Concorrência internacional

Um dos segredos da boa produção da maioria dos jogadores do San Antonio Spurs é a concorrência. O titular Danny Green, por exemplo, sabe que não pode vacilar, já que Gary Neal, Nando De Colo, Patrick Mills e até mesmo Cory Joseph, astro do Austin Toros, estão doidos para ganhar alguns minutos na rotação. E não para por aí. Internacionalmente, a franquia texana tem os direitos de vários jogadores que, a cada dia mais maduros, sonham com uma oportunidade na NBA. Um deles é Marcus Denmon.

Denmon na bandeja; nasce um novo Spur? (Gilles Dufour/Reprodução/lejsl.com)

Selecionado pelo Spurs na 59ª e penúltima escolha do Draft do ano passado, Denmon se tornou um projeto a longo prazo para a franquia texana. E o desenvolvimento do ala-armador começou na Summer League de 2012, quando o jogador apresentou médias de 5,4 pontos (37,0% FG, 25,0% 3 PT, 50,0% FT), 1,8 rebotes e 1,6 assistências por exibição. Porém, sem espaço no elenco do time de San Antonio, o jovem de 22 anos foi negociado com o Elan Chalon, da França, para ter tempo de quadra antes de, enfim, fazer sua estreia na NBA.

No entanto, o destino resolveu colocar um obstáculo na trajetória de Denmon, no dia 05 de outubro de 2012, durante partida contra o ASVEL Basket – time que tem Tony Parker como dono e que contou com o armador durante o locaute da NBA -, o ala-armador quebrou o pé direito. Foi preciso um longo período de adaptação para que o jogador pudesse voltar às quadras – o que aconteceu no dia 26 de janeiro, em duelo contra o JDA Dijon Basket.

Em seu retorno, Denmon saiu do banco de reservas e anotou 13 pontos (4-8 FG, 2-6 3 PT, 3-4 FT) e uma roubada de bola em 20 minutos na vitória de seu time por 73 a 55. No último dia 9, o ala-armador voltou a atuar, novamente em casa, e, entre os reservas, deixou a quadra com 13 pontos (4-8 FG, 2-4 3 PT, 4-4 FT), cinco assistências, três rebotes e duas roubadas de bola em 25 minutos no triunfo por 89 a 75 sobre o Boulazac Basket Dordogne.

A contusão impediu que Denmon disputasse a Euroliga por seu time, que venceu apenas três das dez partidas que fez na competição. O campeonato continental, considerado o segundo melhor interclubes do mundo, certamente ajudaria o ala-armador a se desenvolver. Mas, pelos números exibidos no parágrafo anterior, o jovem já consegue se destacar, mesmo ainda sem ritmo de jogo. Parece estar no caminho certo.

Em entrevista concedida ao Spurs Brasil antes do início da temporada, Denmon afirmou que ainda quer aprender a comandar um time, jogando como armador principal, antes de desembarcar em San Antonio, e que pretendia manter contato com a franquia texana. O desejo pelo aprendizado parece fazer com que o jogador combine com o perfil que R.C. Buford, Gregg Popovich e companhia tanto gostam. Será que vem aí mais um talento para aumentar a concorrência no Spurs?

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor assistente do UOL Esporte. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 16/02/2013, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s