Arquivo diário: 23/02/2013

Dois dos lados da quadra

As 16 vitórias que o San Antonio Spurs conquistou nos últimos 18 jogos fizeram com que até mesmo aqueles que acreditam fortemente que Miami Heat e Oklahoma City Thunder voltarão a disputar o título da NBA passassem a incluir a equipe texana na lista de favoritas. Para passar a figurar de vez entre as potências da temporada, o alvinegro texano, dono da melhor campanha da liga, chegou a um equilíbrio raro, com excelência ofensiva e eficiência defensiva. Um equilíbrio que promete entrar para a história do basquete.

Os comandantes do eficiente Spurs (Rocky Widner/NBAE/Getty)

Na temporada passada, o Spurs chegou a vinte vitórias seguidas jogando um basquete envolvente no ataque, com muita movimentação de bola, que encantou a NBA. No entanto, a derrota para o Thunder na final da Conferência Oeste mostrou a inabilidade que o time texano tinha na defesa, principalmente para proteger o garrafão das infiltrações de Kevin Durant, Russell Westbrook e James Harden, hoje no Houston Rockets. Cabia ao treinador Gregg Popovich tentar soluções antes do início da temporada.

Observando o time jogar agora, não é segredo para ninguém que Pop conseguiu revolucionar a marcação do Spurs. Com alguns ajustes – entre eles, a promoção do pivô brasileiro Tiago Splitter ao quinteto titular -, a franquia de San Antonio agora está na elite defensiva da NBA. Mas o principal mérito do treinador foi transformar sua equipe sem perder a eficiência nos contra-golpes e a movimentação de bola no ataque que viraram marca registrada.

De acordo com levantamento feito por John Schuhmann no site oficial da NBA, o time texano tem a terceira melhor defesa e o quarto melhor ataque da temporada (as estatísticas não incluem a derrota para o Golden State Warriors). Desde 2000, somente outros nove times conseguiram ficar entre os cinco melhores dos dois lados da quadra e dois deles acabaram campeões: o Los Angeles Lakers, em 2009, e, pasmem, o Spurs em 2007.

Está longe de ser fácil conseguir este equilíbrio. Basta ver que as duas melhores defesas da liga estão em times com ataque pouco eficientes: o Indiana Pacers, líder, é apenas a 21ª equipe que mais marca pontos na NBA. O Memphis Grizzlies, que aparece na sequência, tem a 19ª maior produção da liga.

Nas últimas 14 temporadas, somente duas equipes que não estavam no top 10 tanto na defesa quanto no ataque foram campeãs da NBA. O Spurs foi além, figurando entre as quatro melhores nos dois fundamentos. Ainda vale lembrar que, com o fim da Rodeo Road Trip se aproximando, o time texano fará apenas oito de suas últimas 25 partidas fora de casa, tendo a chance de melhorar ainda mais seus números atuando em seus domínios. Pintou um favorito?

Spurs (44-13) @ Warriors (32-23) – Queda na prorrogação

101@107

Após 16 derrotas seguidas para o San Antonio Spurs, o Golden State Warriors, enfim, conseguiu bater a franquia texana. O revés do time com a melhor campanha na NBA aconteceu nesta sexta-feira (22), no Oracle Arena, e só foi definido após acirrados 48 minutos e uma prorrogação. Foi a primeira vitória da equipe californiana sobre o Spurs desde janeiro de 2008.

Manu bem que tentou (Rocky Widner/NBAE/Getty)

Banco decepciona

Com exceção do argentino Manu Ginóbili, a segunda unidade do Spurs teve uma atuação fraquíssima. Considerado um dos melhores times reservas da liga, contra o Warriors o banco decepcionou. Combinados, eles acertaram apenas dois arremessos de quadra, marcando seis pontos ao todo. Com isso, o técnico Gregg Popovich teve de manter seus titulares, cansados após a vitória na noite anterior contra o Los Angeles Clippers, por muitos minutos em quadra.

Dessa vez, não deu (Rocky Widner/NBAE/Getty)

Banco surpreende

Se o banco do Spurs decepcionou, o do Warriors foi motivo de orgulho. Jarrett Jack teve uma atuação notável, marcando 30 pontos e distribuindo dez assistências. Números assim, de um jogador vindo do banco, só foram repetidos por Magic Johnson, 1996, contra o Dallas Mavericks. Se não bastasse, sete dos 30 pontos de Jack foram feitos nos últimos 91 segundos da prorrogação. Decisivo?

Jogo acirrado

A partida no Oracle Arena foi tão disputada que a liderança mudou 20 vezes entre os dois times durante os 53 minutos de disputa. Também tivemos 17 momentos em que o jogo ficou empatado.

Recorde

Tim Duncan passou Robert Parish na lita dos maiores pontuadores da história da NBA. O ala-pivô agora é o número 23, com 23,350 pontos na carreira. No jogo de ontem, Timmy conseguiu um duplo-duplo, com 19 pontos e 13 rebotes.

Vacilo

O Spurs, apesar de ter começado o último quarto vencendo por 80 a 67, se viu nos segundo finais em desvantagem. Perdendo por dois pontos e com apenas sete segundos no relógio, Pop desenhou uma jogada em que Ginobili teria uma bandeja fácil. Deu certo. No entanto, nos segundos finais da prorrogação, mais uma vez em desvantagem, a mesma jogada foi desenhada e, dessa vez, os defensores estavam mais espertos e roubaram a bola.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Danny Green – 20 pontos e 4 rebotes

Tim Duncan – 19 pontos e 13 rebotes

Tony Parker – 18 pontos e 6 assistências

Manu Ginobili – 18 pontos e 5 rebotes

Kawhi Leonard – 10 pontos e seis rebotes

Tiago Splitter – 10 pontos e 5 rebotes

Golden State Warriors

Jarret Jack – 30 pontos e 10 assistências

David Lee – 25 pontos e 22 rebotes

Stephen Curry – 19 pontos e 6 assistências

Klay Thompson – 10 pontos e 3 assistências