Spurs (50-16) vs Mavericks (30-34) – Dança da vassoura

92×91

“Diga onde o Dirk vai, que eu vou varrendo…”.

Com essa adaptação do clássico de Anderson Leonardo e do Molejo que abrimos o resumo daquela que foi a quarta vitória do San Antonio Spurs sobre o Dallas Mavericks na temporada regular. Apertado, o triunfo por 92 a 91, na noite da última quinta-feira (14), marcou aquele que deverá ser o último jogo entre os times em 2012/2013, já que a campanha dos rivais dificilmente permitirão que eles cheguem aos playoffs. O alvinegro, por outro lado, garantiu sua vaga na pós-temporada e chegou à 50ª vitória pelo 14º ano consecutivo. Uma marca e tanto. Vamos que de melhor aconteceu na vassourada, digo, partida.

Tim Duncan dominou o garrafão (D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

Arriba!

Em sua Noche Latina o Spurs foi Los Spurs e começou com clima quente, envolvendo o adversário e garantindo tranquilidade no placar. Sem contar com o armador Tony Parker, restou ao ala-pivô Tim Duncan ser protagonista. E o veterano foi para cima e fez aquela que pode ser considerada uma das melhores atuações pessoais na temporada. Foram 28 pontos e impressionantes 19 rebotes. Uma aula de como se jogar basquete dentro do garrafão.

Neal viveu noite inspirada (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Energia que sobrou, energia que faltou

Nos últimos minutos do primeiro tempo, o Spurs garantiu uma folga no placar ao fazer uma corrida de 9 a 0. Foi para o intervalo com um confortável resultado de 50 a 41, que fazia pensar que mais uma lavada contra o Mavericks estava por vir. Ledo engano. O time jogou sem energia no segundo tempo e se manteve na disputa essencialmente por conta da ótima atuação de Duncan. Orelhas quentes pra eles, Pop!

Noche Latina, mas o latino…

Manu Ginobili não teve boa atuação. Se soube conduzir bem a bola e terminou a partida com nove assistências, o argentino fez péssima seleção de chutes. Seu último, faltando alguns segundos para o fim do duelo, deu ao Mavericks a chance de virar o jogo na última bola, o que acabou não acontecendo. Para a pós-temporada, se espera mais do argentino…

Como é bom pegar rebotes

Se o Spurs tem um problema grande com o fundamento, o que dizer do Dallas? Os rivais simplesmente deixam muito a desejar no quesito e, por isso, San Antonio conseguiu se impor no garrafão. Combinados, Duncan e Splitter saíram de quadra com impressionantes 29 rebotes obtidos. Marca considerável para um time que quase sempre sofre com isso – e que acabou sendo fundamental para a vitória.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 28 pontos e 19 rebotes

Gary Neal – 16 pontos (2-3 3 PT)

Kawhi Leonard – 12 pontos

Tiago Splitter – 8 pontos e 10 rebotes

Dallas Mavericks

Dirk Nowitzki – 21 pontos e 11 rebotes

Anúncios

Sobre Leonardo Sacco

É jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cravou a opção pelo jornalismo no estouro do cronômetro, quando criou o Spurs Brasil em uma madrugada de domingo para segunda. Escreve para o Yahoo! Esportes e dá seus pitacos no @leosacco.

Publicado em 15/03/2013, em Resumo de Jogos. Adicione o link aos favoritos. 7 Comentários.

  1. Falou tudo sobre os rebotes. Vou papagaiar de novo: rebote ganha jogo. Provas?
    O Dallas chutou 44,6%. O Spurs, 44,0%. Nos 3 pontos o Dallas teve 42,1% e o Spurs 38,5. FT o Dallas ganhou de novo, com 90% contra 76,5% do Spurs. Como um time que chutou melhor de todas as distâncias perdeu o jogo? Resposta: jogo no garrafão. O Spurs destruiu o Dallas dentro do garrafão. Foram 46 pontos do Spurs contra apenas 30 do Dallas. E na briga pelos rebotes o Spurs fechou o caixão com 49 x 35. Vamos misturar as duas estatísticas: 6 rebotes ofensivos pro Dallas e 11 rebotes ofensivos pro Spurs, quase o dobro pro time de San Antonio. Só Tim Duncan pegou quase o mesmo tanto que o Mavs, com 5.
    Nosso garrafão é bom, pela primeira vez desde a saída de Orberto temos um garrafão que pode ganhar um jogo, ou até desequilibrar numa série. Mas precisamos com urgência pegar mais rebotes. Vou tentar encontrar as estatísticas avançadas e descobrir quantos jogos nós perdemos quando vencemos a disputa pelos rebotes. Aposto que nenhum. Por outro lado, acredito que poucas vezes ganhamos o jogo quando pegamos menos rebotes que o adversário.

    Spurs de parabéns, mais uma vez. Ahh, temos a chance de varrer Dallas E Rockets na mesma temporada. Acho (não tenho certeza) que nenhum time do Texas conseguiu varrer os outros dois desde a entrada do Dallas na liga em 1980. Seria outro record quebrado pelo Alamotruck.

    • felipeladislau@hotmail.com

      Então só acho que ganhamos várias partidas quando pegamos menos rebotes, em muitas das 50 vitórias o outro time pegou mais rebotes, não que a diferença foi grande mais pelo que me lembro sim. Agora sem duvidas ganhamos todos os que coletamos mais rebotes.

  2. E pra quem nunca viu o Tim Duncan sorrindo em quadra:

    Tbm depois desta, só rindo mesmo.

  1. Pingback: Varrida histórica no Mavericks | Spurs Brasil

  2. Pingback: Vídeo: Tim Duncan monstro! | Destino Riverwalk

  3. Pingback: Spurs (50-16) vs Cavaliers (22-43) – Temporada Regular | Spurs Brasil

  4. Pingback: Spurs (51-16) vs Cavaliers (22-44) – Conte com Duncan | Spurs Brasil

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s