nenhuma jogadora do time de San Antonio foi selecionada por voto do público para participar do All-Star Game, mas Danielle Robinson foi honrada com a nomeação para a reserva da Conferência Oeste. Foi justíssimo, pois a armadora está tendo um trabalhão com seu time na temporada. Sua participação no jogo das estrelas foi discreta (dois pontos em 15 minutos), mas valeu pelo reconhecimento e pela experiência de fazer parte de um momento tão especial promovido pelas grandes ligas norte-americanas.

O outro destaque foi um marco na carreira de Hughes. O técnico, reconhecido por muitos profissionais da WNBA pela competência e capacidade de gerenciamento de equipes, conquistou sua 200ª vitória na liga. O fato aconteceu no dia 25 de julho, quando o time texano enfrentou o New York Liberty e fechou a partida com um placar de 65 a 53.

Por fim, apesar de toda adversidade de jogadoras lesionadas e times adversários completos e reforçados, o Silver Stars ainda consegue protagonizar bons momentos na liga.

Nessa semana, os confrontos da equipe texana acontecem na terça-feira (6) contra o Minnesota Lynx, e sexta-feira (9) e domingo (11) contra o Seattle Storm. Vamos torcer para que mais resultados positivos sejam alcançados!

UM OLHAR MAIS PROFUNDO

A veterana Tina Thompson (Seattle Storm) protagonizou o seu último All-Star Game em 2013. A jogadora, que tem como marca registrada, além de seu talento em quadra, as cores fortes dos batons vermelhos utilizados durante os jogos, é uma das lendas do basquete feminino e está entre aquelas que mais representa a modalidade no mundo. Duas vezes campeã olímpica com a seleção dos Estados Unidos, quatro vezes campeã da WNBA com o Houston Comets e com nove participações em jogos da estrelas em seu currículo, Thompson é, tal qual Lisa Leslie, Nancy Lieberman e Rebeca Lobo, um nome inesquecível para a liga.

Anúncios