Arquivo diário: 15/03/2013

Varrida histórica no Mavericks

Quem nunca sonhou em ver seu time fazendo um grande rival de freguês? Pois bem, nesta temporada duas equipes do Texas mostraram que isso é possível!

Pra cima deles, Spurs! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

Sendo mais específico, nosso querido San Antonio Spurs mostrou que isso é possível. Com a última vitória sobre o Dallas Mavericks, o alvinegro “varreu” o rival texano em confrontos diretos nessa temporada regular, conseguindo quatro vitórias, contra nenhuma do adversário.

Como curiosidade, abaixo está a relação de vitórias e derrotas contra o Mavericks, durante as temporadas regulares, desde a existência da equipe rival.

1980/1981 -> 5 vitórias e 1 derrota
1981/1982 -> 5 vitórias e 1 derrota
1982/1983 -> 4 vitórias e 2 derrotas
1983/1984 -> 2 vitórias e 4 derrotas
1984/1985 -> 2 vitórias e 4 derrotas
1985/1986 -> 2 vitórias e 4 derrotas
1986/1987 -> 2 vitórias e 4 derrotas
1987/1988 -> 1 vitória e 5 derrotas
1988/1989 -> 1 vitória e 5 derrotas
1989/1990 -> 2 vitórias e 3 derrotas
1990/1991 -> 4 vitórias e 1 derrota
1991/1992 -> 5 vitórias e 0 derrotas
1992/1993 -> 5 vitórias e 0 derrotas
1993/1994 -> 5 vitórias e 0 derrotas
1994/1995 -> 3 vitórias e 2 derrotas
1995/1996 -> 2 vitórias e 2 derrotas
1996/1997 -> 3 vitórias e 1 derrota
1997/1998 -> 4 vitórias e 0 derrotas
1998/1999 -> 3 vitórias e 1 derrota
1999/2000 -> 2 vitórias e 2 derrotas
2000/2001 -> 3 vitórias e 1 derrota
2001/2002 -> 3 vitórias e 1 derrota
2002/2003 -> 2 vitórias e 2 derrotas
2003/2004 -> 1 vitória e 3 derrotas
2004/2005 -> 3 vitórias e 1 derrota
2005/2006 -> 2 vitórias e 2 derrotas
2006/2007 -> 1 vitória e 3 derrotas
2007/2008 -> 3 vitórias e 1 derrota
2008/2009 -> 2 vitórias e 2 derrotas
2009/2010 -> 1 vitória e 3 derrotas
2010/2011 -> 3 vitórias e 1 derrota
2011/2012 -> 2 vitórias e 2 derrotas

Interessante notar que o Spurs nunca foi “varrido”, porém conseguiu esse feito em quatro outras oportunidades (1991/1992, 1992/1993, 1993/1994, 1997/1998).

Vale ressaltar também que nas 32 temporadas em que as equipes se enfrentaram, San Antonio teve mais vitórias do que derrotas em 16 delas, em dez a equipe de Dallas ganhou mais que perdeu, e em seis houve empate entre vitórias e derrotas.

No total, o San Antonio Spurs possui 88 vitórias e 59 derrotas.

Nas temporadas em que Spurs foi campeão, em duas delas o alvinegro teve mais vitórias do que derrotas (1998/1999 e 2004/2005), em uma houve empate (2002/2003) e outra (2006/2007) os rivais levaram a melhor.

Agora, nas temporadas em que a equipe de San Antonio “varreu” o adversário, a classificação foi a seguinte:

1991/1992: 2º na divisão e 5º na conferência
1992/1993: 2º na divisão e 5º na conferência
1993/1994: 2º na divisão e 4º na conferência
1997/1998: 2º na divisão e 4º na conferência

Por fim, não há nenhuma lógica entre títulos e “varridas”, visto que em nenhuma das temporadas vencidas o Spurs deixou de perder para o Dallas, e, nas quatro temporadas em que ganhou todos os jogos da regular contra o adversário, o alvinegro não foi campeão.

Agora é torcer neste ano para esse “tabu” ser quebrado e para nosso querido Spurs sair com o título e a varrida.

E lembrar que, freguês bom é freguês fiel.

Spurs (50-16) vs Mavericks (30-34) – Dança da vassoura

92×91

“Diga onde o Dirk vai, que eu vou varrendo…”.

Com essa adaptação do clássico de Anderson Leonardo e do Molejo que abrimos o resumo daquela que foi a quarta vitória do San Antonio Spurs sobre o Dallas Mavericks na temporada regular. Apertado, o triunfo por 92 a 91, na noite da última quinta-feira (14), marcou aquele que deverá ser o último jogo entre os times em 2012/2013, já que a campanha dos rivais dificilmente permitirão que eles cheguem aos playoffs. O alvinegro, por outro lado, garantiu sua vaga na pós-temporada e chegou à 50ª vitória pelo 14º ano consecutivo. Uma marca e tanto. Vamos que de melhor aconteceu na vassourada, digo, partida.

Tim Duncan dominou o garrafão (D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

Arriba!

Em sua Noche Latina o Spurs foi Los Spurs e começou com clima quente, envolvendo o adversário e garantindo tranquilidade no placar. Sem contar com o armador Tony Parker, restou ao ala-pivô Tim Duncan ser protagonista. E o veterano foi para cima e fez aquela que pode ser considerada uma das melhores atuações pessoais na temporada. Foram 28 pontos e impressionantes 19 rebotes. Uma aula de como se jogar basquete dentro do garrafão.

Neal viveu noite inspirada (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Energia que sobrou, energia que faltou

Nos últimos minutos do primeiro tempo, o Spurs garantiu uma folga no placar ao fazer uma corrida de 9 a 0. Foi para o intervalo com um confortável resultado de 50 a 41, que fazia pensar que mais uma lavada contra o Mavericks estava por vir. Ledo engano. O time jogou sem energia no segundo tempo e se manteve na disputa essencialmente por conta da ótima atuação de Duncan. Orelhas quentes pra eles, Pop!

Noche Latina, mas o latino…

Manu Ginobili não teve boa atuação. Se soube conduzir bem a bola e terminou a partida com nove assistências, o argentino fez péssima seleção de chutes. Seu último, faltando alguns segundos para o fim do duelo, deu ao Mavericks a chance de virar o jogo na última bola, o que acabou não acontecendo. Para a pós-temporada, se espera mais do argentino…

Como é bom pegar rebotes

Se o Spurs tem um problema grande com o fundamento, o que dizer do Dallas? Os rivais simplesmente deixam muito a desejar no quesito e, por isso, San Antonio conseguiu se impor no garrafão. Combinados, Duncan e Splitter saíram de quadra com impressionantes 29 rebotes obtidos. Marca considerável para um time que quase sempre sofre com isso – e que acabou sendo fundamental para a vitória.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 28 pontos e 19 rebotes

Gary Neal – 16 pontos (2-3 3 PT)

Kawhi Leonard – 12 pontos

Tiago Splitter – 8 pontos e 10 rebotes

Dallas Mavericks

Dirk Nowitzki – 21 pontos e 11 rebotes