Arquivo diário: 02/03/2013

Parker deve desfalcar o Spurs por um mês

Tony Parker deve desfalcar o San Antonio Spurs por aproximadamente um mês. O armador lesionou o tornozelo esquerdo durante a vitória sobre o Sacramento Kings, na noite de sexta-feira (1º), e passou por exames na manhã deste sábado. A informação foi confirmada pelo site da franquia texana.

Volta logo, Parker! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Parker vem fazendo uma excelente temporada, com médias de 21 pontos e 7,6 assistências em 33 minutos por exibição. O desempenho fez o francês assumir a segunda colocação na corrida pelo MVP no site oficial da NBA.

Reserva imediato de Parker na temporada, Gary Neal, com uma lesão na panturrilha esquerda, é dúvida no Spurs para o jogo de domingo, contra o Detroit Pistons, no AT&T Center, às 21h (de Brasília). Com isso, Nando De Colo, Patrick Mills e Cory Joseph disputarão minutos na armação do time.

Além de Parker, Boris Diaw, com dores nas costas, também não enfrenta o Pistons. Stephen Jackson, com uma torção no tornozelo direito, segue como dúvida para a partida.

Quem ajuda na ausência de Parker

A vitória do San Antonio Spurs sobre o Sacramento Kings, na noite de sexta-feira (1º), trouxe preocupações muito maiores do que o placar de 130 a 102 pode supor. Durante a partida, a equipe texana viu Tony Parker, melhor jogador do time na temporada, deixar a quadra lesionado após torcer o tornozelo esquerdo. Enquanto os torcedores se preocupam, sem notícias da gravidade da contusão, uma série de atletas se prepara para assumir uma fatia relevante na rotação no caso de uma possível ausência do francês.

Na ausência de Parker e Neal, De Colo é o favorito de Pop (Reprodução/nbcnews.com)

Nesta temporada, o Spurs já teve de lidar com lesões de outros astros, como Manu Ginobili e Tim Duncan. Mas, neste caso, o buraco é mais embaixo. Parker é o líder da equipe em pontos (21), assistências (7,6) e minutos (33) por partida. O armador tem feito sua segunda melhor temporada em pontos, assistências, aproveitamento nos tiros de quadra (53,4%) e aproveitamento nos arremessos de três (37,9%) e a melhor em aproveitamento nos lances livres (82,7%). Sem dúvidas, o francês está no auge – o que, inclusive, o colocou na segunda colocação na corrida pelo MVP no site oficial da NBA. Trata-se, com certeza, do melhor jogador do time. Seria um desfalque gravíssimo.

Como todos sabem, Gary Neal é o reserva preferido do técnico Gregg Popovich para a função. O ala-armador, que vem sendo improvisado na armação da segunda unidade, jogou 1.147,5 minutos nesta temporada, aparecendo em três das dez escalações mais usadas pelo treinador no campeonato, e apresenta médias de 9,4 pontos, 2,2 rebotes e 1,7 assistências em 22,5 minutos por exibição. O problema é que o camisa #14 perdeu os últimos três jogos com uma contusão na panturrilha esquerda – lesão que, segundo relatos da imprensa americana, tem atrapalhado o atleta em toda a temporada – e é dúvida para as próximas partidas.

Em seguida, aparece Nando De Colo, com 613,6 minutos na temporada. O francês tem médias de 3,3 pontos, 1,8 assistências e 1,7 rebotes em 11,8 minutos por jogo e aparece em três dos vinte quintetos mais utilizados por Pop no campeonato. Situação melhor que a de Patrick Mills, que jogou 499,8 minutos na temporada e apresenta médias de 4,5 pontos, 0,9 rebotes e 0,8 assistências em 10,2 minutos por jogo, aparecendo em somente um dos vinte quintetos mais usados por seu treinador.

Caso Parker e Neal sejam desfalques nos próximos jogos, De Colo e Mills deverão dividir os minutos na armação. O francês tem como ponto forte o passe, enquanto o australiano está mais para um pontuador. Por isso, faz mais sentido deixar o primeiro como titular, distribuindo passes para Danny Green, Kawhi Leonard, Tim Duncan e Tiago Splitter, enquanto o segundo exerce a função de arremessador na segunda unidade, deixando Manu Ginobili comandar o ataque.

Porém, vale lembrar ainda que há um jogador correndo por fora na briga: Cory Joseph. O armador vem fazendo boa temporada na D-League pelo Austin Toros, apresentando médias de 19,4 pontos, 5,5 assistências e 4,8 rebotes em 38,5 minutos por exibição. Com o Spurs, o canadense atuou por apenas 79,2 minutos no atual campeonato, e sustenta médias de 2,5 pontos, 1,2 assistências e 1,1 rebotes em 7,2 minutos por jogo.

Se realmente desfalcar o time, Parker fará mais falta do que qualquer outro jogador do elenco texano. Mas, se há um lado bom na lesão do francês, é a chance que Pop terá para testar Neal, De Colo, Mills e Joseph, e, enfim, definir quem será o armador da segunda unidade nos playoffs. Façam suas apostas!

Spurs (46-14) vs Kings (20-40) – Força, Parker!

130×102

O Sacramento Kings pagou o pato. Dois dias após sofrer uma surpreendente derrota diante do Phoenix Suns, o San Antonio Spurs voltou à quadra nesta sexta-feira (1º) e, com uma postura muito diferente, venceu a equipe californiana com tranquilidade, graças a boas atuações no primeiro e no terceiro períodos. No entanto, o jogo causou preocupação para os torcedores do time texano, já que Tony Parker saiu machucado. Veja, a seguir, como foi a partida.

Volte logo, Parker! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Volta, MVParker!

A principal notícia do jogo foi a contusão de Parker. No terceiro período, após tentar uma bandeja, o armador aterrissou sobre o pé de um jogador do Kings e acabou torcendo o tornozelo esquerdo, não voltando mais para a partida. O francês terminou a noite com 13 pontos e sete assistências em 25 minutos.

Nesta temporada, Parker lidera o Spurs em pontos (21), assistências (7,6) e minutos (33) por partida. O armador tem feito uma das melhores temporadas de sua carreira – a segunda em pontos, assistências, aproveitamento nos tiros de quadra (53,4%) e aproveitamento nos arremessos de três (37,9%) e a melhor em aproveitamento nos lances livres (82,7%). O desempenho fez com que o armador aparecesse na segunda colocação na corrida pelo MVP no site oficial da NBA. Nem é preciso dizer o quanto o camisa #9 fará falta enquanto estiver afastado das quadras.

Tranquilão, hein, Tiago? (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Magic Ginobili

Com a contusão de Tony Parker e a ausência de Gary Neal, que perdeu seu terceiro jogo seguido com uma lesão na panturrilha esquerda, Patrick Mills, Nando De Colo e até Cory Joseph puderam entrar em quadra pelo Spurs contra o Kings. No entanto, quem passou a comandar o ataque do time texano foi Manu Ginobili. E o argentino exerceu a função com maestria: ao distribuir 15 assistências, o ala-armador estabeleceu um novo recorde pessoal na NBA.

Ginobili ainda anotou nove pontos, quatro rebotes e três roubadas de bola em pouco menos de 23 minutos. Mills conseguiu 12 pontos e três rebotes em cerca de 14 minutos; De Colo terminou com três assistências e dois rebotes em quase 12 minutos e Joseph deixou a quadra com nove pontos, dois rebotes, uma roubada de bola e assustadoras seis faltas em aproximadamente 11 minutos. Os três últimos deverão receber mais chances.

Força do elenco

Além de Neal, mais dois jogadores sequer pisaram em quadra: Stephen Jackson, que machucou o tornozelo direito no jogo contra o Suns, e Boris Diaw, que estava com dores nas costas. Mesmo assim, oito atletas do Spurs passaram dos dez pontos e nenhum ficou em quadra por 30 minutos: Kawhi Leonard, com 14 pontos, quatro rebotes, quatro assistências e duas roubadas de bola em 29:42 minutos, foi quem mais atuou.

A lesão de Diaw esquentou a briga por minutos na rotação do garrafão. Blair anotou 16 pontos – terminando como cestinha do time -, três rebotes e três assistências em 23:46 minutos. Matt Bonner teve 26 segundos a menos de quadra e deixou a quadra com 13 pontos, duas assistências, um rebote e um toco.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

DeJuan Blair – 16 pontos, 3 rebotes e 3 assistências

Danny Green – 15 pontos, 3 rebotes, 2 roubadas de bola e 2 tocos

Tiago Splitter – 14 pontos e 11 rebotes

Kawhi Leonard – 14 pontos, 4 rebotes, 4 assistências e 2 roubadas de bola

Tim Duncan – 13 pontos, 10 rebotes, 3 assistências, 3 roubadas de bola e 3 tocos

Tony Parker – 13 pontos e 7 assistências

Matt Bonner – 13 pontos

Patrick Mills – 12 pontos e 3 rebotes

Manu Ginobili – 9 pontos, 15 assistências, 4 rebotes e 3 roubadas de bola

Sacramento Kings

Marcus Thornton – 25 pontos e 5 assistências

Isaiah Thomas – 18 pontos e duas roubadas de bola