Arquivo diário: 06/03/2013

Resumo da semana em Austin

Bem amigos do Spurs Brasil, estamos aqui mais uma quarta-feira, com mais um resumo semanal do nosso querido Austin Toros. Bora lá!

7 vitórias em 8 jogos e subindo…

Com os jogos dessa semana que se passou, a equipe texana chegou a dormir na segunda colocação geral, mas depois voltou para a quinta posição. Porém, nem tudo é o que parece ser! O quinto lugar pode ser “revertido” hoje. Em caso de vitória, o time pode assumir a vice-liderança novamente.

Agora, os resumos dos jogos:

Toros, em sua última vitória contra o Iowa.

Toros, em sua última vitória contra o Iowa (Reprodução/nba.com/dleague/austin)

Sioux Falls Skyforce – 94 @ 93 Austin Toros – 27/02/2013

Jogo disputado durante todo tempo, não havendo uma liderança significativa por parte de nenhum dos times. Faltando 0,03 segundos para o fim, o Toros mantinha 93 pontos, contra 93 de Sioux. Após arremesso de Seth Tarver, a bola ficou rodando no aro, e com um goaltending de Chris Roberts, a equipe visitante virou o jogo, e assim superou Austin.

Destaques:

Austin Toros:

– Cory Joseph: 20 pontos, 4 rebotes e 3 assistências

– Rick Jackson: 18 pontos e 8 rebotes

– Jamychal Green: 13 pontos e 11 rebotes

Sioux Falls Skyforce:

– Seth Tarver: 24 pontos e 8 rebotes

– James Mays: 17 pontos e 8 rebotes

Iowa Energy – 95 @ 97 – Austin Toros – 28/02/2013

Novamente, vitória. Novamente, vitória sofrida. Novamente decidida nos últimos segundos. Essa é a vida de Austin contra Iowa. Foi mais um jogo em que o time texano teve de correr atrás do prejuízo. A equipe de Iowa abriu boa vantagem no segundo quarto, o que fez com que o Toros fosse atrás do placar. Um destaque especial para nosso querido Aron Baynes, que foi trazido para pegar ritmo de jogo e não decepcionou.

Destaques

Austin Toros:

– Aron Baynes: 16 pontos, 9 rebotes e 1 toco

– Jamychal Green: 12 pontos e 11 rebotes.

Iowa Energy:

– Chris Wright: 33 pontos e 7 assistências

– Jarrid Famous: 14 pontos e 13 rebotes

Sioux Falls Skyforce – 92 @ 103 – Austin Toros – 03/03/2013

Vitória tranqüila contra o Skyforce, na qual, a partir do segundo quarto, com sonoros 35 pontos marcados e apenas 16 sofridos, o Toros não teve muitos problemas e somente administrou.

Destaques

Austin Toros:

– Jamychal Green: 21 pontos e 16 rebotes

– Rick Jackson: 16 pontos e 17 rebotes

Sioux Falls Skyforce:

– James Mays: 14 pontos e 11 rebotes

– Jarvis Varnado: 11 pontos e 8 rebotes

Um pouco de história

Como prometido semana passada, vou explicar um pouco da história do nosso querido Austin Toros. Acho que muitos, assim como eu, se enganam em algumas coisas, então vou tentar dar uma pincelada nas coisas principais.

Inicialmente, a equipe tem sede em Cedar Park, Texas. E porque o nome Austin Toros e não Cedar Park Toros? Bem, é simples: no início, a equipe se chamava Columbus Riverdragons e era situada na na cidade de Columbus, Georgia. Em meados de 2005, a equipe se mudou para Austin, e com isso alterou seu nome para Austin Toros.

Passados dois anos, em 2007, o San Antonio Spurs adquiriu a equipe de Austin, sendo assim a segunda equipe da NBA ser dona de um time na D-League.

Já em 2010, o Toros anunciou sua mudança de cidade para Cedar Park, onde jogaria agora no Cedar Park Arena.

A parceria vem rendendo bons frutos para equipe de Cedar Park. Desde o ano em que San Antonio Spurs virou dono, o Toros já conquistou dois títulos de conferência, e no ano passado (2012), seu primeiro título na D-League, vencendo o Los Angeles D-Fenders na decisão.

Notícias da semana

A única notícia dessa semana foi uma troca envolvendo quatro times, aonde Toros enviou Kyle Weaver para o Canton, Canton enviou JuJuan Johnson para Idaho, Idaho recebeu também Mustafa Farrakhan e enviou Seth Tarver para Sioux Falls, que por sua vez passou uma escolha de terceira rodada do Draft para o Toros.

Abraços pessoal, e até semana que vem.

Anúncios

Spurs (47-14) vs Bulls (34-26) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Chicago Bulls – Temporada Regular

Data: 06/03/2013

Horário: 23h00 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Na TV: ESPN

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,29 (favorito) vs Bulls 3,67

A vida sem Tony Parker, que vai desfalcar o time por um mês por conta de uma contusão no tornozelo esquerdo, começou bem para o San Antonio Spurs. No primeiro jogo sem o armador, o time texano venceu o Detroit Pistons com facilidade. Agora, no entanto, a equipe enfrenta sua primeira pedreira sem o francês: o Chicago Bulls, quarto colocado na Conferência Leste, que deverá ter o retorno de Derrick Rose nos próximos dias. Além de Parker, Boris Diaw, com dores nas costas, é dúvida para a partida. Do lado dos visitantes, Richard Hamilton e Taj Gibson serão desfalques, enquanto Kirk Hinrich é nome incerto para a partida.

Série na temporada (1-0)

09/11/2012 – Spurs 103 @ 89 Bulls

Jogando fora de casa e com o desfalque de Stephen Jackson, o San Antonio Spurs venceu mesmo com a surpresa de Gregg Popovich, que decidiu poupar Tony Parker, Manu Ginobili e Tim Duncan do jogo. Kawhi Leonard, com 26 pontos, foi o destaque da noite.

PG – Cory Joseph

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Tim Duncan

C – Tiago Splitter

Fique de olho – Surpresa de Pop no quinteto inicial para o jogo contra o Pistons, Cory Joseph não decepcionou, anotando oito pontos, quatro assistências e duas roubadas de bola em pouco menos de 18 minutos. Na temporada, o armador canadense tem médias de três pontos e 1,4 assistências em 8,1 minutos por exibição.

PG – Nate Robinson

SG – Marco Belinelli

SF – Luol Deng

PF – Carlos Boozer

C – Joakim Noah/Nazr Mohammed

Fique de Olho – Campeão da NBA em 2005 com o Spurs, Mohammed viu sua importância na rotação de garrafão do Bulls crescer com a contusão de Gibson. Na temporada, o pivô sustenta médias de 1,3 pontos, 1,8 rebotes e 0,4 tocos em 6,5 minutos por jogo.

Gary Neal admite jogar no sacrifício pelo Spurs

Os problemas de Gary Neal vão muito além do que ser improvisado na função de armador nesta temporada. De acordo com reportagem do site americano Spurs Nation, o ala-armador do San Antonio Spurs tem atuado no sacrifício, com dores causadas por uma contusão na panturrilha esquerda, ao longo do campeonato.

Dá um descanso para ele, Pop! (USA TODAY Sports)

“Eu simplesmente tenho de continuar tratando a lesão e afastando-a. Não estou dando desculpas. Se você está na quadra, é porque está saudável o bastante para jogar”, declarou o camisa #14, decidido a continuar atuando mesmo com a contusão.

Neal afirma que vem sentindo dores desde o fim de novembro. O jogador pretendia tratar a lesão em dezembro, mas, com as lesões de Kawhi Leonard e Stephen Jackson, o ala-armador acabou recebendo uma chance no quinteto titular e decidiu agarrá-la.

“Foi uma oportunidade para sair jogando e mostrar do que eu sou capaz. Então, eu meio que só tratei a lesão e joguei, apesar dela. E, antes que eu percebesse, já joguei 45 jogos na temporada e a lesão ainda está me incomodando”, afirmou.

A contusão acabou pegando Neal de jeito durante a derrota para o Golden State Warriors, quando, em um lance, o atleta diz ter tentado uma bandeja, mas, com o choque sofrido pela dor, sequer conseguiu pular. Por isso, o ala-armador ficou três jogos afastado, retornando no quarto período da vitória sobre o Detroit Pistons. Mas o descanso parece não ter ajudado.

“A pausa não faz muito além de tirar seu condicionamento físico”, disse.

Antes da lesão, Neal vinha em evolução na sua carreira. Na primeira temporada, o ala-armador teve média de 9,8 pontos por jogo, com 41,9% no aproveitamento dos tiros de três pontos. No ano seguinte, 9,9 pontos e, novamente, 41,9% nos arremessos de perímetro. Em novembro, no entanto, o jogador teve média de 11,6 pontos por exibição, acertando 47,7% de longa distância. A contusão, além de frear o crescimento do atleta, veio justamente no último ano de seu contrato, que é um dos mais baratos para o Spurs.

“Espero que o que fiz em dois anos se sobressaia em relação a esses 38 jogos”, avaliou, a respeito uma possível renovação.

Na temporada, Neal tem média de 9,4 pontos por exibição, com aproveitamento de 35,7% dos arremessos de longa distância.