Arquivo diário: 25/04/2013

Nocioni recusou proposta do Spurs, diz site

Logo após dispensar Stephen Jackson, o San Antonio Spurs logo contratou Tracy McGrady para ocupar a lacuna no elenco. Porém, segundo reportagem do site americano Project Spurs, o ala-armador pode não ter sido a primeira opção da franquia texana. Andrés Nocioni, colega de Manu Ginobili na seleção argentina, teria rejeitado uma proposta para atuar no Texas.

Imaginam os dois juntos no Spurs? (Getty Images)

De acordo com Emiliano Carchia, que cita como fonte a rádio espanhola Cadena Ser Vitoria, Nocioni teria sido procurado pelo Spurs há cerca de duas semanas, mas não aceitou a oferta elaborada pela franquia texana. Perguntado sobre o caso, o empresário do argentino apenas confirmou que ele recebeu uma proposta da NBA.

Nocioni não atua na liga americana desde o campeonato passado, quando defendeu o Philadelphia 76ers e, em 11 partidas com a camisa da equipe, apresentou médias de 1,5 pontos e 1,3 rebotes em 5,1 minutos por exibição. Nesta temporada, o ala vem atuando pelo Caja Laboral – ex-equipe de Tiago Splitter -, e, na atual edição da Euroliga, obteve, em média, 10,9 pontos e quatro rebotes em aproximadamente 23,5 minutos por jogo.

Anúncios

Spurs (2) vs (0) Lakers – Que venha a Califórnia!

102×91

O San Antonio Spurs venceu o Los Angeles Lakers por 102 a 91 na noite desta quinta-feira (25) e ampliou para 2 a 0 sua vantagem na série melhor de sete jogos válida pela primeira rodada da pós-temporada da NBA. Ainda sem o recém-contratado Tracy McGrady, a franquia texana dominou o duelo do começo ao fim e, assim como no primeiro confronto entre as equipes, não encontrou muitas dificuldades. Vamos ao que de melhor aconteceu na partida.

Leonard foi eficiente (D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

O erro crucial

Steve Nash e Steve Blake formaram a dupla de armação do Lakers, com ênfase nas bolas de longa distância e transição de quadra bastante rápida. Mike D’Antoni apostou nisso para vencer o Spurs e se deu mal. Forçando boa parte do jogo no perímetro, o Lakers acabou quase se esquecendo de acionar os pivôs Dwight Howard e Pau Gasol nos momentos de maior necessidade. Tirando o jogo do garrafão, o técnico rival facilitou e muito a tarefa do Spurs, que vê no setor seu maior problema para os duelos desta série.

Parker, pesadelo de Steve Nash (D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

Quarteto afiado

Foram quatro os melhores atletas do Spurs em quadra. Vamos a cada um deles de uma vez. Na base da velocidade e na supremacia diante de Nash, Tony Parker ditou o ritmo durante todo o jogo. Incisivo, foi bem na hora de agredir e acabou sendo a principal arma ofensiva do time. Ótimo na defesa, como tem sido comum, Kawhi Leonard teve atuação acima do esperado no ataque. Errou, como também é praxe, pouquíssimos arremessos e colaborou com valiosos e precisos tiros de longe. Muito a vontade, vai mostrando que está cada vez mais maduro para assumir papel crucial na equipe. Se o garrafão é o setor mais perigoso do Lakers, Tim Duncan foi preciso na marcação. Mesmo sem muita inspiração nos arremessos – principalmente no primeiro tempo –, o veterano foi fundamental no combate às (poucas) investidas do Lakers por meio de Gasol e Howard. Por fim, Manu Ginobili parece cada vez mais próximo da velha forma. Como é usual em playoffs, o argentino foi o principal desafogo em momentos difíceis com bolas praticamente espíritas. Essencial para o triunfo.

Spurs cirúrgico

Colaborou – e muito – para a vitória o ótimo aproveitamento do Spurs nos arremessos de quadra. Com mais de 50% dos tiros caindo, foi mais tranquila a transição entre defesa e ataque, frustrando os planos do Lakers de utilizar a velocidade de sua dupla de armação para surpreender no contra-ataque. Isso mesmo com o péssimo desempenho de Danny Green no quesito, além de Parker e Duncan, que começaram a partida com a pontaria não muito afiada e depois tiraram o atraso com muito louvor.

Olhos abertos

A vitória foi boa e, como esperado, a série sai do Texas com o Spurs à frente no placar. Mas nem tudo pode ser festa. Diante de um adversário com a tradição do Los Angeles Lakers é sempre necessário ficar bastante atento. Agora na Califórnia, o adversário terá a seu favor sua fanática torcida e poderá fazer com que erros recorrentes dos texanos sejam mais explorados. Olhos abertos na atuação do brasileiro Tiago Splitter, ainda rendendo muito abaixo do que vinha fazendo na temporada regular por conta do duelo pessoal com Dwight Howard e Pau Gasol. O pivô ainda saiu de quadra hoje com muitos erros de ataque, o que pode comprometer o desempenho da franquia. Não por acaso que Matt Bonner desfilou seu talento por mais tempo que o brasileiro, sendo peça importante nos tiros de longa distância. A questão de Splitter ainda passa por seus reservas, já que o Red Mamba é inconstante e DeJuan Blair é simplesmente descartável, sem transmitir a mínima confiança. O bom Danny Green, que costuma ter ótima pontaria, também precisa melhorar, principalmente quando levamos em conta o fato de que o perímetro adversário está desfalcado de seu principal pontuador.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 28 pontos, 7 assistências e 4 rebotes

Kawhi Leonard – 16 pontos (8-12 FG) e 7 rebotes

Tim Duncan – 16 pontos, 5 rebotes e 2 tocos

Manu Ginobili – 13 pontos, 7 assistências e 5 rebotes em 19 minutos

Los Angeles Lakers

Dwight Howard – 16 pontos e 9 rebotes

Steve Blake- 16 pontos e 6 rebotes