Spurs (1) @ Heat (1) – O peso do fator casa

84×103

O Miami Heat mostrou superioridade como mandante ao derrotar o San Antonio Spurs neste domingo (9), por 103 a 84, no jogo 2 da final da NBA. Apesar do resultado, o time texano, que liderava a série, tem a possibilidade de ser pentacampeão da liga em seus domínios, já que encarou duas partidas na casa do adversário e agora possui três mandos de quadra consecutivos, seguindo o formato da decisão (2-3-2). Neste duelo, vimos Danny Green inspirado nas bolas de três pontos, mas não foi suficiente para deter os adversários, que contaram com o apoio da torcida. Vamos aos destaques do confronto:

Danny Green e Dwyane Wade foram destaques de suas equipes (NBAE/Getty Images)

O jogo

No primeiro tempo, as duas equipes trocaram pontos. Ás vezes o Spurs liderava – apesar do alto número de turnovers -, e às vezes era o Heat que estava na dianteira. O quarto inicial terminou empatado por 22 a 22. No segundo período, o time da Flórida começou a ditar o ritmo, com boa atuação de Dwayne Wade, que liderava a equipe. O jogo foi para o intervalo com os mandantes vencendo por 50 a 45. Na volta dos vestiários, a impressão que se teve é a de que o alvinegro não retornou à quadra. A franquia de Miami conseguiu ampliar a vantagem, com ataques efetivos e uma defesa extremamente intensa, o que fez com que o confronto ficasse praticamente definido. Gregg Popovich então colocou os reservas restando mais da metade no último período. Em seguida, o adversário fez o mesmo e os reservas não foram capazes de mudar o destino. O próximo embate acontece na terça, no AT&T Center.

As bolas de três de Danny Green salvaram no primeiro tempo (NBAE/Getty Images)

Baixo rendimento pós intervalo

Qualquer um que tenha visto o jogo pode afirmar que o Spurs não foi o mesmo depois do intervalo. O Heat se empolgou, tanto na defesa quanto no ataque, e isso afetou diretamente o resultado da partida. Se no primeiro tempo a equipe texana contou com Danny Green e Gary Neal convertendo bolas importantes e Kawhi Leonard dando uma verdadeira aula de defesa ao grudar em LeBron James, na segunda metade faltou empenho. Ainda no terceiro quarto, o alvinegro de San Antonio mostrou sinais de quem ia levar um jogo enroscado com os adversários, mas não manteve o ritmo e sofreu com a forte marcação dos mandantes. Mario Chalmers, Ray Allen e Mike Miller foram importantes na arrancada, fazendo com que The King finalmente se soltasse. O armador da franquia de Miami se destacou, convertendo seis de seus 12 arremessos de quadra no terceiro período. Agora, a franquia da Conferência Oeste tem a chance de liquidar a série em casa, desde que evite cometer os erros que apresentou no jogo 2.

Prós e contras

Pode-se dizer que a defesa feita por Kawhi Leonard em cima de LeBron James no primeiro tempo foi fantástica. O MVP da temporada começou a marcar pontos somente nos segundo finais do primeiro quarto. No entanto, o ala ficou devendo em alguns aspectos. Por um lado, o jogador do Spurs liderava o jogo em rebotes – foram sete deles antes do intervalo. Por outro, deixou de pontuar nos momentos em que mais ajudariam o time. Em outro setor, o time texano pecou em faltas. Danny Green e Manu Ginobili, nos momentos mais críticos de jogo, tiveram problemas com as penalidades e precisaram ir para o banco de reservas.

Mão calibrada

Danny Green proporcionou um verdadeiro show nos arremessos de três pontos na partida. O ala-armador do Spurs converteu os cinco tiros de longa distância que tentou, todos no primeiro tempo. O time texano totalizou oito cestas deste setor no jogo antes do intervalo, e terminou a partida com dez. Gary Neal também estava bastante inspirado e contribuiu com duas bolas certas em momentos em que a equipe precisava.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Danny Green – 17 pontos (6-6 FG e 5-5 3PT)

Tony Parker- 13 pontos e 5 assistências

Gary Neal – 10 pontos

Kawhi Leonard – 9 pontos e 14 rebotes

Miami Heat

Mario Chalmers – 19 pontos

LeBron James – 17 pontos, 8 rebotes e 7 assistências

Ray Allen – 13 pontos

Chris Bosh – 12 pontos, 10 rebotes e 4 assistências

Dwayne Wade – 10 pontos e 6 assistências

Anúncios

Sobre Sergio Neto

Jornalista esportivo desde 2012, ano em que passou a integrar a equipe do Spurs Brasil. Tem passagens por ESPN, Band e Estadão Esportes. Fanático por basquete desde criança e pelo San Antonio Spurs desde a era das "Torres Gêmeas". Também é redator de NBA no The Playoffs (theplayoffs.com.br/nba).

Publicado em 10/06/2013, em Resumo de Jogos. Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Foi um jogão! infelizmente vemos coisas se repetirem: 1.Parker qdo MUITO marcado não passa a bola (ex: Splitter várias x livre); 2.Green com a “mão quente”, pqe não usar mais nas horas decisivas? etc..Mas bola pra frente, hoje tem mais!!

  2. Julio Puiati

    Um aspecto que me incomodou bastante foi a falta de jogadas ofensivas por parte dos pivôs Splitter e Diaw. E outra coisa: Blair não é melhor que Bonner?

  1. Pingback: Hora dos ajustes | Destino Riverwalk

  2. Pingback: Spurs (1) vs (1) Heat – Final da NBA | Spurs Brasil

  3. Pingback: San Antonio Spurs (2) vs Miami Heat (1) – Final da NBA | Spurs Brasil

  4. Pingback: Spurs (2) vs Heat (2) – Final da NBA | Spurs Brasil

  5. Pingback: Spurs (3) @ Heat (2) – Final da NBA | Spurs Brasil

  6. Pingback: Spurs (3) @ Heat (3) – Final da NBA | Spurs Brasil

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s