Arquivo diário: 04/05/2013

Spurs, Warriors e o tabu

No dia 14 de fevereiro de 1997, o lendário Latrell Sprewell anotou 32 pontos, sete assistências e quatro rebotes e guiou o Golden State Warriors a uma vitória por 108 a 94 sobre o San Antonio Spurs no Texas. Já se vão mais de 16 anos desde aquele jogo, que colocou frente a frente as duas equipes que serão adversárias novamente pelas semifinais da Conferência Oeste deste ano. E o que aquela partida tem de especial? É simples: trata-se do último triunfo da franquia de Oakland atuando como visitante diante do time alvinegro.

Avery Johnson sabe o que é perder para o Warriors (Bob Owen/San Antonio Express-News)

É isso mesmo. No dia 25 de junho de 1997, Tim Duncan foi selecionado com a primeira escolha do Draft daquele ano pelo Spurs. Em suas 16 temporadas na NBA, o ala-pivô mediu forças com o Warriors 29 vezes em San Antonio, conseguindo 29 vitórias. É mole?

Para se ter uma ideia do tamanho do tabu, nove jogadores entraram em quadra pelo Spurs naquela partida em 1997. Deles, três trabalharam como treinadores nesta temporada da NBA: Vinny Del Negro no Los Angeles Clippers, Monty Williams no New Orleans Hornets (agora New Orleans Pelicans) e Avery Johnson no Brooklyn Nets, este último demitido no meio do campeonato. Faz tempo ou não faz?

Durante a temporada regular, o Spurs fez um bom trabalho mantendo o tabu. No dia 18 de janeiro, o time texano, sem Manu Ginobili, recebeu um Warriors desfalcado de Stephen Curry e Andrew Bogut e venceu por 95 a 88. Depois, no dia 20 de março, foi Tony Parker quem não jogou e viu seus companheiros baterem por 104 a 93 um adversário que tinha todos os seus principais jogadores à disposição.

Porém, agora o buraco é mais embaixo. Primeiramente porque todos os 29 triunfos que o Spurs conseguiu sobre o Warriors ao longo desses 16 anos vieram em jogos de temporada regular. As duas equipes se enfrentaram apenas uma vez nos playoffs na história, na primeira rodada de 1991, e o time texano, que havia terminado a primeira fase do campeonato com a segunda colocação na Conferência Oeste, acabou perdendo por 3 a 1.

Além disso, mesmo com as duas vitórias que conquistou em San Antonio, o Spurs não fechou a série em vantagem sobre o adversário. Isso porque a equipe texana levou a pior nos dois confrontos que fez como visitante: perdeu por 107 a 101, no dia 22 de fevereiro, após prorrogação e por 116 a 106 no dia 15 de abril – ainda que poupando seus principais jogadores, é bem verdade, já na reta final do campeonato.

Meu palpite é que o Spurs ganha a série, mesmo se o Warriors fizer história e beliscar uma vitória em San Antonio. Mas ganha por ser mais time, não por causa de um tabu de 16 anos – construído por personagens que sequer entrarão em quadra a partir de segunda-feira. Afinal de contas, como diria o poeta, tabus existem para serem quebrados.

* Com informações retiradas dos Twitters de Matther R Tynan, John Schuhmann, Trevor Zickgraf e NBA Guru.

Anúncios