Arquivo diário: 13/05/2013

Spurs (2) @ (2) Warriors – Antes fosse só o Curry…

87×97

Enquanto todos esperavam mais uma vitória do San Antonio Spurs após o bom resultado obtido no jogo 3, quando conseguiu anular os principais destaques do Golden State Warriors, veio a surpresa. Neste domingo (12), os texanos ficaram à frente durante o confronto inteiro, porém permitiram o empate e, na prorrogação, cederam a vitória para os californianos, que jogavam em casa. Confira, a seguir, os principais pontos da partida.

Manu foi o cestinha do Spurs (NBA/Getty Images)

Do céu ao inferno

Manu Ginobili, nosso querido argentino, estava muito bem durante o jogo. Com cinco arremessos de três convertidos em cinco tentados, o argentino liderou a equipe em pontuação (21 pontos) no jogo. Infelizmente, quando a equipe mais precisou dele, nosso hermano errou precisos tiros de longa distância (1-4), o que facilitou a virada por parte do Warriors.

Duncan fez 19 pontos (NBA/Getty Images)

MVParker, uma incógnita

No jogo passado, Tony Parker anotou 32 pontos na vitória sobre o Warriors. Acredito que todos acharam que ele iria deslanchar, mas não foi o caso. Muito bem marcado e sendo atrapalhado durante as tentativas de giro de bola, o armador só conseguiu seis de seus 17 tiros de quadra e saiu com apenas 17 pontos.

Desespero e o banco

Não sei bem se é despreparo, na verdade às vezes não consigo entender o Mestre Gregg Popovich. Mas enfim, o técnico deixou todos os “velhinhos” durante mais de 35 minutos nessa última partida, sendo que jogadores como Tracy McGrady e Patrick Mills sequer pisaram em quadra. Sabemos que o chefe sempre manteve esse esquema de não colocar “novatos” no time de uma vez, mas contra um Warriors cheio de jovens, com um atleta tendo atuações de MVP, seria uma boa não sobrecarregar Tim Duncan e, principalmente, Manu Ginobili. Talvez cansados demais, os texanos, a partir dos seis minutos finais do quarto período, sofreram 27 pontos e só fizeram 12.

Warriors, o time de guerreiros

Eu sei que não teve muita graça, mas infelizmente não é pra ser engraçado. O time californiano, cheio de jogadores jovens, está dando o que falar. Enquanto Pop conseguiu uma maneira de conter Stephen Curry e Klay Thompson, eis que surgem Harrison Barnes (26 pontos e 10 rebotes) e Jarrett Jack (24 pontos e sete rebotes). Os dois estavam endiabrados, acertando bolas importantes no fim, e acabaram sendo responsáveis pelo resultado.

Pelo menos algo de bom

Como joga esse menino chamado Tim Duncan. Com mais um double-double, Duncan chegou à marca de 40 na temporada, em 77 jogos. Para se ter uma ideia, somente três jogadores conseguiram atingir a marca de mais de 40 double-doubles após atingirem mais de 37 anos. São eles: Patrick Ewing (45), Karl Malone (100) e Robert Parish (145). O último, como exemplo, jogou até os 43 anos, sendo que seu último double-double foi com 41 anos.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili: 21 pontos

Tim Duncan: 19 pontos e 15 rebotes

Tony Parker: 17 pontos

Kawhi Leonard: 11 pontos e 8 rebotes

Golden State Warriors

Harrison Barnes: 26 pontos e 10 rebotes

Jarrett Jack: 24 pontos e 7 rebotes

Stephen Curry: 22 pontos

Anúncios

Splitter atrai interesse de Hawks e Mavericks

De acordo com reportagem de Sekou Smith, que escreve para o site oficial da NBA, Tiago Splitter interessa ao Atlanta Hawks e ao Dallas Mavericks para a próxima temporada da liga. O pivô brasileiro do San Antonio Spurs será agente livre na próxima offseason.

Nowitzki e Splitter; juntos? (D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Smith colocou Splitter em sua lista dos dez melhores agentes livres restritos do mercado e prevê que o pivô deverá assinar um contrato que pague mais do que os US$ 3,944 milhões que ele recebe nesta temporada. Resta saber se será no Spurs, franquia que tem o direito de igualar qualquer proposta feita para manter o brasileiro.

Hawks e Mavericks são citados por Smith como possíveis destinos para Splitter, mas o blogueiro acrescenta que outras franquias também estudam tentar contratá-lo.

Nesta temporada, Splitter apresentou médias de 10,3 pontos e 6,4 rebotes em 24,7 minutos por exibição pelo Spurs. Nos playoffs, esses números se transformaram em 4,8 pontos e 3,7 rebotes em 19,8 minutos por partida.

Duncan é eleito para o segundo time defensivo da liga

Nesta segunda-feira (13), a NBA divulgou os resultados da eleição que escolheu os dois times defensivos da liga. Entre os 11 jogadores mais votados, está o ala-pivô Tim Duncan, do San Antonio Spurs, escalado como parte da segunda equipe.

Duncan, o ‘paredão’ do Spurs (Reprodução/mysanantonio.com)

Cada pessoa com direito ao voto podia escolher dois jogadores, em ordem de preferência: o primeiro recebia dois pontos e o segundo um. Duncan, escalado para concorrer entre os alas, recebeu três votos na primeira posição e 14 na segunda, terminando com 20 pontos.

O primeiro time defensivo da NBA teve os armadores Chris Paul, do Los Angeles Clippers (37 pontos) e Tony Allen, do Memphis Grizzlies (53); os alas LeBron James, do Miami Heat (52) e Serge Ibaka, do Oklahoma City Thunder (46); e os pivôs Joakim Noah, do Chicago Bulls, e Tyson Chandler, do New York Knicks, que empataram com 24 pontos.

O segundo time tem, ao lado de Duncan, os armadores Mike Conley, do Memphis Grizzlies (19 pontos), e Avery Bradley, do Boston Celtics (25); o ala Paul George, do Indiana Pacers (27); e o pivô Marc Gasol, do Memphis Grizzlies (12).

É a segunda vez na temporada 2012/2013 que Duncan recebe reconhecimento por seu talento na marcação, já que o ala-pivô do Spurs também ficou na sexta colocação na eleição dos melhores defensores da liga.

Além de Duncan, o armador Tony Parker e o ala Kawhi Leonard, com dois pontos cada, também receberam votos na eleição dos times defensivos da temporada.