Spurs (27-10) @ Hornets (9-25) – Deu zebra

88×95

O San Antonio Spurs enfrenteu o New Orleans Hornets, na noite desta segunda-feira (7), e acabou sofrendo a derrota para o time da casa, que obtém a pior a campanha da Conferência Oeste. Com a derrota –  décima na temporada – o Spurs permanece na terceira colocação de sua Conferência, atrás de Oklahoma City Thunder e Los Angeles Clippers.

Manu tentou, mas não foi páreo (Layne Murdoch/NBAE/Getty)

Manu tentou, mas não foi páreo (Layne Murdoch/NBAE/Getty)

Mão na forma

As bolas de três pontos são uma das grandes armas do Spurs na temporada. A equipe possui o quinto melhor aproveitamento da liga nesse quesito. Entretanto, contra o Hornets a equipe esteve muito mal da linha dos três, acertando apenas 29% de suas tentativas. Danny Green, um dos principais arremessadores de longa distância do elenco, errou todas as 4 tentativas e saiu de quadra zerado.

Duncan não teve vida fácil

Duncan não teve vida fácil

Nem parece lanterna

Apesar da campanha ruim, o Hornets fez uma excelente atuação e obteve todos os méritos pela vitória. Organizados defensivamente, dificilmente davam ao Spurs a oportunidade de fazer um arremesso sem contestação. No ataque, a equipe soube distribuir bem o jogo, liderados pelo armador Greivis Vasquez, que distribuiu um total de 11 assistências. O garrafão da equipe de New Orleans também foi dominante, brigando sempre pelos rebotes e pontuando com facilidade. Além disso, a equipe soube neutralizar Tony Parker e Tim Duncan, principais armas ofensivas da equipe de San Antonio, que anotaram apenas 16 e 13 pontos respectivamente, números muito abaixo de suas médias.

Manu Ginobili

O armador argentino vem tendo uma temporada atípica, longe do seu potencial. Felizmente, Manu parece estar reencontrando seu basquete, e após boa atuação contra o 76ers, onde anotou 19 pontos,   ele repetiu a dose e fez outra excelente atuação, anotando 21 pontos, distribuindo bem o jogo com 4 assistências e sempre alegrando os olhos dos torcedores com suas jogadas “tiradas da cartola”.

Dá uma chance Pop!

Nando De Colo e Patrick Mills são jovens armadores cheios de potencial e que já mostraram ter muito talento nas oportunidades que receberam. Contra o Hornets, ambos não entraram em quadra, e o reserva de Tony Parker na armação foi o contestado Gary Neal, que joga improvisado na função. Será que não tá na hora de deixar os garotos jogarem?

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 21 pontos e 4 assistências

Tony Parker – 16 pontos e 3 assistências

Tim Duncan – 13 pontos e 8 rebotes

Kawhi Leonard – 10 pontos

New Orleans Hornets

Eric Gordon – 21 pontos e sete rebotes

Anthony Davis – 17 pontos e 9 rebotes

Greivis Vasquez – 14 pontos e 11 assistências

Anúncios

Sobre Bruno Lorscheiter Alves

Jornalista amador, apaixonado por esportes, basquete e lógico, San Antonio Spurs.

Publicado em 08/01/2013, em Resumo de Jogos e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 12 Comentários.

  1. Excelente resumo. Para o meu Hornets foi um resultado fantástico, pois vencer um time Top 3 do Oeste é sempre um alento (nós já havíamos vencido o Clippers em LA), principalmente para uma equipe esforçada como a minha. Vasquez, Gordon e Davis jogaram muito bem. Acho que esses três juntos são capazes de tirar o Hornets da lanterna do Oeste.

    O Hornets, aliás, é um caso a ser estudado. Vence equipes como Clippers e Spurs, e perde para times como Wizards e Raptors (ambas dentro de New Orleans). Vá entender… rs.

    Já para o Spurs, apenas um acidente de percurso. Afinal, os embates com o Hornets têm sido equilibrados nessa temporada. E não dá pra jogar bem todas as noites, e as derrotas acontecem aqui e ali. Assim é a NBA. Vida que segue…

    Abços!

  2. O Spurs, até o momento, encontrou três matchups espinhosos: Hornets, que embaçou nos dois primeiros jogos e venceu o terceiro, e Knicks e Clippers. Estranho que não consigo encontrar muitas ligações entre eles que justifiquem isso.

    Outra coisa: aos 36 anos Duncan continua sendo o carro-chefe desse time. Isso é bom e ruim ao mesmo tempo. Ontem nosso Big Fundamental não esteve nos melhores dias, errando arremessos desmarcado e bandejas fáceis. Raridade total isso acontecer, mas ontem foi assim. Quando isso acontece o time se desequilibra. Pop deve saber disso há tempos, espero que tenha as peças para conseguir corrigir.

    No mais, me alegra unicamente saber que não fomos os únicos a perder pra um time teoricamente mais fraco.

  3. Muito puxa saquismo. O Negócio é que o Spurs tomou outra surra de uma equipe que tem bons nomes no garrafão.

    Já passo uda hora de ir atrás de um um pivo.

    • Silas Barboza de Sousa

      Giu,vc ainda,não percebeu que os Spurs estão pouco lixando para este campeonato,jogando alguns jogos sem vontade e ganhando,entregando outros,realizando corpo mole e principalmente demonstrando deficiências para todos adversários….
      Eu acho que San Antonio não estã nem aí pra esta temporada ou para a NBA como um todo….

      • Concordo com quase tudo. Apenas acho que este ano oestá sendo um grande labratório pro coach, o Spurs está jogando com formaçoes estranhas, algumas bizarras. Uma vez cheguei a ver Neal, Leonard, Green, Diaw e Blair em quadra. Sem contrar outras coisas esquisitas. Isso é no mínimo estranho. Claro, pode ser que o Pop ficou louco, mas não creio.
        Outra coisa, em um outro jogo, me lembro qual, tínhamos Manu e Green em quadra, uma bola no final do jogo, pra empatar ou virar. Quem finalizou? Neal. Estranho demais.

        O Spurs realmente parece estar fazendo pouco caso, jogando pro gasto ou nem isso às vezes, por conta de algumas experiências estranhas. Quando o time joga com as formações mais normais, no esquema de rotação de bola do ano passado, ninguém encosta nesse time.
        Mas normalmente temos visto o contrário, um time esbanjando posses de bola e arremessos. Quando os testes estranhos funcionam, o time vai bem. Mas temos sofrido em jogos que não deveríamos.

        Só não ach oque o time entregou a temporada. Ao contrário. Acho que quando estivermos mais perto dos playoffs o Pop já vai saber exatamente o que esse time é capaz de fazer, e do que não é capaz, e vai poder escolher as melhores jogadas e formações, que deram mais certo. Não estou dizendo que o Spurs seja o maior favorito, nem que seja capaz de vencer qualquer time. Só digo que está na briga pelo título sim, e na melhor forma do Big 3 e dos principais coadjuvantes (Splitter, Leonard e Green) não tenho medo de time algum.

  4. Bruno Lorscheiter Alves

    Neal finalizar jogos não é nenhuma novidade nem experimento do Pop, ele já fez isso com maestria, lembram contra os Grizzlies, aquela cesta de 3 espírita no estouro do cronômetro? O cara erra às vezes, se precipita, mas eu acho ele uma boa opção para essas bolas finais, ele tem sangue frio e bom arremesso.

    • Concordo que ele já fechou jogos, inclusive em alguns ele foi muito bem a partida toda. Só que ele não é um atirador de elite, nem o segundo e nem o terceiro finalizador do time.
      Ele sumiu nos playoffs. Não acertava um arremesso nem a pau. Pop tá deixando a batata assar pro lado dele, colocando ele em situações decisivas, deixando ele sentir o peso da bola sob pressão, pra chegar acostumado nos playoffs.

  1. Pingback: Vídeo: finta e cravada | Destino Riverwalk

  2. Pingback: Spurs (27-10) vs. Lakers (15-19) – Temporada Regular « Spurs Brasil

  3. Pingback: Spurs (28-10) vs. Lakers (15-20) – Pesadelo de Kobe! « Spurs Brasil

  4. Pingback: Spurs (28-11) @ Grizzlies (24-10) – Queda na prorrogação « Spurs Brasil

  5. Pingback: Spurs (33-11) vs Hornets (14-27) – Temporada Regular « Spurs Brasil

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s