Arquivo diário: 24/01/2013

Parker e Duncan no All-Star Game 2013

News by Koba

Nesta quinta-feira (24), a NBA anunciou que Tony Parker e Tim Duncan, jogadores do San Antonio Spurs, serão reservas da Conferência Oeste no All-Star Game da temporada 2012/2013 da liga. A dupla se junta a LaMarcus Aldridge (Portland Trail Blazers), James Harden (Houston Rockets), David Lee (Golden State Warriors), Zach Randolph (Memphis Grizzlies) e Russell Westbrook (Oklahoma City Thunder) no banco da equipe.

Quem foi rei nunca perde a majestade (Barry Gossage/NBAE/Getty Images)

O quinteto inicial será composto por Chris Paul (Los Angeles Clippers), Kobe Bryant (Los Angeles Lakers), Kevin Durant (Oklahoma City Thunder), Blake Griffin (Los Angeles Clippers) e Dwight Howard (Los Angeles Lakers). Pelo lado da Conferência Leste, os titulares serão Rajon Rondo (Boston Celtics), Dwyane Wade (Miami Heat), LeBron James (Miami Heat), Carmelo Anthony (New York Knicks) e Kevin Garnett (Boston Celtics), e o banco será composto por Chris Bosh (Miami Heat), Luol Deng (Chicago Bulls) e os estreantes Tyson Chandler (New York Knicks), Paul George (Indiana Pacers), Jrue Holiday (Philadelphia 76ers), Kyrie Irving (Cleveland Cavaliers) e Joakim Noah (Bulls).

Duncan foi selecionado pela 14ª vez para o All-Star Game, e, na atual temporada, apresenta médias de 17,5 pontos, 9,8 rebotes e 2,74 bloqueios por exibição, sendo o terceiro melhor da liga nos tocos. Já Parker tem anotado 19,8 pontos e 7,4 assistências por jogo e foi escolhido pela quinta vez para o evento.

Baynes se inspira em Evans e vem para proteger garrafão

Aron Baynes é o novo pivô do San Antonio Spurs. O australiano, que foi anunciado na quarta-feira (23) oficialmente como reforço da franquia texana, chega com uma missão: ajudar a proteger o garrafão de seu time. Para isso, ele conta com uma inspiração: Reggie Evans, ala-pivô do Brooklyn Nets.

Baynes em ação pela Austrália contra os Estados Unidos na Olimpíada (Getty Images)

“Eu quero trazer resistência para o time. Reggie Evans, por exemplo, fez carreira por ser um cara durão. Eu tento jogar com muita energia. Quero trabalhar 100%”, disse Baynes, de acordo com reportagem do site americano Spurs Nation.

Em seu primeiro dia com seu novo time, o pivô australiano recebeu elogios de Mike Budenholzer, que substituiu Gregg Popovich, doente, durante a vitória do Spurs sobre o New Orleans Hornets. Segundo o auxiliar técnico, a defesa de Baynes, especialmente no pick-and-roll, foi um dos fatores que levou a franquia a contratá-lo.

“Ele tem um atleticismo muito bom. Ele consegue jogar facilmente em transição. Ele tem um grande trabalho de pés. Se você vê-lo defender o pick-and-roll, verá que ele tem habilidade para trocar a marcação e fazer outras coisas. O pick-and-roll é uma parte muito importante do jogo. Ter alguém que sentimos que vai nos ajudar a melhorar nossa defesa de pick-and-roll é ótimo”, declarou o “Coach Bud”.

Spurs (34-11) vs Hornets (14-28) – Novos rivais?

106×102

Na noite desta quarta-feira (23), o San Antonio Spurs recebeu o New Orleans Hornets e venceu pelo placar de 106 a 102. Com o resultado, a franquia texana chegou ao seu sexto triunfo consecutivo na temporada 2012/2013 da NBA e encerrou a incômoda série de partidas contra o adversário. Confira a seguir como foi o jogo.

Splitter deu show! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Calendário cada vez mais difícil

Vice-líder da Conferência Oeste, o Spurs venceu três dos quatro jogos que fez contra o Hornets, 14º colocado, nesta temporada. Porém, não se engane: todos os duelos foram decididos por menos de dez pontos de diferença. No campeonato que vem, o time de Nova Orleans, que deverá contar com Eric Gordon saudável desde o início, se juntará a Dallas Mavericks, Houston Rockets e Memphis Grizzlies como os duros adversários da equipe de San Antonio na Divisão Sudoeste, que promete ser uma das mais difíceis de todos os tempos.

Parker teve grande atuação (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Mercy, Parker

O Spurs entrou em quadra desfalcado contra o Hornets. Machucados, Kawhi Leonard e Tim Duncan não participaram da partida. Além deles, o técnico Gregg Popovich, doente, sequer foi ao AT&T Center e foi substituído pelo auxiliar Mike Budenholzer. Se não bastasse, Manu Ginobili, que voltava de contusão, ainda não estava no ritmo ideal e anotou apenas nove pontos e cinco assistências, além de três importantes roubadas de bola. Com isso, Tony Parker assumiu a responsabilidade. O armador francês anotou 24 pontos – dez deles no quarto período – e ainda distribuiu 13 assistências, guiando o time à vitória.

Anotaram a placa?

Além de Parker, outro fator fundamental para o resultado foi a eficiência do time texano nos contra-ataques. No quarto período, o Spurs marcou dez pontos após roubadas de bola em lances praticamente seguidos, o que ajudou a equipe a definir o placar.

Nos instantes finais, já com os reservas em quadra, o Hornets ameaçou uma reação após turnover de Boris Diaw e bola de três pontos de Austin Rivers. Porém, era tarde demais.

The Brazilian Fundamental

Sem Duncan, Tiago Splitter precisava chamar a responsabilidade no garrafão para que o Spurs pudesse vencer. E ele não poderia ter feito de maneira melhor. O pivô anotou 25 pontos, apenas um a menos do que seu recorde pessoal da NBA, e ainda contribuiu com sete rebotes e duas roubadas de bola. O brasileiro foi quase perfeito: acertou dez dos 11 arremessos de quadra e cinco dos seis lances livres que tentou. Boa, garoto!

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tiago Splitter – 25 pontos, 7 rebotes e 2 roubadas de bola

Tony Parker – 24 pontos, 13 assistências e 4 rebotes

Stephen Jackson – 15 pontos e 4 assistências

Danny Green – 12 pontos, 7 rebotes e 2 roubadas de bola

New Orleans Hornets

Eric Gordon – 17 pontos

Ryan Anderson – 16 pontos, 6 rebotes e 3 assistências

Greivis Vasquez – 15 pontos, 11 assistências e 5 rebotes